Presidente da OAB defende o Exame de Ordem Unificado

domingo, 7 de março de 2010

OAB anula segunda fase do Exame e marca para 11 de abril novas provas

Brasília, 07/03/2010 - O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, anunciou hoje (07) que a entidade decidiu anular, para todo o País, as provas da segunda fase do Exame de Ordem unificado, devido à constatação de uma irregularidade com a prova prático-profissional de Direito Penal, aplicada em Osasco (SP) no dia 28 de fevereiro. A entidade marcou também a nova data para as provas: 11 de abril. A decisão foi tomada pelo Colégio de Presidentes das Seccionais da OAB, reunido em Brasília sob a condução de Ophir Cavalcante.

"A unificação está mantida e a credibilidade do Exame de Ordem é o mais importante neste momento", destacou Ophir, lembrando que a aplicação do Exame só passou a ser unificado em todos os Estados brasileiro a partir do final de 2009. "Queremos assegurar à sociedade brasileira que o Exame de Ordem tem sido um instrumento balizador do ensino jurídico no Brasil, e assim continuará sendo. Este é o momento de se avançar cada vez mais para que esse Exame tenha sua credibilidade reconhecida na sociedade brasileira; por isso, a Ordem decidiu de uma forma unida e efetiva, em todo o Brasil, fazer com que a segunda fase do Exame fosse anulada, preservando assim a credibilidade da OAB, do Exame e, sobretudo, a qualidade dos colegas que vão ingressar na profissão - que não podem nela entrar sob a dúvida de um Exame que pode ser anulado futuramente por um Ministério Público ou qualquer outra forma, pois seria uma espada pendendo sobre seu pescoço" .

O presidente nacional da OAB ressaltou que as investigações em torno da fraude praticada continua sendo conduzida, na parte criminal, em sigilo pela Polícia Federal "e, com toda tecnologia de que ela dispõe, esperamos uma solução para esse caso". Citou que também a sindicância aberta pelo Cespe da Universidade de Brasilia - que, em parceria com a OAB, é responsável pela elaboração e aplicação das provas do Exame - prosseguirá. O Cespe, segundo informou Ophir, se "compromete ainda a acentuar e privilegiar um sistema de segurança maior do Exame, para que as possibilidades de fraude não se repitam e para que possamos aprender com essas situações desagradáveis, mas que acabarão servindo de novo instrumento para afirmar a qualidade do Exame de Ordem". No que se refere à Seccional da OAB de São Paulo, ele disse que sindicância aberta "teve conclusão descartando qualquer tipo de envolvimento da entidade"


O recado está dado: A OAB vai defender o Exame de Ordem de todas as formas e não permitirá que nada, nem mesmo uma fraude, vulnere o Exame e a imagem da instituição.

Se a prova foi anulada é porque não foi posseivel delimitar o tamanho do problema. É realmente lamentável que tudo isso tenha ocorrido, principalmente em razão dos prejuízos a serem suportados pelos bacharéis.

14 comentários:

RAFAEL 7 de março de 2010 18:09  

que palhaçada, como podem anular a prova emtodo o Brasil sem ter havido a conclusão das investigações? A própria OAB está cometendo uma INJUSTIÇA, logo esta instituição que prima pela ética, pela lisut]ra, pela idoneidade, pela justiça. Todos os candidatos serão punidos por um crime cometido por meia dúzia. Todos os candidatos serão punidos em prol de uma "IMAGEM" que a OAB tenta manter.Só que está a cometer uma injustiça. A anulação deveria se restringir aos locais onde efetivamente houve fraude. Isto demonstra a falta de razoabilidade dainstituição, pois não pensou em nenhum momento nos bachareis que legitimamente realizaram a prova.É lamentável. Me arrependo de ter escolhido esta profissão

karen 7 de março de 2010 18:14  

eu vou fazer isso vazar todo dia

Joaquim 7 de março de 2010 18:15  

OAB - VERGONHA NACIONAL !!!

Mario Berger de Sousa 7 de março de 2010 18:25  

Que graça né? A OAB e o CESPE fazem cagada e os prejuízos são suportados pelos bacharéis... hahahahaha... só no Brasil mesmo...

Se a OAB quisesse mesmo manter sua imagem intacta, os presidentes de comissões de exame de ordem (pra dizer o mínimo) deveriam entregar os cargos. Ou então o próprio Ophir, já que ele é o chefe, ele é o responsável pela bagunça... mas não... fica tudo por isso mesmo.

Cláudio Souza Jr. 7 de março de 2010 18:29  

A decisão é incômoda, e eu fico chateado com a anulação, pois tinha relativas chances de ser aprovado. Contudo, mesmo respeitando as opiniões em contrário dos colegas bacharéis e advogados, defendo o Exame de Ordem, e acredito que se a OAB não realizasse outra prova, todos nós seríamos prejudicados de fato com a maleficência e a canalhice de alguns poucos, sem falar que teríamos de aceitar os urubus (digo: rábulas)entre nós, e rolar na carniça junto com eles. Isso me incomoda muito, com todo respeito às ideias opostas.

MS? Não sei, pois não houve correção, consequentemente, não há direito líquido e certo à aprovação... MS pra pedir a correção? Não sei, pode ser, eu dou força a quem vai tentar, mas não vou me aventurar contra uma decisão administrativa do Colegiado da OAB, e no fundo, eu até concordo com essa decisão. Dano moral? Talvez... Mas também acredito que é uma ação temerária.

Eu, aqui, já me preparo melhor pra próxima, não vou ficar gastando minha concentração nem meu dinheiro suado com as "preocupações liminares" et cetera, já vi como é essa pilha com uns amigos que fizeram isso na 1ª fase, não fez muito bem pra eles.

Boa concentração pra todos, que venha a prova. Um recado final pra OAB e pro CESPE: Nós continuamos respondendo ao fogo de pé, feito homem, sem choramingar nem chamar pela mamãe.

univag.dir051a@mail.com 7 de março de 2010 19:49  

ja estou sem palavras para demonstrar minha indignação com o cancelamento... só queria deixar uma pergunta... E SE HOUVER FRAUDE NOVAMENTE? CANCELA E FAZ OUTRA QUE SE HAVENDO FRAUDE FAREMOS OUTRA E NUNCA PEGAREMOS A CARTEIRA DE ADVOGADO... A OAB NO INTUITO DE NÃO DEIXAR bacharel entrar na advocacía pela porta do crime, praticou outro ao obrigar milhares de bachareis que faziam jus à vermelhinha a fazerem outra prova. VERGONHOSO!

giovani 7 de março de 2010 19:53  

Primeiramente, caro colega Cláudio Jr., ainda podemos pedir lucro cessante, pois no momento que nós podemos trabalhar ganhamos dinheiro e com a anulação esse sonho de ganhar nosso dinheiro trabalhado só se realizará mais tarde.
Segundo, os responsáveis da OAB que optaram pela anulação demonstram que realmente a OAB e o CESPE são tão incompetentes que preferiram anular a prova do que punir os culpados, punindo assim um monte de pessoas inocentes. INCOMPETÊNCIA essa é a palavra para definir os que estão a frente dessas instituições, não bastasse para com os colegas que foram injustiçados na prova passada com a OAB admitindo que errou, tanto que mudou no mínimo duas vezes as datas de entrega dos resultados, para só entregar faltando 2 dias para a prova 2009.3, onde continuaram mostrando o seu descaso para com os colegas bachareis em direito.
Deixem de ser incompetentes e vão punir os culpados, seus irresponsáveis.
Pois eu e muitos que tem certeza que passaram nessa prova vão ter que fazer outra prova?
Digo o seguinte, respeitando a opinião dos que acham melhor ficar sentado na frente da TV que nem dizia Gabriel Pensador, " até quando você vai ficar tomando porrada, porrada? até quando vai ficar sem fazer nada?
Vamos todos entrar com processo contra a OAB, pedindo tudo que nos é de direito, como a correção da nossa prova(acho que talvez não dê certo mas deixa o juiz decidir), dano moral e lucro cessante, vamos demonstrar que nós já somos advogados e conhecedores dos nossos direitos.
E que venha a próxima prova não temos medo dela, só estamos sendo muito prejudicados pela podridão diária que vemos no brasil.

msilva_mauro 7 de março de 2010 20:41  

Segundo Ophir:“Todas as pessoas terão seus direitos preservados”, afirmou.
Direito?
Qual Direito?
Quanta hipocrisia!!!

Eu, como ser humano nada posso fazer, mas há um ser supremo que tudo pode e tudo faz. A hora deles também chegará...

Daniel 7 de março de 2010 22:40  

A decisão que o Conselho Federal da OAB tomou é linda na teoria, porém injusta com os candidatos. Por em xeque a boa-fé de mais de 18 mil inscritos na 2ª fase em razão de ter sido identificado um único caso de fraude é prejudicar toda uma coletividade para sanar um erro cometido por um. Em outras palavras, a má-fé comprovada de um presumiu a má-fé de todos os candidatos. Em termos práticos, essa anulação consistiu exatamente nisso.

Se colocaram em xeque a credibilidade de 18 mil candidatos em razão da fraude de um, o que devemos dizer da credibilidade do CESPE, o maior responsável por toda essa desordem. O que garante aos candidatos a submissão a um novo exame sem o risco de haver nova anulação?

Resumindo a idéia: o CESPE não dá conta do encargo de organizar um exame dessa magnitude e falha grosseiramente; o Conselho Federal da OAB, sem se importar com os 18 mil candidatos, presume má-fé e anula a segunda fase do exame; e os candidatos, a parte mais frágil em todo esse problema, são quem sairão perdendo, tendo suas expectativas frustradas em prol da imagem e do bom nome da nossa magnânima Ordem dos Advogados do Brasil.

Todavia, visto que esse pífio entendimento de meros candidatos não pareceu ter qualquer valor para o Conselho Federal da OAB, pelo menos que o evento lamentável sirva para refletir, daqui em diante, se o CESPE realmente está apto a promover um exame da ordem unificado, bem como se a unificação é realmente adequada.

Victor Hugo 7 de março de 2010 22:40  

Boa noite,
Quero aquj iniciar uma campanha nacional:
Já que os Bacharéis são tratados assim, que tal FAZER-MOS A NOVA PROVA COM NARIZ DE PALHAÇO!???
Vamos lá!
Chega de inércia! Amanhã vou fazer uma faixa 'de indignação e só saio da frente da seccional da OAB quando a polícia me tirar!!!
O os culpados? O os presidentes de seccionais?? Não são responsáveis??
E o Ophir, metido a ético, não devia então pedir exoneração???
Só no Brasil!
Mas a culpa é nossa que ficamos quietos e dizemos "amém"!!!
Ou melhor... EU NÃO!!!
QUEM VEM COMIGO????

moreno 7 de março de 2010 22:46  

Pra quem vive de Imagem, nada com um discurso deste. Parabéns Drs.(Dê Erres) demonstraram toda a competência para manter a imagem, assim como o fazem para fiscalizar o Exame.

DinoW 7 de março de 2010 23:25  

Galera, poderíamos fazer a segunda fase todos vestidos de preto e com nariz de palhaço!
Mostrar nossa insatisfação com o ocorrido! Todo Brasil unido!

Mario Berger de Sousa 7 de março de 2010 23:50  

Cara... o problema é: E se alguém for lá na redação da Rede Tv e deixar um pedaço de papel com respostas do exame de novo heim?

E se surgirem boatos de que alguém foi pego colando de novo?

O problema é que a OAB anulou esta prova e anunciou QUALQUER medida pra tornar o exame mais seguro, como se isso que aconteceu fosse um probleminha a toa.

Mario Berger de Sousa 7 de março de 2010 23:52  

Preto + nariz de palhaço? Só lançar a campanha!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP