As coisas que eu quero entender mas não consigo...

quinta-feira, 11 de março de 2010

Eu quero entender algumas coisas mas juro que não consigo...

O Colégio de Presidentes dos Conselhos Seccionais da OAB, em nota oficial, afirmou que:

"A OAB afirma sua absoluta isenção em relação aos fatos que, infelizmente, deram ensejo à anulação e reitera seu compromisso com a apuração das responsabilidades".

Aí vem o Cespe e diz que quer aplicar o Exame de Ordem sozinho, com tudo sob sua inteira responsabilidade?

Até onde me consta, a competência para aplicar o Exame de Ordem é PRIVATIVA das seccionais, por força do Art. 58, VI, da Lei 8.906/94:

Art. 58. Compete privativamente ao Conselho Seccional:

(...)

VI - realizar o Exame de Ordem;

O Exame Unificado é aplicado em parceria com o Cespe porque as seccionais abriram mão da parte administrativa do certame, mas mantém o controle de toda a parte decisória, na figura do Colégio de Presidentes das Comissões de Exame de Ordem.

É a autoridade desse Colégio que o Cespe quer avocar para si?

Mais!

O Cespe tem essa pretensão mesmo sem que as investigações sobre a fraude e apuração das responsabilidades tenham sido concluídas?

Sem a apuração completa da fraude e identificação dos responsáveis o Cespe e a OAB sequer poderiam reaplicar o Exame!!!! Antes de tudo a lisura e a segurança da prova deveriam estar 100% garantidas.

Quem fraudou o Exame? Existe uma resposta para essa pergunta? Algum suspeito foi afastado, mesmo que administrativamente?

O novo exame será, inquestionavelmente, SEGURO?

Se a OAB diz que não tem envolvimento com a fraude, por que deve ser afastada da gestão do Exame? Do SEU Exame?

Essa resposta eu quero ver.

14 comentários:

RENATA 11 de março de 2010 12:55  

Eu não acrdito na CESPE, depois que ela entrou, só há fraude.... deveria cada ficar as OABs, mesmos.

texugo 11 de março de 2010 14:22  

postei um comentário no tópico anterior com as mesmas dúvidas..

na minha opinião o exame deveria ficar suspenso até que se conclua a investigação, sendo que esta, obrigatoriamente, deve apontar os culpados pelo vazamento da prova, sob pena de impossibilitar realização de novo exame.

do jeito que as coisas estão, preferiria que o exame de ordem fosse feito pelo congresso nacional, pelo visto eles são mais honestos. rsrs

Rodrigo 11 de março de 2010 14:30  

Tudo soa muito estranho. A OAB se auto-isenta de culpa antes mesmo de encerrada a apuração dos fatos. A CESPE afirma que se ela sozinha realizar o exame é mais seguro...ops..a fraude supostamente não teria partido do CESPE ?? E mais, a OAB se auto-denominando como o Paladino da Honestidade vai querer dividir as despesas sabendo que está 100% isento de culpa ? Ou será que não está e estão nos escondendo algo? Cadê o Ministério Público ?? Vai aparecer nessa estória ??

Rodrigo 11 de março de 2010 14:30  

Tudo soa muito estranho. A OAB se auto-isenta de culpa antes mesmo de encerrada a apuração dos fatos. A CESPE afirma que se ela sozinha realizar o exame é mais seguro...ops..a fraude supostamente não teria partido do CESPE ?? E mais, a OAB se auto-denominando como o Paladino da Honestidade vai querer dividir as despesas sabendo que está 100% isento de culpa ? Ou será que não está e estão nos escondendo algo? Cadê o Ministério Público ?? Vai aparecer nessa estória ??

André Dantas 11 de março de 2010 14:43  

Sem comentário!!! E ainda tem gente que é contra a extinção desse exame ridículo e absurdo.

Mario Berger de Sousa 11 de março de 2010 14:45  

Maurício, foi perfeita esta sua colocação.

O mais engraçado é que a OAB lavou as mãos, dizendo que não houve responsabilidade sua na fraude - inclusive da seccional de São Paulo, que em uma semana de sindicância administrativa teve sua inocência provada - SANTA CELERIDADE BATMAN!!!

De outro lado, o CESPE, com uma declaração destas (vista no último post) parece estar jogando pra cima da OAB a responsabilidade. Tipo, o exame seria mais seguro se o CESPE sozinho organizasse o certamente, como se a participação da OAB fosse um ponto frágil. Dá a entender que a OAB tem culpa no cartório.

Funny story...

Para anular o certame e realizar outro tão inseguro quanto (que é o que vai acontecer) melhor seria não ter anulado ... ou acabar com o exame de uma vez (pq impedir que os bacharéis exerçam sua profissão seria demais).

Aden Leonardo 11 de março de 2010 15:44  

Eu queria saber porque o nome de um assassino é revelado e do fraudador do exame não. Ele vai fazer a segunda etapa novamente? A OAB dá mais proteção que o Estado por manter sigilo do nome do infeliz candidato?

Dani 11 de março de 2010 16:57  

é pra rir ou chorar dessa incoerencia?
dessa imoralidade... dessa
palhaçada...

texugo 11 de março de 2010 18:17  

pessoal olhem esse video:

http://www.youtube.com/watch?v=MVL3F411uek&feature=player_embedded

é assim que as coisas acontecem..

Paiva_adv 11 de março de 2010 18:53  

Quem sabe Dr Mauricio O fim do exame causaria menos injustiça! Sabe por quê? Sugestão: Sou professora a mais de 10 anos e quem é professor sabe que avaliar não é através de uma prova simplismente. Por isso, a OAB poderia criar em substituição as avaliações objetivas (considerada sorte) e subjetivas ( critério que fica na mão do examinador). Fazer um programa de atuação dos bacharéis junto aos órgãos do judiciário- Defensorias, Promotorias... durante 2 anos - atividade que será considerada atividade forense. Assim, desenvolveriam serviços sociais a comunidade e estariam exercendo atividade juridica podendo ser analisado o trabalho do bacharel de uma forma ampla e prática e não somente em uma avaliação.

Airton 11 de março de 2010 20:01  

"As coisas que eu quero entender mas não consigo...
Eu quero entender algumas coisas mas juro que não consigo..."

Dr. Mauricio, nem você nem ninguém consegue entender, e o que fazer quem está sendo prejudicado pela segunda vez, graças aos equívocos OAB/Cespe no Exame 2009.2, leia-se questão Prova Prática Trabalhista, e agora a ainda não esclarecida fraude, tenho minhas dúvidas a respeito. Será que não é coisa premeditada para uma confusão apagar a outra. Outra dúvida, a denúncia foi feita a Rede TV, nada contra a mesma, com todo respeito, mas porque ela e não as emissoras de grande expressão nacional, como Globo, Bandeirantes e SBT.
A Polícia Federal, ainda não conseguiu desvendar o crime? Existe a dúvida de quem é o responsável, OAB ou Cespe? Como não, tem a sua disposição o fraudador, não tem? Faça o interrogatório ao mesmo, simples, ele explicará tudo e estará esclarecido, o que falta? Por isso a minha dúvida, o que há por trás disto tudo. Ahm, mais uma observação: a data será alterada, isto não é novidade, a cada decisão da OAB / Cespe a confusão aumenta, e nós quando seremos respeitados? mas, o culpado sou eu, quem manda aos 60 (sessenta) anos após a gradução em Administração e Ciências Contábeis, ainda pretender ingressar na "Advocacia", parece que querem impedir!

moreno 12 de março de 2010 10:39  

Segurança - quanto menos gente tem acesso, mais dificil a fraude.

Mas, fazer o que, a OAB tem preguiça de elaborar o Exame, isto mesmo, preguiça, pois se se declararem incompetentes aí que o mesmo será extinto.

Simone 12 de março de 2010 11:35  

SOCORRRRRRRO!!!!

Força galera, avante nos estudos e na vida, sempre!!!

Agora entendo que o que me parecia ruim (bater na trave nos dois últimos exames: 48 pontos) foi melhor...

Acompanho e me solidarizo com os colegas que estão enfrentando de perto tais angústias.

Diego Francisco Noleto Nunes 14 de março de 2010 20:49  

concordo plenamente que só se pode realizar novamente exame da ordem depois que descoberto:
Quem vazou as informações?
Como vazaram as informações?
Sem isto a lisura do exame fica maculada

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP