Você acha que a prova da OAB deve ser anulada?

terça-feira, 2 de março de 2010

Participe da enquete ao lado e responda:


Você acha que a prova da OAB deve ser anulada?

84 comentários:

Hallan Pedrosa Ferreira 2 de março de 2010 23:00  

não... deve ser punido somente aquele que praticou o ato... pelo que entendi estão agora apurando os atos praticados por este criminoso... e verificar se houve mais alguem... mas, prejudicar aqueles, que como eu, estudaram durante 1 mês e alguns dias, manhã, tarde e noite, ou até mesmo aqueles que tinham somente algumas horas por dia para estudar, tendo que sacrificar horário de almoço, janta, entre outros momentos... para conseguir estudar um pouco e conseguir fazer a prova como a OAB já determina, SOMENTE utilizando-se das LEIS e demais conteúdos autorizados...
estamos exaustos por causa dessas modificações... assim como eu, muitos e muitos estudaram, fizeram por merecer e no final das contas sair prejudicado por causa de uma atitude de uma única pessoa? isso não seria justo...

lázaro 2 de março de 2010 23:11  

Olha, depende!!....pensando como examinando, de pronto, digo q não, jamais...em tempo algum!!! pensando como advogado...é preciso apurar a extensão do vazamento,pois se for inequivocamente provado que foi algo pontual, não vejo a necessidade de anulação total. Caso contrário...hum?!?!?! não quero nem pensar!!

Fernando Sampaio 2 de março de 2010 23:12  

É justo anular essa prova injusta.

AMIGO DE DEUS 2 de março de 2010 23:12  

Minha posição se coaduna à opinião do Dr. Mauricio.

Caso seja uma fraude pontual (isolada) que se puna os culpados no rigor da lei e que siga normalmente o certame.

Porém se a fraude tiver um cunho generalizado ou de impossível delimitação, ai sim sou a favor de que se anule.

Todavia entendo que essa anulação deverá ser feita apenas nas matérias onde ocorreu a fraude. seria ilógico anular uma prova de trabalho, sendo que o problema foi em penal, por exemplo.

Karla 2 de março de 2010 23:14  

Deve ser anulada. Quem garante que o gabarito da Primeira Fase tb não vazou???

rebeca 2 de março de 2010 23:28  

Falta de consideração com a galera que foi 100%. acredito quer nunca mais ira ter uma prova de tributário tão facil assim

Ricardo 2 de março de 2010 23:30  

Eu não acharia justo que os demais bacharéis que prestaram o exame da ordem sofram uma penalidade por má-fé de um ou alguns que fizeram essa palhaçada. No entanto, se acontecer a anulação que aconteça da respectiva prova, ou seja, a prova prático-profissional na área Penal.

A penalidade será muito severa para os que se esforçaram, gastaram dinheiro com cursinhos, com a própria inscrição, entre outros custos!

É isso.

Ricardo Santos Pereira.
Recife-PE

ALICE 2 de março de 2010 23:53  

Se os fatos foram realmente como estão comentando, sou a favor da anulação. Claro que, se for comprovado de que o candidato realmente já tinha as respostas, não há outra alternativa a não ser a anulação.
Ora, se um candidato tinha as respostas, como saber se outros não teriam? Não é admissível esse tipo de comportamento.
Mas de uma forma ou de outra, não deixa de ser uma situação incomoda. Como ficam os candidatos que foram bem nessa prova, se for anulada?
Claro que tudo deve ser devidamente apurado.

lucas 3 de março de 2010 00:14  

Infelizmente esta ai a dura realidade do povo brasileiro, em pensar que pelo menos uma minoria, que realmente deveria fazer "direito" faz coisas assim, sinceramente, é revoltante.
Sou um dos 18mil q foram prejudicados, seriam 5 horas da minha vida jogadas fora?
Veremos a R. decisão proferida pelo conselho federal.
Querendo ou não, eu tendo sido aprovado, ou não, apesar deu achar q eu fui aprovado, a raiva que sinto não há como colocar em palavras.
Porém, infelizmente é impossível apurar a proporção de tal fato, se eu fosse pensar do lado dos fatos, determinantemente anularia a segunda fase, ao contrário, como um dos lesados, eu IMPLORO E REZO para que corrijam as provas. ;/

johabinho 3 de março de 2010 00:46  

claro! na hora que tem uma prova que um aluno teve acesso, houve falha de segurança. se vazou penal vazou todas.johab madruga

lucas 3 de março de 2010 00:49  

Meus caros colegas, estive pensando e talvez tentando ligar fatos, pensem comigo.
Tenho duas vertentes a apresentar.
1 - Imaginem, pelo q foi comentado, uma pessoa, estava com questoes e respostas acopladas ao seu código, determinado fato parece ser determinantemente estúdpido de mais, pois ao pensar em fazer algo errado, seria burro de mais a fazer do jeito q foi feito, dessa forma uma pessoa sem capacidade mental até mesmo pra decorar as respostas ou ate mesmo pensar em marca-las no código, determinantemente seria incapaz de ser aprovado na primeira fase sem que tivesse as respostas dela, logo me creio a pensar que ele teria desde a primeira fase as respostas da prova.

2 - Tudo, ligando os fatos, me leva a pensar também, que há uma possibilidade de tal pessoa, ter conseguido as respostas, não com o animus de passar, mas sim, tentando degradar o exame de ordem na eminência de uma votação no qual poderia extingui-lo, ja pensaram nisso? Igaminem, eu creio que 50 mil pessoas tentaram passar na primeira fase, apenas 18 mil conseguiram, ou imaginem até aqueles seus colegas que fizeram faculdade com vocês, quantos deles realmente teriam capacidade de passar algum dia no exame de ordem?
Não seriam poucos?
Uma possivel fraude na eminencia de uma extinção do exame não seria tentador?

Talvez eu possa estar até viajando no pensamento, mas pensem bem....
Eu definitivamente nao excluiria esta hipótese.

univag.dir051a@mail.com 3 de março de 2010 01:03  

Revoltado, assim me sinto desde que recebi a notícia da fraude. Se a OAB tanto insiste nessa prova para ver quem está "qualificado" como advogado, ao invés de fiscalizar o ensino jurídico nas faculdades que seja privada ou particular deixa muito a desejar, onde fica a "cara da OAB" com essa vergonha!? Talvez seja a hora de aproveitarmos para incentivar o projeto de lei em trâmite para acabar com essa prova... Na verdade se tem um motivo que a OAB vai sopesar antes de anular essa prova é o financeiro, pois pouco se importam com a frustração e stress causados aos mais de 18.000 bacharéis que prestaram a prova da segunda fase. FINANCEIRO, sim pois vejo como o motivo mais forte da mantença dessa prova... Calculem comigo... se pegarmos só os participantes dessa segunda fase são mais de R$ 3.000.000,00 gastos somente de inscrição no concurso, sem falar no Lobby danado que os cursinhos devem fazer junto ao CN para não derrubarem a famosa prova, senão boa parte do faturamento das LFGs, Praetorium e Damásio da vida iria evaporar. Estou indignado! Outra pergunta que o Conselho Federal deveria se fazer é a seguinta... num suposto caso em que 1 ano após a realização de uma prova da ORDEM, milhares passaram e estão com suas carreiras e escritórios a todo vapor, quando, então, descobre-se que uma fraude ocorrera naquele exame. A OAB iria cancelar todas as inscrições dos Advogados e mandar aquele que especializou-se em 1 área ou outra estudar novamente todo o ordenamento jurídico para refazer uma prova, pois por incompetencia da OAB + CESPE teve gente que foi para a prova com o gabarito embaixo do caderno? Por fim, outra alternativa para tentar salvar o exame da ordem seria pegar o referido gabarito encontrado com o aluno e repassar aos avaliadores, pois pessoas que precisam de cola para esse tipo deprova pouca capacidade de discernimento possui, logo deve ter se abstido ao conteúdo do papel, ficando fácil de identificar aqueles que fizeram uso da danosa "cola". Torço para que domingo façam justiça com nós, pois se a OAB pecou, ela que vá atrás dos culpados e os puna, vez que não podemos ser penalizados pela ilicitude de uns ou outros. Ah! Vale lembrar que a OAB não é concurso! A eventual trapaça de alguns não tira o lugar de outros, apesar de ser indignante a situação! Peço e aguardo JUSTIÇA!

michelli 3 de março de 2010 01:22  

Apesar se uma falta de respeito com os formandos que prestaram a prova no domingo deve ser anulada sim.

uilsondj 3 de março de 2010 01:26  

Sou gaúcho e moro no interior do Rio Grande do Sul. Em minha opinião a prova não deve ser anulada. Os responsáveis pelo vazamento das respostas devem ser severamente punidos. Eu estudei sozinho, e pela correção do professor Geovane Moraes, eu tenho absoluta certeza que fui aprovado, mas para que isso ocorresse perdi muito tempo, passei noites em claro estudando, gastei dinheiro em livros, códigos, perdi o meu sono, perdi a minha fome, deixei de me divertir, não fiz o carnaval, da mesma forma do que a maioria que será aprovada. Acho uma grande injustiça anular toda a prova. O nosso sacrifício não tem preço.

lucy 3 de março de 2010 01:30  

Infelizmente sim. É ridiculo q um exame q as pessoas vão com as respostas no código não seja anulado. Poxa, é uma pena pra quem estudou mt, mas é terrivel q uma fraude não gere anulação. Acho mt triste ver q as pessoas usam de dois pesos e duas medidas ao analisarem os acontecimentos. Se a fraude prejudica deve ser anulada, senão deve ser ignorada e apenas a pessoa q foi pega deve ser punido. Como assim?

Júlio César de Lima Prates 3 de março de 2010 01:30  

A primeira grande questão que se levanta é: como delimitar a extensão da fraude? Se uma pessoa teve acesso ao gabarito, inclusive com o nome fictcio adotado na prova, quem garante que outros também não tiveram? E - convenhamos - se isso aconteceu com penal, que garantia se tem que nas outras opções de escolha também não ocorreu o mesmo? Todo o processo está contaminado, inclusive a primeira fase, pois que garantia tem-se que não houve vazamento anterior. O mais prudente, nesse caso, seria anular todo o certame e promover novas seleções.

Ella 3 de março de 2010 01:34  

Gente nao tem que anular tudo. Se foi só ele que teve acesso vão ser prejudicados mais de 18 mil futuros advogados.

Acho que quem não foi bem e pensa que anulando o exame terá outra chance tem que pensar n~çao em si, mas no todo, nao outras pessoas que foram bem e estão mt iradas com a possibilidade de anulação.

All.AFFECT 3 de março de 2010 01:34  

em 155 cidades você ter a informação de que apenas uma pessoa tinha as respostas é muito isolado para o tamanho das proporções que uma anulação haveria de causar, além da tamanha injustiça que seria. Vale lembrar ainda, que a fraude partiu exclusivamente da cidade de OSASCO, repetindo, só se tem notícia de 1 caso em 155 cidades, é algo focado que deve ser combatido em sua significância. Outrossim, se a amplitude foi atingida, deve-se questionar o certame na matéria em referência, não se pode tomar uma atitude de tamanha importância baseando-se na hipótese do "se vazou uma vazou todas...", pois, a culpa não deve ser presumida, mas sim, provada. Não fiz a prova pois já passei pela mesma, mas sou concurseiro, e não seria razoável prejudicar 18 mil candidatos em detrimento de um machucado local, não se pode amputar o braço de um paciente que sofreu uma escoreação.

Gugu 3 de março de 2010 01:49  

ACho rídiculo anular a prova. Mais de 18 mil estudantes aprovados para esta prova da 2ª fase estudaram fielmente dia a dia. Muitos deixam de ter uma vida social com o objetivo de fazer uma boa prova no dia 28 de fevereiro. A prova da OAB não é classificatória como concursos públicos ou o exame do ENEM, e sim aprova os alunos que adquirirem nota mínima 6. Assim, deve ser punido o aluno pego com a "cola", bem como os responsáveis por lhe transmitirem. Se outras pessoas tiveram acesso mas não foram pegas no momento da fraude, creio ser incompetência de quem aplicou a prova que não manteve internamente a segurança necessária. Não concordo em nada com a opinião do professor Renato Saraiva. Opinião de quem não observa as consequencias que pode causar para 18 mil bachareis. Alguns, em virtude disso, não podem trabalhar como advogados, nem assumir cargos em concurso que exige OAB. Se a prova é anulada antes de ser aplicada seria diferente.

amarildo 3 de março de 2010 01:58  

concordo em parte com vcs, porém como fica a credibilidade de quem corrige as provas, vai ter o mesmo critério para todos? ou alguns serão beneficiados?. levaram vantagem como sempre acontece neste pais. como poderei cobrar alguma coisa na correção de minha prova se permiti que esta empresa deixou que alguns passarem de forma irregular.
não sou a favor de anularem todas as matérias, sei que ninguém concorre com ninguém e só ele e Deus, porém como fica a ética e a igualdade que prega nossa lei maior como fica??
e por isso que esse país esta do jeito que ta!!! não foi comigo mesmo!!!!. não e assim que devemos pensar, nos podemos melhorar este país, basta querermos, chega de falcatrua!!!

ART.5º CAPUT, CF

tomarem que OAB tome uma decisão rápído, e boa sorte para vc!!!

aLeX 3 de março de 2010 08:22  

o que é incrível é que quando o proprio CESP erra em um comando de questão, abrindo possibilidade para três peças em uma única questão, como aconteceu no exame passado, não houve anulação, apenas uma enrolação da OAB, agora, será que os candidatos de D. do trabalho, que passaram por toda aquela situação, dando a volta por cima daquela prova injusta e estudando mais, terem como anuladas suas provas?!!!
na minha opinião a credibilidade da CESP já tinha sido rejeitado com o exame passado, agora, com mais essa, será que ainda é possível continuar com uma instituição que além de formular mal sua prova, não aprende com seus erros e ainda deixa "supostamente" vazar a prova?
Eu acredito que tudo isso só pode ser um pesadelo, ou então uma enorme demonstração de desrespeito da OAB com seus próprios "futuros" advogados, que já ingressaram em suas profissões, se permitirem, desacreditados no direito ...

Ernani Netto 3 de março de 2010 08:25  

Eu tenho certeza que se essa prova for anulada choverão ações contra a CESPE e contra a OAB.

Eu mesmo ingressarei.

Todos que são próximos a mim viram o estado que eu fiquei antes das provas, até sair o gabarito das primeira fase e como estou agora.

Não é justo que eu passe por todo esse nervosismo à toa e que eu tenha de passar por tudo de novo.

Em caso de anulação do certame, apurada a responsabilidade pelo vazamento, no momento seguinte ingresso com ação indenizatória e MS pelo meu direito de fazer apenas a segunda fase do exame, haja vista que apenas na segunda fase foi, de forma inconteste, verificada a "cola".

Que a CESPE e a OAB investiguem e punam quem de direito, e não todos que se esforçaram ,perderam momentos de lazer e convivencia com quem lhe é caro para prestar essa prova.

Abraço

Fabiana 3 de março de 2010 08:28  

NÃO DEVE SER ANULADA, MAS DEVE TER UMA APURAÇÃO RIGOROSA DAS IRREGULARIDADES DE COMO VAZOU AS RESPOSTAS...QUEM SÃO OS RESPONSÁVEIS NA CONFECÇÃO DAS PROVAS........OS CANDIDATOS NÃO PODEM SER PREJUDICADOS, PELA FALTA DE HONESTIDADES DOS RESPONSÁVEIS, TEM QUE INTERROGAR ESSE CANDIDATO "FLAUDULENTO" É INVESTIGAR QUAIS FORAM AS FONTES......ELE NÃO VAI QUERER SER O ÚNICO PREJUDICADO SE OUVEREM OUTROS.......!!!!!
QUE SITUAÇÃO!!!!!!NÃO BASTOU O ÚLTIMO EXAME TURBULENTO....ONDE TIVERAM CANDIDATOS QUE TIVERAM SUAS PROVAS CORRIGIDAS MESMO TENDO FEITO A PEÇA ERRADA....QUE VERGONHA!!!!ESTOU DESCREDITADA!!!!!
MAS NÃO DESISTO, SE ANULAREM FAREI NOVAMENTE A PROVA E MOSTRARTEI QUE SOU CAPAZ...
ESPEREMOS O RESULTADO......É QUE SEJE POSITIVO..NÃO ANULANDO A PROVA

Aprendiz 3 de março de 2010 08:32  

Tomo a liberdade como advogada e Mestre em Educação em fazer algumas observações:
Se realmente o candidato que esteve envolvido na fraude em que causou a anulação da segunda fase do Exame Nacional quem pode garantir que ele e outros ja não estiveram envolvidos em possível fraude também na respectiva primeira fase?
Em minha vida academica, muitos sussurros sobre o engodo nas provas da questionada OAB já foram questionadas.
Por esse motivo precisamos recuperar a credibilidade de nossa carreira, com pessoas competentes e éticas, que não deixem vazar as questões pedidas em Exame da Ordem.
Desde já pontuo novamente que a forma mais digna e correta seria a anulação das duas fases do referido Exame, para não levantar suspeitas integrais envolvendo todo o processo.

Aprendiz 3 de março de 2010 08:33  

Tomo a liberdade como advogada e Mestre em Educação em fazer algumas observações:
Se realmente o candidato que esteve envolvido na fraude em que causou a anulação da segunda fase do Exame Nacional quem pode garantir que ele e outros ja não estiveram envolvidos em possível fraude também na respectiva primeira fase?
Em minha vida academica, muitos sussurros sobre o engodo nas provas da questionada OAB já foram questionadas.
Por esse motivo precisamos recuperar a credibilidade de nossa carreira, com pessoas competentes e éticas, que não deixem vazar as questões pedidas em Exame da Ordem.
Desde já pontuo novamente que a forma mais digna e correta seria a anulação das duas fases do referido Exame, para não levantar suspeitas integrais envolvendo todo o processo.

Fabiana 3 de março de 2010 08:39  

NÃO DEVE SER ANULADA....DEVEM APURAR OS RESPONSÁVEIS...INVESTIGAR ESSE ALUNO E DESCOBRIR QUAL FOI A FONTE QUE LHE ENTREGOU AS RESPOSTAS. OS CANDIDATOS NÃO PODEM SER PREJUDICADOS, JÁ BASTA O ÚLTIMO EXAME TURBULENTO...ANULAR A PROVA É UMA INJUSTIÇA....MAS SE ESSE FOR O ÚNICO JEITO....PREPARADA ESTOU PARA FAZER NOVAMENTE A PROVA DA 2ª FASE . O ÚLTIMO EXAME JÁ TEVE BUATOS DE VAZAMENTO DE PROVAS....NÃO DUVIDO NADA DOS OUTROS EXAMES TEREM OCORRIDO O MESMO...É NECESSÁRIO ENCONTRAR OS RESPONSÁVEIS...OS QUE FORNECERAM AS RESPOSTAS, DE ONDE PARTIU......
QUE A JUSTIÇA SEJA FEITA E OS RESPONSÁVEL PUNIDO!!!!!!!

Hugo 3 de março de 2010 08:41  

Temos que ligar, enviar e-mail e etc, pra OAB Federal, e pedir que aguardem pois o colegio vai se reunir no domingo para discutir sobre a anulação ou nao, o certo seria esperar a conclusão da investigação da PF, pra eventual anulação da prova.

Sandra 3 de março de 2010 08:42  

Anulação da prova SIM!!! Quem garante que houve somente um indivíduo com o gabarito da prova, e que o mesmo não teve acesso as respostas na 1ª fase também...A prova da Ordem deve ser anulada sim, para ser justo com todos, quem estudou para uma, faz outra tranquilamente...

vlima.com 3 de março de 2010 08:42  

Devemos levar em consideração:

1) Como se deu o vazamento, quantas pessoas poderiam ter acesso.

2) O Exame de Ordem não é um concurso classificatório. O desempenho de um candidato não afeta o dos demais.

Dessa forma, o exame não deveria ser cancelado, exceto para quem teve ou poderia ter contato com as respostas.

Apesar disso, acredito que a prova será cancelada. A OAB / CESPE já demonstraram insensibilidade com os bacharéis, querem dificultar cada vez mais o acesso à profissão (violando a Constituição Federal). Seguindo essa linha, vão cancelar o exame.

Gabriel 3 de março de 2010 08:42  

Com toda a certeza prezo pelo não cancelamento da prova 2009.3. Pelos fatos que estão ocorrendo até poderia ser viável a anulação da prova de penal, tendo em vista que foi a prova em que foi achado o vazamento. Caberia a Cespe visualizar as "colas" que poderiam acontecer, e, em virtude de tais conferências foi constatado tal vazamento. Se a OAB não acredita na conferência de material realizada pela CESPE então deve-se retirá-la da realização do certame(daí onde acho que não será anulada). Sendo assim é de inteira justiça de que venha ser anulada a prova de penal ou(o mais justo)o examinando que foi achado "colando" no certame. É a única certeza que se tem(do examinando pego)! Ademais, usemos da equidade: imagine um examinando que tente passar na prova já há 15 exames e que, neste exame, tenha consiguido a aprovação e de acordo com os gabaritos extra-oficiais divulgados vislumbre que foi bem na prova, e, receba a notícia: a prova foi ANULADA! Seria Justiça da OAB? Será que o ERRO INDIVIDUAL deva superar a COLETIVIDADE! Torcemos que não.

Sidney 3 de março de 2010 08:46  

Não deve ser anulada....devem pensar nas pessoas que lutaram para passar fazendo cursinho e tomando seu tempo para estudar e se dedicarem, e por causa de irresponsáveis não devem se prejudicar

Rob 3 de março de 2010 08:58  

Isso é bem simples de resolver. É só meter uma bala na cabeça dessa corja.

Sem as frescuras e formalidades do direito.

Já tô com raiva da vida. Alguém vai acabar fazendo uma loucura. Já tô vendo.

Hugo 3 de março de 2010 08:58  

Se o certame for anulado, devos exigir a SUBSTITUIÇÃO DO CESPE, devido a grande irregularidade e safadesa.

"FORA CESPE"

Fabiano 3 de março de 2010 08:59  

Alguém aqui levaria em um papel impresso as respostas, previamente impressas? Claro que não. Se alguém tivesse acesso a prova antes, jamais levaria algo impresso. O acontecido tem o único objetivo de promover baderna e desmoralizar o exame. A Cespe é uma instituição que beira ao ridículo. Sei que se for grande o vazamento o exame todo deve ser anulado, mas e as pessoas de Direito do Trabalho como eu por exemplo, que fez IJ no exame passado, já levou uma cravada com aquela prova ridícula e agora passa, precisa da carteira da OAB para sustentar filho e vai ver de novo uma grandiosa novela! Quem permitiu a fraude vai ter que pagar e bem caro a todos que tiverem que perder tempo para fazer prova de novo!

ge 3 de março de 2010 09:03  

Sinceramente é uma pena e grande tristeza ter acontecido isso. Já passamos 5 anos estudando na faculdade e quando chega a nossa hora de fazer a prova, passando horas e horas e mais horas de estudo, abdicando de varias coisas, deixando familia de lado, tendo soh um objetivo que é de prestar a prova, sentindo o maior alivio no termino da prova. NÃO É JUSTO que pessoas de boa-fe tenham que pagar um preço tao alto por pessoas que não deveriam nunca ter tirado ou tirar a carteira da OAB. O CERTO é que a pessoa que foi pega com o gabarito e outras envolvidas sejam punidas e nao pessoas do bem que se esforçaram durante meses pra fazer a prova QUE NAO TEM NADA A VER COM O OCORRIDO.alem disso, o edital é calro ao dizer que não é permitido a utilização de livros, anotações.., portanto, é mais do que justo que a prova NÃO SEJA ANULADA, uma vez que não há uma quantidade exata de vagas, e sim uma prova para dizer se a pessoa está apta ou não a exercer a advocacia, sendo clara que essa pessoa não está.

Danilo Mantex 3 de março de 2010 09:08  

estou bastante chateado com isso viu!
porque sai bem na prova...estudei bastante...mas como sempre a oab sempre vem com uma palhaçada!

Gustavo 3 de março de 2010 09:23  

Se anular vou impetrar Mandado Segurança! Eu não tenho nada haver com um zé mané que tava colando na prova! Aliás, diga-se de passagem... o cara é tão, mas tão burro, que nem para decorar as respostas que ele já tinha da prova ele fez...teve q levar ainda para sala! hahha vou rir para não chorar!

Não quero ter blog 3 de março de 2010 09:23  

Eu acho que a pessoa que estava "colando" fez so para trazer confusao, em uma especie de boicote ao exame. Se quisesse so colar e passar, nao seria mais facil so sublinar as respostas e colocar um post its nos artigos sublinhados? Ao menos na prova que fiz, de civil, as respostas das questoes eram basicamente citar artigos!

Donizete 3 de março de 2010 09:23  

Hallan Pedrosa Ferreira, acontece que se o sujeito foi surpreendido com respostas das 5 questões não é simples questão de cola, dá para entender? Isso significa que alguém quebrou o sigilo da prova e divulgou antecipadamente as questões para uma ou algumas pessoas. Nesse caso,como apenas e simplesmente punir aquele que foi surpreendido com as anotações? É evidente que o exame tem que ser anulado, até porque não se sabe a extensão desse sigilo quebrado. Pode ter sido apenas aquele supreeendido com as anotações o beneficiado? Pode, mas isso é praticamente impossível, certamente muitos outros também tiveram acesso às questões previamente, apenas não foram pegos com a "mão na massa". Não tem nenhum outro jeito de resolver essa situação que não seja anulando a segunda fase do exame, desde que, evidentemente, as respostas que estavam em poder do candidato sejam mesmo relacionadas às questões da prova, se for apenas cola, aí não tem nada de cancelamento, não, nesse caso é punir somente o espertalhão e ponto final.

Marcelo Antunez 3 de março de 2010 09:34  

Deve ser realizada a devida apuração para identificar a fonte e a extensão da fraude. Falar em anular todo a segunda fase só é interessante para quem vive de cursinhos preparatórios, como é o caso dos ilustres comentários replicados neste blog. Há de se levar em questão que 18.000 pessoas não podem ser lesionadas por um ato isolado de criminoso. Ademais, qual a credibilidade da CESPE de agora em diante???? Isso tudo é uma vergonha!!!

Claudia 3 de março de 2010 09:47  

Acho um absurdo anularem a prova daqueles que sequer existe prova de que tiveram acesso ao gabarito vazado. Até mesmo porque suposições desta forma, sem prova alguma, pode ter o cunho de anular qualquer prova de qualquer exame, uma vez que não é sempre que se encontra um BURRO - que não tem nem condições de decorar a resposta de 5 questões e precisa colocá-las em uma "colinha" - para dar início a uma investigação.

Hallan Pedrosa Ferreira 3 de março de 2010 09:52  

Para a Karla... você ficou reprovada logo na primeira fase?
Para o Fernando Sampaio? Injusta? não entendi...
acredito até que essa prova foi justa... e o posicionamento da OAB de permitir apenas a legislação, acredito que facilitou nossa vida, basta estudar e se dedicar que fará facilmente essa prova... e não, querer que seja refeita por que não teve capacidade de fazê-la...
infelizmente é aguardar o resultado e a partir de segunda-feira, estaremos novamente colado nos livros ou não...
grande abraço a todos!

Jose 3 de março de 2010 09:58  

Não pode anular não é um fato isolado estamos no país do rebolation, corrupção tá pra todo lado.

Renan 3 de março de 2010 10:05  

È com muita indignação que vejo alguns comentarios neste site, inclusive do Prof: Renato Saraiva
Caríssimos, seria muita injustiça anularem esta prova , seja por fato isolado ou nao. Nós examinados, que batalhamos tanto, tempo e dinheiro gasto para a preparação desta fase, não poderiamos sermos prejudicados por má-fé de algum bacharel ou por incompetencia de alguem,seja da OAB ou Cesp.
Isso não é apenas uma prova, estamos falando aqui sobre a vida de pessoas, de futuros, de carreira.
Ora, como cancelar todas as materias apenas por presunção de fraude.
Estou indignado e muito preocupado, pois deveriamos lutar pelo não cancelamento, e isso infelizmento nao esta acontecendo.
Seria muito maior o prejuizo se cancelassem essa prova.Não consigo ver este fato de outra maneira.

ate ..

Cesar 3 de março de 2010 10:11  

Todo concurso ou exame que tem vazamentoé anulado.A OAB que deve responder pela falta de fiscalização.Lembram do Enem.A prova foi roubada , o cara tentou vender, mas não conseguiu, a prova foi anulada gerando prejuízo de 30 milhões para o MEC.Esse caso é pior ,o cara utilizou o espelho para fazer a prova.Quantos não fizeram isso ? Será que só foi aprova de penal vazada? A lisura do exame foi comprometida.Agora ..Os 18 mil candidatos devem ser aprovados na 2 fase .porque a grande maioria não tem culpa , como a identificação dos fraudadores talvez não seja possível.Seria melhor que pelo erro OAB/Cespe que eles fizessem o mea culpa e aprovassem a todos.Na OAB 2009.2 eles não fizeram nada .está na hora de pagar. 80 mil fizeram a 1 fase ..a triagem já foi feita -ficram 18 mil. O que já é inferior ao número de aprovados no Ultimo exame.

Christiane Bárbara 3 de março de 2010 10:13  

Não!!!!!Gente foi muito esforço e tempo dedicado...há pessoas que se desdobraram muito, inclusive financeiramente pra obter essa conquista...nem sei como foi meu desempenho na prova, mas espero que não seja anulda...é o país q vai sair prejudicado. O responsável, sim, este tem que acar com as consequencias dos atos dele e não o todo...
Como disse nosso colega "seriam 5 horas da minha vida jogados fora?".Não seriam apenas 5 horas e sim 5 anos + o tempo de preparo após a faculdade...é muito descaso com a gente...
E não to preocupada se outros mais tinha ou não tinha...quero saber se fui bem e se fui q tenha o resultado merecido como muitos...simplesmente ele não será um profissional...

nildoemauricio 3 de março de 2010 10:16  

Definitivamente feriu o principio insonomico porque alguns tiveram mais acesso aos gabaritos do que outros.

luiz henrique 3 de março de 2010 10:24  

se vazou a prova de penal, com toda certeza vazou a de trabalho, civil, tributário, administrativo etc...
e geralmente quem tem essas respostas passa ou vende para um amigo e por aí vai ....

essa prova DEVE sim ser anulada... caso contrário qual é o sentido do Exame da Ordem?

Gabi 3 de março de 2010 10:27  

Eu acho um absurdo prejudicar todas as áreas sendo que só foram encontrados indícios de fraude em Penal. Que pode ter vazado gabarito das outras áreas com certeza pode, mas não podemos apenas "achar" isso ou aquilo, devemos ter provas, concretas do ilícito cometido, e foi o caso apenas da prova de Penal.

Não é justo prejudicar as pessoas honestas que estudaram até o ultimo instante para a prova.

mychel 3 de março de 2010 10:29  

Por mim como candidato não de forma alguma!!!
Mas se o vazamento foi generalizado ficamos sem opções.
E vamos convir o cara era tão lesado que nem conseguiu decorar as questões da prova ??? Teve que levar cola ??? Usar o nome que estava na prova ??? Nossa muito burro !!!

Gabi 3 de março de 2010 10:32  

O colega acima cita que o mais justo seria a aprovação de todos, neste exame de 2ª fase, eu não penso, assim, porém, justo será a correção das provas e a efetiva punição ao culpado por toda essa baderna.

Uma grande tristeza para aqueles que prestaram com dignidade este exame.

Um povo todo não pode ser prejudicado pela atitude de minorias.

André 3 de março de 2010 10:33  

Acredito que a punição deva ser contra quem praticou o ato de fraudar o certame.

Em todas as salas existem 3 fiscais, se não foi pego mais niguem com a "cola", parte-se do pressuposto que não existam, pois os fiscais, teoricamente, possuem a idoneidade para fiscalizar!

De outro ponto, não se trata de uma competição por vagas, como a do vestibular. O único concorrente dos bachereis, são eles próprios!

Incabível anular o certame e prejudicar cerca de 20 mil pessoas!

Marcos 3 de março de 2010 10:42  

Seria muito injusto prejudicar as pessoas que estudaram com tanta afinidade para fazer uma prova difícil como a realizada 2009.3 e depois de se alegrar(em) com os gabaritos preliminares, ter esta notícia, que pode ser prejudicado pelo fato de uma pessoa ou outra, não se pode prejudicar a todos, de uma maneira geral, pelo erro cometido por um ou dois.

Luciana 3 de março de 2010 10:44  

Esses irresponsáveis que estão querendo que anulem essa prova desde a primeira etapa, devem ser os que não passaram. Que brincaram e curtiram a vida por dois meses, enquanto a outra galera se matava de estudar.

Se a OAB decidir anular essa prova, vão chover ações na justiça. Eu serei a primeira.

Quanto à primeira fase, já existe uma lista final com o nome dos APROVADOS. Não há que se falar em anulação.

Procurem ter noção das coisas, um processo demorado desses. Daqui a dois meses, já é pra uma galera tá com a carteirinha nas mãos e não fazendo prova ainda.

Falta de respeito.

Procurem apurar as responsabilidades dos causadores e deixarem quem não tem nada a ver com isso de fora, ou vão ter que provar que eu fraudei minha prova pra alegarem a não correção da mesma.

Eu não admito isso..não sou marionete pra me jogarem de um lado pro outro. Oh carteirinha sofridaaaa, ainda tem uns que não valorizam a profissão.

Eu PROTESTO contra esses idiotas que não estudam e atrapalham a vida de quem estudou e deu tudo de si, deixando uma vida social em função de uma única prova.

Luciana
MARANHÃO

Luciana 3 de março de 2010 10:44  

Esses irresponsáveis que estão querendo que anulem essa prova desde a primeira etapa, devem ser os que não passaram. Que brincaram e curtiram a vida por dois meses, enquanto a outra galera se matava de estudar.

Se a OAB decidir anular essa prova, vão chover ações na justiça. Eu serei a primeira.

Quanto à primeira fase, já existe uma lista final com o nome dos APROVADOS. Não há que se falar em anulação.

Procurem ter noção das coisas, um processo demorado desses. Daqui a dois meses, já é pra uma galera tá com a carteirinha nas mãos e não fazendo prova ainda.

Falta de respeito.

Procurem apurar as responsabilidades dos causadores e deixarem quem não tem nada a ver com isso de fora, ou vão ter que provar que eu fraudei minha prova pra alegarem a não correção da mesma.

Eu não admito isso..não sou marionete pra me jogarem de um lado pro outro. Oh carteirinha sofridaaaa, ainda tem uns que não valorizam a profissão.

Eu PROTESTO contra esses idiotas que não estudam e atrapalham a vida de quem estudou e deu tudo de si, deixando uma vida social em função de uma única prova.

Luciana
MARANHÃO

Samuel 3 de março de 2010 11:01  

Deve ser anulada, salvo se for apurado que foi algo isolado, o q é mto difícil. É lamentável, especialmente para pessoas que, como eu, estudaram com afinco inclusive no carnaval. Esse é o efeito da prova unificada, qualquer problema afeta o País inteiro. Mas, discordo plenamente dos que opinaram pela anulação somente da prova de penal. Afinal, se houve o vazamento de respostas, TODO o exame ficará comprometido. Ora, se vazou a de Penal, pq não teria vazado as demais? Se um indivíduo teve acesso as perguntas, mtos outros também podem ter tido. Ocorre que somente este foi flagrado.

Elias 3 de março de 2010 11:01  

Não tenho dúvidas que foi pontual. Logo, não deve ser anulada. Ademais, se tiver que se anulada, que seja, conforme já ocorrera em 2007 no Maranhão, em Osasco e naquela matéria tida como fraudada. Não posso crer que a OAB será ingenua a ponto de prejudicar milhares de bachareis e dar munição aos contrarios ao exame da ordem.
Por fim, não se pode olvidar que esse ou aqueles que tumultuaram o certame, devem ser banidos do exame, pois, se numa prova já tentam burlar a lei, imagine como advogados...que procurem outra profissão, pois, embrionariamente já são inaptos à profissão de advogado!

gabriel 3 de março de 2010 11:22  

É completamente injusto com os demais candidatos a anulação da prova. O que deve haver é uma rigorosa punição aos que efetivamente se envolveram com o caso para não prejudicar aqueles que agiram de boa-fé. O fato é que alguns candidatos que não fizeram bem o exame estão pleiteando pela anulação já que não possuem chance de passar, vamos aguardar até o domingo e torcer para que somente os culpados sejam punidos.

Ricardo 3 de março de 2010 11:24  

Este é o pais do vazamento de provas: Primeiro foi o ENEM, agora é o Exame de Ordem...

gabriel 3 de março de 2010 11:26  

É completamente injusto com os demais candidatos a anulação da prova. O que deve haver é uma rigorosa punição aos que efetivamente se envolveram com o caso para não prejudicar aqueles que agiram de boa-fé. O fato é que alguns candidatos que não fizeram bem o exame estão pleiteando pela anulação já que não possuem chance de passar, vamos aguardar até o domingo e torcer para que somente os envolvidos sejam punidos.

Cesar 3 de março de 2010 12:16  

O pessoal que defende a não anulação do exame.Tem parar pra pensar.Porque a OAB faz toda aquela cerimonia de segurança antes do exame.Na identificação do candidato , o envelope das provas lacrado , todas aquelas orientações.Isso serve para proteger a isonomia entre os candidatos.Tem gente que vai perder ou passar na prova com honestidade.Mas terão aqueles abastardos , gozadores que compraram a prova ,chegarão no dia 29 de março e terão seus nomes na lista de aprovados.Isso é justo ? A mesma coisa é contrato do Governo do DF do Arruda com as empresas prestadoras de serviço que estavam no esquema de corrupção.Não vamos anular os contratos para não prejudicar os funcionários(peões) da empresa porque eles são inocentes.
O que é ilegal tem que ser anulado.Porque para reprovados e aprovados sempre fica a pergunta será que José só passou porque comprou?

Fernando 3 de março de 2010 12:18  

Deve ser anulado. Quantos outros podem ter sido favorecidos por esta "cola"? Em quais áreas, não se pode objetivar, por isso o exame está prejudicado e este deveria ser concluído sem erros para caracterizar a lisura que tanto se defende na OAB.

Saulo Pereira Oliveira Lima 3 de março de 2010 12:32  

Se for impossível delimitar a extensão da fraude, acho jus anular somente a 2ª fase.

Dr.Milton 3 de março de 2010 12:32  

SE HOUVE FRAUDE NA SEGUNDA FASE, EXISTE ALGUMA DUVIDA DE QUE HOUVE TAMBEM NA PRIMEIRA ?? DEVIAM ANULAR AS DUAS FASES POIS TENHO CERTEZA QUE HOUVE FRAUDE TANTO NA PRIMEIRA QUANTO NA SEGUNDA !!!

K@ROLZER@ 3 de março de 2010 12:43  

Quantos dos que estão a favor da anulação foram aprovados?! Não é um interesse por justiça, mas oportunismo por nova chance de realizar a prova por parte de quem entende plausível a anulação. E a preseunção de inocência dos que passaram esogtantes 5 horas de prova, sem contar nos meses de estudos, gastos comn livros e cursos? Se a OAB nos punir, espero que todos busquemos um meio de puni-la também.

Luciana 3 de março de 2010 14:10  

Ninguém merece!

Quando você pensa que virou uma página na vida...

Eu não consigo nem pensar no que é certo ou errado, justo ou injusto, anula ou não anula, porque, como candidata, estou muito envolvida na situação, não consigo observá-la de fora.

Se por um lado, deve-se privilegiar a presunção de inocência daqueles que não tiveram acesso ao gabarito anteriormente, por outro, a constatação da fraude consiste em vício no processo seletivo.

Isto é o suficiente para anular todo o processo, inclusive a 1ª fase?

Deve ser investigada a extensão da fraude (pontual ou indeterminável), deve ser considerado que o resultado visado pelo criminoso (a aprovação na OAB por meio da cola) não foi alcançado, consistindo, portanto, em tentativa do delito, o qual não se consumou. Assim, se em alguma etapa houve frouxidão na vigilância (na gráfica), na última e mais importante (momento da prova), houve um rígido controle a ponto de descobrir a tempo a infração. Se a cola fosse descoberta após a aplicação da prova, o caldo já estaria derramado.

Também devemos lembrar que este processo seletivo não tem número de vagas delimitado, como ocorre em concursos públicos. Ressalto esta observação para lembrar que o prejuízo decorrente da fraude não ocasiona maiores injustiças, como reclassificação de candidatos a ocuparem vagas.

No exame da ordem, basta que cada qual alcance o mínimo de pontos, independente de quantos o conseguirem! Assim, o fato de fraudadores terem chegado até a segunda fase não significa que as pessoas que não fraudaram não deveriam estar lá, pois não "pegaram" a vaga de ninguém, apenas atingiram a pontuação mínima ou pontuaram mais. A contrario sensu, quem não passou na 1ª fase, não passou com ou sem fraude de outro candidato! Assim, tenho certeza que a 1ª fase não deve ser anulada! Se tiver que serem penerados os fraudadores, que se faça na 2ª fase.

Já quanto à segunda fase, não estou certa, e olha que pelos gabaritos extraoficiais, eu gabaritei as questões, devendo sofrer descontos apenas em requisitos formais que eu possa ter esquecido ou em normas gramaticais. Tenho dúvidas porque é a última chance de eliminação dos fraudadores.

Assim, é muito importante uma rígida e eficiente investigação para que se delimite a extensão dos danos da fraude. Não sendo possível delimitá-la, contra a minha profunda vontade, e a favor do meu senso de justiça, a 2ª fase deve ser anulada, pois os fraudadores e os que não fraudaram estão no mesmo balaio, não puderam ser separados. Ademais, a sociedade perde muito com isto, o direito de cada cidadão de acesso à justiça estará mitigado, vez que poderão ser representados por pessoas não habilitadas, ou melhor, incapacitadas para o exercício da advocacia.

Só queria desabafar!!!

LUCIANA
Brasília

Ralffer Barbosa 3 de março de 2010 14:37  

Sinceramente, acho que a prova não deve ser anulada.

Se ela acontecesse todo dia, uma vez por mês, semana que vem, aí tudo bem.
No entanto, penso que anular uma prova como essa vai retardar o DIREITO e a VONTADE de TRABALHAR de muitos de nós.
Eu já estou querendo advogar há um tempão.
Me preparei, física e mentalmente, para passar por toda essa bateria de exames e estou vendo tudo indo por água abaixo. Agora, só daqui a mais uns meses.

Quanto tempo vão demorar pra decidir (anula ou não anula?); quanto tempo vão demorar pra marcar outra data?; o próximo exame - 2010.1 - vai acontecer na data prevista?; vou poder fazer o 2010.1 também? Se eu passar no reexame da 2009.1 vou poder pedir meu dinheiro de volta?

Já tem até um tempo que começaram a aparecer clientes pra mim (quando souberam que me formei), mas como ainda não tenho OAB, tive que indicar outros colegas. Estou perdendo clientes potenciais! Tenho parentes, amigos e conhecidos que não vão esperar eu tirar a OAB.
Isso é muito sério. Mexe com nossa vida PROFISSIONAL!
Alguém aqui quer se sustentar, casar, viajar, comprar um carro, comprar uma casa, melhorar de vida?
Pois é, estão nos impedindo!
Já fui chamado de preguiçoso, egoísta, lerdo, por só ficar estudando, aguardando o grande dia de pegar minha vermelhinha.

Infelizmente, essa prova ocorre COMENTE 3 vezes por ano.
Na minha opinião, o exame precisa continuar, mas deveria acontecer a cada 2 meses.
Sem o menor problema. Quem não passou por 1 questão é melhor que aquele que fez 50?
Acho que não. Portanto, acho que deveria

Digo isso pois já estou correndo atrás de salas para montar um escritório, mobílias, livros para equipar o escritório, planejamento com outros colegas já advogados, pois estou esperando receber minha OAB até o fim de abril, como ocorre com todo mundo! Isso é planejamento de vida.

POR FIM, PENSO QUE O EXAME DEVE CONTINUAR, MAS SEUS CRITÉRIOS PRECISAM SER REVISTOS!
DEFENDO:
- exame só com diploma ou certificado;
- exame a cada 2 meses (6 por ano);
- passou na primeira fase? Então pode estudar só para a segunda (inclusive pagar também - de repente, metade da inscrição);
- consulta apenas ao código seco e prova compatível com essa limitação de consulta;
- primeira fase com questões por área como ocorre na segunda (penal, civil, trabalho ou tributário, CAINDO SEMPRE constitucional, ética e administrativo em todas);

Acho que todos opiniões diversas! Inclusive a OAB!
Hoje, ocorre que apenas as opiniões da OAB é que prevalecem!
Não existe conversa!

PS: se anularem todo este certame (que jamais foi, não é e jamais será um CONCURSO PÚBLICO), estarão nos chamando, indiretamente, de COLADORES, FRAUDADORES, DESONESTOS, PILANTRAS ETC. Eu não colei e jamais passou pela minha cabeça fazê-lo neste prova.

NÃO MEREÇO VER MEUS 'TESTES' ANULADOS!

José 3 de março de 2010 14:55  

Olha na minha opnião este certame NÃO deve ser cancelado, deve ser apurado pela PF, e quem cometeu a fraude certamente deverá ser punido isoladamente. Na verdade, para os bacharéis isto acaba se tornando um jogo de interesses, ou seja, quem não obteve êxito com a prova, mesmo que inconscientemente optará pela anulação, já para o candidato que foi bem na prova, é óbvio que não quer a anulação. E assim fica um dilema na vida dos candidatos que estudaram arduamente, se privando de várias coisas e quiçá conseguirá aprovação caso tenha que fazer novamente, afinal cada prova é uma história.

francisco 3 de março de 2010 15:29  

Na minha opinião, o exame da ordem 2009.3, deve ser anulado na integra, visto que o Presidente nacional da OAB o senhor Cezár Brito em rede nacional disse;" trata de uma única prova dividida em duas etapas".
Diante deste argumento nao a nenhuma possibilidade anulação parcial da prova, sendo assim deve ser anulada tanto primeira quanto a segunda fase.
Peço a c olaboraçao de todos os colegas para fazer um movimento para anulaçao de todo a exame, entrando com Mandado de Segurança individuais e coletivos

Donizete 3 de março de 2010 15:35  

Gabriel (11:26), entenda uma coisa, coloque de uma vez por todas uma coisa na sua cabeça: o impossível é se saber quem são esses "outros", ou seja, é impossível saber quem recebeu as informações privilegiadas. Por exemplo: será que você não foi um dos que receberam? Não estou levantando suspeitas, só estou só exemplificando como forma de argumento. Assim, não há nada de injustiça a anulação do exame, se realmente as fraudes forem confirmadas.

Mirella 3 de março de 2010 15:50  

Mirella

Acho que deve ser ANULADO,por que se não for, vai ficar como sendo possível fazer o que o rapaz fez, se não fosse pego ia passar e ficar rindo da cara de todo mundo, estimulando gente que vive vendendo e comprando prova, por que não dá em nada...

gabriel 3 de março de 2010 16:59  

Donizete, 3 de março de 2010 15:35

É claro que há injustiça caro Donizete, ninguém pode ser punido por presunção, no exemplo que você citou, deve haver prova de que A, B ou C concorreram para essa fraude, caso contrário não acho que aqueles que efetivamente estudaram devam ser prejudicados, enfim é minha opinião, não sou eu quem vai decidir, passar bem.

Elias 3 de março de 2010 17:05  

Não colega, não estou preocupado com o que vc acha ou deixa de achar... o fato é que uma anulação vai privilegiar os que já estão conscio de sua reprovação... Logo, ratifico o entendimento que, se realmente houve fraude, deve se anular a prova naquele local e não prejudicar todo o certame...É lógico que vc deve está torcendo para que haja a anulação...

DinoW 3 de março de 2010 17:09  

Acho que a anulação ou não do exame, no todo ou em parte, varia conforme o resultado das investigações. O exame da ordem é uma avaliação de caráter individual, não há limitação de vagas. Assim, acho que a anulação do exame, haja vista o "vazamento" apenas do gabarito da prova de penal, uma injustiça e um prejuízo concreto a todos os outros que realizaram o exame de forma honesta. Não há provas de que houve vazamento de todas as provas, bem como não há provas de que esse vazamento chegou a outros estados/cidades. Dada a quantidade de bacharéis aprovados para a 2ª fase do certame, não acredito num vazamento generalizado da 1ª fase, se houve vazamento. É necessário verificar a extensão do "vazamento", antes que se possa penalizar todos os outros bacharéis que realizaram o certame. O anulação de todo certame como alguns defendem é a presunção de que TODOS OS EXAMINANDOS COLARAM NA PROVA, e que não reflete a realidade. O exame da ordem, não é perfeito, como nada é, e pode ser repensado, no que concerne a sua forma de aplicação, no entanto, não deve ser extinto, a fim de que se possa assegurar um nível mínimo de competência na atuação profissional.

gabriel 3 de março de 2010 17:12  

p.s: caro donizete, espero que o Sr. estude mais para o próximo exame, quem sabe assim conseguirá passar e não precisará acusar inocentes, boa sorte, passar bem.

Cleane 3 de março de 2010 17:17  

Defendo que a prova seja anulada,tenho convicçao do meu preparo, não vejo razão para esse barulho todo, se estudei para fazer a prova da segunda fase, nada me impede de faze-la novamente.
O que não é certo, é pessoas que nao têm o preparo suficiente estarem levando o título de advogado conseguido por fraude.

DinoW 3 de março de 2010 17:20  

Pessoal, no exame é de caráter individual, o prejuízo com a anulação total da prova seria uma injustiça ainda maior. Na OAB não há limite de vagas, se passar todo mundo, todo mundo tem direito a carteira. Logo, é necessário que a investigação conclua se o "vazamento" seu deu em diversas localidades, se foi em várias provas, ou se foi apenas na de penal. Há que se avaliar tudo com proporcionalidade em razão da natureza do exame da ordem, que é diferente de um concurso público para provimento de vagas.

Ernani Netto 3 de março de 2010 17:31  

Francisco:

Você não passou na primeira fase! Só pode ser para falar uma coisa dessa que você disse.

Marcelo Antunez 3 de março de 2010 18:20  

Ao que parece, tudo não passa de uma maquinação fajuta para desmoralizar o Exame de Ordem e fazer "ibope"!
Ora, tem mídia envolvida nisso. A Rede TV, recebe um "papel", não se sabe de quem, APÓS início da prova. Leva até a uma delegacia, depois para a OAB/SP... Tudo isso por um "furo de reportagem"????
Milhares de bacharéis, que já passaram meses de tensão com as mudanças e incertezas da prova e agora padecendo por causa de "furo de reportagem"????
Não só o aluno devem ser indiciado, mas toda a equipe de reportagem, que com certeza alega o sigilo da fonte!
Lembram do caso dos "bandidos" no programa do Gugu??? Tudo não passou de uma farsa!
A Polícia Federal deve apurar de forma firme, toda essa estória. Estou certo que não passará de um atraso para termos as respostas de nossas provas, realizadas com a mais pura lisura!!!

Cristiane 3 de março de 2010 18:56  

Fico me perguntando se essas pessoas que querem a anulação total do exame, passaram na 1a fase!!
Eu estudei sozinha pra primeira fase, peguei dinheiro emprestado para fazer cursinho na 2a fase, e pelos gabaritos extras, tudo indica que passei... estou desempregada, aguardando minha carteirinha, como fica minha vida? vou ter que aguardar mais quantos meses?

Só os culpados devem ser punidos, esse idiota nem chegou a fazer a prova, creio que a questão deve se limitar a SP, afinal são 155 cidades e apenas 1 caso de fraude!

Enfim, após tanto desgaste, meu sofrimento continua...

Dr. Rodrigo Inacio 3 de março de 2010 19:07  

A prova deve ser anulada com certeza! Não é admissivel haver sequer suspeita de fraude em um exame desta magnitude e importância! Parem e reciocinem a respeito, se as respostas da prova de penal encontravam-se em poder de um aluno, com certeza absoluta estava nas mãos de outros! Ora, será um total absurdo a OAB convalidar este exame, haja vista restar devidamente comprovada a fraude neste certame. Alem do mais, quem sente que foi bem nesta prova, pois estudou bastante, com toda a certeza ira bem na próxima, e, os demais alunos que "compraram" o gabarito da prova em questão seriam de certa forma punidos, pois alem de não passarem no mesmo, jogaram dinheiro fora comprando um gabarito que não lhe serviu para nada. Resumindo... compraram gato por lebre. Ao final galera, parem com esta idéia de que o exame é ilegal, inconstitucional, etc, pois quando vocês Dr's estiverem do lado de cá, ou seja, devidamente inscrito na OAB, entenderão a extrema necessidade da realização deste exame.

Sabrina Dantas 3 de março de 2010 19:31  

Penso que a ocorrência deva ser, de fato, apurada. Contudo, que, não havendo indícios de que as demais disciplinas ou mesmo localidades não foram afetadas, que se dê seguimento à correção. Não é brincadeira uma coisa dessas. Aqueles que estão confiantes na aprovação, no caso de anulação integral, passarão meses aguardando a feitura de novas provas. Estarão perdendo praticamente 6 meses (3 meses do 2009.3 e mais 3 meses do 2010.1) de trabalho e início de carreira. Absurdo. Absurdo mesmo.

Sabrina Dantas 3 de março de 2010 19:31  

Penso que a ocorrência deva ser, de fato, apurada. Contudo, que, não havendo indícios de que as demais disciplinas ou mesmo localidades não foram afetadas, que se dê seguimento à correção. Não é brincadeira uma coisa dessas. Aqueles que estão confiantes na aprovação, no caso de anulação integral, passarão meses aguardando a feitura de novas provas. Estarão perdendo praticamente 6 meses (3 meses do 2009.3 e mais 3 meses do 2010.1) de trabalho e início de carreira. Absurdo. Absurdo mesmo.

Teresa 3 de março de 2010 20:03  

Em primeiro lugar, quem disse que passar no exame da ordem significa que a pessoa está preparada para exercer a profissão de advogado, promotor, juiz, ou qualquer outra da área judiciária? Conheço pessoas que não tem a menor condição, seja em termos de conhecimento ou de idoneidade de exercerem a profissão de, por exemplo, advogado, e no entanto foram aprovados no exame. Outros não conseguem ser aprovados por ficarem nervosos na hora da prova.
Um simples exame não prova coisa nenhuma.
Se a questão é preparar melhor os profissionais, isto deve ser feito através de um melhor ensino nas faculdades.
Passei muitas noites em claro e muitos finais de semana trancada em casa durante estes cinco anos. Renunciei a tantas coisas: festas, cinema, viagens, happy hour com os amigos, a companhia da família, de meu filho, meu marido, meus pais. Tudo em nome de um objetivo.
Passei o mês de fevereiro, mês em que tirei férias no serviço, para me dedicar ao exame. Não fiquei um dia sem estudar; não viajei; não fui sequer a um clube para "pegar uma cor". Aliás, posso contar nos dedos de uma mão quantos finais de semana passei sem pegar em um livro de direito nos últimos cinco anos.
Carnaval? Sabem o que fiz neste carnaval? Fiz 25 peças de trabalho, pois como não tive aulas práticas de processo do trabalho na faculdade, e foi esta a área que escolhi, tive que aprender em cursinhos, com livros, modelos, "na unha".
E agora aparece um vagabundo, que não teve competência sequer para decorar as respostas da prova, e querem anular todo meu esforço?
Agora aparece uma instituição chamada CESPE que não teve competência sequer para fazer uma prova sem que tenha havido fraude e querem simplesmente anular as noites em que não dormi, o sacrifício que fiz, o tempo que despendi, o dinheiro que gastei em cursinhos, os preciosos momentos que deixei de ficar com meu filho?
E digo mais: quem é a favor desta anulação é porque não teve capacidade para passar!
Rezo e peço a Deus para que no domingo seja feita JUSTIÇA!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP