Senador apresenta PEC contra o Exame de Ordem

quinta-feira, 4 de março de 2010

Essa semana é de inferno astral para a OAB...


Geovani Borges quer fim de exame de qualificação da OAB

O senador Geovani Borges (PMDB-AP) apresentou em Plenário, nesta quinta-feira (4), a proposta de emenda à Constituição (PEC) nº 1/2010 que torna os diplomas de curso de instituições superiores comprovantes de qualificação profissional para todos os fins.

O projeto altera a redação do art. 205 da Constituição Federal, introduzindoparágrafo que elimina a necessidade aprovação em provas complementares, tal como o exame de ordem da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para o exercício da advocacia.

- Não há razões para que existam, após a obtenção dos diplomas, novos critérios de aferição de capacidade profissional. Não se pode admitir que outras instituições, por mais respeitáveis que sejam, tomem para si as funções do Estado e criem processos de exclusão do exercício profissional que atropelam todo o processo desenvolvido no âmbito profissional - disse Geovani ao justificar a proposta.

De acordo com Geovani Borges, sua PEC restitui a prerrogativa do exercício profissional ao cidadão devidamente habilitado na educação superior. Para o senador, a formação propiciada pelas instituições de ensino superior no país tem que ser suficientes para fornecer a formação adequada para estudantes, não havendo necessidade de exames complementares.


Seria coincidência essa PEC ser apresentada logo na semana em que estourou a fraude com maior repercussão na história do Exame de Ordem?

Eu não quero dar uma de oráculo, mas na postagem imediatamente abaixo, publicada ainda na manhã de hoje, eu escrevi exatamente isso:

"Afora isso, os opositores do Exame ganharam muita munição para atirar contra a prova, e direcionarão sua artilharia para o Congresso Nacional, onde tramita o projeto de Lei 186/06 e para o STF, onde um Recurso Extraordinário teve sua repercussão geral reconhecida."

Não esperaram nem o cadáver esfriar para começarem o bombardeio...

Tá na cara que por detrás da PEC 1/2010 estão as faculdades que obtém desempenhos não muito satisfatórios no Exame de Ordem.

Mais um abacaxi para a OAB descascar.

37 comentários:

Juliano Machado 4 de março de 2010 16:40  

Sinceramente, eu acho um absurdo retirarem a exigência do Exame da OAB para o exercício da advocacia!

Defendo o Exame com unhas e dentes, todavia, acredito que se faz necessário uma revisão de sua metodologia.

Penso ainda, que este exame não deveria ser aplicado somente aos bacharéis em direito, os outros órgãos de classe deveriam seguir o mesmo caminho adotado pela OAB e adotarem provas para seus subordinados.

Devido a este exame as universidades investem em qualificação dos professores, bem como na estrutura dos campus, buscando o maior número de aprovados possível.

Vivemos em uma época onde pode-se fazer uma faculdade através da internet, cursos e mais cursos são oferecidos a todo momento, muitos sem as mínimas condições de funcionamento.

Apoio a prova da OAB, tive que estudar muito para obter minha aprovação, mas consegui, seria lamentável ver o fim desta prova, que busca barrar incompetentes do mercado de trabalho e garantir a segurança jurídica a sociedade.

Donizete 4 de março de 2010 16:44  

Digamos que uma PEC da vida dessa seja aprovada. Sabem oque acontecerá alguns meses depois? Umas nova PEC para tornar o exame obrigatório.Um senador como esse ou é débil mental ou então tem algum parentee (ou ele próprio) querendo ser advogado e não consegue.

Mario Berger de Sousa 4 de março de 2010 17:01  

... se a prova for anulada, esses caras vão ganhar ainda mais munição...

Anselmo Feitosa Giovanini giovanini 4 de março de 2010 17:14  

Sugiro que o Exame de Ordem seja extinto ou então seja periódico.
Ou ninguém faz ou TODOS deveriam fazê-lo se ele de fato for importante (prefiro o controle do próprio mercado, a seleção pelos próprios clientes com base na competência de cada profissional). Quanto ao fato de que na medicina estão tentando implantar tal exame, o setor da saúde deveria ANTES, cuidar de prover a sociedade de médicos em todos os rincões, pois em alguns cantos do nosso país ainda é comum se recorrer às benzedeiras e aos chazinhos até para tratamento de cânceres por falta de opções.

Então, quem defende o exame de ordem deveria seguir o princípio de que a forma segue a função, e lutar para que todos os profissionais do Direito sejam reavaliados constantemente, pois há aqueles que se depreciam com o tempo e nesse caso, de que adiantaria a carteira mágica da OAB? Acho que precisamos parar de criar formalidades e pensar no conteúdo. Até porque, será que todos aqueles que desejam que o exame permaneça passariam novamente numa nova avaliação?

carol periotto 4 de março de 2010 17:23  

apoio TOTALMENTE o Juliano Machado! assino embaixo!

JVVENCEDOR 4 de março de 2010 17:26  

Mais um abacaxi para a OAB descascar e mais uam semana inteira para eu rachar de rir da Ordem!

Bem feito! Chega de estelionato!
Peço a gentileza de não projetarem em mim as vossas frustrações e medos de concorrência...
Bons profissionais não temem o mercado, pois se reciclam, estudam e têm verdadeira competência.
Profissionais que temem os colegas nem se podem ser chamados de profissionais.
E cada um vê nos outros aquilo que enxerga em si mesmo, portanto quem taxou os bachareis de medíocres ou preguiçosos, deve estar se olhando no espelho...

Antonio Maria 4 de março de 2010 17:28  

Duvido que a obrigatoriedade do exame acabe.
Tem muita gente ganhando dinheiro através de cursos preparatórios.
É mais ou menos como se querer acabar com concursos ou o vestibular....os cursinhos não deixam.

Lunatico 4 de março de 2010 18:07  

Isso nunca vai acontecer.

Esses políticos aproveitadores estão tentando a carona na onda dessa fraude, pra conseguir exposição na mídia com propostas esdrúxulas.

Responda a esse Senador que ao contrário do que ele afirma, quando diz que "... não há razões para que existam, após a obtenção dos diplomas, novos critérios de aferição de capacidade profissional.", a resposta fica bem evidente quando pegamos casos de médicos que colocam placas, pinos e parafusos em pé que não estava fraturado, erros de engenharia que culminaram na queda do Palace 2 do Naya, e outros exemplos que justificariam não apenas a aplicação de Exame para bacharéis em direito, mas para todo bacharel em território nacional.

texugo 4 de março de 2010 19:11  

não vejo o porque de acabar com o exame de ordem.tinha era que fechar 90% dessas faculdades de direito que tem por ai..mas isso é dever do mec...

porém, o modo como o exame é realizado (principalmente o autoritarismo por parte da oab e do cespe) tem que mudar.espero que esse episódio(do vazamento da prova) sirva de lição, que eles compreendam que também erram...

por exemplo, como é que eles podem vedar o arredondamento na correção de uma prova subjetiva??isso era o que mantinha uma certa isonomia nas correções, pois se uma pessoa corrige uma prova e atribui a ela nota 5,9 , outra poderia ter atribuido nota 6.foi o maior absurdo entre as mudanças ocorridas, mas nós, examinandos, não temos o que fazer, somente acatar..isso é o que tem que mudar.

Paulo Silva 4 de março de 2010 19:17  

Se a OAB ao defender o Exame de Ordem estivesse realmente preocupada com a qualidade do ensino, não deveria ela propor ao Congresso Nacional que tornasse a APROVAÇÃO no ENADE obrigatória ao exercício da profissão, ou mesmo a obtenção do diploma?

O Brasil não precisa do Exame de Ordem, e sim de exame que afira o grau de conhecimento de todos os concluintes de curso superior do país, quer seja o curso de bacharelado, licenciatura ou tecnologia.

Vejam o vídeo disponível no youtube (http://www.youtube.com/watch?v=FPFWD5CnYNU) a partir do minuto 3:30, percebam que o presidente DA oab argumenta que se o Exame de Ordem não for mais necessário, haverá o risco de se acabar com a advocacia PELA QUANTIDADE DE ADVOGADOS.

Jose Itamar 4 de março de 2010 19:48  

A oab está sucumbindo! não morro sem ver isso acontecer.

DIGNIDADE 4 de março de 2010 20:36  

EXAME DA ORDEM PARA TODAS AS PROFISSÕES...

AÍ É FAZER JUSTIÇA!!!

porque só o bacharel paga o pato!!!

é o piorzinho...é o feinho!!!

tão de brincadeira...

RESPEITEM OS BACHAREIS!!!

Clayton 4 de março de 2010 20:54  

??????????????????????????????????????????? - Como pode tal aberração como Deputado????????????? - Dizer NÃO ao EXAME é dizer NÃO ao mínimo de preparo; Preparo e competência são elementos infinitamente diferentes...

Meg 4 de março de 2010 20:55  

Sim caros colegas, é uma exigência que exclui, mas pensem por exemplo, num médico exercendo sua profissão sem se submeter ao exame que testa sua capacidade, e ainda assim vamos lá consultar, corremos o risco, e durante o tratamento descobrimos qual sua capacidade, ou morremos! Ora, a vida é nosso bem maior, a sociedade faz seu papel ao excluir os maus profissionais. Vamos parar de ser hipócritas, sejamos justos, honestos, esse exame é uma vergonha!

vento 4 de março de 2010 21:00  

apesar da sacanagem q irao fazer domingo eu sou completamente a favor do exame. Imagine dar a ordem pra um acefalo como o q colou no domingo??

FERNANDA 4 de março de 2010 21:01  

Sou a favor da extinção. Fiz uma das melhores faculdades do país, não falo isso por ser de faculdade de nível ruim...

Eu só acho que o exame de ordem usurpa a função do Estado, que é fazer fiscalização dos cursos. Não é assim que seleciona.

Não temos exame para aferir quais são os bons médicos, que cuidam da VIDA, e temos exame para advogado. Chega a parecer piada.

So sorry, isso pra mim é incompatível.

donald 4 de março de 2010 21:07  

Quem tem competência PASSA... vão estudarrrrrrr

aerosmith 4 de março de 2010 21:50  

Há algum tempo o mar não está para peixe para OAB !!

Antonio Vinicius 4 de março de 2010 22:01  

Ora, dizer que a prova da OAB é um bem necessário é uma falácia, se não vejamos:
Os únicos que lucram com essa prova, é a própria OAB concomitantemente com os Cursos preparatórios. O Senador em questão abordou uma verdade, quando disse que depois de Bacharel, não somos nem Advogados e nem se quer estagiários. Ora, como uma prova da OAB pode qualificar? Vários "novos" Advogados, passados por esta prova, nem se quer sabe o que fazer, não sebe nem onde sentar em audiências, não sabe atender clientes, não sabe nada da vida jurídica, e na verdade aprende com a prática jurídica. Hipocrisia é fácil, falar a verdade sem pensar nos lucros obtidos por esta fabrica de dinheiro é que é difícil!!!!

RMass 4 de março de 2010 23:02  

O bacharel critica o exame de ordem até ser aprovado e ingressar no mercado de trabalho onde ele conhece a verdadeira realidade. Imaginem se o tão temido exame não existisse quantos milhões de "advogados" existiriam hoje no país. Vou citar o exemplo de minha cidade que possui 70.000 habitantes e 3 cursos de Direito que formam a cada ano 50 bacharéis cada um, imagine só sem o exame de ordem todo ano seriam lançados 150 novos "advogados" no mercado de trabalho aqui mesmo na cidade. Sei que muitos não exercem a profissão mais seria complicado não acham. Observem o exemplo de profissionais de nível superior em diferentes áreas que abandonam a profissão por não ser rentável e acabam por ir trabalhar em uma função que se exige apenas o nível médio mais com salário mais alto. Peço desculpas por minha sinceridade, gostaria de deixar uma mensagem a todos aqueles bacharéis em direito que criticam o Exame:
vocês fizeram a faculade errada, deveriam ter escolhido outro curso pois desde o começo sabiam de todas as axigências para serem considerados advogados, quem levou a sério a faculdade vai passar e irá exercer sua profissão com mérito pois foi aprovado em um exame que poucos passam.
Fiz meu primeiro exame e fui aprovado na primeira fase, realizei a segunda e estou aguardando o posicionamento da OAB em relação a fraude. Se eu reprovar a culpa é inteiramente minha por não estudar o suficiente e não do exame, para ser aprovado no exame de ordem basta estudar.

Cesar 5 de março de 2010 00:27  

O exame faz uma reserva de mercado idiota.Quantos advogados passam fome ai ?Essa estória de dizer que uma cidade com 3 faculdades vai lançar 150 advogados por semestre é a maior besteira.O mercado é implacável.Quantos tem carteira de OAB e não tem mercado? Quantos não tem dinheiro nem para pagar as anuidades? O mercado é o maior filtro.Na minha cidade tem uma porrada de advogado , mas só conheço dois bons criminalistas.( esse dois praticamente tem 80% da demanda de clientes na região). A verdade é que o estado não fiscaliza os péssimos cursos , logo a solução mais fácil é restrição de direito do cidadão que já passou por vestibular , que já passou 05 anos num curso universitário e depois para ingressar no mercado tem que passar por um exame que não atesta nada.O presidente da OAB disse que o advogado precisa estar no mesmo nivel do Juiz e do promotor , que por isso precisa fazer o exame.Que o exame é o concurso do advogado.Mas juiz e promotor são funcionários públicos , tem rendimentos de 10 , 15 , 20 mil reais e o advogado com a carteira na mão tem o que ? desemprego e obrigação de pagar anuidade.Este país é uma piada. O estado falha e quem paga é o cidadão.O curso de direito é o maior estelionato educacional deste país.O exame pra medicina foi implodido , claro porque seria inconstitucional.

Hallan Pedrosa Ferreira 5 de março de 2010 00:33  

E se Deus quiser, serei mais um aprovado daqui a 1 mês... ehehheheheheehehe grande abraço a todos! NÃO A ANULAÇÃO!!!!

Hallan Pedrosa Ferreira 5 de março de 2010 00:33  

deve haver sim o exame pra justamente filtrar esses incompetentes e irresponsáveis que pensam que ter um diploma é tudo!!! e deve também acabar com essas universidades de esquina, onde qualquer um pode passar e fazer um curso com vagabundagem... lógico, existe exceções... mas é por causa dessas universidades, com salas cheias de "univesitários" que a OAB está fazendo esse filtro... deve sim ter o exame... quem estuda PASSA!!! a prova ta aí... desde sempre existiu e nem por isso faltou gente competente que estudou e passou!

Hallan Pedrosa Ferreira 5 de março de 2010 00:35  

se as universidades não filtram... a Ordem dos Advogados tem mais é que filtrar...

Lya 5 de março de 2010 08:20  

F I M D O E X A M E D E O R D E M - Essa aberração vai acabar de qualquer maneira seja através de PEC ou pelo STF o importante é o FIM DO EXAME DE ORDEM. O médico lida diretamente com a vida e não precisa de exame pós faculdade com o agravante, caso o medico erre o paciente morre e o advogado caso erre é só refazer a petição portanto não existe argumentos para a existência desse famigerado Exame de Ordem onde no CPC consta além do principio da fungibilidade a possibilidade de emenda a petição caso o Juiz assim o veja. FIM DO EXAME DE ORDEM POR UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA, o resto é querer perpetuá a reserva de mercado para alguns aliado a permanência de milhares de cursinho pelo Brasil todo dedicado exclusivamente a preparação do Exame de Ordem e falando nisso onde muitos batem na tecla de que as faculdades não formam bons alunos de Direito e ai pergunto: E porque os cursinho que cobram um bom dinheiro também não aprovam no Exame de Ordem??? Reserva de Mercado isso é a resposta.

Fernandes 5 de março de 2010 09:09  

O quê? Retirar o Exame de Ordem com a tese biltre de que é suficiente o diploma universitário?
Indagamos, em síntese apertada. As Faculdades de Direito, estão preparando suficientemente bem seus estudantes? Elas vem ensinando segundo as diretrizes e metas do MEC?
E por que não, senhores, uma PEC para exigir dos parlamentares diploma universitário ou certidão negativa de antecedentes criminais no ato do registro eleitoral? Ou outra PEC para sujeitar os crimes contra a Administração Pública à competência do Tribunal do Júri? Se o povo dá-lhes o mandato, retira-o também, e pune os malfeitores da "Res Publica"...
Criem uma PEC para exigir exame também para os estudantes de Medicina, Educação Física, Engenheiros, etc.
O Parlamento, "Parla", "voz do povo", tem legislado no que interessa a sociedade ou aos interesses próprios, familiares?
Não podemos permitir retrocessos como esse, respaldado sim em teses natimortas.
Ora, o curso de Direito é por essência o único ensino superior que prepara o aluno para fazer parte de um Poder da República, o Poder Judiciário. Nosso ministério é essencial ao funcionamento da Justiça.
A Ordem e seu Exame
é sim um importante certame público que contribui com toda a sociedade brasileira. Se existem falhas, devemos sim apurar e melhorar e não criar uma anarquia institucionalizada com a chancela do Poder Público. Advogar a esdrúxula tese contrária é desrespeitar a Nação, os estudantes, os docentes, o Poder Judiciário, a nossa aguerrida OAB!

Renata 5 de março de 2010 09:14  

Não entendo o medo dos advogados atuantes com o boom que vai dar quando a eminente extinção do exame ocorrer!!

Oras se passaram no dificílimo exame de ordem, pendure em suas paredes do escritório mais esse mérito...

Porém é o mercado que vai realmente avaliar quem é quem!! Esse exame é meramente um obstáculo, pois como podemos ver quem não tem capacidade de passar por ele, compra sua passagem para o outro lado assim como nossos gloriosos Departamentos de Trânsitos faz quem não consegue a bendita carta de motorista!!

Por que esse medo? Será que os bachareis recem formados seram capazes de destruir suas carreiras?

Oras caros colegas, deixem vir, o mercado agradece, a OAB perde forças e quem sabe surge uma instituição melhor com anuidades menores!!

Eu sou favorável não só ao fim do exame como também a extinção da OAB nos moldes atuais!!

Tenho certeza que aqueles colegas atuantes e desatualizados, terão que repensar na vida!!

Vinicius Cavalcante 5 de março de 2010 11:53  

Vale lembrar que na última terça (02/03/10), o DIA DA BOMBA, também estava em votação no Senado um PL para extinguir o exame ou tentar amenizá-lo, como postado neste excelente blog. Esta PEC não é um fato isolado e oportunista!

Marquinho 5 de março de 2010 16:36  

Interessante alguns defenderem o Exame da Ordem...
Agora, uma pergunta: para que serve a OAB??
Conheço vários advogados que dizem que a OAB só serve para cobrar anuidade. Que tal entidade de forma alguma os defende. Inclusive, vivem reclamando da falta de bom tratamento nos cartórios... e sua OAB , nada. Outra coisa: alguns disseram que o Exame serve para manter a boa qulaidade do ensino das faculdades. Grande mentira. Pois a grande verdade é que este Exame está mesmo rendendo dinheiro aos cursinhos.
A OAB preocupa-se mesmo, através de tal Exame, é garantir reserva de mercado...será que os senhores ainda não viram isso?
Veja os médicos. Não tem Exame. Fazem residência, e mesmo assim quantos péssimos profissionais existem nessa área.
A mesma situação é com relação aos advogados: quantos que não passaram pelo "maravilhoso" Exame, e depois tornaram-se péssimos profissionais. Conhece muitos desse jeito. E isso sem falar naqueles que envolvem-se em crimes (todo dia há notícias sobre isso). E cadê a OAB?? O que faz??
A questão do Exame é, sem dúvida, reserva de mercado... Só uma sugestão: por que não exigem Exame da ordem para os Advogados já formados?? Uma esp´´ecie de Recicalgem.. o que teria de Advogado perdendo a "Carteirinha"... olha.....

JVVENCEDOR 5 de março de 2010 17:54  

SE É QUE HAVERÁ UM PRÓXIMO EXAME...

hahahahahahaha!

Brincadeira, ainda existem alguns trâmites processuais para que a fanfarra da Ordem termine de vez...
Pode ser que até lá eu já tenha passado, mas hei de me regozijar com o mais LÍDIMO fracasso da extorsão e estelionato que a Ordem propala contra nós, os bachareis!!!

Medo de concorrência = incompetência

E tenho dito!!!

texugo 5 de março de 2010 19:06  

"O presidente da OAB disse que o advogado precisa estar no mesmo nivel do Juiz e do promotor , que por isso precisa fazer o exame.Que o exame é o concurso do advogado.Mas juiz e promotor são funcionários públicos , tem rendimentos de 10 , 15 , 20 mil reais e o advogado com a carteira na mão tem o que ? desemprego e obrigação de pagar anuidade."

esse novo presidente da oab já chegou falando uma bobagem dessas...
isso tudo é uma piada..so que nao vejo a menos graça

Marques Elex 5 de março de 2010 21:58  

Sobre a questão levantada pelos nobres bacharéis em direito há que se fazer algumas considerações:

1. O exame de suficiência deveria ser exigência para se exercer qualquer profissão de nível superior, mormente os que lidam com a saúde e vida das pessoas.
2. Nem sempre o erro no peticionamento possibilita a correção de rumos do processos. Nestes 10 (dez) anos de ministério nas lides forenses tive que corrigir erros cometidos por colegas quando iniciaram o patrocínio da causa. Mas atuei num processo que não teve remédio, foi extinto porque a petição inicial não cumpria qualquer dos requisitos do art. 282 do Código de Processo Civil.
3.A máxima de quem estuda passa pode não se confirmar se a pessoa tiver algum bloqueio ou qualquer coisa que o desestabilise emocionalmente em dia anterior.
4. o mais justo com os nobres bacharéis que investiram tempo e dinheiro para passar num exame deste porte, seria permitir que os aprovados na primeira fase, pudessem tentar naquele mesmo ano a segunda fase.
5. o que faz com que uma profissão seja bem remunerada é a raridade de seus profissionais.
6. Partindo da primissa de que o Exame é um bem necessário, nossa gloriosa Ordem deve ser firme no combate à fraudes e outros assemelhados, mas humilde, admitindo que sendo formada por seres humanos, a entidade tem a mácula da falibilidade.
Se a prova for anulada, não percam a estabilidade emocional e quando passare valorizem cada centímetro quadrado desta carteira que terão nas mãos.

José Clésio 5 de março de 2010 23:50  

LYA, você fez curso de Direito???
Você disse que se um advogado errar é só refazer a petição???
Você acha que uma pessoa pode refazer uma petição até ela ganhar a causa???
Se um péssimo advogado prejudicar um cliente e tiver uma sentença transitada em julgado, acabou a lide.
É por causa desses comentários é que o exame de existir!!!
Façam um estudo de direito comparado com outros países, para vocês verem que ser advogado aqui no Brasil é moleza!!!
Daqui um tempo, vão reclamar que as provas para a carreira jurídica são difíceis...

Marcelo 8 de março de 2010 11:24  

Nunca um exame poderia substituir rituais acadêmicos universitários de controle da qualidade dos profissionais formados. Os professores deveriam ter tal autoridade pedagógica. Mas sabemos que a realidade não é essa. Existem profissionais mal preparados por professor que não se acham professores e/ou pressionados por índices de aprovação para garantia da lei do mercado ( pagou, passou). Agora, atacar individualmente o Jé da esquina que se formou na Uniesquina, é muita sacanagem! Se a OAB quisesse restaurar seu "papel" histórico com a democracia, atacaria o problema na raiz: as Universidades que formam mal, profissionais da educação mal preparados e os demais grupos de interesses. Portanto, atacar o jé da esquina é melhor e mais fácil para manter o lucro de várias pessoas que adoram explorar a desgraça alheia ( cursinhos, especialista em exame com suas receitas maravilhosas, blogs, sites, livrarias, instituições formuladoras de provas, pessoas que criam as provas, profissionais na ativa que querem reserva de mercado, professores didaticamente e pedagogicamente péssimos...etc..etc..etc). Viva a Democracia e o papel "histórico" da OAB na consolidação de uma sociedade democrática e do Estado de Direito.

Neo 30 de março de 2010 12:05  

A OAb quer a todo custo, manter a Reserva de Mercado, isso não tem mais sentido atualmente, o que manda é a competência e habilidade na profissão, exames de ordem não garantem nada disso...

gleidson rodrigo 5 de abril de 2010 15:09  

bom, diante de tantas informações sobre exame de ordem, também não sou contra a realização de tal exame, tendo em vista que a maioria dos advogados hoje atuantes, no mercado, não sabem como fazer um petição, ou como defender os direitos de seus clientes, mas também não concordo com o bloqueio de alunos concluintes de realizarem o exame de ordem, pois não há ao meu ver um direito adquirido caso venha a ser aprovado ou prejudique a sociedade neste aluno concluinte de realizar a prova

acho sim que deve-se autorizar os alunos concluintes de realizarem a prova do exame de ordem, e o que deve ser reformulado e sim a prova, a metodológia de aplicação,

o que adiantaria cancelar a prova de exame de ordem, mais advogados sem experiência no mercado, mais pessoas não tendo uma defesa digna, mais fraudes, isto é senhores, seria uma confusão de advogados, e ai sim o judiciário iria ficar mais lento, pois juizes teriam que mandar emendar muitas iniciais, olha a confusão

contudo acho que a única coisa que deveria ser mudada e autorizar os alunos concluintes do curso de direito de realizar a prova e mudar a metodológia de aplicação das provas, uma melhor organização, pois quem já trabalhou para o CESPE na realização destas provas sabem o quanto e bagunçado a realização

decinho 10 de abril de 2010 12:42  

O Exame de Ordem tem sido usado, pela OAB, como instrumento para aumentar o seu poder e para impedir o ingresso de novos advogados no mercado de trabalho, que se alega já estar saturado.

Nenhum conselho de fiscalização profissional poderia pretender restringir o direito ao trabalho dos novos bacharéis, sob a alegação de que o mercado já está saturado. Esse é um outro problema, que não pode ser resolvido dessa maneira, por um motivo muito simples, de estatura constitucional, o de que todos são iguais perante a lei. Não se pode restringir o exercício profissional dos novos advogados, para resguardar o mercado de trabalho dos advogados antigos.

Está sendo fundada, em São Paulo, a Associação Brasileira de Bacharéis em Direito, destinada a combater, entre outras coisas, o Exame de Ordem da OAB.

Os direitos do povo são mais importantes do que os lucros dos legisladores, dos governantes, dos políticos, dos juízes e dos advogados. São mais importantes, também, do que qualquer interesse corporativo. O Governo, as Casas Legislativas, os Tribunais e a própria Ordem dos Advogados do Brasil existem, na verdade, apenas para servir o povo, e não para atender aos interesses egoístas de qualquer minoria privilegiada. Ou, pelo menos, assim deveria ser, se a Constituição fosse respeitada.
Então os bachareis são ignorantes? Pois foram os mesmos que apontaram a inconstitucionalidade do exame.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP