OAB cancela segunda fase do exame de Ordem por suspeita de vazamento

domingo, 7 de março de 2010

Correção da prova havia sido suspensa por suspeita de vazamento. No total, 18,7 mil candidatos devem realizar novo exame em 11 de abril.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) anunciou neste domingo (7) o cancelamento das provas da segunda fase do exame de Ordem, que habilita bacharéis de direito a exercerem a advocacia. A correção das provas havia sido suspensa na semana passada devido a suspeitas de vazamento de gabarito. O novo exame será realizado no dia 11 de abril.

Segundo as denúncias, um candidato teria tido acesso à prova antes de sua aplicação. O vazamento teria sido da prova prática de Direito Penal. O exame foi aplicado de forma unificada em todo o país. No total, 18,7 mil candidatos fizeram as provas em 155 locais. Em Osasco, 152 bacharéis foram aprovados para a segunda fase.

“A anulação é para preservar a imagem da Ordem, a credibilidade do exame e, sobretudo, também preservar a qualidade dos colegas que vão entrar na profissão, disse Ophir Cavalcanti. “É muito mais seguro para todos que esse exame seja refeito.”

“Preferimos pecar por excesso do que pecar por omissão. Para manter a lisura do exame, para preservar o próprio direito dos candidatos no futuro, para não ficarem com sua entrada na ordem sub judice, se preferiu tomar essa decisão. É uma decisão dura, nós lamentamos que tenha acontecido”, disse o presidente da OAB.

Segundo Ophir, os estudantes serão notificados individualmente pela OAB sobre o cancelamento e a nova data do exame e ainda por editais publicados em jornais. “Todas as pessoas terão seus direitos preservados. Todos poderão fazer a prova, sem qualquer ônus”, afirmou.

A decisão sobre o cancelamento da prova foi tomada pelo Colégio de Presidentes das 27 Seccionais da OAB, em reunião em Brasília. Além da decisão, o caso está sendo investigado pela Polícia Federal a pedido da OAB, que pediu ainda uma sindicância ao Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB), que realiza o exame em parceria com a instituição.

De acordo com Ophir, “não pode haver qualquer afirmação de que houve qualquer vazamento no Cespe nesse momento”. O presidente da OAB também descartou que o vazamento tenha ocorrido na seccional da instituição em São Paulo. “Em relação a São Paulo, já uma conclusão de que não houve qualquer envolvimento da seccional no caso”, disse.

As investigações feitas pela Polícia Federal estão sendo mantidas em sigilo. “Dentre em breve, com toda a tecnologia que a Polícia Federal tem, teremos uma solução para isso”, declarou Ophir Cavalcante.

Fonte: G1

14 comentários:

Rafaella 7 de março de 2010 17:58  

SEM QUALQUER ÔNUS? TÁ DE PALHAÇADA NÉ? CLARO QUE TEM MUITOOO ÔNUS...STRESS, INVESTIMENTO EM CURSINHOS, HORAS DE ESTUDOS, GASOLINA, MINHA INSCRIÇÃO PARA O TRF QUE A PROVA É NO MESMO DIA DESTA SEGUNDA PROVA DA OAB, FORA O DESGASTE QUE SOFREMOS PARA FAZER UMA PROVA SEM A MENOR CREDIBILIDADE, ONDE SOMENTE NÓS ESTUDANTES CORRETOS QUE VAMOS APENAS COM A NOSSA SABEDORIA FAZER UMA PROVA FEITA POR PESSOAS CORRUPTAS QUE SE VENDEM POR QUALQUER MERRECA!
V-E-R-G-O-N-H-O-S-O, DECEPCIONANTE!
MUITO TRISTE COM A NOTÍCIA E EM SABER QUE MORAMOS NUM PAÍS EM QUE A CORRUPÇÃO É UMA EPIDEMIA QUE SE PROPAGA CADA VEZ COM MAIOR VELOCIDADE E ATINGE TODOS OS NÍVEIS SOCIAIS!
UMA PENA...

Mario Berger de Sousa 7 de março de 2010 18:01  

Beleza então. Agora é só torcer para que desta vez os fraudadores sejam mais cuidadosos, como têm sido nos últimos anos.

Assim, quem não cola e não é desonesto não se prejudica, ou alguém aqui acredita que em 1 mês o CESPE e a OAB vão conseguir eliminar as fraudes? ahahahahaha.

Os presidentes das seccionais e o presidente do conselho federal deram uma demonstração bacana pra sociedade. Nada está explicado, nenhum esclarecimento sobre o caso foi dado e a anulação foi geral. Isto é um atestado de incompetência, porque assume que o Exame é completamente inseguro, não dão garantias de que o próximo vai ter essa tal "lisura" de que falam e fica por isso mesmo.

Pelo menos não vamos ter que pagar inscrição tudo de novo...

Bruna 7 de março de 2010 18:02  

Tudo bem que a anulação seja a medida mais acertada para a lisura do exame. No entanto, não há como não se sentir prejudicada, não só por ter que realizar a prova novamente, mas principalmente pela data da nova avaliação, dia 11 de abril, mesmo dia da prova do TRF4 para os cargos de técnico e analista. E agora? Além de ter o transtorno do deslocamento e realização de outra prova, mesmo tendo ido bem nas duas anteriores (o que, embora cause certo desconforto, seria razoável exigir-se em prol da regularidade do exame), ainda terei que optar entre o concurso e a oab. Nesse ponto, me sinto ainda mais prejudicada!

msilva_mauro 7 de março de 2010 18:04  

Segundo Ophir:“Todas as pessoas terão seus direitos preservados”, afirmou.
Direito?
Qual Direito?
Quanta hipocrisia!!!

Eu, como ser humano nada posso fazer, mas há um ser supremo que tudo pode e tudo faz. A hora deles também chegará...

Mario Berger de Sousa 7 de março de 2010 18:09  

Tudo o que eu quero saber agora é que informações são essas que os presidentes das seccionais tem pra justificar 23 votos X 2 votos pela anulação parcial.

Somos levados a crer que eles tinham informações sobre um vazamento mto maior do que o que foi noticiado. Se for verdade, acho que temos o direito de saber.

O negócio é esperar...

texugo 7 de março de 2010 19:02  

isso é brincadeira...

um conselho pra oab, no proximo edital coloca esse item:
"quem conseguir comprar a prova da oab tente decorar as respostas, pois levar a cola no dia da prova pode prejudicar a imagem da instituição"

e quem garante que essa proxima prova do dia 11 nao sera fraudada tambem??eles vao ficar torcendo pra ninguem ser pego isso sim..e se for pego??vao ficar anulando a prova indefinidamente??
pelo jeito isso vai se tornar mais um requisito para poder advogar no Brasil--torcer pra prova nao ser vendida pra nenhum animal que sequer tem capacidade de decorar 5 respostas.

Re 7 de março de 2010 20:44  

Mário Berger de Sousa, corretíssimo seu questionamento, o porque de tenta diferença a coisa foi forte por la nesse domingo. Agora outra dúvida que não me sai da cabeça...quando a gente recorreu das questões da primeira fase sofrei angustiou , não anularam nenhuma se quer, nem por piedade, quem garante que a premeira fase aconteceu justamente isso, pensando pelo lado da fraude, quem frauda a segunda certemente tem muito mais chances de ter fraudado a primeira...

Roque Vinicius 7 de março de 2010 21:48  

Alguém sabe dizer qual ionstrumento juridico para exigir que a OAB corrija a minha, a nossa prova.No meu caso fiz Direito Civil a mais de 500 km do episodio.Seria mandado de segurança

fer 7 de março de 2010 22:40  

Nao sei o que dizer, nao sei o que pensar... " sem onus" só pode ser brincadeira...
Nao anularam so a prova e sim a esperança de por um ponto final nessa longa piada de pessimo gosto que se tornou esse exame da Ordem..Agora eu deveria estar preocupada com o TRF nao com a Ordem... definitivamente...

moreno 7 de março de 2010 22:45  

Pecar pelo excesso? pq não pecou qdo tinha q investigar??? Parem de fazer bailes do Rubi e outras tantas porcarias e comecem a fiscalizar. Realmente o Estado tem que tirar da OAB esta (in)competência de aplicar o Exame, que ela ainda delega a outro órgão (in)competente(2009.2)

E cadê a informação a respeito do que vazou e do que não vazou? Sigilo pq? isso me cheira a medo

JOSÉ PAULO 8 de março de 2010 09:26  

"...o caso está sendo investigado pela Polícia Federal a pedido da OAB..."
entendo então que se a OAB não "PEDE" a PF não investiga....blz!!!!
"VIVA O BRASIL DA DESORDEM E REGRESSO"...estou perdendo a paciência......

Rodrigo 8 de março de 2010 12:18  

Quer dizer que a OAB "manda" a PF investigar. Estranho que até o presente momente não vi em nenhuma notícia o nome do Ministério Público. Eles estão fora das investigações, a OAB está no comando fazendo o papel de MP. Teve alguma Emenda Constitucional nova tratando da matéria que eu não fiquei sabendo ? A OAB anula a prova se fundamentando em "dados sigilosos" da PF ? Se são sigilos, como a OAB sabe que a fraude ocorreu em outros estados ? A OAB tem acesso a investigações sigilosas da PF ? Que lei permite isso ?

Gilbson 8 de março de 2010 13:00  

e como fica a garantia de que a 1º fase, também não vazou informação da prova, já que que a oab não da o direito do bacharel fazer novamente a 2º fase caso ele não seja aprovado na 1º prova, então acredito que tenha que ser anulado toda a prova ou seja a 1º e a 2º fase, pois nada nos garante que não teve fraude na 1º fase, na duvida cancela tudo.

JESUS, O SUBLIME CRIADOR 29 de março de 2010 17:52  

Provavelmente, se houver fraudadores nesta final OAB 2009.3, eles serão mais cautelosos: decorarão as respostas, que com certeza não é algo tão difícil. Destarte, não haverá como algum fiscal entrar na mente do sujeito para dizer que ele está ou não colando.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP