O Exame de Ordem pode mudar (e para pior)!!

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Leiam com atenção a notícia abaixo:


Brasília, 14/08/2009 - O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, conduzirá no próximo domingo (16), a partir das 14 horas, sessão extraordinária do Conselho Pleno da OAB, composto de 81 conselheiros federais. A reunião será realizada na sede da OAB Nacional, em Brasília. Da pauta, consta o julgamento de proposições de reforma de dois Provimentos da entidade: o de número 102/04, que dispõe sobre a indicação, em lista sêxtupla, de advogados para integrar os Tribunais Judiciários e Administrativos e do Provimento nº 109/05, que estabelece normas e diretrizes do Exame de Ordem.

Eu acredito que a mudança no provimento 109/05, se for aprovada, será no sentido de se incluir mais matérias na prova objetiva, tal como noticiado aqui antes - Exame de Ordem deverá passar por alteração a partir de 2010

De toda forma, só teremos certeza de alguma coisa na próxima segunda-feira.

37 comentários:

Anônimo,  14 de agosto de 2009 18:46  

Que horror! Será? Eu já olho para a imagem do Dr. Brito com uma certa antipatia.

Anônimo,  14 de agosto de 2009 18:50  

Esse exame tá ficando cada vez mais desumano...

Anônimo,  14 de agosto de 2009 18:59  

Nossa! Quanto pessimismo Doutor!

Anônimo,  14 de agosto de 2009 19:44  

Vixi..sessão extraordinária? Vem coisa pesada por aí, porem esperar.

ANTONIO CLAUDINO 14 de agosto de 2009 19:47  

É só porque a magistratura e o MP adotaram estas matérias n concurso. Só serve pra vender livro! A indústria do cursinho agradece.!

Anônimo,  14 de agosto de 2009 19:59  

Interessante eles só viabilizam as dificuldades será porque não discuti a isenção da inscrição, para os examinados de baixa renda; rssss...

Anônimo,  14 de agosto de 2009 20:42  

me desculpe os que não concordam, mas acredito que a prova da ordem deve possuir o mesmo nivel de dificuldade de uma prova para magistratura e promotoria. Pois assim, a nossa carreira (Advogados) será mais valorisa e respeitada.
Sei que a cada prova o nível aumenta, mas nada que uma dedicação, horas de estudo e muita calma na hora da prova podem ser superadas.

Anônimo,  14 de agosto de 2009 21:12  

Anônimo 20:42 - Talvez você diga isso porque já tenha sido aprovado e com isso queira fazer parte de uma elite (entendo sua ambição). Mas tenha em mente que a OAB é o ponta pé para quem quer seguir a diante no Direito, não tem a menor necessidade de ter o nível de dificuldade para o ingresso na carreira de magistrado ou de fiscal da lei. Se você quer fazer parte de uma elite, deve ter capacidade para isso... Você parece estar tencionando contruir uma. Quem sabe com mais uns anos de estudo você mereça! O exame é necessário, mas para aferir conhecimento e não para promover um elitísmo excludente como você propõe.

Anônimo,  14 de agosto de 2009 21:18  

Pela analise que venho acompanhando os exames da ordem, o que deverá ser, e o que apostaria, que deverá ajustar o provimento 109/05

Anônimo,  14 de agosto de 2009 21:49  

Alguém espera outra notícia que não seja essa? Ou OAB, Senhor Excelentíssimo César Britto que só discute o exame da ordem, parece que não tem mais o que fazer. Será! O que a OAB está fazendo pelos advogados iniciante, pela reforma do judiciário, pela fiscalizações das Faculdades Piratas, cadê a mobilização, essa classe está entregue ao Deus dará, cada um por si. É vergonhoso discutir só o exame, são esses que nós representam, estão preocupados com o "QUINTO" é muito bom heimm. Nesta pauta poderiam está soluções para o ensino jurídico do País, mobilizações em torno de uma reforma séria. Será que vai aparecer algum salvador iluminado e ascender às lamparinas do juízo dos homens do Conselho Federal. VAMOS DISCUTIR COISAS SÉRIAS. Entre 4 milhões de bacharéis e 700 mil advogados (90% vendo navio passar) parece que importante mesmo é impedir o acesso de bacharéis sérios, dedicados, esforçados para que não entre neste quadro de advogados solitários sem que tenham nenhum incentivo, investimento da OAB, afinal de contas pagam-se anuidades caríssimas....

Anônimo,  14 de agosto de 2009 21:55  

Anonimo 20:42 VOCÊ ESTÁ SÓ, PENSE SÓ POR VOCÊ, VOCÊ ESTÁ ESPERANDO O QUE DA OAB, você pensava que ia ter o que? Você disse a nossa e quem vai valorizar ela é você quem respeita ela é você. Não espere pela OAB, essa luta dos bachareis por provas mais concretas, mais limpa, sem tantas anulações, com transparência e o que o bacharel quer. ELE NÃO quer entrar pela janela como muitos entraram, ele quer respeito. Sua luta pode ir em direção da OAB para que faça alguma coisa pela classe que ninguém vê. O que você já recebeu da OAB além do carnê???Intê......

Anônimo,  14 de agosto de 2009 22:27  

É só uma retaliação contra o movimento marcado para o dia 25/08/2009 em Brasília...

Anônimo,  14 de agosto de 2009 23:47  

Acredito no Exame da Ordem como forma de peneirar os profissionais mais gabaritados, PORTANTO, que seja estendido para outras AREAS (ARQUITETURA, MEDICINA, ENGENHARIA, ETC). Já cansei de encontrar profissionais de outras áreas despreparados e fanfarrões ...

Anônimo,  15 de agosto de 2009 14:10  

Alguma alma iluminada que more em brasília pode aparecer por lá para defender os estudantes que precisam pagar o financiamento estudantil?

Não seria melhor fazer uma "movimentação" extraordinária e conduzir tudo que estava programado pro dia 25 para esse domingo?

Essas coisas extraordinárias são as piores coisas existentes na democracia, nessa altura ele ja barganhou com todos e só vai chegar e "explicar" e todo mundo "de acordo".

Anônimo,  15 de agosto de 2009 17:45  

Anônimo 21:12, eu também compactou com o entendimento do Anônimo 20:42. Você, na minha opinião, está equivocado ao raciocinar que só porque é o pontapé inicial o advogado não pecisa ser testado no seu conhecimento. Tem que ser testado, sim, e excluído da advocacia (caso não consiga aprovação no exame). Precisamos acabar com a "corrida" de muitos, notadamente daqueles que nunca tiveram sucesso em outras áreas, para o curso de direito porque acham que é o caminho mais fácil de "se dar bem". Direito é uma coisa séria, já foi o tempo que a advocacia era para qualquer um, e, quem não pensa assim, está perdendo tempo e ficando para trás. A OAB está certíssima em dificultar ainda mais o exame, e que deixe quem quiser ficar esperneando, fazendo passeatas, reclamando, etc., etc.

Anônimo,  15 de agosto de 2009 19:55  

"Para pior" a depender da ótica que se analisa o exame. Eu, por exemplo, conseidero que se for para acabar com a "mamata" do exame (hoje qualquer um analfabeto passa", considero que eventuais mudanças são "para melhor".Os 80% que não passsam são analfabetos absolutos, por isso não passam mesmo.

Anônimo,  15 de agosto de 2009 20:33  

Anônimo das 17h45min,

Por nada não, meu caro! Mas, você tenta explicar como se fosse o Professor sabe tudo! Porém, esqueceu-se de dizer que, quem é excluído da advocacia, somente o é porque o foi aplicada alguma pena (seja ela de exlusão - como você queria dizer - seja após três suspensões), em qualquer caso, com a concordância de 2/3 dos membros que compõem o conselho seccional do estado em que esteja inscrito o advogado. Isso, apenas estou explicando, porque você, que provavelmente não é advogado, não sabe o que é pagar 5 anos de faculdade e não poder exercer a profissão.

Anônimo,  15 de agosto de 2009 20:55  

Só vejo uma saída!!!!!Estudar...estudar....estudar...quem ta fora quer entrar, quem ta dentro quer barrar....é nóis na fita daqui uns dia!!!!!!Me aguarde Cezar Brito...pq não merece ser chamado de Dr. depois das palavras de ofensa a mais perdida alma!

Anônimo,  15 de agosto de 2009 22:49  

Anônimo 17:45 - isso é radicalismo, sem dúvida! Melhor então é a OAB criar uma subclasse que possibilite ao Bacharel desempenhar algumas atividades mínimas como operador do Direito, sem envergonhar a classe e muito menos com o limite de tempo como Estagiário, prestando o atual exame, no nível que se encontra (acredito que seja uma boa maneira para exercer 3 anos de atividade relacionada ao Direito [ninguém ficaria vadiando na advocacia caso uma pretenciosa carreira frustrasse]). Já, para se tornar um Advogado, prestar-se-ia uma prova com, quiçá, quatro fases (((esse é o desejo da alma soberba))). Volto a repetir: o exame é válido; e aproveito para complementar que, a carreira de Advogado é bela, os picaretas existem por toda parte (um bom exemplo é o quinto, quer melhor?), a corrida para "se dar bem" certamente será eternizada... Por outro lado, nenhum império sobrevive por muito tempo, veja o exemplo do romano (que começou se diluindo por dentro). É isso! Aos que anseiam pelo cadeado da cerca, trancado ao mais absoluto segredo, boa sorte! Aos que querem fazer parte do gado marcado, sucesso! E aos que desejam pular a cerca a qualquer custo, coragem! Abraço a todos [Anônimo 21:12]

Anônimo,  16 de agosto de 2009 06:19  

Vamos pensar positivo!

1 - Vão abaixar o preço absurdo do exame.

2 - Vão aceitar 3 anos de prática dos bacharéis formados e entregar a carteirinha.

3 - Vão abrir cursos da OAB direcionados para bachareis recém formados com direito a carteira no final desse.

O que? utopia? claro que não, vocês não estão cansados de ver a OAB se preocupando com os bacharéis e alunos do curso de direito?

Ironias a parte, a solução encontrada pela OAB foi apertar no gargalo... pela ORDEM!

Anônimo,  16 de agosto de 2009 08:57  

Ao me refgerie a "excluir da advocacia", fiz questão de deixar claro entre parênteses, que seria exclusão por não aprovação no exame de ordem, ou seja, é deixar mesmo que a pessoa fique impedida de exercer a advocacia sem aprovação no exame.

Anônimo,  16 de agosto de 2009 09:08  

Anônimo 20:33, sei sim exatamente o que é pagar 5 anos de faculdade, (mais livros, cursisinhos, etc.), sei sim e tanto sei que valorizei demais minha grana objetivando ser aprovado logo no primeiro exame que eu prestasse (e de fato ocorreu isso). Acontece que quase todos que não têm sucesso e ficam sem perspectivas em outras áreas se metem em "aventuras" cursando uma faculdade de direito pensando que é o curso mais fácil que existe. Só que mais na frente, diante do exame, "quebram a cara" e depois dficam que nem desesperados querendo a todo custo que o exame acabe e reclamando que gastaram muito dinehito durante 5 anos e depois são impedidos de exercerem a profissão. Só que tem um detalhe: todos, absolutamente todos que ingressam na faculdade de direito sabem que o exame existe. Então, se todos sabem, ninguém é impedido de exercer profissão coisa nenhuma (ninguém foi enganado, como querem fazer crer alguns), é só passar no exame que, querendo, exerce a advocacia.

Anônimo,  16 de agosto de 2009 15:21  

Meu Deus, o Anônimo 09:08 é advogado e está vadiando por aqui. Crie vergonha, meu caro! Por aqui está quem busca informação e não quem pretende causar algum tipo de conduta inoperante.

denis,  16 de agosto de 2009 16:25  

ixi, se nesse ultimo exame da ordem que teve (138) a reprovação em SP foi de 88%, imaginem quando colocarem mais matérias no exame. Daqui a pouco vão colocar fase oral tb.

Anônimo,  16 de agosto de 2009 20:21  

Quando vejo a foto, ou qualquer menção a este senhor, a minha [F.: Do gr. psoríasis, eos.]psoríasis ataca, o que me leva a tomar e usar na pele corticoide. Esta pessoa não deveria jamais aparecer em qualquer meio da mídia.

Anônimo,  16 de agosto de 2009 21:22  

Há! Por favor, incluir economia p/ advocacia é uma piada. Enguanto os economistas já superaram até mesmo a doutrina de Keynes em muito aspectos, os advogados ainda comungam Adam Smith e acreditam na Lei da Oferta e da Procura...rsrsrrs! Vão tomar vergonha na cara, sejam mais humildes...vc´s não estão com esta bola toda não. Estes coitados dos bachareis de direito só querem trabalhar e sustentar a familia com alguma dignidade.

Anônimo,  16 de agosto de 2009 22:10  

é isso aí tem que apertar mesmo. tem muito adv no mercado de trabalho que não sabe nem falar quanto menos escrever...

Anônimo,  16 de agosto de 2009 22:37  

Anônino das 9h8min,

Concordo colega, agoa você tem razão. Direito é um curso complexo, tanto o é, que saí da faculdade sem saber fazer uma petição inicia de Tributário, o que fui aprender somente no cursinho. Mas, você não concorda comigo que o Exame da Ordem está ficando cada vez mais difícil? Por que isso? Precisa fazer isso? Ou o examinando sabe alguma coisa, ou não sabe nada. Não é dificultando a prova, para acima do nível que aprendemos na faculdade, que o examinando irá conseguir ser aprovado e tido como um advogado que atenderia as necessidades do cliente na prática. Digo isso, porque tem muito estagiário, que domina Tributário, por exemplo, mas ao fazer um cursinho na área, nota que não tem nada a ver o "gabarito" que a OAB dá, como relação ao que seria o corretamente ou mais satisfatório ao cliente no ambiente forense. Enfim, o que eu defendo é um exame mais justo, com menos critério de reprovação.

Anônimo,  16 de agosto de 2009 23:26  

15:21, ingratidão é um dos piores sentimentos que uma pessoa possa demonstrar. Por que eu iria deixar de visitar com frequência este Blog se ele me foi tão últil nos momentos que eu precisei? que vadiagem há em alguém expor seu ponto de vista? Olha, dizem que se conselho fosse bom não se dava, se vendia, mas vou lhe dá um super conselho: desista da carreira jurídica enquanto ainda nem mesmo conseguiu aprovação no exame, deista porque você só vai ter decepções se um dia conseguir se atrever a advogar (se um dia conseguir), pois advocacia é reserevada para pessoas inteligentes, não é para qualquer um.

Anônimo,  17 de agosto de 2009 11:17  

23:26, concordo com você... Certamente está a vagar na profissão porque não detém reserva intelectual para advogar e fica prestando - novamente digo: conduta inoperante - aos que anseiam por informações úteis. Realmente, se conselho fosse bom deveria ter alguns pressupostos de validade, tanto que suas palavras - por contornarem excessivamente a verdade - não prestaram ao seu próprio destino. Sinto por sua desilusão e desejo-lhe ardente sucesso, para quem sabe, não ficar atormentando (com verbetes inúteis) a busca pelo conhecimento e êxito de outrem.

Anônimo,  17 de agosto de 2009 12:01  

A propósito 23:26, você deveria melhorar sua redação e lógica de raciocínio, pois aparenta insuficiência... Bom, vamos deixar isso de lado, afinal, já começo a ter dúvidas sobre sua capacidade. Cuide-se, pois V.Sa. não está se prestando à valorização da classe, tão, meramente, ao boicote.

Anônimo,  17 de agosto de 2009 12:21  

Estamos passando por crises éticas, vejam o que acontece no Senado Federal. Vejam que preocupações eleitoreiras fazem que o nosso presidente misture-as com governabilidade. A democracia sofre abalos nos paises do sul, onde se vê crescer autoritários. Chamo a atenção para assuntos mais amplos, para convocá-los a não acreditar neste homem que representa tão importante instituição, e que se tem lá dentro do seu coração, lembrança de respeitados antecessores, ou de um advogado brilhante Dr. Sobral Pinto, respeitaria mais os jovens e os alunos de cursos particulares. Exigimos uma retração pública sim. Vergonhoso não é ser reprovado na prova das charadas. Vergonhoso é assistir injustas palavras. Senão existe coragem para se desculpar, melhor coisa a fazer é se calar. Avante amigos Bacharéis. Brasilia dia 25/08, um grito de justiça na casa dos monopolizadores da injustiça.

Anônimo,  17 de agosto de 2009 18:53  

Pensando bem...qual outro curso tráz debates tão calientes....a eu adoro0 essa profissão...quer dizer..quase profissão hehehe a vermelhinha ainda não deu ar da graça pro meu lado, mas dessa vez eu pego ela a se pego. bjs

Anônimo,  18 de agosto de 2009 21:38  

O "blogger" creio eu, é para manifestações de pensamento quanto ao Exame da Ordem, não de linguistica. Aqui se escreve no coloquial,até no no modo das comunicações, que se faz na internet, tenho certeza absoluta, que todos os bachareis sabem escrever, pois, passaram 5 anos "ralando" o ... no banco da faculdade, seja ela qual for, e ainda no compoto dos anos de vida e ainda os anteriores,não são cabeças voadas. A proposito a " vaca voa" , taí para os filolos, que degustarem.
J.Carlos

Anônimo,  19 de agosto de 2009 08:42  

O problema é que a lingüística é um verdadeiro raio-x da pessoa. se a manifestação não é virtuosa ou é deficitária, melhor apurá-la antes de convergir, seja qual for o tema, ao debate acerca do senso comum. Afinal, nada melhor que um bom debate. Quando refinado, claro!

Anônimo,  19 de agosto de 2009 12:11  

Penso que o 21:38 quis dizer que todos os Bacharéis foram alfabetizados. Basta uma breve navegada pelos comentários do blog que você encontra verdadeiros atentados à língua. Agora, escrever mesmo? Pois é, isso é outra estória.

Anônimo,  19 de agosto de 2009 12:34  

Tomo por referência o 23:26 (16 de Agosto de 2009). Vulgarmente, posso afirmar que o mesmo é a tipificação (para não dizer personificação) do art. 171, caput, CP. Haja vista que a expressão de suas idéias configuram-se como prova material de que o exame de ordem (à sua época) estava inegavelmente fraco. Resultado: sequer torna-se concorrente (pois há notoriedade quanto ao défict intelectual). E agora, o que fazer com a carteira da OAB? Induzir ou manter alguém em erro (cadê a cultura jurídica?), mediante artifício, ardil (apresentando a carteira da OAB e identificando-se como Advogado)? Concomitantemente, desvaloriza a classe expondo pensamentos aleatórios [desprovidos de congruência]; para não dizer ridículos. Observando vossa conduta, consigo entender a indignação dos Advogados (nobilitados pelo ofício) em requererem um maior rigor aos Bacharéis egressos dos bancos acadêmicos... Ei-lo: [Anônimo das 23:26 do dia 16 de Agosto de 2009], a materialidade da indignação da classe! Por outro lado, V.Sa. se autoproduz como prova (viva) de que o exame de ordem é falho. Não tenho mais nada a dizer. Agora, levanta-te, erga a cabeça, e, VÁ ESTUDAR!!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP