OAB/RN pode anular a prova do Exame de Ordem

sexta-feira, 20 de novembro de 2009


"Acabo de falar com o advogado Kaleb Campos, membro da Comissão do Exame de ordem da OAB/RN. Ele confirmou ao TL: “A prova de direito do trabalho pode, sim, ser anulada!”
A comissão vai se reunir na próxima terça-feira sob a presidência do advogado Klebet Cavalcanti para deliberar o assunto. Para Kaleb e outros membros da comissão, a decisão deve ser pela anulação porque a questão prática foi formulada de forma equivocada.

O resultado da OAB/RN ainda será submetido ao Conselho Federal.

Em tempo: Esta semana a advogada Elke Mendes Cunha escreveu artigo neste blog sobre o alto índice de reprovação na área de direito do trabalho. Citou casos como o da aluna laureada da UFRN que foi reprovada na prova “equivocada”, para dizer o mínimo."

Autor: Laurita Arruda

88 comentários:

Anônimo,  20 de novembro de 2009 13:45  

Olha minha cara de preocupação :)
Passei em Sp na prova trabalhista...o MS já está preparado esperando o fim desse circo.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 13:46  

BOM PARA AQUELES QUE NÃO ACREDITAVAM OU NÃO QUERIAM ACREDITAR...O EQUIVOCO NO ENUNCIADO DA QUESTÃO É OBVIO, E ASSIM COMO OCORRE ANULAÇOES DE QUESTÕES NA 1 FASE, DE IGUAL MANEIRA OCORRERÁ NA 2 FASE. PARABÉNS A OAB POR RECONHECER, ISSO SIM É EXEMPLO DE JUSTIÇA.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 13:49  

Que absurdo!!!!. Nada como ano de eleição!!!!. Espero que a OAB seja firme, pois, caso acatem o pleito dos manifestantes, poderemos dizer: FIM DO EXAME DE ORDEM!!!

Anônimo,  20 de novembro de 2009 14:11  

PELA MISERICORDIA DE DEUS!!!
SE ANULAR COMO FICARÁ OS ALUNOS PROVADOS NESSA MATÉRIA?
SÓ PODEMOS CONTAR COM O SENHOR!
NÃO NOS DEIXE NAS MÃOS!!
CADA VEZ QUE EU ENTRO EM SEU BLOG, O QUE FAÇO A TODO O TEMPO, FICO MAIS APAVORADO.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 14:16  

Agora porque uma aluna laureada reprovou é motivo de anular a prova??

Anônimo,  20 de novembro de 2009 14:17  

É mentira, até porque seccional nenhuma tem o poder de anular uma prova.

Luciano 20 de novembro de 2009 14:20  

Por favor Dr. Maurício, esclareça novamente, antes que chovam comentários sem fundamento,o que legalmente poderia acontecer caso ocorra a anulação da prova ou questão.
Digo isso pois lendo outros comentários a respeito da suposta anulação, me espantei em ver que propensos advogados não sabem nada de direito, parece que o exame da ordem drenou seus cérebros,li gente falando que é contra a anulação, que vai fazer movimento pela não anulação. Ainda outros que foram aprovados, achando que serão prejudicados, até parece que nunca tiveram aulas de constitucional ou administrativo, posso estar enganado, mas o direito de quem ja foi aprovado está garantido na Constituição, independente de ser anulada a prova.
Accredito que a prova, em si, não será anulada de jeito nenhum, acho que o que pode ser anulado é a peça. Pela lógica, se anular a prova vai ficar péssimo para a OAB, pois nunca uma prova foi completamente anulada.Por favor Professor, esclareça isso, para que não tenhamos mais comentários absurdos aqui.Eu fui reprovado, reconheço isso, mas luto por justiça, não só por mim e por outros reprovados, mas também pelos que por merecimento foram aprovados, será que ninguém entende isso, agora ficar menosprezando quem não passou e dizer que são todos incompetentes e despreparados, isso eu não aceito.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 14:23  

Isso virou uma palhaçada!
No mínimo deve ter algum filho de gente importante que não passou, por isso desse estardalhaço todo.
É justo prejudicar quem gastou mto, estudou e passou?????????
Cabe agora nós que fomos aprovados nos juntar pra fazer o manifesto para a não anulação dessa prova!!!!

Anônimo,  20 de novembro de 2009 14:30  

NAO GOSTARIA DE ANULAR A PROVA E SIM A PEÇA, E A 1ª QUESTÃO, FOI ELABORADO PELA CESPE DE MA FÉ MESMO. QUANDO OS EXAMINANDOS FAZ ALGO ERRADO A CESPE REPROVA E AGORA CHEGOU A NOSSA VEZ DE TER NOSSOS DIREITOS SER APLICADO.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 14:35  

A JUSTIÇA É QUE TODOS OS PRESIDENTES DAS SECCIONAIS E O PRESIDENTE FEDERAL DA ORDEM DO BRASIL, ANULE A PEÇA PROCESSUAL DE TRABALHO. PQ FOI FEITO COM TRIPLO SENTIDO, E TAMBÉM HOUVE VAZAMENTO DO GABRITO SEGUNDO FONTES. NÃO VAMOS ACEITAR TANTOS ERROS E INJUSTIÇA. NÃO HÁ PERGUNTA COM DUAS OU TRÊS RESPOSTA. CESPE RECONHEÇA SEU ERRO E TOME UMA PROVIDENCIA JUSTA OU ENTÃO O JUDICIARIO IRA TOMAR.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 14:37  

Absurdo, e a pergunta que ninguém responde.... anular a peça? todos aproveitam, mas e anular a prova? os aprovados dai, so lamentos??? isso não pode ficar assim, vamos remover montanhas também... Aceitem o Inquérito, anulem a peça, mas não façam essa injustiça, Deus nos ilumine...

mayarabispo 20 de novembro de 2009 14:38  

Caso realmente seja anulada a prova no RN, esta decisão abrangerá os outros estados também?! tendo em vista a prova ser unificada?

Anônimo,  20 de novembro de 2009 14:41  

JA ESTAMOS ENTRANDO NA JUSTIÇA FEDERAL COM VARIOS MANDATOS PARA REAVER AS QUESTÕES E A PEÇA E A QUESTÃO DOS MIL CARACTERES. CONVERSA E RECURSO COM A CESPE QUE FEZ TUDO ERRADO É PERDA DE TEMPO. O CORRETO SÃO AS VIAS JUDICIARIAS. BRASIL VAMOA TODOS SE MOBILIZAR PRA ENTRAR EM CADA ESTADO PARA REAVER NOSSOS DIREITOS SEREM VISTO POR QUEM ENTENDE.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 14:42  

NÃOOOOOOOOOOO É JUSTO ISTO É UM MARTÍRIO ANULAR NÃO A PROVA SERÁ PIOR ESTOU TÃO FELIZ COM MINHAS APROVAÇÃO. POR FAVOR BATALHEM PAA ANULAR A PEÇA E TODOS GANHAM 5.FOI INJUSTO QUE CORRIGIRAM O INQUERITO DE UNS E OUTROS NÃO....POR EXEMPLO.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 14:44  

TANTA INJUSTIÇA COM OS BACHAREIS, QUEREMOS SIM NOSSOS DIREITOS JÁ BRASIL. IREI COBRAR TAMBÉM DANOS MORAIS CONTRA A CESP, POIS ESSA INSTITUIÇÃO APRONTOU COM TODOS NÓS.

GERSON JERONIMO,  20 de novembro de 2009 14:49  

Nós Bacharéis em Direito do Rio Grande do Norte sob a liderança do Bel. José Henrique Azeredo vamos lutar pela ANULAÇÃO DA PEÇA TRABALHISTA jamais a anulação da prova pois o que mais prejudicou foi exatamente a peça. Conclamos a todos os examinandos do Rio Grande do Norte da areia trabalhista a se fazer presente em frente a OAB/RN na proxima terça feira dia 24 de novembro para fazermos pressão pela anulação dessa peça. UNIDOS SEREMOS MAIS FORTES. Um abraços a todos GERSON JERONIMO - NATAL/RN

Anônimo,  20 de novembro de 2009 14:57  

Pela milésima vez, faça um tópico sobre os aprovados em trabalho.

O senhor tem uma vasta fonte de informações.

Os aprovados em trabalho da Bahia, estão apavorados.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 15:02  

Dr. Maurício, vc acha que uma possível anulação da prova trabalhista prejudicaria as outras áreas que tb sofreram injustiça, mas não se uniram como fizeram o pessoal de trabalhista?

Anônimo,  20 de novembro de 2009 15:04  

Para mim o ideal é que a peça de trabalho seja anulada, mas acredito que mesmo com toda esta força seja difícil sua anulação, a menos que conte com um apoio das seccionais. Embora o estado de SC não tenha se manifestado com relação à peça, entendo que se uma seccional anular a prova ou a peça, tal decisão deve valer também para os candidatos de outras seccionais, seja administrativamente seja judicialmente. A UNIÃO FAZ A FORÇA!

Anônimo,  20 de novembro de 2009 15:07  

Bom dia! Não tem outra alternativa, essa prova mal formulada tem que ser anulada na integra, pois o problema não esta só na peça e sim em 70% da prova, questões dubias onde jurisprudência do próprio TST contraria a resposta do espelho. Caso essa prova não seja anulada será uma vergonha arbitrária.

David 20 de novembro de 2009 15:08  

PARABÉNS a OAB/RN, como a OAB/MS, e a OAB/AL, dentre outras, que buscam o mesmo objetivo ANULAÇÃO DA PEÇA..e não DA PROVA!!!..Que fique, aqui, registrado! O CESPE com sua obscuridade, ambiguidade, trouxe à tona a elaboração de um enunciado inconsistente, e sem qualquer cabimento de alguma peça trabalhista.

Que se faça JUSTIÇA...que se faça valer o DIREITO...que se resgate a moralidade das nossas entidades, a fim de que não percamos a fé que colocomos em cada uma delas!

Abraços.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 15:15  

Pedimos a gentileza de que os bachareis que fizeram a prova de direito tributario,se manifestem atraves desse blog para podermos passar os enderecos aos colegas que estao providenciando manifestacoes para que se revertam em favor daqueles que n~ao tiveram sua pecas lidas.Que seja estendida a n'os,as mesmas solucoes que se encontrarem para a prova de trabalho.
Desculpem os erros de digitacao,mas meu teclado ainda nao foi configurado.
Ao Dr.MAuricio,agradeco a oportunidade do espaco.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 15:28  

A anulação da peça implica em novo concurso? ou então todos alunos atingem a nota máxima da peça, conforme o disposto no item 5.8 do edital?

"5.8 No caso de anulação de questão integrante da prova objetiva ou de qualquer questão da prova
prático-profissional, a pontuação correspondente será atribuída a todos os examinandos, inclusive aos
que não tenham interposto recurso."

Rafael,  20 de novembro de 2009 15:31  

"Exame ou execução em massa??? Prova ou Carnificina?? Pergunta ou devaneio??? e agora José?? é hora de mostrar sua cara!!!!" Graças a deus ainda existem pessoas sensatas que não tem vergonha de admitir o erro, isso sim é uma grande virtude!!! Parabens OAB/RN!!!

Anônimo,  20 de novembro de 2009 15:39  

"Para Kaleb e outros membros da comissão, a decisão deve ser pela anulação porque a questão prática foi formulada de forma equivocada."

O que me diz o pessoal da ACP?
Ainda continuam achando que acertaram a peça?
Vocês erraram como todos os demais erraram. O máximo que vocês tiveram, foi sorte. Sorte pelo CESPE ter "achado" que ACP seria correto.
Caiam na real. Em que mundo vcs acham que vivem?
Respeitem para serem respeitados.
E ponto final.
Obs. sem tréplica

Anônimo,  20 de novembro de 2009 15:54  

Pelo que sei só a comissão do CESPE tem competência para anular uma questão ou prova. Muito estranha esta notícia, muito estanha.Mas estranhanheza à parte, a verdade é que podemos chegar a uma conclusão catastrófica ou mesmo não chegar a lugar nenhum. Não resta mais nenhuma dúvida que está existindo uma batalha política sem precedentes dentro da OAB e essa batalha se acentuou com as recentes eleições. Aliás, não é à toa que a manifestação dos bacharéis teve início no Rio Grande do Norte. Estamos, portanto, "navegando em águas políticas", razão pela qual é iprevisível o resultado final de tudo isso, é simplesmente imprevisível.Os bacharéis estão no meio do fogo cruzado,o que é uma lástima, só não se sabe em que os tiros vão acertar.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 16:16  

Por que o senhor não aproveitou e perguntou como ficaria a situação dos aprovados em trabalho no caso de uma infeliz anulação?

...

Anônimo,  20 de novembro de 2009 16:18  

Com todos esses acontecimentos, fica a seguinte pergunta: e quem passou no último ano da faculdade (eu, por exemplo) neste exame ?

A OAB aceitará nosso ingresso em seus quadros ?

Anônimo,  20 de novembro de 2009 16:25  

ô DEUS! Que comparação!! Eu também, tenho um amiga que foi laureada, e nem passou a primeira fase ainda.Isso não é comparação. Na Universidade elas passaram 5 anos se preparando... E eu aposto, que os professores não faziam "pegadinhas" nas provas. Acho lamentável, a comparação!No entanto, anular uma prova é mais lamentável ainda... Quem passou não tem méritos, laureas, etc..???????

Anônimo,  20 de novembro de 2009 16:26  

O equívoco na interpretação de uma peça esta presente na vida de qualquer advogado, não estou desmerecendo ninguem, concordo que a questão foi muito mal elaborada, todavia, o que as pessoas não entendem é que os aprovados já estão sendo prejudicados, todos nós que passamos estamos tendo nosso direito de ingresso cerceado, hj estive na OAB/BA de Salvador e não pude me increver pq o exame esta suspenso, e isso esta acontecendo com todas as seccionais. Entendo que muitas das pessoas que foram prejudicadas com a prova de trabalho tem toda razão. O pedido feito na liminar ao ser conferido causou um prejuízo a todos os candidatos, uma vez que, não existirá direito adquirido se a prova for anulada por completo.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 16:42  

Querem um palpite? Mas nem que a galinha nasça dentes a prova será anulada.Pode chuver canivete que não haverá anulação nem da prova e nem da peça.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 16:51  

é um equivoco anular a prova. deve ser anulada a peça e a todos ser atribuidos nota 5.a elabora ção do problema foi mal feita sem falar que é absurdo o que o cespe fez colocar uma peça do direito civil no direito do trabalho,já que escolhemos trabalho o cespe tinha que cobrar uma peça trabalhista e não civilista!!é justa a anulação da peça.

Vila 20 de novembro de 2009 17:02  

dr. mauricio dê atenção aos aprovados em trabalho...
Estamos apavorados...

Suplicamos por uma matéria sobre tal assunto.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 17:16  

Nem corrigiram minha prova por se tratar de uma RT sem consignação, sendo que corrigiram várias RT´s sem consignação. Cadê o principio da isonomia?
Doutor Mauricio tenho chance de passar?
atenciosamente,
Juliana

tuica 20 de novembro de 2009 17:56  

Dr. Mauricio
Vou falar o que penso em poucos palavras, até o limite de 1000 caracteres, o que quer dizer isso, cerceamento de defesa. A instituição OAB prega que defende Estado DEMOCRÁTICO DE DIREITO, preza pela ÉTICA, pela JUSTIÇA e pela MORAL! Defende os DIREITOS HUMANOS... Estou arrazado... Pasmem! Será que a Ordem dos Advogados do Brasil, sabe o que é isso que falei acima. Se sabe coloque em pratica, tire do papel e de discursos mau fadados. Tenham vergonha na cara e assumam o erro.
Pra terminar. Errar é humano, persistirem no erro é soberba "BURRICE", porém, aceitar e corrigir o erro é virtude de poucos, quase raros nos dias de hoje!

Por medida de Justiça, a peça vai ser anulada!

Anônimo,  20 de novembro de 2009 18:00  

E quem passou!!! Que teve esse merito vcs não estão pensando na gente não é...Espero que a segurança juridica não seja conversar para ruminante repousar.Bom pode passar a torcida da fiel, mengão,catolicos, evangelicos, espero que não invente de fazer uma nova prova para todos.Pois se o Brasil tem fama de ser um pais pacifico essa fama acabaria facil...(brincadeira) MAS ESPERO QUE NÃO CONSERTE UMA "INJUSTIÇA" COMETEENDO OUTRA NÉ. JÁ FIZ FESTA,PAGUEI PROMESSA E TUDO MAIS...SERIA UMA VERGONHA NACIONAL O FIM DA FAMA INABALAVEL DO CESPE.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 18:00  

E quem passou!!! Que teve esse merito vcs não estão pensando na gente não é...Espero que a segurança juridica não seja conversar para ruminante repousar.Bom pode passar a torcida da fiel, mengão,catolicos, evangelicos, espero que não invente de fazer uma nova prova para todos.Pois se o Brasil tem fama de ser um pais pacifico essa fama acabaria facil...(brincadeira) MAS ESPERO QUE NÃO CONSERTE UMA "INJUSTIÇA" COMETEENDO OUTRA NÉ. JÁ FIZ FESTA,PAGUEI PROMESSA E TUDO MAIS...SERIA UMA VERGONHA NACIONAL O FIM DA FAMA INABALAVEL DO CESPE.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 18:19  

vai anular a prova eu a peça???

Anônimo,  20 de novembro de 2009 18:28  

Estou confuso com os pronunciamentos que estão sendo publicados.
Assim como nessa notícia, tem-se usado a expressão "anular a prova de Direito do Trabalho".
Estão eles querendo dizer "anular a peça profissional da prova de Direito do Trabalho?"
No comunicado da OAB Nacional, há menção à "anulação da prova".
Afinal, o que se está querendo realmente dizer?

Anônimo,  20 de novembro de 2009 18:29  

anulação da PROVA? teriamos q fazer outra? olha, eu nao passei pq fiz IJ e me sinto injustiçado. mas nao acho nem um pouco certo anularem a prova e prejudicar quem ja passou. na minha opiniao o certo é anular a PEÇA. se passar 90%, o problema nao é nosso e sim da OAB/Cespe.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 18:42  

Não sei ainda sobre a OAB/SP. Me parece que nada por aqui foi feito até o momento...alguém tem notícias de SP?

Anônimo,  20 de novembro de 2009 18:58  

beleza viva para o RN, esta é dacisão correta.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 19:03  

Acho difícil isso acontecer mas por mim podem anular, foi meu primeiro exame, eu passei nesse e passo em quantos for!!Agora essa turminha do Azeredo, que escreve "encino", " baixaréis", "preoculpado",sério, é só olhar os posts anteriores,teve até entrevista de uma examinanda reclamando que não passou por q o Vademecum estava desatualizado, e o culpado foi o CESPE de" Tamanha injustiça".. por favor.Pra essa turma o CESPE tem q aplicar outra prova mesmo, uma RT simplesinha com um pedido só, de preferência já descrito no problema mesmo tipo " na peça,pedir...." , daí quem sabe passam e param com essa choradeira insuportável, isso se o examinador não descontar o português.Senão é só prestar prova pra entrar na TURMA DO DIDI, lá vcs nem precisam de exame por q vcs já são uma comédia...

Anônimo,  20 de novembro de 2009 19:33  

Doce ilusão... eles estão fazendo média para dizer que se importam, mas o que mais querem é o mínimo de profissionais na concorrência.
Vão anular nada... desculpem a sinceridade, mas ilusão agora só irá aumentar a decepção depois...

Anônimo,  20 de novembro de 2009 19:38  

Enquanto isso já conheço gente que está estudando, do céu só cai chuva!

Anônimo,  20 de novembro de 2009 19:51  

Dr. Maurício, agora não se estar falando mais de anular a peça e sim a PROVA, neste caso, aqueles que passaram, inclusive eu, seremos prejudicados se anularem a prova?

Anônimo,  20 de novembro de 2009 19:59  

Pergunta: Sabem quando a OAB permitirá a aprovação em massa no exame de ordem???

Resposta: Nunca!!!

Anônimo,  20 de novembro de 2009 20:09  

Consulta da Movimentação Número : 19

PROCESSO
2009.60.00.013876-0

Descrição
Em 20/11/2009 as 16:03 h

DESPACHO/DECISAO LIMINAR/ANTECIPACAO DE TUTELA INDEFERIDA Complemento Livre: Número do Livro : 3 Número do registro : 222 Folha inicial : 37

Érico Tashiro 20 de novembro de 2009 21:07  

Caros Colegas,

Penso que a correção de recursos vai ser mais rígida. Nunca a prova foi corrigida com tanto rigor. Agora imagina como serão os recursos. Vou recorrer em 11 quesitos. Entre eles os mais polêmicos 2.10 2.7 da peça e o 2.1 da questão número 3. Eu sinceramente estou aflito, pois tenho minhas dúvidas que eles darão alguns décimos com a relação ao pedido de Apelação do 2.10 e sobre o polêmico Reformatio In Pejus.

Preciso de somente 0,4 e estou cruzando os dedos aqui; PORÉM depois de toda essa bagunça, que está acontecendo com os nossos colegas que fizeram a prova trabalhista, eu fico com poucas esperanças. Creio que a correção irá ser dura, pois se eles anularem a peça trabalhista para todos eles vão barrar de todas as formas qualquer recursos de outras matérias.

Os colegas que prestaram penal não se articularam muito procurando a anulação de alguns quesitos que tinham grande chance de ser anulados ou considerados também.

Agora a sorte foi lançada. Da CESP eu não duvido mais de nada.

Critérios de correção? ha ha ha...

Anônimo,  20 de novembro de 2009 21:13  

2009.60.00.013876-0 - a liminar foi indeferida!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo,  20 de novembro de 2009 21:13  

Caro blogueiro,

Após o resultado da 1ª fase do Exame de Ordem 2009.2, eu, feliz por ter feito 83 pontos, brincava com os amigos:
-O que significa OAB?
A)O A B C D E F...
B)Olha A Brincadeira de criança
C)Olha A Baba

Depois da prova da segunda fase eu descobri que OAB significa CBF.

Max 20 de novembro de 2009 21:20  

Será que algum Advogado já leu o IGNORADO EDITAL??
Anular a PROVA?
Só se anula prova quando houve fraude comprovada.
Em caso de questão mal formulada, este deve ser anulada e convertido os pontos aos candidatos.

Sou um dos que esperam pela anulação da questão, e a aplicação de outra prova não me satisfaz mais.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 21:44  

Vai anular sim... no dia primeiro de abril...

É piada, né?

Anônimo,  20 de novembro de 2009 22:07  

Se anularem, desistam de serem levado a sérios. Vao ficar marcados quem passar nesse exame e q a OAB é tão incompetente qt o MEC.

Anônimo,  20 de novembro de 2009 22:16  

Faz outra 2a fase para todos q não passaram e peçam para dividir por sílabas seus nomes.
Quem conseguir, será aprovado!
Tá bom assim?
Aposto q vai ter gente repetindo e reclamando...

Anônimo,  20 de novembro de 2009 22:31  

Dr. Mauricio, com todo o respeito, eu me lembro muito bem, que logo após a prova, o senhor mesmo foi contra àqueles que fizeram Inquérito, pois segundo o seu entendimento isso não caberia em hipótese alguma.Lembro-me também que todos atiraram pedras pelo seu comentário. Pelo que percebi, o senhor mudou de opinião, por que???. Não foi o doutor mesmo quem disse que não caberia????. Será que estou ficando louca???

Anônimo,  20 de novembro de 2009 22:35  

agora me diz, se anular na PA anula no país todo né?

Anônimo,  20 de novembro de 2009 22:45  

ATÉ QUE ENFIM UMA SECCIONAL COERENTE. PARABÉNS RIO GRANDE DO NORRRRRRRRRRRTEEEEEEEEEEEEE!!!

Anônimo,  20 de novembro de 2009 22:45  

Opinião de quem já viu tudo na vida !!!!!
Acho que o candidato aprovado na primeira fase, caso queira fazer prova do Direto do Trabalho na segunda fase, deve ser aprovado somente pela opção de escolher a área trabalhista. Mas será obrigatoriamente inserido em sua carteira de advogado o slogan: ADVOGADO TRABALHISTA. Fiz na segunda fase Direito Tributário, passei, não estava nada fácil. No cursinho que preparatório que fiz, tinha apenas cinco alunos na área de Direito Tributário, eu e mais quatro, todos foram aprovados, não perdíamos um minuto de aula. De forma diferente, a sala dos alunos da área trabalhista, era um auditório com trezentos e cinqüenta alunos, mas, a metade destes, não freqüentavam as aulas, ficavam na lanchonete ou na sala de internet do curso, e diziam saber "decór e saltiado" as três possíveis peças de direito do trabalho na segunda.
Porque será que a maioria dos bacharéis fazem a segunda fase na área trabalhista ??????
Porque a certeza da peça e da aprovação antes da prova ????
O CESPE, escureceu um pouquinho o quarto, mudou o piniquinho de lado da cama, e pouquíssimos conseguiram mijar dentro do piniquim !!!!
"Consignação em Pagamento, esta foi a mudança de lado do piniquim do CESPE. Cursinhos preparatórios, alunos, alunas, concurseiros da área trabalhista, jamais poderiam prever que, o CESPE ousaria a tanto, agora já foi, se preparem, e levem mais a sério a próxima prova.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 00:02  

Um absurdo anular a prova!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 00:17  

Se eles acham isso da prova, quem sou eu para contrariar?? Se dizem que a onça é pintada, é porque pintas ela tem!!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 01:09  

Saudações estimados alunos e alunas, que estão na luta pela aprovação no exame da suprema oAB, quero compartilhar com todos que tentam desqualificar os que foram aprovados na 1ª fase que de quase 70 mil estudantes, aproximadamente 28 mil passaram. A prova de segunda fase é referente a prática profissional e não de presságios. As seccionais são soberanas em suas decisões. Quando os estudantes comentem erros, têm suas pontuações diminuídas, seria correto e justo que se a prova apresenta indícios e materialidade de equívocos quanto a elaboração, e gerando discussões de mestres do direito do trabalho, não é coerente justificar a incapacidade de estudantes que foram aprovados na primeira fase e por enquanto ainda não passaram na segunda. Não há quem não cometa erros. A oAB não é isenta disso. Pensem nesse número R$ 6.750.000. É um número grande, cometer erros como diz um dos conselheiros da oab DF, que os estudantes que não passaram é porque não tiveram capacidade. Ok. Justiça será feita. Podem aguardar. Haverá em um futuro bem próximo uma CPI sobre o oculto da oAB.

Kleber São Paulo.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 02:08  

Caros Amigos Operadores do Direito, venho acompanhando atentamente toda problematica em torno do exame de ordem 2009.2.
Tenho duas observações a fazer:
Primeiramente temos que considerar que realmente a prova pratica-profissional foi mal formulada,como inumeras outras questões objetivas, creio que todos os candidatos devem manter a prudencia e interpor seus recursos protegendo cada interesse individual.
Em segunda analise creio que uma anulação seria algo lamentavel, vez que inumeros candidatos realmente erraram a peça, alguns ate deixaram em branco,temos que lembrar que outros colegas acertaram a peça !!
O mais correto seria a analise recursal das peças ora questionadas, pois um efeito erga omnes benefeciaria ate aqueles candidatos que ao menos se deram ao trabalho de correr atras dos seus direitos!
Muitos candidatos estão aproveitando o "oba oba" para lograr uma aprovação, e isso de fato é uma postura reprovavel.
Esses mesmos candidatos ao menos irão recorrer pois suas questões e peças ficaram tão mal feitas que não teriam o que argumentar.
Candidatos que protegem seus direitos! Façam os seus recursos, tenham o pé no chão, esperteza só atrapalha o processo democratico.
Abraços
Danilo Fraterno

Anônimo,  21 de novembro de 2009 08:48  

Que absurdo!!!!. Aprovar todo mundo, como assim???. Espero, que a OAB/CESPE sejam firmes em suas decisões, espero que haja respeito com aqueles que lograram êxito, pois estudamnos muito para chegar até aqui.

Carol 21 de novembro de 2009 08:54  

O ENGRAÇADO NESSA PROVA É QUE SÓ PASSOU QUEM ERROU A PEÇA...E CASO REALMENTE O CESPE TIVESSE COLOCADO OGABARITO CERTO, AI TERÍAMOS A JUSTIÇA, ISTO É: 5% DE REPROVAÇÃO NA SEGUNDA FASE, OU MELHOR: QUEM FEZ RT E ACP SERIAM OS REPROVADOS, SEM DIRETITO A RECURSO...

Anônimo,  21 de novembro de 2009 09:49  

CONCORDO PLENAMENTE COM O POSICIONAMENTO DA MANIFESTAÇÃO DO COLEGA ACIMA. Assim como teve muiitos candidatos reprovados que foram injustiçados tem muitos que seriam beneficiados por uma anulação da prova --- imagina um candidato que tirou 1 ou 2 com a anulação da peça estaria passado com a anulação da prova nem se fala....Eles devem corrigir todos recursos mas com uma análise muito melhor levando em conta a má elaboração da prova. Que sejam reprovados aqueles que realmente deixaram a questão em branco ou pasmem - houve candidato que elaborou um PARECER JURÍDICO!!!!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 11:41  

Concordo que muitas pessoas, que talvez não merecessem a aprovaçao, serão beneficiadas com uma futura anulação da peça. No entanto, também pensava que seria melhor acatar as possíveis peças e corrigi-las da forma adequada. Ocorre que, após melhor reflexão, percebi que os prejuízos ocasionados por uma questão mal formulada são mais amplos do que poderia se imaginar. No meu caso, p.ex, fiz um inquérito c/c a consignação e, mesmo assim, fiquei por 0,2 décimos (embora a correção tenha sido bizarra). Todavia, se não tivesse ficado 1h30min decidindo se faria apenas a consignaçao ou cumulava com o inquérito, certamente não teria perdido preciosos pontos na soluçao das questões (fiz em 1hora e pouco)... O que quero dizer é que é difícil mensurar os efeitos negativos de uma questão mal formulada. Logo, por uma questão de justiça, faz-se imperiosa a anulação da peça, tão-somente.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 13:09  

Alguém pode me dar uma luz?
O pleito dos manifestantes é pela anulação da PROVA ou da PEÇA?
O problema está na PEÇA não vejo porque anular a prova toda.
Pelo que vejo nas manifestações da OAB dizem sempre anulação da PROVA, o que não concordo. Se for anular que anulem a questão que esta mal formulada e não toda a prova.
Não vejo a hora dessa bagunça terminar, não aguento mais ficar nesta angustia.
Passei mas até agora não comemorei, não sei o que vai virar esse exame.
Pelo que ando vendo qualquer decisão da OAB, mesmo que absurda, é possível neste exame.

Tenho amigos que prestarão o próximo exame, tomara que não tenham que passar por essa TORTURA.

No fundo mesmo gostaria que a OAB coloque fim no contrato com a CESPE.

Boa sorte a todos e que Deus ilumine a cabeça de quem vai decidir nosso futuro (já que o deles já está garantido)!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 13:44  

Dr. Maurício
Eu acho uma incoerência zerarem uma RT por falta do pedido de consignação(mas é lógico, o raciocínio de quem fez RT foi diferente)desconsiderando toda linha de raciocíonio, Quem fez RT c/c ACP, fez porque ficou em "cima do muro", e muitos dos que fizeram ACP não consignaram, não visualizaram a ausência de mora do Reclamante... e agora...
(alguns)estão aí... cheios de si combatendo veementemente, segurança que outrora lhes faltava...

É UMA INCOERÊNCIA.
SERÁ QUE É MELHOR INVESTIR NA INCOERÊNCIA???(PARECE QUE SIM) OU INVESTIR NO QUE SE ACREDITA???

Peço perdão pelo desabafo...

Anônimo,  21 de novembro de 2009 13:52  

Qual o medo de anular a peça trabalhista? Qual é?
E se tiver questões deste nível que anule também! É assim que se cresce, que acerta, que ganha respeito, reconhecendo que errou.
O CESPE é competente para aplicar a prova e tem que rever seus conceitos e reconhecer o que já está claro que eles erraram principalmente na prova trabalhista.
Os alunos não têm culpa nenhuma. Alguém pensa o contrário? Tá de brincadeira.
Os grandes movimentos nascem das massas, dos operários e das pequenas classes oprimidas por seus opressores, geralmente quem tem o poder comete seus excessos.
Espero que a OAB seja justa e dê o que é de direito que é a anulação da peça trabalhista.
A OAB tem que ter uma decisão firme sim, não queremos outra posição, mas com JUSTIÇA...e que aprendam com esse exame que foi uma negação a prova de trabalho.
Que seja ouvido o grito dos bacharéis que clama por justiça que é o que levaremos pra toda a vida.
Queremos também que seja aplicado o edital. Nada de inventar nada.
Ah! Será porque a cada exame a OAB rasga um edital?
Será porque outras profissões não aderiram a tal exame?
FAÇA JUSTICA OAB e entrará para os anais da história ou terão conseqüências que jamais se apagam.

QUEREMOS RESPEITO.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 13:54  

SERÁ QUE É TÃO FEIO RECONHECER QUE ERROU!!!
EU ACHO QUE NÃO...
JUSTIÇA

NA PRÁTICA VEREMOS...BOA SORTE A TODOS.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 14:59  

Aluna laureada também erra...como dizem: "errar é humano".
O fato dela ser tida como uma excelente aluna não significa que isso será concretizado, é só uma promessa, por exemplo, ela pode ter ficado nervosa no dia. Tenho uma amiga que não fez a prova, ficou ansiosa, a pressão baixou, teve que ir pro serviço médico e não fez a prova, infelizmente.
Também conheço muitos alunos "nota 10" que não foram aprovados, inclusive em outras disciplinas.
A prova pode ter tido uma redação complicada, confusa, mas na vida prática de um advogado não há dúvidas que deveria ser feita uma ação de consignação em pagamento.

junior 21 de novembro de 2009 15:32  

Todas a seccionais estavm defendendo a anulação devido a eleição quero ver agora.
Anular uma prova facil dessa é realmente incentivar a decadência e baixar o nivel do tipo de advogado que a sociedade deseja.
A melhor alternativa é estudar e não ficar acreditando nos palpites dos cursos preparatorios

Anônimo,  21 de novembro de 2009 16:19  

Estimados estudantes e outros quase advogados, uma das expressões que aprendemos há séculos é que povo dividido é facilmente dominado, é isso que estou vendo em vários argumentos, alunos insatisfeitos em sua maioria não com a prova da cespe e sim como foi feita a prova. Quanto a escolha, não importa a área, somos e seremos advogados independente da escolha, fiz opção pela área do trabalho, pq gosto e na sala que estudava, os alunos estavam lá, seja pela manhã, tarde e noite, faziamos peças e enviavamos para que fossem corrigidas. Aos colegas que preferiram outras áreas, louvável não nos tornamos melhores por escolhermos área A, B ou C. Entendam a primeira fase demonstra que estudamos, não menosprezem os colegas que não tiveram êxito na segunda fase, a prova deve ser justa, compreensível. Na oAB, não vale o princípio da fungibilidade, todos sabemos disso. Acertei a peça de trabalho porque não havia outra que poderia evitar a mora, coloquei ACP, mas levei quase que 4 horas, pois fiz também, um IJ, e RT com CP, e resolvi apostar na ACP, mas fiquei com 3,5, mas vejam não tive como fazer todas as questões, fiz 3 das 5, e tirei 0,3, 0,2 e 0,4 por isso não passei. Não sou melhor do que os que não fizeram ACP e nem pior dos que os colegas que passaram. Não estou questionando o mérito de cada um. Não tenho como defender a CESPE ou a OAB, o erro é confirmado até pelos estudantes que passaram, vejam as médias no geral, chuva de 6 e 7. Média não torna um estudante melhor do que o outro e nem dá o direito de afirmar que os outros são incompetentes. Não lutamos contra nós mesmos, há pouco estavamos juntos na luta pela aprovação nas salas de aula, seja na primeira fase ou na segunda. Não entrei com recurso. Acredito que a justiça sempre é feita, não importa o tempo, ela será feita. Não é correto que o foco seja nossa aprovação ou reprovação essa é a forma errada de discussão. O verdadeiro foco é a prova com a peça possibilitando 3 variações, sendo apenas uma aceita. Quanto as questões a primeira e a segunda contraditórias até no TST. Quanto a 5 questão, usei o CPC em seu art.365 IV (alterado pela Lei. 11.382/2006), dando o direito do advogado realizar o que o texto solicitava. Não levaram em consideração, deram um zero.
Aos que passaram sejam felizes, aos que não passaram cabe aguardar a justiça, garanto a cada um de vocês. Essa será feita. Força e Fé, amor para o que der e vier. O foco não somos nós, e sim a elaboração da peça e das questões. A oAB e a Cespe, não são perfeitas. O erro é um risco. Não adianta colocar o erro nas costas dos estudantes, isso é inaceitável. Somos competentes, nada nos diferencia dos que fizeram 40, 49 e não passaram na primeira fase, e dos que fizeram 60, 70 ou 80 e não passaram na segunda fase. Os que passaram acertando 50-55 não são melhores do que ninguém. Amigos, acreditem, a justiça será feita, lembrem-se NÃO ESTAMOS DORMINDO EM LENINGRADO. Estamos bem acordados. Kléber Souza. SP

Anônimo,  21 de novembro de 2009 16:32  

PREZADOS BACHAREIS,

VÃO ESTUDAR POR AMOR DE DEUS PARA O PRÓXIMO EXAME!!!

ESSE É O CONSELHO QUE EU DOU, ESTUDAR, ESTUDAR, ESTUDAR!!!

TEMOS QUE APROVEITA OS ERROS PARA AMADURER NA VIDA, E O TROPEÇO DE VOCÊS NESSE EXAME VAI DEIXAR VOCÊS MAIS MADUROS PARA ENFRENTAR OUTROS EXAMES E CONSEGUIREM APROVAÇÃO POR MÉRITO E NÃO POR ZUADA.

PENSEN NISSO!!!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 16:42  

Será que a OAB/CESPE irão mesmo anular a prova??? não pq só vai mudar o pólo ativo do MS...agora serão os bacharéis acprovados pleiteando a sua aprovação e mais um pouquinho....DANOS MORAIS !!! Aliás a peça consta no edital o que não consta é o IJ...imagine este pessoal advogando, coitado de seus clientes...POR FAVOR É CLARO QUE NÃO SERÁ ANULADA PROVA ALGUMA...DPÉ NO CHÃO QUE A PROVA 2009.3 TÁ AÍ, E TEM MAIS...ESTE TIPO DE PESSOA SEMPRE QUE ERRAR VAI QUERER COLOCAR A CULPA EM ALGUÉM, É MELHOR ASSUMIR LOGO...EU ERREI E TENHO QUE FAZER NOVAMENTE !!! BOA SORTE

Anônimo,  21 de novembro de 2009 16:55  

vamos anular a peça trabalhista

melhor

vamos passar os quase 10 mil alunos que não foram aprovados

que jogam a culpa na cespe, por falta de competencia

eu passei, mesmo com muito erros e pq vc não, kd a isonomia??? pq pra mim tbem não foi facil, agora querem ganhar a aprovação no grito...

Bobagemmmmmmmmmmmm


que a justiça seja feita....

Anônimo,  21 de novembro de 2009 19:27  

AS PROVAS NÃO SERÃO ANULADAS POR UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA!

QUEM PASSOU NÃO PODE SER PREJUDICADO. A OAB PROTEJE A CONSTITUIÇÃO!!!

Meu nome é AÉCIO DE CASTRO BARBOSA

Anônimo,  21 de novembro de 2009 19:57  

Caros alunos que acreditam que algo de diferente do que acontece com nossa política, finalizações de cpi's, investigações criminais, devolução de verbas públicas utilizadas para fins próprios. Não creiam que a OAB/CESPE modificará o resultado, jamais assumirá tal afronta a sua bela imagem. Aos que não recordam, se for para anular peça, já ocorreu em direito penal a oab já anulou, quando a fraude, nunca ocorreria esse procedimento na CESPE, ela é blindada, não comete falhas, só não justificou o que deu no jornal nacional, sobre venda de gabaritos por funcionários da própria cespe. Mas isso não é para os candidatos da oAb. Nunca mesmo ocorrerá. Meus nobres amigos, acreditem não há esperança, se não passaram, é bom iniciar os estudos. Não precisaremos mais de livros, só a CLT, nada de comentários. Cada vez melhor. Na prática ninguém usa livros para fundamentar suas peças. Santa oAB, vcs são perfeitos, juntamente com a CESPE são simplesmente perfeitas. Estou torcendo por essa dupla. Não erraram, os que erraram são os professores de cursinhos, ensinando de forma diferenciada, iludindo os alunos com falsas esperanças, essas que colocam estudante contra estudante, uns que passaram com 5,5 arredondaram para 6 outro foram reprovados com a nota 5, muita diferença, ainda tem os que dizem que os que não passaram devem estudar mais. Professores de cursinhos, batam palmas para as seccionais da oAB e para a CESPE, juntos criam novas interpretações, dignas de serem sumuladas pelo STF e TST, estes devem ter bastante cuidado, pois o padrão cespe/oab é a prova de falhas e suas interpretações são o norte para todos os profissionais do direito, sejam eles acadêmicos ou advogados. Estou rindo e muito do desepero de alguns estudantes e escolas preparatórias, na disputa do cabo de guerra, CESPE/OAB do outro lado os reprovados, pensem até os aprovados não tinham certeza da peça, assim como eu tb acertei. Resultado final, O conselho federal da OAB, chamará os presidentes que querem a anulação da prova, dará um puchão de orelha em cada um, e dirá esqueçam disso. São estudantes burros que querem passar. Lembrem-se os reprovados, a prova é em duas etapas, não aceitem o logotipo de burros, já passaram. O que ocorreu, é que não passaram na segunda fase, por terem feito curso preparatório para a oab, se tivessem feito curso de adivinhação estariam na média de aprovação. Só peço a vocês carinhosamente, não se iludam. Nosso país é campeão da impunidade, imoralidade e injustiça. Não tentem recorrer para não chorarem depois. Façam uma procissão em nome da santa oab e do santa CESPE. Nessa prova até Jesus, não entraria com recurso, pois o resultado ele já saberia. Contra o dinheiro e o poder. Basta torcer. No meu caso torço para a oAB/Cespe. Tenho certeza que irei ganhar. A vocês, torço para que briguem entre vocês, a briga diminui a capacidade de mobilização. Aprendam com a oAB/CESPE, a como dá nome ao que não é, a colocarem em dúvida a condição de professores e cursinhos. Haverá uma solução plausível favorável a eles. Esse é o futuro do direito e dos advogados, enrolar com palavras jurídicas. Não chorem, vcs perderão. Vamos lutar juntos, sentar na cadeira e aceitar o resultado, reprovados. Salve, oAB, salve CESPE. A prova de trabalho foi perfeita, nós é que fizemos de forma errada. Não temos o direito de reclamar. O resultado já sabemos. Vcs são frutos de um país assim. Se tentar mudar, seremos os revoltados e sem razão. Vcs selecionam os melhores esse é o dever de vocês. O restante é de párias.

Angelica 21 de novembro de 2009 22:56  

vamos anular a prova... vamos ver se bate novamente Mãe Dinah novamente nos que erraram a ACP, pois sim foi errando que acertaram, contudo, nunca o raio cais duas vezes no mesmo local.

Anônimo,  22 de novembro de 2009 16:24  

Anônimo de 20 de Novembro,14:35, é bom você procurar outra profissão, pois no direito uma questão pode ter inúmeras respostas,sim, e o que prevalece é a resposta bem fundamentada. Cabe apenas uma resposta na prova da primeira fase, inclusive isso o edital já diz, mas na prova subjetiva, como próprio nome já diz, a subjetividade bem fundamentada é que é a resposta correta. Vocês estão querendo de qualquer jeito encontrar chifre em cabeça de cabalo, só que não vão encontrar jamais, creia nisso. Você reprovou, assim como reprovaram milhares de desqualificados.Partam para os estudos que no próximo talvez conseguirão aprovação.

Anônimo,  22 de novembro de 2009 16:25  

13:54, feiomesmo é errar como vocês erraram...kkkkkkkkkkk

Anônimo,  22 de novembro de 2009 16:30  

De uma coisa eu tenho certeza: que fundamentou seu recurso em dubiedade de respostas se ferrou. Quem fez uma peça cujo nome não foi Ação de Consignação, mas fundamentou seu recurso de forma correta e coerente pode se dar bem, mas quem fundamentou só com base na insanidade de que houve dubiedade se deu mal.Alguns vão ser aprovados pelo recurso, mas isso ocorre em todo exame, ou seja, isso não será fruto de pressão, de manifestação ou coisa que o valha, não é nada disso, é apenas o CESPE levar em conta os argumentos do recurso.

Anônimo,  22 de novembro de 2009 18:12  

Acespe numa ignorante forma de achar que o corte seria grande, e pensar que os estudantes de direito são "ANALFABETOS DA LEI", não percebeu que eles tem muita capacidade de resolver qualquer tipo de questão colocada, basta que sejam coerentes e claras, tanto que pleiteiam seus direitos óbvios e garantidos, vale dizer que nunca foi tão polemica uma prova, chegar ao ponto de ser suspensa por decisão judicial, é sinal de que foi erro grotesco que serviu somente para dar dor de cabeça no CESPE, bem diz aquele ditado: "O FEITIÇO VIROU CONTRA O FEITICEIRO"....

Vamos postar e-mails com cópias dos manifestos e decisões judiciais nos e-mails das redações dos principais telejornais do pais, , como disse, tudo que sai no jornal nacional, vira noticia nacional e fecha o serco dos envolvidos, temos que acabar com essa soberania da oab em achar que pode fazer o desfazer como bem entender, não somos crianças, somos pessoas dignas que corre atras de um direito garantido constitucionalmente, agora vem eles querendo acabar com esse direito tirando as doutrinas no exame de ordem, realmente eles não querem mais advogados no mercado, e sim escraviários ganhando misérias nos escritórios de todo país, vale dizer que muitos dos presidentes, diretores, secretários que hoje advogam, não precisaram fazer exame de ordem , pois, em seu tempo não precisavam.
Ai vem eles agora dificultar mais a conquista da carteira da OAB querendo unificar os exames com magistratura, defensoria e mp,.....
ora, se for assim, não vai sr preciso mais aqueles tres anos de pratica para engressar na magistratura bem como no MP, tendo em vista, ter conhecimento suficiente para ingresso no cargo......
uma tremenda palhaçada...
desculpem o desabafo, mais não poderia dar outro nome a tudo isso....

Vamos a luta contra essa barbaridades....
Marcio

Anônimo,  22 de novembro de 2009 19:50  

Digo, afirmo e reafirmo: não vai ter anulação da peça e muito menos da prova coisa nenhuma. Mas nem que a galinha nasça dentes isso acontecerá.

Day 3 de dezembro de 2009 13:01  

É...parece que os nossos coraçoes ficaram do tamanho de uma ervilha....pior ainda,meu temor,é q eu fiz o recurso,mas nao resultou em nada,pois quando fui depositar o valor tinha perdido o prazo e nao me atentei para isso...como muitos minha peça nem foi corrigida,espero em Deus que seja a feita a melhor decisao para todos,para mim parece ser a anulaçao,mas nao sabemos ao certo pelo que decidirão,mas estamos todos ansiosos e nos solidarizando com a angustia de cada um.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP