Entrevista com o Presidente da OAB Federal na Rádio Justiça

terça-feira, 16 de março de 2010

Agora às nove da manhã vai irá ao ar a entrevista na Rádio Justiça com o Dr. Ophir Cavalcante, Presidente da OAB Federal, que falará sobre o Exame de Ordem.

Estarei presente nesta entrevista em conjunto com o Dr. Rogério Neiva, juiz do Trabalho em Brasília.

Clique no link abaixo para ouvir o programa Hora Legal:

11 comentários:

flavionogueira 16 de março de 2010 09:26  

Parabens, gostei muito da entrevista e conseguiu falar do blog.

Tatiane victor 16 de março de 2010 09:53  

Dr° Mauricio,
Parabéns pela entrevista dedicada aos bacharéis de Direito e o incentivo dado para quem ainda não alcançou a sonhada aprovação, após a realização de alguns exames. Realmente o senhor descreveu acertadamente, quando disse que quando o formando de Direito não alcança a aprovação, é como se não tivesse completado a graduação. A sensação é exatamente essa.
Sucesso em seu blog.

Tatiane Victor

Carol 16 de março de 2010 10:12  

Dr. Maurício,

será que a data da prova da 2ª fase ao ser deliberada entre hoje e amanhã, como o Dr. Ophir disse em entrevista na Rádio Justiça, pode ainda ser alterada???
Ou quando for divulgada a data 11 ou 18 de abril, não mais haverá alteração???
Não tenho sentido firmeza nas decisões do Conselho Federal por causa das decisões em cima de decisões, uma fazendo cair por terra outras.
O que vc sentiu na entrevista???
Carolina Neves

Ana Luíza 16 de março de 2010 10:49  

Prezado Maurício,

gostaria de parabenizá-lo pelo blog e por sempre nos manter atualizados.

Gostaria de saber se já saiu alguma notícia oficial a respeito da data de realização da prova. Será efetivamente no dia 18/04?

Ademais, conversando com alguns colegas na mesma situação que me encontro (de ter que refazer a prova), pensamos em entrar com uma ação contra a CESPE/UNB por danos morais e materiais, visto que, por falha deles, nós é que estamos sendo punidos.

Gostaria de saber sua opiniao a respeito disso.

muito obrigada.

Alice 16 de março de 2010 10:59  

Pergunte quando será a prova e quando será divulgado, será dia 11/04 ou 18/04??

eduardo 16 de março de 2010 11:06  

Dr. Maurício,
gostaria que, se possível, você postasse sobre a entrevista de hoje na Rádio Justiça, sou do Paraná e queria muito ter ouvido. Porém, por problemas na conexão da banda larga não foi possível.
Obrigado
Rafael

camilafigueiredo_23 16 de março de 2010 14:05  

Por favor nos informe a data da prova assim que divulgada!!!

Aira 16 de março de 2010 14:16  

Meus sinceros cumprimentos à Ana Luiza, que finalmente tomou a única atitude digna de quem quer realmente ser advogado: litigar pela justiça.
Me envergonha o silêncio e a covardia dos demais candidatos, que apesar de manifestarem-se nas votações do blog contra a realização do exame, não se posicionam quanto à absoluta falta de transparência com que as investigações sobre a fraude são efetuadas, sequer buscam unir-se para ver seu direito respeitado.
A OAB, por sua vez, age como se fosse o MP somente quando lhe convém. Mais interessante ainda é observar como a conduta da OAB no caso Arruda foi diferente, com a exposição de todos os fatos na mídia. A Folha de SP não publica, desde 7 de março, sequer uma linha sobre o assunto. Coincidência?
Será que alguém poderia ter a vergonha na cara de apresentar o fraudador e a motivação da fraude? Ou o medo tomou conta da Grande Ordem, "defensora da justiça"?
A falta de respeito da Ordem em se nunca se posicionar além daquelas balelas costumeiras..."manutenção da qualidade de ensino", "parceria com o MEC", esvaziando completamente o que deveria ser um debate em um programa de rádio, ultrapassou seu limite ao claramente responsabilizar a CESPE pela fraude, isentando a OAB, mas com o cuidado de afirmar que "seria necessário aguardar as investigações da PF." Ou seja, afirma que a OAB não tem nada com isso, mas é melhor esperar pra ver o que acontece...
O sentimento mais honesto, no dia de hoje, é de nojo.

texugo 16 de março de 2010 15:05  

é, a entrevista com o Dr. Ophir foi aquilo mesmo que eu esperava. uma sequencia de respostas vagas.
vejam:

-Dr. Ophir, a respeito do exame de ordem unificado...pretende modificar?
-olha, em principio, blablabla(mudar nada)

-Dr. Ophir, devido os erros cometidos pelo cespe...pretende mudar?
-olha, em principio, blablabla(mudar nada)

-Dr. Ophir, muito tem se falado a respeito do fim do exame de ordem, o que o senhor acha?
-olha, o exame de ordem é importantissimo(claro, fortalece a instituiçao, alem de render muito dinheiro) pois comprova que o profissional esta qualificado a exercer a advocacia.

eu proponho então outra coisa, se o essencial para ser um advogado é a aprovaçao no exame de ordem, que acabem com a exigencia do diploma de direito..quem quiser ser advogado que se vire para estudar e passar no exame.

-Dr. Ophir, existe no pais, atualmente cerca de mil e cem faculdades de direito, contudo, a grande maioria delas nao aprova sequer vinte porcento...o que o senhor acha?
-olha, nos, juntamente com o MEC, estamos empenhados blablabla..ate ja fechamos CINCO faculdades.
parece brincadeira nao é?


outras duas coisas que ele falou que eu discordei na hora:

"o exame não tem o objetivo de reprovar"
nao preciso nem comentar não é?a não anulaçao da questão 73 da prova objetiva foi o cumulo..sem contar outras.

"um exame sem pegadinhas, não é preciso isso"
e a primeira questao da prova trabalhista foi o que?


se eu la estivesse, durante a entrevista, faria as seguintes perguntas:
-Dr. Ophir, como realizar uma outra prova sem que os culpados pelo vazamento da prova anulada tenham sido descobertos?quem garante que a prova nao vazara novamente?a oab?o cespe?e se vazar novamente o que fazer, anular novamente e continuar punindo os outros pelos erros da oab e do cespe?


Dr. Mauricio, grato assim mesmo, o senhor é uma das poucas vozes(se nao a unica)que é escutada pelos dois lados.

Mario Berger de Sousa 16 de março de 2010 15:31  

A participação do Dr. Maurício foi boa. Parabéns!

O único problema foi a entrevista do Dr. Ophir. Ele só falou aquilo que é o óbvio. É interessante como um jurista consegue fugir da discussão técnica sobre a anulação. Quero dizer, o Ophir, perguntado sobre o ressarcimento dos candidatos que não puderem fazer a prova no dia 11, diz que os examinandos não tem culpa pela anulação. Ainda assim, nós, os examinandos, somos obrigados a suportar o ônus de ter que fazer uma nova prova - todo o estresse, investimento em livros, cursos, em fim...

Pior do que isso, Ophir ainda vem dizer que a OAB não deu causa à anulação, e lava as mãos. Ora bolas, Dr. Ophir!!! Como assim não deu causa? E a responsabilidade objetiva como organizadora do evento?

É incrível mesmo a cara de pau, má vontade, má-fé ou, no mínimo, burrice. Caramba, como a OAB não deu causa? Quem foi que contratou o CESPE?

Lamentável...

... bom, tirando o blá-blá-blá do Ophir, o programa foi mto bom. Aliás, permita-me fazer justiça qto ao nosso nobre presidente, apenas para elogiar seu discurso sobre o papel do exame de ordem. Ele disse com todas as letras que o exame não é concurso público, mas apenas teste de aptidão. Essa mentalidade é muito importante. Resta saber se essa mentalidade irá sempre se transpor para a elaboração e correção das provas.

Já passei 16 de março de 2010 15:31  

Dr. Maurício.

Assistir a entrevista do Exceletíssimo. Sr. Dr. Presidente, da OAB DR. OPHIR CAVALCANTE, hoje pela manhã. Achei muito esclarecedora! Minha cabeça estava repleta de dúvidas, e confesso que agora me sinto totalmente perdido. O Dr. Excelentíssimo., falou, falou, falou e falou, mas não disse nada, o que me lembreu aquele Deputado da Praça é nossa, se não me engano, "João Plenário". Socorro pelo amor de DEUS.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP