Honestidade intelectual

quinta-feira, 1 de abril de 2010

A postagem A advocacia no Brasil e no mundo: a Ordem dos Advogados e o Exame de Ordem consegui despertar fortes opiniões dos leitores do Blog.

Uma opinião em especial conseguiu me chamar a atenção. Colo aqui o trecho inicial dela:

BootZero, 1 de abril de 2010 18:32

Com o projeto de Lei para ser votado, a verdade é cada vez mais aparecerão artigos como este. O próprio blog não teria existência sem tal exame, e detalhe, no mesmo há propaganda de cursinhos preparatórios para tal. O que esperar da opinião de alguém parcial? Como diz o ditado, onde há interesses financeiros, o dinheiro dá a palavra final.

Em um primeiro momento, fiquei indignado com a observação, mas, refletindo com mais vagar, ela guarda certa lógica, apesar de calcada em insuperáveis sofisma e má-fé.

Vou analisar trecho por trecho para melhor explicar cada ponto.

1 - "O próprio blog não teria existência sem tal exame"

Sim, o Blog não existiria sem o Exame, assim como muitas mídias não existiriam sem as razões que lhes dão causa. Isso é óbvio.

2 - "e detalhe, no mesmo há propaganda de cursinhos preparatórios para tal."

A propaganda decorre de um reconhecimento. Não tenho a pretensão e nem a vaidade de dizer que o Blog é isso ou aquilo. Sendo o que é, atrai o interesse de muitas pessoas, sejam interesses bons ou ruins.

Se há uma percepção boa da imagem do Blog e, se interessa a uma empresa vincular sua imagem a essa percepção, nada mais natural.

3 - "O que esperar da opinião de alguém parcial?"

O Blog Exame de Ordem, neste mês, fará 2 anos de existência. Durante estes 2 anos eu SEMPRE fui a favor do Exame de Ordem. A presença recente de um patrocinador não alterou em nada o meu posicionamento.

Tal como seu nome indica, o Blog é sobre o Exame de Ordem, e sempre procurei tratar o tema em toda sua amplitude, seja falando bem, seja falando mal, ora defendendo o Exame, ora tratando do seu fim. Uma pesquisa nos arquivos do Blog, acessíveis a qualquer um, mostrará o meu balizamento quanto ao tema, e este permanece inalterado ao longo do tempo.

Sou sim favorável ao Exame, mas a linha editorial do Blog não faz apologia a isso. Existem inúmeros blogs que tratam sobre o fim do exame da OAB. Muitos internautas podem se sentir confortáveis neles. Existem muitos blogs que falam do Exame, e muitos podem gostar da linha editorial destes. Isso é natural.

De toda forma, o Blog Exame de Ordem foi o primeiro a tratar do Exame de forma abrangente, com uma visão pragmática, séria e honesta, sem abraçar fundamentalismos e paixões que comumente vinculam-se ao tema.

Se ser favorável ao Exame é ser parcial, da mesma forma ser contrário também representaria uma parcialidade. Não conheço um espaço na internet ou mesmo uma pessoa que nao tenha um posicionamento sobre o tema, para ser um articulista absolutamente imparcial. Convenhamos que tal imparcialidade levaria inexoravelmente ao desconhecimento do assunto, por isso tais pessoas não se apresentam.

Como já escrevi, sou a favor do Exame, com todas as letras, mas isso não teve o condão de distorcer a linha editorial do Blog. São inúmeras as minhas críticas à OAB e ao Cespe ao longo do tempo, assim como também já tratei várias vezes sobre o debate que envolve a pretensão de se acabar com a prova da OAB.

Aqui eu trato o assunto com seriedade. Nada além disso.

4 - Como diz o ditado, onde há interesses financeiros, o dinheiro dá a palavra final.

Aqui habita um espalhafatoso sofisma: O da generalização apressada. Esse sofisma parte de uma premissa, ou pretensa verdade, e aplica-o a qualquer hipótese que seja assemelhada. Ou seja, se o Blog tem um anunciante, a opinião do blogueiro é viciada em função dos interesses do anunciante, que o remunera para poder usar um espaço.

Fico imaginando a revista Veja, o jornal O Globo, o portal Terra, todos com centenas de anunciantes. Por esta lógica, todos seriam completamente corrompidos em razão dos interesses dos patrocinadores.

Naturalmente isso não ocorre. Na verdade, admitir essa lógica seria admitir que todo e qualquer veículo de mídia é corrupto ou corruptível em nome do dinheiro.

Talvez o oposto revele-se como uma adequação mais correta à realidade: a imparcialidade é que atrai interesses, e não o contrário.

A minha opinião não mudou ao longo desses dois anos. A presença do patrocinador foi indiferente para a linha editorial.

Ademais, uma das razões de o Blog ter algum sucesso baseia-se em sua linha editorial. Alterá-la para agradar um patrocinador, por melhor que este remunere, poderia por a credibilidade conquistada sob risco e, por corolário lógico, a própria razão que levou o patrocinador a buscar o Blog.

O Blog continuará a ser o que é, pois antes de qualquer patrocinador ou crítico, o que me leva a escrever aqui é uma genuína satisfação em tratar deste tema. Mais ainda! É o prazer em ajudar quem precisa de orientação sobre o Exame de Ordem.

O Blog nasceu do nada, quando ninguém tratava do assunto. Muitos agora o fazem, mas certamente nenhum com o prazer e a dedicação que eu entrego aqui.

E isso Mastercard nenhum compra.

15 comentários:

Larissa 1 de abril de 2010 21:27  

se a pessoa do comentário sobre o blog, entrou no blog do exame da ordem é porque, no mínimo, se interessa por este. Caso contrário, pode ler diversos outros presentes na internet como o próprio Mauricio esclareceu. Afinal, se não está se sentindo confortável com o blog, por que se dar o trabalho de ler?
Larissa Roth,
Fpolis - SC

rogerio 1 de abril de 2010 23:34  

Curioso, Dr Maurício. Como Professor na Graduação há 10 anos, tenho a sensação de que o Exame incomoda muitos empresários do Ensino Jurídico. Ou seja, há INTERESSES FINANCEIROS interessados - desculpe a repetição intencional, no fim do Exame. Aliás, acho que não custa investigar se há parlamentares que lutam por esta causa, que tenham recebido doações de Mantenedoras. Abcs! Rogeio Neiva

Mario Berger de Sousa 1 de abril de 2010 23:51  

É Maurício... é preciso concordar em discordar, antes de tudo. Você construiu uma grande audiência aqui no blog, o que lhe dá um certo poder de "mídia" e, talvez por esse forte senso daquilo que se convencionou chamar de "politicamente correto", exige-se da "mídia" imparcialidade. Então, eu entendo a postura de quem "bate" no blog. Eu mesmo gostaria de bater de vez em qdo.

Ao contrário da maioria, contudo, não gosto de adotar discursos politicamente corretos, então não saio por aí exigindo imparcialidade de ninguém (se eu mesmo sou parcial). Por outro lado, não me faço de rogado, e se acho que devo malhar alguém ou algum veículo de "mídia", o faço sem problemas (sou bem parcial qto a certos assuntos).

Contudo, há certas coisas que me irritam muito neste blog. A maior delas (e a única que acho que é digna de nota) é o fato de que os comentários precisam passar por sua prévia aprovação ANTES de irem ao ar.

Entendo que seria melhor se eles fossem ao ar e, DEPOIS fossem filtrados - como no trabalho de um moderador. O seu trabalho seria o mesmo (ler as menssagens), só excluindo aquelas que violassem a política do blog (sem xingamentos, palavrões e etc.). Mas às vezes tenho a sensação de que um comentário mais ácido e desagradável não passa no filtro ou, se passa, vai tarde demais.

É claro que você tem todo o direito de estabelecer uma "ditadura" no blog. Afinal, ele é seu, foi construído POR VOCÊ e VOCÊ tem todos os méritos pelo seu sucesso. Então, se você quer estabelecer uma linha UNILATERAL de comunicação, acho que é perfeitamente plausível. Contudo, acho que se é essa a postura isto deve ficar bem claro para qualquer visitante.

Acredito, contudo, que essa não seja a sua intensão. Tenho acreditado até agora que a sua vontade é captar audiência por meio de um espaço de discussões, portanto, plurilateral. Por isso estou aqui, escrevendo isso tudo.

Eu já elogiei o blog algumas vezes, e já fui ríspido noutras tantas, mas democracia se faz dessa forma. Prefiro ambientes assim.

Acho que essa é uma boa oportunidade para que a sua postura, como editor, fique clara (ao menos para mim).

Grande Abraço!

(e vê se publica esse meu comentário hein!!! rsrs)

Mario Berger de Sousa 1 de abril de 2010 23:54  

Faltou fazer uma justiça aqui: o comentário do tal sujeito foi ao ar... já é uma demonstração de "plurilateralidade" do blog... bom sinal, como normalmente vemos aqui.

Professor Morgado 2 de abril de 2010 03:36  

Maurício,

começamos praticamente ao mesmo tempo nessa árdua tarefa de auxiliar aos que iriam prestar Exame e indigna-me pessoas como o sujeito que postou o comentário serem tão levianos em relação ao SERVIÇO DE UTILIDADE PÚBLICA que presta.

Só indico DOIS Blogs em meu BLOG de DEONTOLOGIA JURÍDICA (www.morgadodeontologia.blogspot.com) e, como bem sabe, um deles é o seu.

Ratifico aqui nesse comentário o título de meu post recém postado no meu BLOG:

EU, ROBERTO MORGADO, INDICO O BLOG EXAME ORDEM!!!

Por fim, desejo a você, sua família e todos os blogueiros que visitam sua página uma feliz páscoa.

É o que me resta, pois um SONO TRANQÜILO, com a sensação de que a cada dia o DEVER CUMPRIDO de axiliar os que irão prestar o Exame é feito.Ao deitar-se para o "sono dos justos", lembre-se que és uma pessoa honesta.

abraços,

Roberto Morgado (RJ)

texugo 2 de abril de 2010 05:50  

Dr. mauricio

Apesar de frequentar o seu blog a pouco tempo, percebi que aqui é um espaço democratico. Mesmo sendo o senhor favoravel ao exame de ordem, vejo que aqui sao admitidas criticas contra tal...

ate por isso sugiro ao senhor publicar o artigo contido nesse link:

http://www.conjur.com.br/2007-nov-15/exame_ordem_inconstitucional_ilegal_imoral

Eduardo 2 de abril de 2010 09:41  

eu diria que ele é um BootZero_a_esquerda...

Luiz Carlos Assis Jr. 2 de abril de 2010 11:22  

Excelente nota, Maurício, digna de estar no Blog Exame de Ordem.

Ratifico as palavras do Prof Morgado, trata-se de verdadeira utilidade pública a existência do Blog.

Conheci o Blog no final de 2008, quando estava me submentendo ao exame - quando o artigo foi publicado no blog pela primeira vez, há mais de um ano -´e desde então o acompanho. O blog ainda nem contava com toda essa organização e anúncios, mas detinha tanta democracia em seus debates quanto ainda o tem.

Por isso o seu sucesso.

Abraço,

Reynaldo 2 de abril de 2010 20:32  

Continuação:

Destaco que, não faço tal explanação para mudar posicionamento de ninguém, nem vosso, pois eu também sou humano e tenho posições que podem não respeitar as normas legais, portanto, não posso exigir que opiniões sejam exatamente de acordo com a Lei.

A lei tem de ser cumprida, concordemos ou não com ela...

Por exemplo, não concordo com as normas anti-tabaco por achá-las discriminatórias, mas as cumpro.

Assim, hoje represento uma entidade - OABB Ordem dos Acadêmicos e Bacharéis do Brasil - que luta contra o exame de ordem em face de sua inconstitucionalidade e gere o MNBD,Movimento Nacional dos Bacharéis em Direito.

A OABB é uma entidade legalizada,com quase 2 anos de CNPJ, Estatuto e Atas devidamente registradas, com o fim específico de lutar contra o exame de ordem da OAB e, se houver outro, como medicina por exemplo,contra ele também.

Se o Doutor quiser saber mais sobre nossa entidade e movimento, é só me requerer pelo email mnbd.brasil@gmail.com.

Gostaria de gentilmente corrigi-lo quanto a afirmação que seu blog seja o mais antigo a tratar do exame de ordem.

O Blog "MNBD Distrito Federal"
( http://mnbddf.blogspot.com)
é mais antigo que o vosso, datando de 23 de novembro de 2007, sendo que o contador de visitas foi adicionado 13/12/2007 (teve 42 mil acessos até hoje). A blogueira é nossa vice-presidente nacional, Thamar Albuquerque.

Temos outros blogs oficiais, mais antigos, se desejar faço uma lista.

Eu ainda não operei com blogs, mas fiz meu "debut" eletrônico com comunidades Orkut. São minhas as comunidades "Não Agüento + a injusta OAB" aberta em 2005 (assim que me formei) e a seguir, "Vamos acabar c/ exame de ordem" aberta em 2006.

Apenas apresento esta correção, para aclarar que nossa interação com colegas de todo o Brasil (e alguns vários países) sobre o tema exame de ordem inconstitucional cresce a partir de 2005, levando a nossa entidade OABB/MNBD.

Agradeço a oportunidade de contatar o doutor e fico sempre a disposição para troca de fatos e debate amigável e democrático de opiniões.

Att

Reynaldo Arantes
Presidente Nacional em exercício do MNBD/OABB.

Reynaldo 2 de abril de 2010 20:34  

Prezado Dr. Maurício:

Primeiramente, gostaria de destacar Rui Barbosa, que em discussão com Clóvis Benviláqua sobre as bases do que seria o Código Civil de 1.916, sublimou o que é democracia: " Mesmo não concordando com uma única palavra vossa, darei minha vida para que tenha o direito de dizê-la."

Se queremos um "Estado Democrático de Direito", devemos respeitar opiniões contrárias e o que não se muda com diálogo, se modifica com voto e/ou com decisão judicial.

Assim, o respeito profundamente, já divulguei seu blog várias vezes para nossos associados que divulgam para seus contatos, já que em época de exame, seu blog centraliza sempre as melhores fundamentações para os recursos administrativos junto À CESPE UnB e tais fundamentações são utilizadas pelos nossos colegas em ações judiciais esgotadas as vias administrativas.

A mim não importa se vossa posição é a favor ou contra o exame. Seu blog sempre me pareceu imparcial e justo, pois o doutor divulga na mesmo todos os posicionamentos referentes ao tema do blog: O Exame de Ordem da OAB.

Peço vênia apenas para afirmar que, pessoalmente, não entendo um democrata que possa ser contra o que a Constituição define.

O respeito à Lei Magna é pressuposto básico do "Estado Democrático de Direito" e - aí aceito outra visão e interpretação - a CF é cristalina na leitura do Art. 5º, XII c/c 205, caput, que a única vedação ao exercício profissional é a "Qualificação prevista em lei" do Art. 5º, XIII, sendo que tal "Qualificação" é definida no mesmo códice magno, no Art. 205, caput, que afirma ser a educação que qualifica para o trabalho.

A lei específica para regulamentação do Art. 205 é a Lei 9.394/96 e ela reafirma o texto constitucional em seu Art. 2º e quando trata do Ensino Superior, Art. 43 e seguintes, afirma que se formam indivíduos APTOS a serem inseridos em seus mercados de trabalho.

O senhor tem toda a liberdade de discordar da minha fundamentação e apresentar outra, mas destaco que tal embsamento já gerou 3 sentenças de mérito na Justiça Federal (RS,GO e RJ).

O fato de vários colegas ainda não estarem com a carteira, mesmo com tais decisões, é a movimentação muito mais política que jurídica da OAB em minha modesta opinião.

Paralelamente, temos no Congresso 5 projetos de lei (PL 5.801/05, PLS 189/06, PL 5773/06, PL 2195/07 e 2426/07) que extingue o exame em face da inconstitucionalidade supra destacada e uma PEC (001/2010) que reafirma ser o diploma a confirmar a qualificação obtida para TODOS os fins.

Portanto, tenho uma opinião contrária ao exame,embasada, fundamentada na Constituição e em decisões de mérito de Juízes Federais.

Continua...

Anselmo Feitosa Giovanini giovanini 2 de abril de 2010 23:51  

Dr.Mauricio,
Percebo que Vossa Senhoria é um homem integro.Ademais, muito embora discordar do exame de ordem, apresento alguns quesitos: no país da injustiça social, da segregação educacional;das fraudes;do corporativismo... tal exame não seria perigoso?!
Solução: poderia sim haver uma espécie de exame, mas no decorrer da graduação. Por uma razão muito óbvia: acabaria com aproveitadores de plantão; evitaria fraudes... seria mais justo.
Um grande abraço

Maurício Gieseler de Assis 3 de abril de 2010 17:50  

Prezado Reynaldo,

Agradeço por suas palavras e esplanações. Elas representam a síntese de uma abordagem racional e educada, tal como deve ser.

Quanto a sua correção, devo dizer-lhe que o que escrevi está correto. Meu blog foi o primeiro a tratar do exame de forma abrangente, exatamente como escrevi, enquanto o do MNBD/DF só tratava do fim do exame, assim como os demais sites do MNBD.

O Blog Exame de Ordem foi muito além disso.

Abraços!

Reynaldo 4 de abril de 2010 03:57  

Prezado Dr.Maurício:

Se olharmos pela ótica que nos blogs do MNBD/OABB há o viés negativo quanto ao exame em face do explanado, concordo com o doutor.

Nossos blogs e comunidades orkut sempre abordaram a inconstitucionalidade do exame e nossa intenção de lutar por sua extinção, juntamente com o propósito de auxiliar os colegas a passarem por esta prova e seguirem nos auxiliando na luta pelo fim do mesmo.
Nunca abordamos pontos positivos do exame (que existiram de 63 a 96) pois nunca os vislumbramos...

Gostaria apenas que fizesse a gentileza de inverter a ordem de minha explanação, já que a mandei invertida entendendo que seria postada após sua moderação na ordem de chegada, a exemplo do que ocorre no orkut, onde as últimas são postadas primeiro.

Vamos manter o contato. Aguardo seu email, caso tenha interesse em receber nosso material para conhecer o MNBD/OABB, nossa história, fundamentação, esboços e ações judiciais, alguns artigos de minha autoria, projetos de lei e material de aúdio, com entrevistas e um debate entre o MNBD x OAB.

Reitero meus votos de estima e consideração pelo doutor.

Att

Reynaldo Arantes

Cláudio Souza Jr. 4 de abril de 2010 13:29  

Acompanho o blog desde que comecei a estudar para o exame de ordem, há mais ou menos oito meses. Desde então tenho lido muitas opiniões do Dr. Maurício com as quais concordo, e muitas com as quais não concordo, e tenho comentado as respectivas opiniões, mas em nenhum momento pude perceber qualquer vestígio de influência comercial nas postagens que li, e nem me utilizo de críticas pessoais para defender minhas convicções.

Parcialidade nesse caso é até ululante, como bem disse o Dr. Convenhamos, ou você é contra ou a favor do exame, pelos motivos que achar válidos e legais. Nós somos a favor, mas nem por isso temos obrigação de sempre defender as burradas praticadas durante a aplicação das provas, esse é o ponto.

Muito inconveniente pra um narciso se identificar como "BootZero" e perder a oportunidade de aparecer, que é o que ele queria de fato.

Opiniões como a desse "BootZero" demonstram uma coisa: algumas pessoas não procuram fundamentar, ou não têm conhecimento suficiente para argumentar direito com suas palavras. Mas nós respeitamos isso.

Aliás, se ele for bacharel, é bom começar a estudar retórica, discrurso, porque eu vi que o Dr. Maurício respondeu muito fácil as críticas dele... Numa defesa oral, no pleno de um Tribunal Superior, ele ia passar vergonha... Eu acho.

FIKS 6 de abril de 2010 17:46  

Ninguém pode ser contra se exigire uma qualificação mínima de um médico, dentista, engenheiro ou advogado.
O que se vai discutir sempre é qual é esse minimo. Acontece que certas faculdades exigem mais e outras menos. Então a OAB resolveu que ela sabe qual é esse mínimo. Mas quem é a OAB? é uma entidade corporativa que protege a os seus membros. E eles, os seus membros, não desejam concorrência e, portanto, em vez de exigir o minimo exigem o máximo. A OAB não é uma entidade isenta para aferir a capacidade dos estudantes.Vamos imaginar que os moradores de uma rua criassem uma associação e pudessem limitar o numero ou o tipo de pessoas que iriam morar nela, ou os moradores de um condominio. Imaginem que o sindicato dos taxistas criasse uma prova para definir quem poderia ter uma autonomia.
Ou melhor, imaginem que houvesse um orgão na internet que criasse uma prova para quem quisse ter um blog. Certamente ninguém aceitaria. Acontece que o Congresso criou uma lei que permite que a OAB possa aferir o conhecimento e assim limitar o número de seus membros. discute-se se é constitucional ou não, mas não temos dúvidas que é injusta.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP