Notas públicas de seccionais

sábado, 21 de novembro de 2009

NOTA PÚBLICA DA OAB-MS

A Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Mato Grosso do Sul vem a público reafirmar o seu inarredável compromisso a unificação nacional do exame de ordem e apóia incondicionalmente o Conselho Federal no propósito de manter e aperfeiçoar o exame único em todo o país.

A Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Mato Grosso do Sul, ao tempo em que reafirma o seu compromisso com a unificação do exame de ordem, renova sua absoluta confiança no tirocínio dos membros da Coordenação Nacional do Exame de Ordem, da Comissão Nacional do Exame de Ordem e das Comissões Estaduais de Exame de Ordem que, certamente, por terem a atribuição de dirimir questões desta natureza, saberão dar a resposta justa ao pleito dos bacharéis irresignados com a prova de Direito do Trabalho - peça prático-profissional do Exame de Ordem 2009.2.

A Seccional Mato Grosso do Sul deferiu o encaminhamento imediato de todos os pleitos subscritos por bacharéis representantes do Movimento Nacional Prova Prática de Direito do Trabalho OAB 2009.2 para que os órgãos responsáveis dirimam, definitivamente, todas as questões suscitadas, algumas delas graves, como a denúncia de vazamento do gabarito oficial, para que não pairem quaisquer dúvidas sobre a legalidade e transparência da prova.

Campo Grande-MS, 20 de novembro de 2009

Fábio Trad - Presidente da OAB-MS

Fonte: OAB/MS

NOTA OFICIAL SOBRE O EXAME DE ORDEM

Tendo em vista o posicionamento da Coordenação do Exame de Ordem Unificado, comunicando no site institucional do Conselho Federal da OAB, que se reunirá, em Belo Horizonte (MG), no dia 4 de dezembro do corrente ano, para fazer a análise dos recursos da prova prático-profissional – inclusive dos pedidos de anulação da prova – a Seccional Maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil decidiu reavaliar o pedido de anulação em relação a prova de Direito do Trabalho para eventual manifestação prévia à decisão da Coordenação.

Fonte: OAB/MA

De repente, não mais que de repente, a responsabilidade assumida por algumas seccionais vai sendo cuidadosamente repassada para a Comissão Nacional do Exame de Ordem.

É hora de ler nas entrelinhas....

66 comentários:

Adriana,  21 de novembro de 2009 01:52  

Pelo visto vai ficar tudo como está.
Acho que a OAB deve rever com o CESPE a prova, para futuros exames de ordem. Concordo que o exame deve primar pela escolha dos mais preparados, mas com questões mais bem elaboradas, em todas as matérias, não só em direito do trabalho.

André Dantas 21 de novembro de 2009 02:20  

Como diria o grande Cazuza:
"Brasil, mostra a tua cara..."
LAMENTÁVEL...

Anônimo,  21 de novembro de 2009 02:21  

Isso é o que dá uma manifestação cumulada com interesse político de casa seccional.
Como se falou, tudo vai ficar na mesma haja vista a supremacia do Conselho Federal.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 02:53  

Creio que que o poder de interpretação dos colegas quanto ao sentido e à conotação das palavras, de fato, está deixando muito a desejar. Tenham calma, leiam, procurem entender o verdadeiro significado das colocações que o nobre Dr. Maurício tem disponibilizado neste espaço de tão preciosa fonte de informações tem sido para todos os examinandos 2009.2. Se num primeiro momento tínhamos somente a ACP como opção válida pela OAB, agora já temos 5 opções: ACP, RT, Inquérito Para Apuração de Falta Grave, Ação Cautelar e ACP cumulada com Inquérito. Assim, com calma, paciência e sabedoria teremos a tão esperada "resposta justa ao pleito dos bacharéis irresignados com a prova de Direito do Trabalho - peça prático-profissional do Exame de Ordem 2009.2".

Anônimo,  21 de novembro de 2009 04:23  

Pessoal, vcs estão olhando pelo lado negativo, há de se observar que o estado do Maranhão, não apoiava a anulação da peça e agora, passa a dizer que vai reavaliar seu posicionamento, isso quer dizer que as seccionais começam a dar sinais para o conselho federal de seus posicionamentos!

GERALDO MARQUES,  21 de novembro de 2009 05:13  

OAB, eu tenho tanto para te falar, mas com palavras não sei dizer, como é grande, minha decepção, por VOCÊ!!!! Como advogado que sou, peço encarecidamente aos meus futuros companheiros de profissão perdão!!! não sou presidente da instituição, mas reconheço a injustiça causada aos doutores!!!!! Justiça, nunca deixem de lutar por JUSTIÇA!!!
Atenciosamente, Geraldo Marques.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 06:52  

Esta nóticia direciona a comissão do exame de Ordem da OAB, a responsabilidade de analisar e decidir sobre as irregularidades da peça trabalhista do exame 2009.2. Muitas pessoas dizem que tudo terminará em Pizza...será?, não nos esquecemos que caso a decisão seja de incontro aos Direitos dos examinados, será uma ótima oportunidade deles exercitarem o que estudaram por longos 5 anos nos cursos de Direito, pelo que se sabe vastas são os meios de prova admitidos em direito que dão base a satisfação das suas pretensões, e ao direito de ingressar no mercado de trabalho para enfim praticar seu "Oficio", que por sinal é um dos preceitos da nossa CF. Não nos esquecemos que não estamos diante de uma "comunidade,grupo,tribo" que tem tão sómente ideais politicos, e sim de jovens e novos bachareis conhecedores essencialmente do que dispõe o texto Constitucional em vigor, e por certo habilmente saberão utiliza-lá na defesa dos seus direitos...e não custa de mais lembrar que não se afastará da apreciação do poder Judiciario toda lesão ou ameaça a direito.............. "" Isto posto que tudo não acabe em Pizza!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 07:20  

Desde o dia da peça prático-profissional que eu disse que essa história iria longe. Se essas seccionais que se mostravam favoráveis à anulação da PEÇA (não da prova, a menos que houvesse PROVAS concretas de fraude!) se acovardarem como parece ser o que esses comunicados querem dizer, e isso ao final representar o famoso deixa-tudo-do-jeito-que-está, o que vai ocorrer é mais um fato NUNCA antes visto em exames de ordem anteriores, no que se refere à quantidade: uma CHUVA de MS (com GRANDE chance de serem julgados positivamente no mérito).

Será que a essa altura do campeonato ainda existe alguém que tenha dúvida que, de forma clara, sem precisar o examinando inventar ou imaginar fatos não havia, com clareza, NADA a se consignar com os dados mostrados naquele mal-escrito problema da peça prática de Direito do Trabalho?

Essa história ainda não acabou, e se o CESPE e a OAB não consertarem o grande ERRO que cometeram, a única alternativa dos injustiçados será o Judiciário mesmo.

E vocês que foram aprovados ou nem participaram dessa seleção e de vez em quando vêm aqui para destilar mais um pouco de veneno, mandando os examinandos "estudar mais para o próximo que ganham mais", ou outras postagens tão ridículas quanto esta, guardem seus comentários para si. Não queiram aumentar mais ainda a impressão de que são verdadeiros espíritos-de-porco, egoístas ao extremo, e que se passaram na OAB, ainda têm MUITO a aprender como pessoa humana e profissional do Direito.

Boa sorte a todos que permanecem firmes e dispostos a ter seus (justos) pleitos atendidos.

REBECA,  21 de novembro de 2009 07:29  

SERÁ QUE A NOSSA MANIFESTAÇÃO VAI DAR EM PIZZA ? EU NÃO VOU ACREDITAR QUE ESSES COLEGAS DOUTORES DA COMISSÃO DA OAB NACIONAL VÃO SEREM IGUAIS AOS NOSSOS PARLAMENTARES NA CPI, NÃO DA EM NADA. VAMOS ACREDITAR QUE ELES IRÃO TER BOM SENSO E ANALISAR AS REINVINDICAÇÕES DE TODOS OS BACHAREIS DO BRASIL QUE É UMA SÓ: ANULAÇÃO DA PEÇA DE TRABALHO.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 08:27  

Se por acaso eu for aprovado, usarei uma fita preta na lapela do terno na cerimônia de recebimento da carteira.
Será minha maneira de protestar.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 08:28  

Com certeza o cunho é POLITICO DE CADA SECCIONAL. Espero que o Conselho Federal, não prejudique aqueles que lograram êxito, pois se aqui chegamos foi porque tivemos capacidade. Anular a prova seria o fim do Exame de Ordem!!!!. Aliás, pelo andar da carroagem o EXAME está com os seus dias contados!!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 08:44  

"pedidos de anulação da prova" - e não peça. Acho bom quem passou ficar com as barbas de molho nos livros novamente. Pois, ao que parece vem nova prova, ainda com a desculpa de "denúncia de vazamento do gabarito oficial, para que não pairem quaisquer dúvidas sobre a legalidade e transparência da prova..". Mas não desanimem, pois quem passou nesta prova já demostrou que está preparado p/ o que der e vier. Enquanto, os incompetentes, que só decoram o que os professores de cursinhos repassam, vão continuar de fora da lista dos aprovados.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 08:48  

Ora!

O pedido de anulação de algumas seccionais foi motivado pelo interesse político, hava vista a eleição para escolha de novas diretorias.

Acabaram as eleições, não é preciso mais ter nenhum interesse.

Nada será cancelado e quem não passou, resta estudar para 2009.3

Anônimo,  21 de novembro de 2009 08:52  

PESSOAL VEJAM O COMENTÁRIO SOBRE A ANULAÇÃO DA PROVA NO BLOG DO PROFESSOR ALEXANDRE: SITE: blogdoprofessoralexandre.blogspot.com. Este professor é ótimo e sensato!!! Ahhh!!!!. Se todos fossem assim.....

Anônimo,  21 de novembro de 2009 09:05  

Professor, por favor, defenda aqueles que passaram no Exame, o doutor sabe muito bem que não podemos ser prejudicados!!!!. Tome uma posição coerente e ética!!!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 09:36  

A anulação da Peça da prova prático-profissional de Direito do Trabalho vai abrir um ótimo precedente para Ações por parte dos examinados das demais áreas (princípio da isonomia), além do que, habilitará indiscriminadamente aqueles que realmente não possuem condições técnicas para exercer a profissão. A melhor solução a ser tomada é submeter os reprovados a uma nova avaliação, mas somente para aqueles que reprovaram pelo motivo da Peça. Caso contrário, este Exame de Ordem vai ser o mais longo de todos, ou seja, vai durar anos na Justiça.

justiça,  21 de novembro de 2009 09:36  

O repúdio a indignação não é somente de trabalho! Meus caros, vejam tributário que vergonha - um cabimento confuso, cheio de artimanhas para induzir ao erro! Cancelar trabalho por isonomia terá que rever a situação de tributário!!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 09:45  

Isso é verdade a supremacia do CONSELHO FEDERAL é algo fora do comum....Passei no exame, mas também tinha assinado o manifesto e tenho certeza que foi por cauda dele que flexibilizaram a correção das provas (de forma mais justa). Mas certamente o exame está muito aquem de avaliar com veracidade quais candidatos estão aptos a advogas. Primeiramente sabemos que a 1ª fase não avalia nada!! E não tem cabimento ser reprovado na 2ª fase e ter que prestar a 1ª fase novamente --- isso poderia ser revisto urgentemente. Tem que aproveita que irá mudar o Presidente da Secccional e se reunir com a nova Comissão Nacional do Exame da Ordem. E esta pressão sobre os Presidentes das Seccionais está sendo muiito eficiente, mas acho que aqui no Rio Grande do Sul ainda não se reuniram com o Presidente. MAS POR FAVOR NÃO ANULEM A PROVA, APENAS A PEÇA QUE ESTAVA MUITO CONFUSA!
Sucesso e sorte a todos nós!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 09:50  

Como assim???? Já estão tirando o corpo fora????
Não podemos ser prejudicados e pagar pelo erro do CESPE!!!! Kd a JUSTIÇA????

Max 21 de novembro de 2009 10:01  

Não acredito que tudo vá ficar na mesma.
Se estamos pleiteando a "autorização" para defender os direitos alheios em juízo, devemos começar pelos nossos.
Não é uma decisão administrativa que vai fazer com que eu desista.
A prova foi mal elaborada, e a questão da peça profissional deve ser anulada. NÃO A PROVA. A prova foi feita nos moldes previsto no edital.
O que deve ser anulada é a questão, e convertido os respectivos pontos aos candidatos, assim como prevê o edital.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 10:10  

Esse falso apoio era por causa das eleições, agora que passou tchau, tchau, tchau!!!! Os candidatos se iludiram e poucos professores tiveram peito para dizer que não cabia em hipotese alguma IJ. O André Luiz tentou mais uma vez enganar a todos,e conseguio. Melhor da proxima vez ouvir as palavras prudentes e imparciais do Renato Saraiva. Eu fiz LFG e passei e não culparia ninguém caso ocorresse o contrário, mas o André dizer que deu ACP em sala de aula, foi uma tremenda falta de vergonha!!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 10:19  

Certamente, será anulada a peça Trabalhista 2009.2 isso é notório, a justiça tem que prevalecer. Consequentemente, não havendo necessidade de anular totalmente a prova , já que o próprio edital reza que em caso de questão falha, errada serão atribuídos a pontuação a todos os examinandos!

Pensamentos e realidades 21 de novembro de 2009 10:26  

Olá Dr. Maurício e examinandos que, como eu, aguardam a definição de todo esse cenário nebuloso.

No tocante à manifestação da OAB/MA, quinta-feira, dia 17/11, fui até a seccional do MA para protocolizar o meu recurso e aproveitei para conversar com o Dr. Guilherme Zagallo, vice-presidente da OAB/MA.

Em conversa elucidativa, Dr. Zagallo informou-me que houve uma reunião entre os responsáveis diretos pelo exame de ordem na seccional e, após votação interna, ficou decidido que a seccional entende não haver razões para a anulação da prova, mas pensa que, devido à falta de especificação do auxílio-doença concedido no comando da prova, os examinandos que fizeram IJ devem ter suas provas corrigidas.

Destaco que o Dr. Zagallo labuta na área trabalhista há 15 anos, inclusive sendo advogado de sindicatos, razão pela qual afirma ser comum, NA PRÁTICA, a ACP para solucionar casos semelhantes ao apresentado no exame. Contudo, ele ressalvou e foi transparente ao declarar que para evitar qualquer tipo de interpretação equivocada em sede de exame SERIA NECESSÁRIO A ESPECIFICAÇÃO DO AUXÍLIO-DOENÇA CONCEDIDO.

Por termo, ele garantiu que o representante da OAB/MA na reunião do dia 04/12 levará e explanará a decisão de que a seccional maranhense entende ser razoável A ACEITAÇÃO DO IJ COMO PEÇA PARA O PROBLEMA, mas não a anulação da prova.

Pelo exposto, caro examinandos do Maranhão e do Brasil, está clara a decisão da seccional maranhense, contudo, o que não ficou patente foi se, no caso de aceitarem o IJ, se haverá outro espelho para a correção conforme os requisitos de um IJ ou se essa nova aplicação do princípio da fungibilidade deverá seguir os mesmos requisitos de correção atribuídos à ACP.

Destarte, penso que, se houver a aceitação do IJ como medida processual cabível ao caso, necessariamente deverá existir outro espelho de correção, uma vez que os requisitos de um IJ são totalmente diversos de uma ACP. Contudo, se a aceitação de um IJ for embasada nos parâmetros de uma ACP, acredito que o problema do examinando foi parcialmente resolvido já que não terá condição de tirar uma nota superior a 3,20 (somatório dos itens 1, 2.1, 2.2, 2.3 e 3 do espelho de correção), isso no caso de o examinador entender que o examinando merece a nota máxima.

Enfim, de qualquer forma vejo com bons olhos o posicionamento da seccional do MA, pois, faz-me crer que todos os examinandos que OPTARAM por fazer um IJ não foram "asnos" como fazem alusão alguns que têm se manifestado aqui no blog e passaram por terem optado por uma ACP. Agora os sinais de reposicionamento de algumas seccionais podem indicar a transferência de responsabilidade para quem tem prazer de ser arbitrário, e aí...

Certo mesmo é que ante toda essa situação onde não há obscuridade, dubiedade ou dúvida é na ESPERANÇA que cada examinando carrega de ser aplicada a Justiça para quem optou por fazer um IJ, pois, assim como eu, creio que não se sentirão pormenorizados em ingressar na advocacia por "ter feito a peça errada" e sim por ter iniciado a carreira buscando aplicar o que todo advogado deve fazer: JUSTIÇA!

Abraço a todos.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 10:42  

DR MAURICIO...A OAB MA EM UM PRIMEIRO POSICIONAMENTO FOI CONTRARIA A POSSIBILIDADE DE ANULAÇÃO DA PEÇA, NEM O PEDIDO ACEITARAM ENCAMINHAR...AGORA JÁ ENCAMINHARAM...A ANULAÇÃO HJ É UMA POSSIBILIDADE PUBLICA E ADMITIDA.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 10:48  

AO MEU VER A CESPE/OAB JÁ ADMITEM ANULAR A PEÇA, O QUE NO PRINCIPIO ERA INADMISSIVEL, PQ ESSE MOVIMENTO TOMOU FORÇA, GUARDOU PROVAS, E AS CORRECOES SEM ISONOMIA ENTRE OS CANDIDATOS FORAM DEVIDAMENTE COMPROVADOS...A OAB ACEITAR ALGUNS IJ E OUTROS ZERAR JÁ MOSTRA ISSO TB. NA JUSTIÇA EM EVENTUAL MS A VITORIA SERIA CERTA.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 10:52  

Resumindo: A prova não será anulada, nem a peça.
Pessoal, é melhor desencanar, pela via administrativa nada vai mudar, só no judiciário. O ideal é começar a estudar para o próximo exame

GERSON JERONIMO,  21 de novembro de 2009 11:04  

Pelo que vemos todos estão tirando o braço da seringa, ou seja, vontando atraz do que fizeram. Isso é atitude de covardes, atitude de quem não tem palavra, atitude de quem é subserviente. Não vamos desanimar pois neste país ainda tem JUSTIÇA e a anulação da peça trabalhista é questão de se fazer JUSTIÇA. Vamos aborrotar o judiciario de ações contra a OAB e pelo que se vê é algo em torno de 8 mil examinando prejudicados. Vamos a luta, vamos todos do Rio Grande do Norte dia 24 fazer pressão na seccional para a anulação da peça trabalhista. Como já dizia Boris Casoy ISTO É UMA VERGONHA. E acrescento ISTO É COVARDIA VOLTA ATRAZ DO QUE ASSINOU E FALOU. A OSB/MS decepcionou com a atitude do seu presidente Fabio Trad, ô homem fraco. Nós do Nordeste quando tomamos uma atitude a levamos até as ultimas consequencias. GERSON JERONIMO - NATAL/RN

Anônimo,  21 de novembro de 2009 11:46  

Só um aviso: o Conselho Federal não é supremo. Se a CESP não acatar os apelos, cada seccional tem autonomia para reanalisar os argumentos dos examinandos. Portanto, para aqueles que as seccionais vêm se mostrando favorável a anulação, creio que não devem se preocupar, pois as peças serão corrigidas de forma mais justa. E não podemos esquecer que há precedentes nesse sentido. Basta lembrar do exame 2008.3, em que muitos examinando perderam pontos por não pedirem o dano moral na peça de trabalho. Posteriormente, comprovaram que o entendimento era controverno no TST e, ato contínuo, as seccionais "bancaram" a aprovação.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 12:03  

o mais engraçado é o CORPORATIVISMO da entidade que se diz séria nesse país.
kkkkkkkkkk

a OAB é uma piada e reinventa a lei a cada EXAME DE DESORDEM no Brasil.

Esse país é uma vergonha as entidades que deveriam lutar por justiça se fingem de sérias e fazem atos públicos não condizentes com o que é certo

Anônimo,  21 de novembro de 2009 12:14  

Gente, por favor ..eu estou de saco cheio dessa história de anulação, já reprovei nessa prova tambem, sei o que vcs estão passando, mais vamos ser honestos, vcs erraram a peça e pronto, não tiveram na hora racicionio jurídico ficaram limitados a cursinhos desqualificados, agora querem prejudicar quem passou, ou melhor mesmo se não prejudicar, querem passar sem merecer??Se liguem..e vão estudar e não querer sempre darm o famosdo jeitinho brasileiro em tudo..é dificil passar na prova, mais não impossivel, eu tive que estudar muito para passar..me privei de muita coisa na minha vida, então comecem a pensar se vcs estavam preparados realmente ou merecem??

Anônimo,  21 de novembro de 2009 13:10  

As consequências de uma eventual solução "à moda do Congresso Nacional" será desastrosa para imagem da OAB e do CESPE, imaginamos que estas instituições não queiram àquelas Casas de má fama se igualar...imaginamos...do contrário, nada mais será supresa neste País. A OAB-Ordem dos Advogados do Brasil, tem até então com a sociedade Brasileira uma relação de respeito mútuo, conceito admirável, semelhante ao que goza o Ministério Público, não acredito que queiram afundar na vala do Senado e da Câmara Federal.

Francinaldo de Oliveira 21 de novembro de 2009 13:27  

ACREDITO QUE A PROVA DE DIREITO DO TRABALHO NÃO VAI SER ANULADA. POIS NÃO EXISTE DÚVIDA NO CASO PRÁTICO APRESENTADO. VEJAMOS O FINAL DO CASO PRÁTICO: "Preocupada com a rescisão do contrato de trabalho, com a baixa da CTPS, com o pagamento das
parcelas decorrentes e para não incorrer em mora, a empresa procurou profissional da advocacia." GENTE COM ESSE TRECHO (para não incorrer em mora) DA QUESTÃO, FICOU CLARO QUE ERA CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO. É UM ABSULDO ESSE RECLAMAÇÃO DOS BACHARÉIS. VAMOS ESTUDAR MAIS GENTE...

Anônimo,  21 de novembro de 2009 14:39  

NADA PODE E NEM DEVE FICAR NA MESMA MEU CARO ANONIMO.
O MUNDO GIRA, MUDA, AS OPINIÕES MUDAM.
PORQUE A OAB/CESPE NÃO PODE MUDAR?
SE HÁ ERRO TEM QUE MUDAR?
QUE SEJA PRA MELHOR.

A OAB tem a chance de renovar conceitos, princípios éticos e etc.

ESPERO QUE ENXERGUEM ISSO...

O que o CESPE fez foi desumano, não compactuo com essas atitudes...

Anônimo,  21 de novembro de 2009 14:43  

Acredito na anulacaoooooo!!!!!

junior 21 de novembro de 2009 15:26  

No meu entendimento a Cespe passou a fazer a prova trabalhista de verdade, na medida em que deixou de repetir o tipo de peça, fato que já era rotineiro nos outros ramos, o dia dia na vida de advogado é assim ,ou você entra com a peça correta, para não prejudicar o direito do cliente ou sofre as conseguencias.
No meu entendimento essa polêmica é gerada devido a um bocado de filho de juiz e avogados de renome terem sido reprovados no mais é estudar sempre

Anônimo,  21 de novembro de 2009 15:30  

e a decisão do conselho federal será que os reprovados poderão fazer o próximo exame sem prestar a primeira fase...

Renato,  21 de novembro de 2009 16:35  

DIA 4 DE DEZEMBRO TODOS VAMOS NOS REUNIR NO LOCAL DA REUNIÃO E DAR UM BASTA NESSA POUCA VERGONHA!

ANULAÇÃO JÁ! QUESTÃO MAL ELABORADA MERECE SER ANULADA!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 16:48  

COMO SEMPRE, TUDO ACABA EM PIZZA!!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 16:53  

Porque o pessoal que reprovou em 2009.1 por causa do RO não pediu anulação da prova? afinal o CESPE só cobrava RT e CO...PELO AMOR DE DEUS !!! Vamos ser coerentes, a peça consta no edital e o CPC é aplicado subsidiariamente ao Dir. Trabalho...não houve fraude ! que história é esta de anulação??? deve ser por isso q a maioria das Seccionais não estão se manifestando...ISSO É CHORO DE PERDEDOR !!! Prestem atençao, não percam mais seu precioso tempo...a prova 20009.3 já tá aí...estudem mais desta vez.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 17:03  

o jeito e comunicar os fatos a imprensa.

todos os interessados devem contactar a emissoras de TV, so assim eles poderam fazer alguma coisa em favor dos bachareis e anular essa peça de trabalho

Anônimo,  21 de novembro de 2009 18:08  

JÁ VIROU PALHAÇADA!
Galera, se vcs não passaram, paciência, mas inventar que houve fraude...faça-me um favor!!!!!
Antes, apesar de passar no exame, eu vinha militando a favor das pessoas que fizeram as outras peças, terem as mesmas corrigidas, mas agora, sou totalmente contra por causa do OAB-OBA de vocês.
Alguns estão utilizando esse exame como fim eleitoreiro e isso é de uma gravidade descomunal.
MILITO, EM VIRTUDE DA IRRESPONSABILIDADE DA MAIORIA, A FAVOR DA NÃO ANULAÇÃO DO EXAME.
Tem gente aí que, independente da peça que escolheu, não tem qualquer preparo técnico para advogar e está se aproveitando do momento para entrar. NÃO!NÃO!NÃO!
NÃO À ANULAÇÃO!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 19:04  

Certamente a OAB Nacional pressionou suas seccionais para elaborarem essas notas... Das duas uma: ou chamam a responsabilidade para si e anulam a prova OU deixam a bagunça dessa peça processual trabalhista para ser anulada na Justiça. Sei que no MS só um escritório de advocacia já tem mais de 50 bacharéis prejudicados para interpor Mandado de Segurança. Há mobilização em SP e outros estados. O bicho vai pegar, caso não seja anulada a peça processual trabalhista! Abraços,

Anônimo,  21 de novembro de 2009 19:19  

O manifesto pedindo a anulação teve um simples objetivo: INTERESSE POLÍTICO!!!

Está claro que é bem melhor defender a maioria que reprovou do que defender o direito dos apenas 15% que foram aprovados.

SERÁ UMA VERGONHA SE ESSA PROVA FOR ANULADA!!!

ciciliotti 21 de novembro de 2009 20:19  

NÃO VAI FICAR NA MESMA!!!!!!!!!! SE NÃO ANULAREM ISSO VOU QUERER ME NACIONALIZAR EM OUTRO PAÍS!!!!....

Anônimo,  21 de novembro de 2009 22:25  

Agora tá entendido pq de tanta polêmica, uma garota que fez IJ é filha de juiz do Trabalho em Belém e outra de Juiz de Direito. Me admira muito estes ilustres magistrados apoiarem o que não tem fundamentação. Por isso tanta injustiça !!! NÃO A ANULAÇÃO DA PROVA. Bonequinhas do papai VÃO FAZER NOVAMENTE A PROVA DE 2009.3 AGORA É QUESTÃO DE HONRA MESMO.

PASSAR NO TAPETÃO??? QUE ABSURDO.

Anônimo,  21 de novembro de 2009 22:30  

A REALIDADE É A SEGUINTE: OS CURSOS PREPARATÓRIOS NÃO DERAM A PEÇA ACP, EXEMPLO DISTO AQUI EM SÃO PAULO FOI O FAMOSO LFG E OUTROS. OUTRO PROBLEMA FOI A CAMPANHA ELEITORAL QUE OS CANDIDATOS FIZERAM EM CIMA DISTO TUDO. PALHAÇADA!!!!. NÃO VAMOS PERMITIR A ANULAÇÃO DA PROVA, NUNCA!!!, JAMAIS!!!, SE ISTO OCORRER É PREJUDICAR AQUELES QUE PASSARAM, AI SIM A OAB VAI TER UM GRANDE PROBLEMA!!!!. JÁ PENSARAM, QUE ANO QUE VEM É ANO DE ELEIÇÃO NO BRASIL, JÁ QUE O JOGO É POLITICO NÓS QUE PASSAMOS VAMOS PEDIR APOIOS AOS POLITICOS!!!!

Anônimo,  21 de novembro de 2009 22:35  

A PROVA NÃO SERÁ ANULADA...ISSO ABRE PRECEDENTES...O MÁXIMO QUE ELES IRÃO FAZER É CORRIGIR TODOS OS RECURSOS E SE POSSÍVEL APROVAR OS CHORÕES ! FILHOS DE JUÍZES E AFINS...

MAS A VIDA ENSINA, GOSTARIA DE VER A CARA O I. JUIZ MANDANDO A FILHINHA EMENDAR A INICIAL PQ A PEÇA FOI PROPOSTA INADEQUADAMENTE.

Angelica 21 de novembro de 2009 22:50  

kkkkkkkkkk

vamos fazer nova prova...... ou passar os inteligentes que não fizeram o invencionismo na peça prática.... pois os que tem espiritismo acertaram a peça..........

Já vi até ET, porque não o CESPE anular uma questão....

fiz o meu recurso de forma coerente, e tenho a certeza dos pontos que sempre almejei... abraços aos derrotados, que venceram fácil, pois na vida tudo e difícil....

Anônimo,  21 de novembro de 2009 23:00  

querem ganhar no tapetao. Engraçado MS e pra direito liquido e certo, nao sei onde estao encontrando esse direito liquido e certo

Defenestrador defenestrado,  21 de novembro de 2009 23:04  

Cicliotti, seu imbecil!

Não seria naturalizar?

Anônimo,  21 de novembro de 2009 23:38  

Anônimo das 13:27 h, vc deveria se envergonhar do seu comentário, pois a questão fala primeiiro em rescisão do contrato de trabalho; e a única forma de uma empresa rescindir contrato é por meio de inquérito judicial!!! Preciso dizer mais alguma coisa???? Acho q vc precisa entender mais de Direito do Trabalho!

Anônimo,  22 de novembro de 2009 01:33  

Qual o motivo da tal reunião da OAB ser em Minas? Alguém sabe? Será alguma estratégia para se livrar de possíveis protestos, já que naquele Estado não há examinandos prejudicados pela palhaçada do último exame?

GJO 22 de novembro de 2009 07:13  

Com certeza a oab vai reconhecer o erro que foi está peça, anulando e tocando o barco para frente,notório e que em todo o pais existem advogados de renome que afirmam que esta peça está com 1,2,3,4,5 resposta certa,ou seja eu não errei vc não acertou..ANULAÇÃO= JUSTIÇA!!VEJAM O JORNAL TRIBUNA DO NORTE DE NATAL DO DIA 22...

Anônimo,  22 de novembro de 2009 08:12  

O mais triste é que o exame vai virar piada... sem nenhuma credibilidade...
Todos os aprovados terão vergonha dessa situação!

Anônimo,  22 de novembro de 2009 12:11  

Vamos lutar pela anulação apenas da peça e após a análise dos recursos, vamos impetrar um mandado de segurança. Justiça!!!

Anônimo,  22 de novembro de 2009 13:00  

m,deus. misericordia é so o que podemos pedir no momento.eu fiz ij ,todo bonitinho.endereçamento,qualificação,resumo dos fatos,o reconhecimento da estabilidade, fundamentação,depois o cabimento da justa causa por abandono de emprego,o era devido pelo empregador,no caso salda de salario e ferias vencidas se houvesse.do pedido, das provas, requrimentos finas,eo valor da causa.

Anônimo,  22 de novembro de 2009 13:17  

Francinaldo de Oliveira:

Me explica como vc rescindiu o contrato com uma ACP??? Faça-me o favor! não cabia peça alguma pelo enunciado da questão!

Anônimo,  22 de novembro de 2009 13:46  

Repito o que um colega disse acima. Eu tb já reprovei em outra prova e nem por isso pedi anulação. A OAB cada vez mais fará as provas difíceis e cabe a nós ESTUDAR, ESTUDAR E ESTUDAR.
Pensem, pq 15% dos examinandos passou? Pq, assim como eu estudaram. Não ficaram esperando moleza.
Eu fiz a prova de tributário e repito, só cabia uma prova.
Toda e qq outra peça ventilada pelos examinandos, é puro desespero ( o qual até entendo), mas só cabia a anulatória.
Como cheguei a essa conclusão e passei? Estudando e depois d 40 minutos da prova começada eu ter analisado e lido umas 20 vezes a situação-problema. Simples assim.
Estudem para 2009.3 e pronto.

Anônimo,  22 de novembro de 2009 14:53  

Será um absurdo se a OAB se próprio anular. Vcs não percebem q é impossível? Estão fazendo isso de onda, para fingirem respeito e dignidade.
Já rolaram as eleições!

Anônimo,  22 de novembro de 2009 15:17  

Muitos estão falando que a CESPE não irá anular a peça por entender que foi feita de maneira correta.
Contudo, o prórpio espelho fala no cabimento de uma peça única para a situação relatada.
Ora, é uma redundância dizer que cabia uma única peça e em seu espelho admitir duas. Se o enunciado foi feito corretamnete, sem margens de dúvidas para os examinandos, como poderia aceitar tantas outras peças?
Não sou a favor da anulação de nada, mas sim a favor da elaboração de uma nova prova prática limpa e clara, respeitando, obviamente, o direito adquirido do pessoal que logrou êxito.

Anônimo,  22 de novembro de 2009 15:58  

Anônimo 23:38, falar é uma coisa, dizer que é é outra absolutamente diferente. Vocês cairam na "pegadinha" bonitinho. Bem feito, quem mandou não estudarem, quem mandou jogarem com a sorte?

Anônimo,  22 de novembro de 2009 16:06  

não vi noticia referente a oab na tribuna do norte aqui em natal/rn,
poderia me dizer em que seção???



GJO disse...
Com certeza a oab vai reconhecer o erro que foi está peça, anulando e tocando o barco para frente,notório e que em todo o pais existem advogados de renome que afirmam que esta peça está com 1,2,3,4,5 resposta certa,ou seja eu não errei vc não acertou..ANULAÇÃO= JUSTIÇA!!VEJAM O JORNAL TRIBUNA DO NORTE DE NATAL DO DIA 22...

Anônimo,  22 de novembro de 2009 19:24  

A OAB cometeu um erro: foi ter divulgado nota sobre a polêmica (se bem que foram Seccionais que se manifestaram e seccional e nada dá no mesmo). O certo era a OAB virar as costas e nada dizer, até porque o meio correto que o bacharel tem para reclamar contra reprovação é o recurso. Se não existisse a possibilidade de recurso eu até concordaria com as manifestações e a gritaria dos reprovados, mas como existe não vejo nenhuma razão da reclamção fora de hora.E pau neses, OAB! Pau nos desqualificados que eles merecem!!!Querem aprovação estudem pra isso, pois na base do grito não vão conseguir não.

Anônimo,  22 de novembro de 2009 20:46  

Caro Anônimo, quem fez ACP só pediu para consignar as verbas devidas e a liberacão da multa do 477. Esta era a resposta que o gabarito queria, vc não raciocinou assim? pena...faça seu recurso! e na pior das hipóteses boa prova 2009.3. quem sabe em outra matéria??? trabalho não é facim facim NÃO!

Anônimo,  23 de novembro de 2009 16:38  

Nobres colegas, vou narrar um fato para que possam tirar suas conclusões com relação a competencia do CESP para elaborar a prova do exame de ordem. Achei um absurdo, uma arbitrariedade e um desrespeito com o candidato que detem conhecimento e vem sendo prejudicado pela incompetencia do CESP e omissão da OAB. Comentando com um amigo sobre o ocorrido na prova de Direito do Trabalho, questão mal elaborada, omissão de dados relevantes, dubiedade da questão, etc...Ele me falou que ja foi examinador do Cesp, que corrigia prova de direito tributario e narrou que uma vez percebeu que o espelho de uma questão estava equivocado.Então, para dirimir a duvida, ligou para outros amigos, que tbm estavam corrigindo a mesma prova e todos identificaram o equivoco. Logo, ligou para o CESP e falou sobre o equivoco. A resposta do CESP: considere o espelho! Vejam, o espelho estava errado!!! Olha a arbitrariedade, o prejuízo para o candidato que havia respondido corretamente a questão. E que teria que lançar mão de um recurso para ganhar os pontos atinentes a questão que ele tinha respondido corretamente mas, o epelho estava errado. QUE ABSURDO! Então, fica evidente que o CESP, vem cometendo erros e equivocos há muito tempo. Porém, desta vez conseguiu se superar, atingiu um numero extraordinario de examinandos e aí a coisa tomou uma dimensão jamais esperada. CESP fora já, vc não tem competencia para avaliar o conhecimento de bachareis. OAB, acorda, deixa de ser omissa, perversa, cruel. Elabore um exame digno de avaliar o conhecimento dos bachareis.Pare com essa palhaçada de dizer que o intuito do exame é avaliar conhecimento. Sabemos que é puramente uma reserva de mercado. Tomem vergonha na cara com essa!!!Chega de desrespeito, chega de crueldade, chega de palhaçada! Exigimos a anulação da peça, com nota 5 para todos os candidatos, em função da incompetencia do CESP para elaborar prova!!!

Anônimo,  23 de novembro de 2009 21:44  

"Agora tá entendido pq de tanta polêmica, uma garota que fez IJ é filha de juiz do Trabalho em Belém e outra de Juiz de Direito."

O anônimo 22:25, de 21 de
novembro, foi que fez a denúncia acima. Vamos espalhar isso para todos os cantos, inclusive para a OAAB e imprensa, vamos saber se é verdade mesmo. Se for verndade isso é a razão das manifestações dos desqualificados reprovados.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP