Menos de 8% teve aprovação no exame da Ordem no Piauí

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

A pedido do nosso blog, a OAB seccional Piauí, repassou a lista dos aprovados e os números no que diz respeito a quantidade de recursos impetrados no segundo exame de Ordem unificado deste ano. A seleção unificada contou com 26 Estados, apenas Minas Gerais não participou. Para o Piauí, eis os números.

No Estado, foram aprovados 151 bacharéis, o equivalente a menos de 8% dos 1.300 candidatos inscritos no exame, realizado dia 25 de outubro deste 2009. A segunda fase incluiu redação de peça jurídica e cinco questões práticas. A aprovação é uma exigência para o exercício da profissão de advogado.

Questão polêmica foi a peça trabalhista exigida na segunda fase do exame, que segundo maior parte dos candidatos prejudicados, apresentou questões com dubiedade de respostas e culminou com uma reprovação gigantesca. O número de recursos impetrados pedindo a re-correção das provas também foi assustador. Foram 307 candidatos. Destes, apenas 42 obtiveram êxito e conseguiram ser aprovados após nova análise das provas e 265 tiveram os recursos indeferidos. A lista com os nomes dos aprovados pós-recurso está no link : http://www.oabpi.org.br/oabpi/noticia.php?not_codigo=1934

A OAB-PI através do atual presidente, Norberto Campelo, nos informou o percentual de aprovados, assim, além de se colocar favorável á apresentação do recurso administrativo em relação à prova aplicada, também solicitou ao Conselho Federal da OAB que estabelecesse entendimento com o Cespe, órgão que integra a Fundação Universidade de Brasília e que foi responsável pela aplicação das provas seletivas.

‘Não posso, na qualidade de Presidente da OAB-PI, também, pessoalmente, como cidadão comprometido com a Justiça, aceitar esse resultado. Diante disso, solicitamos que o CESPE corrija novamente todas as provas. Se OAB-PI foi informada da possibilidade da existência de questões duvidosas ou não tão bem elaboradas, estas devem ser extirpadas. A intenção do exame seletivo não é dificultar o acesso do bacharel em Direito ao exercício da nobre profissão da advocacia, mas primar pela excelência. Não haverá “labirintos” na OAB-PI, o acesso será amplo, nosso espaço é e sempre será democrático’, enfatiza Norberto Campelo.

É extremamente importante o momento da seleção dos futuros advogados. O acesso ao Conselho Seccional do Piauí, através do presidente, demonstra intransigência de eventuais processos seletivos que não estejam, de fato, preocupados com aferição do conhecimento, mas que estabeleçam obstáculos injustificáveis ao acesso amplo à nossa casa democrática. A atitude do atual presidente Norberto Campelo, justifica a razão pela qual, apesar de seu nome não estar lançado para a função de maior destaque (de presidente do Conselho da OAB-PI), era de longe, indiscutivelmente, o mais comentado. Norberto foi eleito nas últimas eleições membro do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

4 comentários:

Afranio 22 de dezembro de 2009 08:26  

Prezado Dr. Maurício,
Você teria como apurar - e publicar - o percentual de aprovação em cada um dos estados?
Grato pela atenção,
Abraços,
Afranio

Simplicio 22 de dezembro de 2009 09:11  

Muito louvável o posicionamento do Presidente da OAB-PI, Norberto Campelo. Pois demonstra, assim, sua preocupação com o futuro do Bacharel em Direito. Parabéns! Cordialmente, Simplício Filho.

ciciliotti 22 de dezembro de 2009 12:32  

até contestação foi corrigida nessa prova....se a colega tivesse feito bem as questões teria passado....rsrs...

valdeci josé tomazini 22 de dezembro de 2009 18:34  

Esta é a atitude que todos os presidentes da OAB deveriam ter, em prol da justiça e da moralidade do exame de ordem.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP