Atenção!! Juiz acata pedido de movimento e suspende exame da OAB

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

O juiz da 4ª Vara Federal de Campo Grande, Pedro Pereira dos Santos, acatou o pedido dos bacharéis em direito da área do trabalho e suspendeu o Exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) 2009. Por três dias, a entidade está proibida de homologar o resultado até a análise do pedido de liminar para suspender a prova.

Os bacharéis em direito iniciaram um movimento nacional para anular a peça prática trabalhista da prova da segunda fase do exame nacional, realizada no dia 25 de outubro deste ano. "Com base no poder geral de cautela, determina que as autoridades impetradas abstenham-se de homologar o resultado do exame de ordem 2009.2 até que seja analisado o pedido de liminar, o que será feito após a manifestação dos impetrados", determinou Santos.

Segundo Nilson da Silva Feitosa, 40 anos, o grupo já coletou 1,5 mil assinaturas no País para pedir a anulação da prova de direito do trabalho ou a consideração das três respostas corretas. A mobilização obteve o apoio do presidente da OAB/MS, Fábio Trad, que encaminhou o pedido para cancelar a peça prática trabalhista da prova ao coordenador de negócios na Cespe/Unb, Jake Carvalho do Carmo.

O juiz determinou a notificação da OAB, presidente da Comissão de Estágio e de Exame da OAB/MS para que se manifestem por três dias. Após a manifestação da OAB/MS, o magistrado irá se manifestar sobre o pedido de liminar para suspender a peça de direito do trabalho, feito por aproximadamente 8 mil universitários no País.



Eu não saberia afirmar se a decisão abrange somente os bacharéis da OAB/MS ou se todos os candidatos do Brasil. Peço que alguém mande cópia da decisão para publicá-la aqui no Blog.

55 comentários:

larissa,  18 de novembro de 2009 21:32  

Creio q atinge á todos os que fizeram a OAB.O Juiz FEDERAL POOODE

E qto ao prazo recursal, como ficará?

Anônimo,  18 de novembro de 2009 21:32  

Nooooosssssa - que legal - sabia - Meu Deus tomara - que seja anulada em todo territorio nacional -

Juliana Mian,  18 de novembro de 2009 21:36  

Consulta da Movimentação Número : 3
PROCESSO
2009.60.00.013876-0

Autos com (Conclusão) ao Juiz em 18/11/2009 p/ Despacho/Decisão

S/LIMINAR

*** Sentença/Despacho/Decisão/Ato Ordinátorio

1- Admito a emenda à inicial. Ao SEDI para inclusão do PRESIDENTE DA COMISSÃO DE ESTÁGIO E EXAME DA OAB/MS.2- Com base no poder geral de cautela, determino que as autoridades impetradas abstenham-se de homologar o resultado do exame de ordem 2009.2 até que seja analisado o pedido de liminar, o que será feito após a manifestação dos impetrados.2- Notifiquem-se as autoridades impetradas para que prestem as informações no prazo legal, bem como para que se manifestem sobre o pedido de liminar no prazo de 3 dias.3- Dê-se ciência do feito ao representante judicial da OAB/MS, nos termos do art. 7º, II, da Lei nº 12.016/2009.

Intimação em Secretaria em : 18/11/2009

Anônimo,  18 de novembro de 2009 21:37  

Este Juiz sabe o significado da palavra JUSTIÇA!!!

Thiago Souza,  18 de novembro de 2009 21:37  

Confesso que após ler essa notícia estou procurando ser o mais polido com as palavras, pois a minha vontade mesmo era de xingar todo mundo. Mas vamos aos fatos:

Porque pedir anulação da prova? Só porque a questão, por acaso, aceitava mais de uma interpretação. Se é isso mesmo, então entre com o recurso e prove que o entendimento também é correto. Simples, não?!

Ninguem anula prova só por causa de uma questão mal formulada. Só se anula prova por conta de fraude, ou suspeita real de irregularidades.

Ja pensaram se a justiça obriga a realização de outra prova? Quem passou, como é que fica? vai ter que fazer outra? Que culpa temos se interpretamos da mesma maneira do que a banca? Quem não interpretou e se acha na razão, que corra atras dos seus pontos.

O que eu defendo aqui, é tão somente a manutenção do resultado daqueles que estudaram e lograram êxito, uma vez que não houve fraude.

Espero, sinceramente, que as pessoas que foram injustiçadas obtenham êxito, mas que isso não interfira no resultado daqueles que passaram.

Vocês podem até achar que eu to falando isso porque eu passei. Mas aviso que não sou desse tipo de pessoa. Tanto é que na prova do Ministério da Justiça eu fiz uma nota que me colocava numa situação bem tranquila pra ser chamado, todavia defendi veementemente a anulação da prova, tendo em vistas os acontecimentos.

Sei que nesse meio são poucos que realmente foram injustiçados, ja que a maioria não passa de aproveitadores, uma vez que não tiveram competência de responder a prova. A esse bando de aproveitadores eu só digo que o choro é livre, mas aos que realmente foram injustiçados, fica o meu desejo de que consigam lograr exito.

Anônimo,  18 de novembro de 2009 21:40  

E esse pedido só abrange quem fez trabalho né?? Eu fiz civil e tirei 8. Espero que meu pedido n seja prejudicado.

Anônimo,  18 de novembro de 2009 21:43  

Esta decisão é relacionada somente a prova de direito do trabalho ou ao certame todo?

Anônimo,  18 de novembro de 2009 21:44  

Começa a acreditar na anulação Dr. Maurício?


Engraçado é o povo que passou não querendo que anule, mesmo que seja dando 5 pontos para todos.


Ser humano é fogo.

Anônimo,  18 de novembro de 2009 21:50  

CADÊ O ESPELHO DA PROVA????????????

Anônimo,  18 de novembro de 2009 21:51  

Enfim, alguém justo e destemido. Parabéns a esse juíz.

Anônimo,  18 de novembro de 2009 21:53  

a anulação da prova trabalhista é a decisão mais coerente. Os bacharéis de Sâo Luis do Maranhão estão unidos pela anulação. REAGE BRASIL!!!

Anônimo,  18 de novembro de 2009 21:54  

A noticia do link informado nao esta mais disponivel

Anônimo,  18 de novembro de 2009 21:58  

Professor Mauricio,diante dos faos como ficará a situcao de dos bacharéis que fieram outra área.Sera que esta valendo a pena o pessoal que fe direito tributario e só foi recebida conforme o padrao de resosta a anulatoria de debto fiscal com pedido de antecipacao de tutela nao dando a oportunidade para que fosse analisado ao menos quesitos corretos de quem fez outra peça?
Tambem nao entendo como nas pergunats bem fundaentadas em sua resposta,podem receber zero de raciocinio juridico.Estou tentando ver se aumento minha pontucao nas pergunatas e se consigo amo menos 1,5 na minha peca,pois fiz embargos.Dr.Mauricio,o que devemos fazer?

Manga 18 de novembro de 2009 22:03  

Se for para anular, que faça nova prova somente os que não foram aprovados. Eu passei fazendo dir. do trab. e não tenho a mínima condição psíquica de fazer outra prova...

Luciano 18 de novembro de 2009 22:03  

Finalmente alguém sensato. Uma esperança surge, se um juiz acatou é porque alguma coisa está errada mesmo, não é delírio coletivo.
Espero que eles assumam o seu erro e anulem a questão.
Parabéns Dr. Mauricio pela sua coragem e pelo seu grande senso de justiça, o senhor é que devia estar a frente da OAB....

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:07  

Quanto mais a OAB tenta postergar essa história, mais ela se afunda!

"Não existe resposta certa para pergunta errada!"

ANULAÇÃO JÁ!!!

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:09  

QUERO PARABENIZAR TODOS QUE ESTÃO NESSA LUTA PELA INJUSTIÇA REALIZADA NO DIA 25/10 DA CESPE COM A PROVA TRABALHISTA, INCLUSIVE O SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL QUE SUSPENDEU TODO O RESULTADO. QUE DEUS FAÇA JUSTIÇA.

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:14  

Penso que se a prova é nacional a decisão judicial valerá para todos.
Agora tudo pode acontecer;pelo 'andar da carruagem'essa novela vai longe.
Pepino a ser descascado pela OAB.

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:16  

JUSTIÇAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!
Que Deus abençoe este juiz!!!

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:19  

Neste caso seria apenas anulado a prova trabalhista ou de todas as matérias????

Thiago 18 de novembro de 2009 22:20  

E agora quem passou se ferra será?
Esse povo tem é que estudar mais e largar mão de escolher o caminho mais fácil.

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:21  

Que absurdo!!!!. Não tinha como não ser ACP!!!!

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:24  

Francamente... E quem passou e sofreu tudo o que os outros sofreram??? Somos obrigados a esperar se organizarem para poder tirarmos a nossa carteira??? Estudei, batalhei, passei... E aí??? Tenho que ficar sentada, esperando decidir quando irão liberar minha carteira??? Quem não gostou do resultado que recorra... é o que qualquer profissional faz. Mas é mais fácil pedir anulação, né?

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:34  

E quem foi aprovado?

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:37  

Parece que a poderosa OAB que sempre criticou o nível dos bacharéis e as faculdades está provando do próprio veneno.

De quem é a culpa agora por uma prova tão mal elaborada?

Com certeza dos bacharéis não é. Responderam correto.

O que é padrão de resposta ?

OAB vai colocar a culpa em quem?

Ou, OAB/ CESP vai arrumar um testa de ferro e colocar a culpa nele ?

Só falta eles colocarem a culpa no Lula, MEC, donos dos blogs jurídicos, no Dr° Mauricío..etc

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:42  

Uma luz no fundo do túnel!!!!
Deus lhe abençoe!!!

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:43  

deveria haver uma mobilização geral, por todo esse descaso que estão tendo com a gente, de nos impedir a ver o espelho da prova, pois não ha como recorrer se não sabemos onde e o q erramos.

Anônimo,  18 de novembro de 2009 22:54  

Nesse momento de instabilidade, uma pergunta nao sai da cabeça dos aprovados na prova pratica de trabalho. Em caso de anulação da referida prova, os aprovados tambem terão que realizar novos exames? Por falta de informações, nesse momento so podemos contar com voce. Aguardamos sua posição.

Ioanes 18 de novembro de 2009 23:13  

Bom dia a todos! Pessoal fiquem tramquilos, até parece que vcs não entendem de Leis. Aqueles que foram aprovados não serão penalizados com a anulação da prova, pois sempre que anulam alguma questão todos são beneficiados. É Direito adquirido.

GJO 18 de novembro de 2009 23:23  

O juiz agiu corretamente, a justiça!!!será feita doa em quem doer,a anulação da peça é sem dúvida um pedido justo..5 pontos para todos que fizeram a peça.deus dr.Mauricio e todos que estão a frente deste movimento merecem o nosso respeito,obrigado e boa sorte..pessoal está decisão so afeta quem fez d.trabalho,a ação foi movida pedindo anulação da peça de d.trabalho.

ciciliotti 18 de novembro de 2009 23:24  

queridos que são do contra, vc passou?? vai estourar um champanhe e nos deixe correr atrás do que achamos justo!! se a peça for anulada sua nota subirá...

ou vc quer ser o gostosão que passou na prova dificil? mas de dificil a prova nao teve nada, porque nao cabe peça nenhuma, quem passou teve sorte!!! isso não dá mérito a ninguém!!!!

então seremos justos se a peça for anulada pois quem estava preparado tb rodou na prova por ser precavido....

e outra, vai se informar com seus colegas, mas no brasil todo teve gente que teve a peça corrigida e outros não!!! que critério de correção é essa????

nem os examinadores se decidiram qual corrigir....foi na base da sorte!!! quem se deu bem pegou um examinador gente boa...porque até quesitos que nao tem nada a ver com a peça foram zerados...

isso nao tem o menor cabimento...

eu acho que antes de criticar, vc tem que analisar uma causa como um todo e parar de pensar no proprio umbigo!!!

ninguém foi acometido pelo virus da burrice coletiva, garanto que muita gente inteligente nao passou por "azar"...

nao existe sorte e azar quando vc estuda, esta prova prejudicou o Brasil inteiro...e o sudeste é aonde os presidentes menos apoiam anulação por causa do alto indice de universidades com o curso de advocacia....

essa prova foi para simplesmente barrar e não para medir conhecimento....e pode ter certeza, depois dessa prova estudamos causas até que nem imaginávamos!!!!...rs...

ta tudo muito louco...não tem condição de continuar assim...

ESSA PROVA FOI INJUSTA!!!!!

Anônimo,  18 de novembro de 2009 23:38  

É ISSO MESMO, QUEM PASSOU, PASSOU.....NÃO EXISTE NO EDITAL O CONTRÁRIO!!!!!

AMIGO DE DEUS 19 de novembro de 2009 00:40  

Pra mim a questão foi clara. Em nenhum momento a questão tendeu pro lado do IJ ou do RT. O fato é que, é claro, a banca colocou alguns dados pra tentar confundir. Isso é fato.

Mas seria esse o motivo suficiente pra pedir uma anulação. Que tipo de profissional estamos lidando? Será que alguem aqui acha que todos os clientes que nos procurarem vão contar a história redonda pra gente, sem erros?

Claro que não. ai vai entrar o coerencia juridica de cada profissional. Seria razoável entrar com IJ pra empregado não estável? não é!

e respondendo algum anonimo ai, eu sou daqueles sim que quer poder dizer que passou numa prova dificil. Pra mim seria uma honra dizer que passei nessa prova!! muito melhor do que passar numa prova em que a maioria passou no grito e não na capacidade juridico-intelectual.

Anônimo,  19 de novembro de 2009 00:42  

Felizmente, conseguimos o apoio da Justiça.

Espero que o assunto chegue ao STF. O ideal é que fosse banido esse exame nos moldes em que é aplicado hoje. É TOTALMENTE INCONSTITUCIONAL a vedação imposta pela OAB ao exercício da advocacia sem aprovação nesse exame.
PARABÉNS SENHOR JUIZ! DEUS ABENÇOE A SUA CORAGEM DE FAZER VALER A JUSTIÇA NESSE PAÍS!

Anônimo,  19 de novembro de 2009 00:47  

CONCORDO ATÉ QUE COM A POSSÍVEL ANULAÇÃO DA PEÇA PROCESSUAL, MAS NÃO COM A PROVA, POIS O QUE GEROU DÚVIDAS FOI NA PEÇA E NÃO NAS QUESTÕES.

A ESSA ALTURA ANULAR TODA A PROVA NÃO É FAZER JUSTIÇA E SIM INJUSTIÇA, COM AQUELES QUE FORAM E AINDA SERÃO APROVADOS.

ALEM DO MAIS O PESSO

Anônimo,  19 de novembro de 2009 00:58  

EU ASSINEI O MANIFESTO ODEIO ESTA PROVA ACHO TOTALMENTE INJUSTA A PROVA - NAO FOI COERENTE A TAL ACP. MAS ACERTEI AS 5QUESTÕES E PONTUEI COM TODAS MINHAS CONSIDERAÇÕES DA RT - ESTOU APROVADA!!!! CERTAMENTE NAO FAREMOS A PROVA NOVAMENTE ATÉ PORQUE O EDITAL PREVE QUE AQUELE EXAME NÃO PODE SE REPETIDO. BOM QUE PASSEM TODOS ENTÃO, PELO MENOS NA PROVA.
ENERGIA POSITIVA A TODOS. QUE DEUS NOS ILUMINE.

Jenifer,  19 de novembro de 2009 01:14  

Isso mesmo. Não se pode relaxar neste momento, é preciso juntar forças, pois, todos serão beneficiados.
Diga não à injustiça e à incompetência do CESPE/UnB.
Que vergonha essa proposta de peça trabalhista. Verdade seja dita, só passou quem teve sorte, pois com certeza a maioria estudou e poderia encarar qualquer peça contanto que a proposição fosse bem elaborada.
Que mais juízes se proponham a fazer justiça!
Vamos lutar Pernambuco!!

Anônimo,  19 de novembro de 2009 02:11  

Parabéns Cicilioti!!! falou e disse tudo,

Se em alguns estados não tem presidente de Seccional, em MS tem: DR. Fábio Trad, o 1º a enxergar a "bobagem" que o CESPE, fez... ( e olha que ele não é especialista em D. do Trabalho heim!..rsrs)

Se Nos outros estados não tem Advogado para defender uma boa causa em MS tem, os Bacharéis preparados, e o DR. Oto Nasser (advogado para "Caramba")... obeteve um resultado praticamente impossível em 1 dia!!!

Se nos outros estados não tem Juiz "Cabra macho" p/ peitar quem faz injustiças, seja A CESPe seja a própria OAB, em MS tem!!!

E vaos continuar na luta, é isso ai mesmo,JUSTIÇA SEMPRE!!!

Anônimo,  19 de novembro de 2009 02:29  

"AINDA EXISTEM JUÍZES EM BERLIM" (1745)
Parabéns ao Juiz Federal Pedro Pereira dos Santos, pela sua atitude, quiçá precursora de muitas outras no País afora!!!!!!!!

Anônimo,  19 de novembro de 2009 03:07  

Estimados, não é comum várias seccionais da oab, pedirem anulação da peça de uma prova, se assim o fizeram é que é impossível uma reprovação em massa de muitos estudantes que certamente dedicaram horas de estudos, reinvestiram um capital considerável em livros e em cursos preparatórios, mesmo que mais de 1/6 estudam em universidades redenciadas pela OAB, fazendo provas bimestrais, nas instituições, tendo estágios nas próprias instituições e alguns escritórios renomados. Por motivos ocultos, forças malévolas presentes nos elaboradores das provas não só as referentes ao direito do trabalho, mas em todos os ramos que a soberana CESPE que ganha R$ 250.000,00 para realização de provas por cada seccional para elaborar uma prova com a finalidade de elevar o rendimento anual do que realmente avaliar parte do conhecimento assimilado, pois, como é um exame, tem a finalidade de eliminar, e não avaliar. 5 anos de estudos, cobrados em 5 anos de objetividade e 5 de subjetividade, porém, ocultismo não, isso é demais para os estudantes que se submetem aos exames da oab, a maioria não tem condições de passar se não estudar em cursinhos preparatórios. Deveriamos ser solidários com todos, a lógica do ensino em universidades formam o pensador da ciência do direito com a responsabilidade de aplicar o conhecimento à prática, a CESPE e não a OAB, pois esta não avalia ninguém, cabendo apenas a partilha no lucro e nos interesses que não coadunam com a formação de advogados, já pensaram em uma CPI sobre a OAB, pensem, ficariamos estarrecidos em verificar tantas irregularidades, no qual o exame é apenas uma nesse universo. Somos um grupo de palhaços, na luta pelo êxito que já tivemos em estudar e passarmos em nossas faculdades. Se há algo de errado, que não haja mais credenciamento de cursos de direito. Não somos melhores porque fazemos direito, se há exames que sejam feitos em todas as profissões. Sorte a todos nós. Mas cedo ou mais tarde essa CPI irá acontecer, veremos na condição de advogados o quanto o grito de muitos estudantes estava certo. Parabéns aos elaboradores desse certame 2009.2 que só para exemplificar de quase 19.000 estudantes de São Paulo, só 2.500 foram aprovados, o resto certamente não estudaram, não tem como verificar se havia estudantes da USP e outras famosas em aprovar muitos alunos. Salve CESPE, vocês são maravilhosos em fazer dinheiro, o certame de 2009.3 estaremos lá, e provavelmente deixaremos de reclamar quando essa farça de exame que enriquece cada vez mais vocês. R$ 250.000, exame unificado muito bom.
Fiz ACP, errei a primeira questão, o professor andré do curso lfg, falou que a 1,2 e a 5 são passíveis de anulação, imagine todos termos que comprar o tal código da saraiva que saiu em julho. Se já tinhamos comprado os livros em maio ou junho. Deus conosco e a oab e cespe contra nós. Veremos o resultado

Anônimo,  19 de novembro de 2009 09:20  

Decisão desse tipo de juiz e nada é tudo a mesma coisa. Essa liminar não terá vida longa.

Anônimo,  19 de novembro de 2009 09:41  

21:44, para de ser ingênuo, né? O que mais existe no judiciário é liminar concedida e cassada.

Anônimo,  19 de novembro de 2009 10:03  

Ainda temos juízes justos neste país.
Vamos acreditar que a justiça se fará!!!

Anulação já....

Parabéns Dr. Mauricio por este espaço democrático...saúde

Quero mandar um Salve para o Excelentissimo Juiz, continue assim, justo...

Anônimo,  19 de novembro de 2009 11:03  

O pessoal do tal manifesto está tao cego q nao consegue enxergar as coisas como elas realmente sao.

O juiz não anulou e nem vai anular a prova. Ele apenas suspendeu a homologação enqto nao julga o mérito dos MS. o q, convenhamos, nao tem nenhuma medida prática, afinal a homologação só se dará após o julgamento dos recursos e digulgação do resultado definitivo.

E nenhum presidente de seccional pediu ao CESP anulação da prova, eles sequer têm competência para isso. O que eles fizeram foi apenas encaminhar o pedido do pessoal do manifesto ao CESP.

Acho praticamente impossível a prova ou a questão ser anulada, até pq nao houve problema nenhum na questão da peça.

Os alunos elogiam o presidente q disse q a questao estava errada inclusive afirmando "E olha q ele nem é trabalhista". Por isso mesmo achou q a questao estava mal formulada.

Quem é trabalhista com certeza sabe q só caberia a ACP.

Anônimo,  19 de novembro de 2009 11:15  

NÃO VI NENHUMA OBSCURIDADE NA PROVA, ACHEI SUPER FÁCIL, O PROBLEMA DE VOCES É QUE QUEREM DISCUTIR O INDISCUTÍVEL, PROVA A GENTE FAZ O QUE ESTÁ PEDINDO E PRONTO!!!! TIREI 9... NÃO ACEITAREI JAMAIS REALIZAR OUTRO CERTAME CASO ESTE SEJA CANCELADO!! E QUEM NAO PASSOU, FAÇAM SEUS RECURSOS, NAO FOI ACEITO SEU RECURSO, RECOLHA-SE AO ESTUDO E TENTE NOVAMENTE, FOI O QUE FIZ E LOGREI EXITO!!!

Anônimo,  19 de novembro de 2009 11:40  

Pessoal, o juiz acatou, mas sequer a OAB se manifestou ainda. Esperem para ver o poder da OAB, depois conversamos.

Esta prova não será anulada ! Tenho fé em Deus !

Egoísmo? De forma alguma, mas infelizmente deve ser assim, a OAB não seria insensata de anular, imagina só??? Mandado de segurança daqueles que foram aprovados e aí? qual diferença responder o de quem não obteve êxito ou de quem obteve?

Vinícius Garcia,  19 de novembro de 2009 12:13  

Os Bacharéis da BAHIA também estão de olho! Justiça já!

Anônimo,  19 de novembro de 2009 12:14  

POR FAVOR EXPLIQUEM !!

É A PEÇA OU A PROVA !!!

O QUE SERÁ ANULADA??

EM CADA POST TEM UMA COISA, JUIZ DIZ QUE IRÁ ANALISAR LIMINAR SUSPENDER A PECA, CESPE DIZ Q VAI ANALISAR ANULAÇAO DA PROVA...E AÍ??? AGUÉM QUE TEM ACESSO PODE SE INFORMAR E PASSAR UMA NOTÍCIA CORRETA?

Anônimo,  19 de novembro de 2009 13:29  

Pior de tudo isso é saber que, se anularem a prova e derem 5 pontos pra todo mundo, vamos ter péssimos profissionais soltos por ai!!!
E se virar modinha essa história de anulação, o exame de ordem vai perder seu propósito!
Defendo a prova porque é um meio de livrar as pessoas de advogados incompetentes, que fizeram faculdades UniEsquina e não entendem da prática jurídica. Vocês sabem que isso tem por aí, de montão! Se o cara não consegue contar prazo, nem saber onde ficam as matérias dentro de um código, como vai advogar?
Mas no Brasil é assim mesmo, o que não dá certo, sempre tem alguém pra dar um jeitinho!

Anônimo,  19 de novembro de 2009 13:50  

Precisamos, urgentemente, de um Juiz como o do MS, aqui em SC!!!
Parabéns ao Juiz Federal Pedro Pereira dos Santos!!!

Anônimo,  19 de novembro de 2009 14:18  

deve ser anulada no Brasil inteiro, pois a ilegalidade foi cometida pela Cespe, responsável pela realização do Exame da OAB em todo o território nacional.
N fiz trabalho e sim penal, mas estou c vcs!!!

Anônimo,  19 de novembro de 2009 14:47  

Tenho a minha OAB desde o ano de 2000, fiz minha prova pela Vunesp, já fiz várias provas pelo CESPE, e francamente... saí com a cabeça doendo, as questões são difíceis de entendimento e de interpretações. O que eu tenho a dizer é que só tenho a lamentar a OAB, pelo o que virou essa entidade... que só visa o lucro, um absurdo a taxa cobrada para o exame, e meus caros futuros advogados, mais caro ainda a anuidade, acho que hoje a OAB só visa o lucro e não pensa na vida de cada cidadão q se forma com tamanho sacrifício e q ainda encontra força para lutar nesse meio q hoje não o vejo com admiração, fica as minhas condolências para essa entidade q já teve o seu dia de glória e que hoje está na decadência!

Anônimo,  19 de novembro de 2009 16:56  

Isso é um absurdo!! Eu estudei muito pra passar, ai, quem não estuda faz toda essa confusão e ainda por cima podem me prejudicar, eu, que não tenho nada com isso!!

Anônimo,  19 de novembro de 2009 17:49  

Postado por Pedro.
Me desculpem.
Também, não passei.
Mas estou convencido de que produzi a peça errada.
Não podia ser inquérito para apuração de falta grave.
Parabéns aos que estudaram. A doutrina é clara e fala que é uma consignação.
Para aqueles que tem dúvida basta consultar o livro do Sérgio Pinto Martins: Manual da Justa Causa.
Além do mais, a peça estava no Edital.
Contudo, acho que deveria ser considerado algo para aqueles que apenas nominaram a peça como "reclamação trabalhista", mas deram conotação, nos fundamentos, a uma consignação. (O que, infelizmente, não foi o meu caso).
Com certeza farei recurso, pois a primeira correção não é realizada por advogados. Assim, deixarei que um advogado decida sobre a correção.
Outra, vamos "pegar leve" nos termos aqui postados.
Contudo, irei me prepar para janeiro.
Abraço a todos.

eduardo 9 de dezembro de 2009 22:48  

eu até aceito fazer a prova, já me conformei com essa porcaria, porém não me conformo é com a forma como é aplicada, que não mede conhecimento nenhum, e o preço.
essa prova só serve pra 3 coisas, limitar o acesso dos bachareis de direito a carreira jurídica, a dar muito, mais muito dinheiro pra OAB, porque 150 reais a inscrição pra essa prova é um verdadeiro absurdo, sem falar que leva os recém formados a procurarem os cursinhos preparatórios, para tentar aprovação nesse maldito exame.
Ninguém fiscaliza a OAB, que não é mais uma altarquia, é uma instituição suigeneris, vai se lá saber que merda é essa.
Agora dia 17 de janeiro tem outra prova, que Deus nos ajude!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP