Primeira análise sobre a fraude no Exame de Ordem 3.2009

terça-feira, 2 de março de 2010

A 2ª fase do Exame de Ordem 3.2009 não foi exatamente cancelada, como noticiado na Folha Online - Foi suspensa até uma apuração mais detalhada, tal como aduzido no site da OAB Federal, conforme publiquei no último post:

"Ophir determinou também a suspensão da correção e divulgação dos resultados dessa segunda fase do Exame, até a deliberação, no próximo domingo (07), do Colégio de Presidentes de Seccionais da OAB, que se reúne em Brasília para examinar as medidas que serão adotadas em relação ao certame."

O candidato flagrado em fraude carregava consigo as 5 respostas da prova prático-profissional de Direito Penal. Como ele foi flagrado no domingo, mas a notícia-crime foi formalmente protocolada hoje, é bem provável que a fraude seja integralmente procedente, pois passou tempo suficiente para se verificar se as respostas que o candidato trazia consigo eram efetivamente relativas às questões da prova de Direito Penal.

Algumas perguntas então precisam ser respondidas:

1 - Só esse candidato foi beneficiado?

2 - A fraude começou só nesse Exame ou já ocorre há mais tempo?

3 - A fraude também ocorreu na 1ª fase?

4 - A fraude saiu de dentro do Cespe ou de dentro da OAB? Ou de ambos?

De uma forma ou de outra agora temos 18.720 bacharéis em Direito lesados com essa ocorrência, e respostas precisam ser dadas com celeridade.

O ideal é identificar os fraudadores e puni-los, sem anular a prova, caso a questão seja pontual. Entretanto, se a amplitude da fraude não puder ser determinada com precisão OU celeridade, TODO o certame deve ser anulado, inclusive a 1ª fase.

O Exame de Ordem NÃO pode ser maculado pela sombra da fraude ou da dúvida.

Péssima notícia para a OAB e para o seu Exame de Ordem em si. Entretanto, não se pode deixar de louvar a celeridade em se apurar a verdade e a publicidade com que a OAB Federal emprestou ao caso, demonstração clara de que o Exame e sua qualidade são levados à sério.

Aguardemos os desdobramentos. Agora, até o domingo que vem, todo mundo ficará na expectativa do futuro do Exame de Ordem 3.2009. Por enquanto, a dúvida é a única certeza.

26 comentários:

vento 2 de março de 2010 20:52  

se pegaram somente um é pontual, nao ha nem o que discutir. 18.720 q teoricamente foram honestos nao podem se f......... por causa 1 idiota desse

Ernani Netto 2 de março de 2010 20:58  

Eu não aceitarei nenhuma nova prova.

Eu passei para a segunda fase com meu esforço, respondi as questões e a peça profissional com muito esmero, talvez acertando ou errando, mas fiz SOZINHO!

Acho um absurdo eu ter de passar por todo nervosismo e ansiedade novamente sendo que eu não tive culpa alguma!

Abraço

Mandy Nobre 2 de março de 2010 21:12  

E eu que pensava que o exame de ordem 2009.2 seria o mais comentado da história dos exames de ordem...

Mandy Nobre 2 de março de 2010 21:12  

E eu que pensava que o exame de ordem 2009.2 seria o mais comentado da história dos exames de ordem...

T 2 de março de 2010 21:13  

É possível anular inclusive a primeira fase?

eu nao passei nessa primeira fase, mas nao acho que seja justo nem coerente anular todo o certame, ja que a a irregularidade investigada diz respeito somente à segunda fase?

é possível?

Flávio Costa 2 de março de 2010 21:38  

Não concordo com a suspensão!

A investigação deve ocorrer independente de toda operacionalização para cumprimento do cronograma. Não consigo imaginar um motivo para que ela não aconteça em paralelo.

Espero que seja apurada a falta, se de fato houve. Caso constatada, que haja punição exemplar, pois é inadmissível que todo o nosso esforço seja jogado ao chão. Horas e horas, dias e noites de dedicação para chegar na reta final e dar de cara com essa variável!

Independente da agilidade na satisfação à sociedade, se constatadas as irregularidades, será uma vergonha para a OAB e principalmente para o CESPE, que realiza tantos outros concursos nos mais diferentes níveis e estados da federação.

É revoltante! Não se trata apenas do tempo dedicado, mas de toda uma preparação emocional para fazer frente à prova.

Um absurdo!

Donizete 2 de março de 2010 22:05  

A grande pergunta que irá determinar a anulação do exame é a seguinte: a pessoa carregava as 5 respostas antes ou depois da realização da prova (ou já perto do fim do horário)? Se foi antes, certamente o exame deve ser anulado, mas se foi depois, não creio em anulação. Penso assim por uma simples razão: se foi depois da prova (ou próximo de essa terminar), é bem provavel que alguém tenha realizado a prova e depois deixado as respostas no banheiro para a pessoa ir lá e pega-las.Me parece que nos últimos 30 minutos o candidato pode sair com a folha de questões e, cá para nós, meia hora ou que seja 20 minutos) é mais que suficiente para alguém copiar 5 respostas de questões.Por isso que tem que proibir de vez isso de candidato levar caderno da prova, mesmo fantando meia hora para terminar o tempo.

Donizete 2 de março de 2010 22:07  

Vejam que "inferno astral" está o CESPE. No exame passado foi aquela confusão danada para a prova ser anulada e agora os reprovados (quem não foi bem já sabe disso) vão fazer a mesma pressão para a anulação, agora alegando que houve fraude.

Marco Aurélio 2 de março de 2010 22:10  

Acabo de escutar que as respostas foram entregues na redação de uma rede de Tv em Osasco antes do final da prova.Mas qualquer candidato poderia depois de uma ora de prova sair e telefonar ou informar quais questões caíram. A Polícia Federal será fundamental em suas investigações para à tomada de decisões. Acredito que o exame não cancele o exame.

Re 2 de março de 2010 22:44  

Esse é o cara...cara de pau!

eliemi 2 de março de 2010 22:50  

Isso já aconteceu? Se já, anularam tb a primeira fase? Em qto tempo eles prepararam a nova prova?

São João de Campina Grande 2 de março de 2010 23:20  

Mais uma falha da OAB/CESPE. Desde os tempos da prova 2009.2 que eu não sou mais o mesmo: me sinto injustiçado, privado do meu direito de exercer minha profissão; não corrigiram minha prova, mesmo após comprovar de várias formas que outros Inquéritos foram corrigidos.
As falhas são evidentes, o sistema tem erros que precisam ser sanados com urgência.
Eu acho ótimo que esses erros estão sendo expostos e de alguma forma mostram que nada é justo, onde deveria-se imperar a justiça. "Casa de Ferreiro, Espeto de Pau".
Tomem uma providência ! Comissão do Exame, se manifeste ! Fomos injustiçados na prova 2009.2 e agora mais um problema vem a tona ! Olhem também por nós, o momento é agora, revejam as provas do inquérito, suspendam a 2ª fase deste exame, corrijam seus erros !
Precisamos de mais Justiça na casa do Direito !

Adriana 2 de março de 2010 23:32  

Espero que após o novo escândalo de fraude neste último exame de ordem, cause uma suficiente e boa repercussão social, para que nossos legisladores percebam,ou, quem de direito perceba, enfim, que o exame nada mais é que uma grotesca reserva de mercado. Ninguém no nosso país tem legitimidade para defender algo do tipo EXAME DE ORDEM, uma vez que todas, mas todas as instâncias dos Poderes e Instituições estão eivados pelo câncer da corrupção. Quando não envolvidos diretamente, acabam por pactuar com ela, porquanto deixam tudo na impunidade. Eu disse "espero" que cause repercussão social... Entretanto...
Diante de tanto fatos de emblemáticos escândalos, e devido à minha visão prá lá de pessimista, infelizmente já vislumbro que "tudo" não vai dar em "nada"!
Como eu gostaria de um povo de braços fortes derruísse de vez toda essa palhaçada coletiva, com verdadeiro espetáculo circense, que se instalou de vez desde à época colonial neste picadeiro chamado Brasil!

Guilherme M. 2 de março de 2010 23:41  

Eu estudei bastante, deixei de comparecer a uma reunião tradicional de família no sábado e não tive acesso a qualquer dado da prova antes das 14:00 de domingo. Saí exausto da prova, quem prestou o exame sabe o quanto é cansativo.

Pouco me importa quantos quiserem pensar que eu fiz parte disso, que passei num exame ''irregular'' etc. Eu sei o quanto me esforcei, sei que resolvi a prova conforme parâmetros legais e constantes do edital, à risca, com total honestidade.

Creio que a IMENSA maioria viveu em circunstâncias semelhantes durante os dias que antecederam a prova. Conheço algumas pessoas que inclusive tinham a formatura no sábado e certamente não aproveitaram o momento como deveriam, tendo em vista a prova no dia seguinte.

Ora, não me parece nem um pouco razoável/proporcional/coerente prejudicar a maioria por causa de um fato isolado (até o momento). A culpa não é nossa, é da CESPE e/ou da OAB (que são responsáveis por quem deixou vazar as informações) e do(s) imbecil(cis) e covarde(s) que provavelmente subornou(naram) alguém da CESPE, ou conseguiu as informações por meio de um ''cracker'', sabe-se lá como...

Outras coisa; na prova passada vários examinandos foram prejudicados com a ''surpresa'' feita na prova trabalhista. ''Lícito, porém sacana'' acho que isto define bem o que fizeram, já que embora a peça aplicada possa ser proposta na Justiça do Trabalho, não faz parte do dia-a-dia dos advogados trabalhistas, ao menos nao da maioria deles.

Mesmo com todas as tentativas para anular a prova, entendeu-se pela não anulação. Agora, por um fato descoberto em UMA cidade de SP (repito, é o que se tem até o momento), tem gente sugerindo a anulação de uma prova NACIONAL?

Que se não for possível determinar a extensão da fraude, essa é a melhor solução. Será mesmo a mais justa?

Pelo que sei, essa espécie de solução é adotada no Exército, quando todo grupo paga pelo erro de um ou alguns.

Enfim, não quero apelar para princípios como a presunção de inocência... a meu sentir, basta analisar sob o enfoque da razoabilidade, que como dizia um ''certo pensador'', é a lógica do direito.

Espaço das Palavras 3 de março de 2010 00:18  

Boa noite Dr. Mauricio,

Depois das ultimas notícias divulgadas sobre a possível fraude no exame de ordem ficou difícil até mesmo conseguir dormir,luma vez que um filme se passa na minha mente , e tenho certeza de que também na de milhares de bacharéis que prestaram o ultimo exame.
Quando me deparei com a notícia da suspensão e sobre uma possível anulação da segunda fase do certame fiquei sem reação e em seguida me bateu uma decepção muito grande, que tomou o lugar daquela ansiedade da espera pelo dia 29/03.
Lembrei em seguida das noites em frente ao computador, diante dos livros , durante os exercícios de elaboração de peças a ansiedade para que o derradeiro dia chegasse para que pudesse prestar o exame e mandar embora toda essa aflição, essa tensão.
E foi assim, finalmente havia chegado o grande dia , depois de longos cinco anos de muita dedicação dividindo o tempo entre estudos na graduação, trabalho e família, chegava então o dia 28/02, eram só mais 5 horas de prova e tudo estaria terminado, independente do resultado, mas sabia que tinha dado o melhor de mim.
Por vezes me pego pensando, que tipo de profissional será esse que estuda cinco anos para chegar em um exame de ordem e praticar tal ato.
Doutor, a faculdade pode preparar a mente, pode ensinar direito material e processual, ensina ética, quantos ótimos exemplos de mestres temos, aqueles que nos fazem realmente parar e nos darmos conta que estamos apaixonados pelo Direito. A faculdade faz a gente amadurecer, faz a gente crescer ajuda a complementar o nosso caráter. É Doutor Maurício, eu falei ajuda a complementar, pois a formação do nosso caráter ela começa bem antes da faculdade e nessa fase é que vai determinar se usaremos o conhecimento que vamos adiquirir com o tempo para o bem e para o mal. E no caso que estamos presenciando é um nítido caso de um carater ruim e desonesto , e lhe digo , fico extremamente triste em saber que essa pessoa é formado em direito.
Posso estar sendo radical , mas esse tipo de ato deveria ser punido até mesmo com a anulação do diploma, mas como isso não é possível, essa pessoa deveria ser proíbida de prestar o exame pra sempre, pois essas pessoas que ajudam a manter a desconfiaça que muitos tem quando simplesmente escutam a palavra Advogado.
A anulação do certame é a medida mais correta embora a mais injusta, não digo injusta para aqueles que sabem que tiveram um bom desempenho na prova e que certamente serão aprovados , mas injusta para todos aqueles que estudaram que se esforçaram , deixaram seu lazer , suas famílias e dedicaram o seu tempo pensando nessa prova, enfim injusta com todos que foram fazer a prova com honestidade sem a minima intençaõ de burlar o sistema ou tirar vantagem .
Por fim quero deixar claro que sou a favor do exame de ordem , mas acho que o metódo de avaliação e aplicação do exame precisam ser revistos.


Att.
Humberto Tortorelli

Mariana 3 de março de 2010 01:21  

Certamente que aos que ficarem prejudicados, podem buscar os meios, em direito admitidos, para se compensarem dessa injustiça...

Eu mesmo, fui objeto de 2 fiscalizações no horário da prova, não acharam sequer um fio de cabelo que me incriminasse, observei a risca todos os parâmetros do edital e fiz a prova com muito esforço, para vir um boçal e estragar com tudo isso, todo o esforço e dedicação de quase 20 mil pessoas....

Não podemos nos calar diante de qualquer injustiça...

Ella 3 de março de 2010 01:44  

Ola discordo de quem disse que açao de consignação de pagamento não faz parte do dia a dia dos advogados trabalhistas... nao achei injusto o outro exame nao...é uma açao bem comum em diversas situações. Basta entrar em um escritorio pra ver...

Injusto é anular todo o certame...

Concordo com a pessoa que disse que quem sabe o cara nao pegou as respostas no banheiro? TODAS as hipoteses devem ser analisadas.

Sou a favor do exame de ordem, acho certo ele existir. Mas espero ver o exame ser justo e sem nenhum tipo de favorecimento, como muitos concursos que vemos por aí...como os para juiz.

Estou aguardando com muito apreensao as novas noticias... queria que este exame fosse mantido. Mas se tiver que fazer de novo, vamos lá minha gente. Eu passei toda essa tensão que alguns relataram. Tremia na hora que fui escrever o nome da peça, de tanto medo de estar errada. Quando saí estava tão nervosa que quase chorei. Também fiquei doente antes da prova... Imagina passar por isso de novo... nao quero. Mas quero muito a minha carteira da OAB... nao aguento mais nao poder exercer minha profissão...

moreno 3 de março de 2010 09:08  

Boa Doutor, "não se pode deixar de louvar a celeridade em se apurar a verdade e a publicidade com que a OAB Federal emprestou ao caso, demonstração clara de que o Exame e sua qualidade são levados à sério." se esqueceu de alguns meses atrás no 2009.2???

Se for para anular, anule em SP e não em todos os Estados, não há evidência de que ocorreram fatos semelhantes em outros Estados. Ademais anular a 1º Fase por quê??? foi o maior índice de reprovação já alcançado, pq anular?

no meu infinito... 3 de março de 2010 09:35  

Correto seria todo o exame.
Se houve isso na segunda fase quem garante que tb n houve na primeira?!

zinhaa 3 de março de 2010 10:23  

Não é a primeira das fraudes no certame e todos sabemos disso.
Quem não se recorda na prova de Direito do Trabalho 2009.2 que um rapaz já tinha o padrão de resposta antes mesmo de se divulgado no site do CESPE. Agora me digam, isso nâo foi uma FRAUDE clara?!

O exame 2009.2 ainda continua sob investigação do MPF devido a inúmeras denúncias.
O CESPE está perdendo o controle da coisa, infelizmente.

Marcos 3 de março de 2010 10:58  

Concordo com os comentários do autor do texto.

Não se pode prejudicar tanta gente, inclusive minha pessoa, por ato isolado de uma ou duas pessoas.

Tyrone 3 de março de 2010 11:29  

Anular tudo é um absurdo!
E se for apurado que a fraude já ocorre, inclusive pelas mãos dos mesmos agentes, há mais de 3 ou 4 anos? Anularão o direito adquirido também dos que obtiveram a habilitação profissional neste período?

A OAB trata os candidatos a advogados sem nenhum respeito, como pessoinhas de nível inferior!

Estão criando uma geração de futuros advgados que nutrem ódio mortal por sua própria associação de classe.
Cada vez mais teremos advogados que desprezam a OAB.
Jamais me sentirei parte de uma associação de classe formada, predominantemente, por covardes e oportunistas como é a OAB.

Linda 3 de março de 2010 14:43  

Se for anular, que anule somente a de penal, afinal, o crime não compensa.

elisa_tutti 3 de março de 2010 16:01  

Discordo dos comentários favoráveis a anulação da prova! Eu fiz, não fui favorecida, e pouco me importa quem foi... Só quero a análise da minha prova, pois tenho a consciência limpa que minha nota será resultado de muito estudo e dedicação! Não há o que se comparar com concurso público, eis que não estamos disputando vagas! A aprovação ou não de outra pessoa não interfere na minha vida. E a aprovação desses idiotas, menos ainda... O mercado de trabalho irá selecionar!

hitotuzi 4 de março de 2010 22:23  

cara, a prova de penal tava difícil, acredito que quem fez honestamente, ralou muito até pra terminar aquela apelação, mas, é um absurdo e uma falta de respeito com os 18.720 bacharéis, ter que refazer a prova prática... e infelizmente é melhor deixar passar umas antas que prejudicar milhares de justos!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP