Desdobramentos do pedido de anulação da peça prática trabalhista

quarta-feira, 25 de novembro de 2009


Me reuni hoje de noite (25/11), em Brasília, com José Henrique Azeredo, o mentor do movimento pela anulação da peça prática trabalhista, que mais cedo se reuniu com o presidente da OAB, Cezar Britto.

Ele me relatou o progresso do seu trabalho e do movimento, além das expectativas em torno do que pode acontecer de agora em diante.

O movimento tem hoje a simpatia de 7 presidentes de seccionais, todos aceitando a anulação da peça prático-profissional da prova trabalhista (só da peça, ninguém cogita em anular a prova).

De toda forma, o colegiado, formado pelos presidentes da Comissões de Exame de Ordem de cada seccional, encontra-se dividido, e o que ocorrerá no dia 4/12 ainda é uma grande incógnita.

Reproduzo aqui um resumo da reunião elaborado pelo próprio José Henrique, com os detalhes do que foi debatido:

1 – Com relação aos examinandos aprovados, nos foi dada a CERTEZA de que prejudicá-los é impossível. Ou seja, quem passou já é advogado e pode ficar tranquilo;

2 – Com relação à anulação da peça, o presidente foi enfático de que não seria empecilho algum para a OAB anular tal questão, em que pese uma aprovação em massa, até porque caso similar já ocorreu no Exame de Ordem (não CESPE);

3 – No entanto tal posicionamento não pôde ser dado como garantia certa, uma vez que ele como presidente nacional não tem autonomia para interceder no colegiado de presidentes de comissões, mas a questão será amplamente discutida pelos presidentes respectivos;

4 – Por outro lado, o presidente da OAB/RN, e ainda o presidente da comissão de exame do RN (presentes no encontro), externaram total apoio na reunião no sentido de defender a solução mais justa para nós (anulação da peça), independente de outras conseqüências;

5 – Uma outra solução que foi abordada foi a distribuição da pontuação de quesitos da peça, que teoricamente seriam anulados frente a aplicação de uma RT ou IJ. Nesse caso, tais pontos seriam remanejados à outros quesitos (da peça) que pudessem ser analisados, tais como “raciocínio jurídico”, “estrutura textual”, “fundamentação da justa causa”, “notificação”.

6 – Caso fosse adotada esta última hipótese, ficou claro que novos gabaritos teriam que ser adotados, e, consequentemente, após esta avaliação, novos prazos para recurso seriam abertos;

7 – Protocolamos junto ao presidente as mesmas razões de nulidades encaminhadas na última sexta-feira aos presidentes de comissões de exame;

8 – Por fim, o presidente autorizou nossa participação na reunião em Belo Horizonte para que nos fosse dada a oportunidade de fazer uma sustentação oral. No entanto, tal autorização precisa ainda ser apreciada pelo coordenador nacional do exame, Dr. Dilson, de Sergipe, para o qual protocolaremos a respectiva solicitação.

É certo que a polêmica em torno da prova é do conhecimento de todos da OAB. Não é possível projetar futuras conseqüências, mas a mobilização, até agora, efetivamente consegui prender a atenção da alta cúpula da OAB Federal.

118 comentários:

Anônimo,  26 de novembro de 2009 00:38  

DR. MAURICIO
sou sua fã..gostaria muito de conhece-lo pessoalmente.
entretanto acredito que a cespe e a oab não vão se desdobrar a isso tudo...seria humilhação demais (visão deles)...porque na realidade seria feito JUSTIÇA.
parabens tambem ao azeredo porque mostrou ter coragem e não ser um covarde como tantos que nesse blog tem demonstrado ser.
ACREDITO EM DEUS ACIMA DE TUDO
JUSTIÇA SEJA FEITA

Anônimo,  26 de novembro de 2009 00:39  

COmo isso vai acabar!?Tivemos problemas tb em direito tributario....

nat,  26 de novembro de 2009 00:45  

Parabéns pelo trabalho José Henrique.

Você vai ser compensado por tudo que tem feito.

Não tenho dúvidas de que serás um excelente profissional.

És motivo de orgulho!

Boa sorte na sua vida!

Que Jesus te abençoe sempre.

Parabéns pelo post Dr. Maurício.

Maristela Wendt,  26 de novembro de 2009 00:56  

Grandes notícias. Que tudo se encaminhe rumo à anulação da peça trabalhista, caminho mais lógico juridicamente. Parabéns ao empenho de José Henrique e a tudo o que está sendo divulgado - precursoramente - no seu site, Dr. Maurício.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 01:07  

Dr. Maurício, muito obrigada por todo empenho. Tenha certeza de que muita gente, mas muita gente mesmo, acompanha o blog diariamente e estamos confiantes de que todos os esforços serão recompensados!!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 01:14  

A anulação seria a única maneira de reparar essa lamentável injustiça com quem se preparou intensivamente para esse Exame.

Confiamos no bom senso da OAB Nacional. Esperamos, sinceramente, que eles não se contaminem pelo ideal de reprovação em massa a qualquer custo.

sylne 26 de novembro de 2009 01:34  

Parabéns meninos!!!

Mostraram que esse país ainda tem jeito!!!Fico Feliz de ver que a OAB ainda é a instituição que grita frente ás injustiças,(mesmo que para isso alguém precise abrir os olhos dela...) pois já estava descrente da mesma!
Dr. Maurício, muito obrigada pelo espaço e pelo apoio aos bacharéis, aos advogados, emfim... és realmente um "grande" homem! daqueles raros nesse nosso Brasil!
José Henrique, parabéns pelo progresso nessa batalha, mostrou que realmente mereces o título de Lider!
Obrigada mesmo, aos dois! E o que precisarem de Mato Grosso do Sul, contem conosco!
Abraços.
Sylne

Anônimo,  26 de novembro de 2009 01:49  

Se a peça será anulada não podemos ter certeza, mas de uma coisa não há dúvidas, o JH e o Dr. Maurício já provaram pra todo o Brasil que ainda existem pessoas que lutam por fazer justiça independentemente das consequencias dessa luta. São um exemplo pra todos nós, não tiveram medo de mostrar a cara e emitir suas opiniões. O Brasil precisa de gente assim no comando! Valeu JH e Dr. Maurício.

Ioanes 26 de novembro de 2009 02:16  

Creio que o mais correto seria a aplicação de uma nova prova prática para os candidatos reprovados, assim ninguém poderia alegar vantagem alguma com respeito aos outros aprovados.

Max 26 de novembro de 2009 02:32  

Estão todos de parabéns pelo esforço empregado. Se não fosse o movimento, talvez a anulação da questão não passaria de um sonho distante.
Realmente conseguiram prender a atenção do Conselho Federal, e torço para que seja tomada a decisão mais justa.

Fábio Abrahão 26 de novembro de 2009 03:01  

Dr. Maurício, meus parabéns pela iniciativa e pelo já alcançado.

Eu, como examinando (da área penal), tenho seu blog como referência desde antes da primeira fase.

Agora, com tal ato, mais do que meu respeito, tens minha consideração.


Mais uma vez, meus parabéns, e mantenha sempre o ótimo trabalho!

Precisando de algo, estamos aí!
Basta solicitar!


Um grande abraço!

Fábio Abrahão 26 de novembro de 2009 03:01  

Dr. Maurício, meus parabéns pela iniciativa e pelo já alcançado.

Eu, como examinando (da área penal), tenho seu blog como referência desde antes da primeira fase.

Agora, com tal ato, mais do que meu respeito, tens minha consideração.


Mais uma vez, meus parabéns, e mantenha sempre o ótimo trabalho!

Precisando de algo, estamos aí!
Basta solicitar!


Um grande abraço!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 06:44  

Dr Maurício, e apartir do momento que "aceitam outras peças", "criam novos gabaritos" estão ferindo frontalmente o disposto no edital, que só permite a consideração de mais uma peça, em caso de fungibilidade, sem se falar que no ponto de vista tecnico-jurídico não há fungibilidade entre ACP e Inquérito judicial para apuração de falta grave, eles estão abrindo margem para a ANULAÇÂO DA PEÇA.

Carol 26 de novembro de 2009 07:24  

Valeu JH, você está nos ajudando muito, ao Dr. Mauricio, sinceros agradecimentos pelo seu trabalho em nossa defesa nesse belo blog.
Quanto a correção de outras peças com divulgação de novos gabaritos, acho que o CESPE/OAB estão atordoados, visto que isso fatalmente levaria a anulação da peça e a um cem numero de demandas judiciais contra ambos.
O lógico da coisa, é que, já no resultado final, pós recurso, eles incluam as pessoas que recorreram na relação de aprovados, encerrando assim essa celeuma.

Fernanda 26 de novembro de 2009 07:42  

A justiça tem quer ser feita!
Parabéns pela iniciativa de divulgação de informações importantes.

REBECA,  26 de novembro de 2009 07:52  

COM TODO MEU RESPEITO PARABENIZO O BACHAREL HENRIQUE, VOCÊ MERECE LOGRAR EXITO NESSA CAMINHADA, PORQUE VOCÊ ESTÁ LUTANDO POR NOSSOS DIREITOS, MESMO QUE EU NÃO CONSIGA MAIS TIRO O CHAPÉU POR VOCÊ. SERÁS UM GRANDE ADVOGADO, VOCÊ SERÁ DAQUELES QUE VAI LONGE NAS DISCUSSÕES PARA DEFENDER O QUE ACHA CERTO NO SEU PONTO DE VISTA.
DR. MAURICIO TAMBÉM QUE ESTA SENDO NOSSO ALIADO.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 08:00  

A OAB é uma institução séria, as medidas que serão tomadas serão justas, não há como ser diferente, seria fugir do seu papel previsto no próprio Código de Ética.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 08:11  

"...e quando um dia perguntarem qual foi a minha maior causa, responderei com orgulho: Foi a minha. A minha própria causa!"

leohagar 26 de novembro de 2009 08:14  

Pessoal,

Seria de extrema importância a união dos líderes da área trabalhista com a de Tributário, pois tivemos sérios problemas também...pedimos que entrem em contato leohagar@yahoo.com.br

Anônimo,  26 de novembro de 2009 08:36  

DR. Maurício,
MUUUUUUUUUITÍSSIMO obrigado pelo apoio que tens dado aos bacharéis de todo o Brasil e de ao lado de pessoas como o DR. JH lutar por nós estagiários por pedido de justiça! Por nos manter atualizados com suas notícias acerca de todos os assuntos relevantes na área em que escolhemos, enfim, pelo seu trabalho...
PARABÉNS a este homem de coragem, e que emite o que pensa sem medo (e também porque haveria de ter), pois ninguém deve ter medo de ser justo, honesto e de emitir sua opinião à procura do que é certo...
Medo deveríamos ter de ser covardes e injustos com os mais fracos...e já foi mais que provado que se os fracos se unirem, fortes se tornarão.
Obrigada mais uma vez...
obs: a propósito Dr Maurício, qual foi o desenrolar da história da liminar do Mato Grosso que suspendeu a homologação da OAB até que ela se manifestasse no prazo de 3 dias?

Anônimo,  26 de novembro de 2009 08:55  

Essa possibilidade de anulação da peça (ou não), a meu ver, é prorrogação do sofrimento. Tenho receio de que toda essa luta não dê em nada... mas não nego que a chama da esperança está viva no meu peito. Seja o que Deus quiser....

Anônimo,  26 de novembro de 2009 08:55  

Como pode?

A prática trabalhista... todo mundo só reprovou pq não tinha conhecimento prático - não há qualquer dúvida do cabimento da peça - apenas que é pouco usual - mas nada se fala da prática tributária que de fato teve cabimento estranho e realmente precisa ser revista... Oras, que tipo de instituição é essa, que tipo de advogados são estes, todo mundo ta querendo entrar no Vácuo... A ORDem deve repensar mto - e não ceder a pressão - independente se são mtos os inscritos - todo mundo só escolheu direito do trabalho pq acha mais fácil - (mentira?) agora vêm todos reclamar - suplicar pela aprovação geral... PARABENS senhores adEvogados...! Mais uma vez creio que meu comentário será deletado - isso devido as abitrariedades desse blog o que só confirma o que disse acima...

Anônimo,  26 de novembro de 2009 09:07  

Quero parabenizar as condutas do colega José Henrique e do Prof. Maurício.
Pessoas como vocês constroem um país diferente, um mundo diferente!
Seja qual for a carreira que eu traçarei, sou extremamente grata a Deus e ao Universo por terem me unido a pessoas como vocês.
Vocês fazem a diferença!
:)

Ludmilla Evelin de Faria
ludmillaef@gmail.com

Anônimo,  26 de novembro de 2009 09:14  

Se esta é a melhor medida a ser tomada que seja ! Mas que irá abrir precedentes ahhh isso vai...esperem e confiram os próximos exames...OAB e CESPE BOA SORTE daqui para frente...esse exame passa a ser comédia nacional.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 09:19  

Dr. Mauricio,
Agradecemos pelo empenho.
Será que na reunião do dia 04/12 será colocado em pauta as teses subsidiárias que objeto da prova de penal?

Obrigado

Anônimo,  26 de novembro de 2009 09:24  

E essa história do espelho divulgado? Vários candidatos se manifestaram alegando ter seu espelho divulgado logo após a porta foi fechada.
Pode repercutir?

Anônimo,  26 de novembro de 2009 09:26  

Sem dúvida, muitos examinandos, notoriamente competentes, foram prejudicados com a peça trabalhista.

Mas, inegavelmente, no vácuo destes, existem os que optaram por tal área motivados pela presunção de facilidade.

O caminho mais prudente é o da correção de todas as provas; do contrário, anulando-se, instalar-se-ia um verdadeiro bacanal.

Só de pensar, causa arrepios!!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 09:27  

José Cleilson - Ceará.
Meus parabens José Henrique.
Não há dúvida de que seu sucesso na advocacia é promissor.
Felizes aqueles que te contratarem como advogado. Com certeza terão um procurador à altura.
Vai nessa tua força, que Senhor Deus te abençoará.
Continuo torcendo pelo seu trabalho.
Parabens Maurício, vc tem sido nosso canal de voz nessa luta. Deus te abençoe.

ROBERTA B.F.L.,  26 de novembro de 2009 09:29  

PARABÉNSS! DR. MAURÍCIO...
QUE A JUSTIÇA..SEJA FEITA..
E AGUARDO E ESPERO..PELA ANULAÇÃO DA PEÇA..DEPOIS QUE LI SOBRE A REUNIÃO E SUA INICIATIVA..FIQUEI MUITO CONFIANTE E MUITO FELIZ..POR TER PESSOAS COMO O SENHOR AJUDANDO MILHARES DE EXAMINANDOS QUE ENCONTRAM-SE INDIGNADOS. OBRIGADA..E QUE DEUS TE ABENÇOE..E DE TUDO CERTO NA REUNIÃO DO DIA 4-12.


OBRIGADA NOVAMENTE... PQ SOU UMA EXAMINANDA..E ACREDITO QUE A JUSTIÇA SERÁ FEITA..E AINDA COM O APOIO DE PESSOAS DIGNAS AO NOSSO FAVOR. ABRAÇOS! ROBERTA!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 09:41  

Dr. Maurício.
Quais seriam os reflexos de uma "benécia" qualquer na prova de Dir. Trabalho em relação as outras provas? Ex.: a prova de penal também está elaborada com equívocos.
Isso no judiciário teria sustentação, face ao princípio da isonomia?

Se puder comentar.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 09:59  

José Henrique e Dr. Maurício, bom dia e meus parabéns por tudo que estão fazendo em prol dos bacharéis que se submeteram a esse certame, que por certo, ficaram gratos a esse movimento, gostaria de lembrá-los que caso não seja o entendimento dos Conselheiros pela anulação da peça, ainda assim a chuva de MS será torrêncial na Justiça, haja vista, se for considerado e postado um outro espelho, pois dessa forma, onde fica o EDITAL? Seria simplesmente elemento para a fundamentação do MS pedindo a ANULAÇÃO da tão discutita peça trabalhista. Mas com certeza o nobre companheiro José Henrique irá participar da reunião no dia 4/12 futuro, não poderá esquecer de citar esse detalhe ou seja, a solução viável é realmente a A N U L A Ç Ã O da peça trabalhista. Aqui, nós maranhenses só temos a agradecer a José Henrique pelo grande empenho, pela coragem e espírito de luta (lembrou-me ao LINDBERHGUE na luta pela queda do COLLOR)e ao Dr. Maurício pela coragem no enfretamento dos poderosos e pelo espaço concedido a todos nós. O Grande Arquiteto do Universo irá recompensá-los.
Atenciosamente,
LSV

Vania 26 de novembro de 2009 10:14  

Dr.Maurício, estamos lutando pelo direito de termos nossas peças corridas, assim criamos um "MANIFESTO NACIONAL DE DIREITO TRIBUTÁRIO OAB 2009.2", onde pleiteamos a justa correção de todas as peças apresentadas. Segue o link do manifesto onde poderá analisar nossos anseis pela correção:

http://www.petitiononline.com/OABTRIB/petition.html

Nós também contamos com seu apoio.Parabéns pelo trabalho!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 10:19  

Esperamos que a justica seja feita!Aqueles que se empenharam,estudaram,se esgotaram merecem a sua aprovacao.Fiz TRIBUTARIO ,estou indgnada com a correcao da prova e a falta de coerencia .Que principio da isonomia fora aplicado para esta e as demais pecas de areas diversas?!Espero sinceramente que o pessoal de tributario,acbe com esse capitulo.Que o movimento de trabalho possa lograr exito e que os bachareis de tributario nao desistam da luta!!!!
Que possamos dizer:"Ganhamos nossa primeira causa"!Isso sim avalia a competencia de um profissional do direito!!!Teremos essa oportunidade?

Anônimo,  26 de novembro de 2009 10:19  

Não caiamos no jogo de palavras do ANÔNIMO 08:55. Caro Dr. Maurício Gieseler; estudei muito, com grande comprometimento durante o meu curso, agi com responsabilidade, tirei as melhores notas, assim como muitos outros colegas nesta grande batalha que é se formar em Direito. Sob qualquer hipótese os aprovados ou arrogantes podem deixar de ser ouvidos, importa ouví-los em suas rigorosas e individualistas posições, engendradas sobre o pedestal do corporativismo que já os reveste. Não tive minha peça corrigida fiz RT c/c Consignação; tirei 4,0 nas questões, estou atuando ná área há mais de tres anos; e como muitos, sei que que a questão proposta não pode prosperar e ainda confio no senso de justiça da OAB/CESPE. Obrigado pela sua honestidade com todos nós. Sabemos que estamos preparados, mas, quando se quer se consegue reprovar, tudo é uma questão de arquitetura técnico-textual.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 10:32  

Eu fiz inquérito e não recorri levando em consideração o famigerado "padrão de respostas". Só depois tomei conhecimento de que houve IJ's que foram corrigidos... minhas chances estariam descartadas?

Anônimo,  26 de novembro de 2009 10:58  

Parabéns pelo movimento, entretanto ele ficaria mais forte se contemplasse o pleito pela anulação da questão 3 de penal. Peço que isso seja reivindicado na reunião do dia 04.12.

Rita,  26 de novembro de 2009 11:05  

Parabéns ao Dr. Maurício, José Henrique, e aos 17 presidentes de seccionais que tomaram uma posição quanto a injustiça ocorrida na ultimo exame da ordem, mais precisamente quanto a peça prático-profissional trabalhista. Infelizmente não sei qual o posicionamento do Presidente da OAB/RS, Dr. CLÁUDIO LAMACHIA, que recentemente foi reeleito presidente da seccional do Rio Grande do Sul. É lastimável que o Dr. Lamachia, que tantas vezes nos ultimos meses enviou e-mail aos colegas advogados (inclusive ao meu marido), no intuito de pedir voto para a sua reeleição, não tenha atuado com o mesmo afinco na defesa dos bacharéis de direito, que foram injustiçados no exame da ordem, 2ª fase (Trabalho). Num dos muitos e-mails de agradecimento do presidente, pela votação alcançada que lhe conduziu novamente à Presidência da OAB/RS (aqui no meu escritório o presidente recebeu 5 votos), respondi à ele, parabenizando-o pela vitória, e pedindo que ele tomasse uma posição quanto aos fatos ocorridos no ultimo exame de ordem...Infelizmente até hoje não obtive nenhuma resposta do Nobre Presidente...Realmente é lastimável. Tendo em vista a conduta de muitos que preferem manter-se "em cima do muro", é que mais uma vez PARABENIZO ÀQUELES QUE NÃO TÊM MEDO DE EXPRESSAR SUAS OPINIÕES.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 11:05  

Santa ingenuidade! Bacharéis em Direito, ACORDEM. Vão se preparar para o próximo Exame de Ordem. Leiam o Edital de forma minuciosa e não fiquem acreditando em "conversa fiada" de cursinhos sobre o que possivelmente vai ser cobrado. No final, é você e mais ninguém, ou seja, se você reprovou, azar o seu, só seu. Não adianta ficar procurando culpados, pois com certeza não vai encontrá-los. Por fim, tenha sempre em mente, o negócio é cruel, só isto, cruel!

GJO 26 de novembro de 2009 11:12  

Não vejo outra saida para a oab,a peça deve ser anulada sim,pois se na primeira fase teve 2 questões anuladas ,porque não anular uma peça mal formulada na segunda.outro ponto importante e o grande valor e conhecimento juridico que possuimos pois se passamos para a segunda fase do temido exame de ordem e porque temos base para desenvolvermos a profissão.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 11:13  

Querido Dr. Maurício,
Mais uma vez parabéns pelo seu blog.
Quero apenas fazer uma pequena observação, sei que o pessoal de trabalho se uniu em busca da justiça (tlvz por ser a area que tenha mais adébitos, mas quero que o Doutor divulgue tb informações referente as outras areas, pois houve bastante prejuízos para os colegas que escolheram, por exemplo, tributário. A questão de tributário tb dava margem a outras peças.
Adoro seu blog, entro todos os dias, mas acho que ultimamente ele tem se tornado um blog da area trabalhista e isso sinceramente não é muito bacana com ou outros colegas que estão desesperados com o que porventura venha ocorrer com as outras areas, especialmente tributário.
POVO DE TRIBUTÁRIO, VAMOS NOS UNIR!!! Seis que somos poucos, mas vamos correr atras de justiça.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 11:18  

Em se tratando da questão da anular a peça, creio que o mais correto seria a SUBSTITUIÇÃO do mesmo.

Não acho o certo a aprovação de todos, ate porque muitos deixaram a peça em branco e vão ser aprovados sem ter minimas condições para o exercicio da profissão.


Nada do mais justo fazer a prova novamente, APROVAR QUEM realmente merece.

Mas vamos ser franco, não creio na anulação da prova até porque ocorreria um aprovação de mais de 8 mil candidatos que até então são inaptos a advogar, veja-mos a prova foi feita pra eliminar e não pra aprovar.

boa Sorte a todos

Anônimo,  26 de novembro de 2009 11:19  

Ninguém está pedindo a aprovação geral seu ignorante, eu nem estou nessa empreitada, visto que sou economista, mas tenho vários advogados na família, e a função de um advogado é defender os seus interesses.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 11:27  

Sugiro ao pessoal que não concorda que a prova foi injusta nem entrar nessa discussão, pois eles não serão prejudicados e para eles a discussão não terá efeito algum, então porque perder tempo criticando algo que não lhes diz respeito? Será falta do que fazer?

Anônimo,  26 de novembro de 2009 11:27  

Dr. Maurício tem alguma informação sobre a prova de tributário, se está tendo algum dilema???
Obrigada e PARABENS pelo blog!

Jeferson 26 de novembro de 2009 11:56  

Dr. Maurício parabéns pelo trabalho. O Dr. tem mostrado mto comprometimento com a nossa causa. Continue intercedendo por nós. Ah se tivéssemos mais alguns profissionais com a participação que o senhor tem demonstrado, nosso sucesso seria certo.
Abs

Daniel,  26 de novembro de 2009 12:05  

Gostaria de saber se há outros colegas que mesmo diante do acerto da resposta, conforme o espelho, com a fundamentação esperada pelo mesmo, tiveram a nota ZERADA ou máximo 0,10 na questão 2 trabalhista?
Pq essa correção, tanto da peça qto das questões, foi um absurdo...
E alguém sabe do posicionamento do D'Urso qto à peça??
Pq se candidatar a 3a eleição, ferindo o bom senso da gestão da Seccional paulista, ele faz questão...E dizem que não há fumaça nessa instituição...

Anônimo,  26 de novembro de 2009 12:20  

Se forem anular todas as questões que os candidatos erraram, pq fazer Exame da Ordem? Agora vem o pessoal que reprovou em penal, tributário, civil tb exigir anulação.
Pelo amor de Deus, vcs não conhecem os recursos para as provas?
Desconfio que tem gente querendo passar na marra....

Anônimo,  26 de novembro de 2009 12:33  

Rita (11:05), pára com ilusão boba, fia. Pega os livros e vai estudar que você sairá no lucro. Conversinha de Seccional, fia. As seccionais só fizeram o que elas tinham que fazer, ou seja, pegaram um bolo de papel com uns nomes que entregaram pra elas e encaminharam para quem de direito, só isso que elas fizeram. Acorda, fia. Acorda enquanto é tempo.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 13:09  

Sinceramente, quero ver qual será a cara dos líderes desse movimento depois que fizerem parte da instituição, sem contar represálias que sofrerão, não seria mais digno fazer a proxima prova, acertar as questoes e a peça tais quais exigidos pela banca como qualquer pessoa do que ficar pulando de um lado para outro implorando piedade para deus e o mundo??? É uma coincidência tremenda esse povo chorar porque caiu uma peça qua nao vinha caindo nos exames anteriores bem como aplicação do novo provimento no próximo exame!! É uma coincidência!! Oportunistas!!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 13:13  

Não vamos nos descuidar e aprontar nossas ações para serem ajuizadas na Justiça Federal pois a reserva de mercado é grande entre os advogados jurassicos. O Movimento pela ANULAÇÃO JÁ DA PEÇA TRABALHISTA continua e vamos sim colocar pressão dia 04 de dezembro. Parabens ao nosso lider José Henrique, uma Democrata do DEM/RN.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 13:16  

A anulação da peça é a única alternativa.
Quanto ao argumento de que estariam aprovando muita gente:
- já houve seleção na 1 fase...
- a média de aprovação é maior do que 80% na segunda fase nos exames anteriores.
Logo, em tese, de 10 a 15% seria o excedente...
Antes assim do que prejudicar 85% dos candidatos que passariam se a prova fosse um pouco mais clara...

Valdecir Jose Rozetti,  26 de novembro de 2009 13:39  

Parabens Dr. pelo empenho nesta causa, quisera que o Brasil tivesse pessoas assim, buscando sempre a Justiça, independente para quem seja, basta que tenha o Direito. Parabens.Valdecir José Rozetti - Curitiba

Anônimo,  26 de novembro de 2009 13:41  

Caros colegas,

Primeiramente gostaria de agradecer ao espaço dado pelo Dr. Maurício. No tocante a prova prática do trabalho 2009.2 muitas lições ficaram. É importante ressaltar que a CESPE é um órgão de credibilidade e, com certeza, a sua comissão já encontrou a melhor saída. É claro que a solucão não será tomada de forma unilateral e arbitrária. Mas, o que se percebe é uma grande ansiedade, e isso é normal. Os vários espaços dedicados em torno do EXAME 2009.2, na internet, são de grande valia. Não devemos nos esquecer que vivemos em um ESTADO DEMOCRÁTICO E DE DIREITO. Nunca tinha visto, em torno de uma prova, discussões tão quentes. Acredito no crescimento de todos....ISTO É DEMOCRACIA... E quando me refiro ao crescimento de todos incluo CANDIDATOS/CESPE/OAB. Olha, fica muito batido repisar nesta prova de trabalho. Mas, não podemos fugir dela: UMA PROVA QUE FOI COM UM MISTO PROFUNDO DE SEMÂNTICA E MATEMÁTICA. Acreditamos no bom senso desta comissão e dos representantes da OAB. Claro gente, muitos da OAB vão bater palmas pelo funil que se estabeleceu, outros tantos irão ser mais prudentes. Só que no frigie dos ovos temos dois nomes que não merecem está expostos desta maneira OAB e CESPE. Vamos aguardar....DIA 04.12.2009 está muito próximo. Com certeza teremos boas notícias para todos os candidatos dos vários estados do nosso país.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 13:46  

AJUDEM O PESSOAL DE PENAL ASSINEM PARA ANULAR OS QUESITOS http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/5268

Anônimo,  26 de novembro de 2009 13:49  

Fiquei feliz em saber que esta havendo uma mobilização a respeito deste famigerado exame, porem, gostaria de destacar os os problemas não foram exclusivos na prova de D TRabalho, correu também em D Administrativo, neste caso gostaria de uma orientação se possivel.
Fiz a peça profissional correta apelação, tecnicamente eu acreditava tirar entre 3,5 a 4 na peça, tal foi minha surpresa na minha nota 1, observando o espelho vi alguns incorreção no gabarito e fiz meu recurso para oab mais estou preocupado, penso em caso de indeferimento entrar com MS o que vcs acham? Só um exemplo o inclito axaminado atribuiu nota 0 pois segundo ele eu não fiz os pedido, na minha prova fiz exatamente como passo a descrever: Dos Pedidos: " Em face o exposto requer a V.Exa. que dê conhecimento e provimento ao presente recurso para desconstituir a sentança ora recorrida..." se isto não for um pedido de nova sentença o que seria? entre outras coisas estou preocupado. Aguardo comentaria no blog.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 13:58  

Em primeiro lugar gostaria de parabenizar a todos que estão nessa luta por uma prova mais justa e mais bem elaborada. Eu e uma colega de faculdade estudamos juntas para fazer a prova da Ordem, passamos na primeira fase e continuamos estudando juntas para a segunda, fizemos Inquérito para Apuração de Falta Grave, e tanto eu como ela colocamos a mesma fundamentação, no entanto, somente a peça dela foi analisada e quanto a minha o examinador colocou zero em todos os quesitos, sob a alegação de peça inadequada. Pode? Fica aqui uma pergunta? Qual o critério de avaliação do CESPE?

Marcelo Goiaba 26 de novembro de 2009 14:01  

Fiz uma RT, e nem avaliaram minha peça. Tiveram questões que estavam exatamente como o espelho, e também não avaliaram, isso é um absurdo!! Gostaria de saber como esta o posicionamento da OAB/RS. Alguém sabe?

Marcelo Souza dos Santos
Bel. Direito
Caxias do SUl/RS

Anônimo,  26 de novembro de 2009 14:15  

O que falta para este povo (reprovados) é mais força de vontade, perseverança e principalmente aprender a escrever. Escrever corretamente!!!!!

A OAB/CESPE fará sim a JUSTIÇA !!! Aguardem, rsrsrsrsr

GJO 26 de novembro de 2009 14:20  

O que está faltando agora é o pessoal dos estados onde a oab ainda não decidil pela anulação da peça de trabalho.se unirem ,procurando advogados membros da oab,juizes,mp,desembargadores,midia, enfim acionarem os seus familiares e conhecidos para dizerem SIM A PEÇA MAL FORMULADA DEVE SER ANULADA. JUSTIÇA!!PESSOAL O ESTADO DO RN ESTÁ FAZENDO A SUA PARTE,FAÇAM TB A SUA!!.não posso esquecer de agradecer ao Dr.Maurício,ao José Henrique e a todos que como eu está nesta luta pelo direito e pela justiça.

Janaína Tahan,  26 de novembro de 2009 14:22  

Dr. Maurício, muito obrigada por nos abrir espaço e publicar toda a nossa angústia desses últimos dias de exame de ordem.
Ao José Henrique, meus sinceros agradecimentos por tudo o que tem feito por nós!
Estamos numa luta, contra um equívoco que deverá ser reparado pelos responsáveis e não sofrido por "Nós", pois não temos culpa quando "não há resposta certa para pergunta errada"...

Parabéns e "Vamo que vamo"...

BeijoO

Anônimo,  26 de novembro de 2009 14:31  

Isso é RIDÍCULOOOOOOOOOOOO!!!! Qual a fundamentação para a anulação da peça?? que tava difícil??? a por favor.... como se pode escolher fazer uma prova em direito do trabalho sem saber processo civil??? Quem fez outra peça que não consignação não se ateve ao que pedia o enunciado e, pior, presumiu dados que não constavam na proposta.
NÃO pela anulação da PEÇA.... Isso é retirar completamente o mérito de quem passou fazendo a peça certo... lendo o enunciado corretamente... de quem realmente está preparado para advogar....
CHEGA DESSA PALHAÇADAAAA!!!

Natália Granja,  26 de novembro de 2009 14:38  

Parabéns! Agradeço o empenho que está empreendendo por nós! As soluções tanto de anualçao quanto de novo gabarito são válidas.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 14:51  

Primeiramente queria dar os parabéns ao José Henrique e o Dr Maurício, por tudo o que estão fazendo por todos estes bacharéis que foram inegávelmente prejudicados!!!
E em segundo lugar queria comentar a respeito de um comentário que vi por aqui. Pois bem, falam-se que se o CESPE anular a peça da prova de Direito do Trabalho, abreriam- se precedentes para futuros exames.Porém ao meu ver, uma instituição séria como o CESPE teria que analisar da seguinte ótica: Deveriam reconhecer a má formulação da pergunta, pois é válido ressaltar que a baixa na CTPS foi um equívoco sem tamanho, fora outros pontos.E sem dúvida nenhuma, anular a peça, porque agindo assim não estariam abrindo precedentes,apenas estariam reconhecendo que erraram na elaboração da pergunta, e assim passariam a ter mais cautela nos próximos exames. Agora, se não fizerem isto, quem abrirá precedente para os outros exames será a justiça, atravéz dos diversos Mandados de Segurança, que tenho absoluta certeza que serão deferidos(Porque fundamentação é o que não falta) e isso não seria nada bom para a imagem dessa instituição. Então, a decisão a ser tomada é muito simples, basta agir com responsabilidade e ter bom senso!!!!!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 14:55  

PARABENS! DR. MAURICICIO E JOSE HENRIQUE.

ESPERO QUE O CESPE ANULE RELAMENTE A PEÇA E ATRIBUA A NOTA A TODOS É O MAIS SENSATO E CORRETO AA FAZER.
ESTE ANONIMOQUE VEM FAZENDO CRITICAS A RESPEITO DA ANULAÇAO, NA VERDADE E UM MAL AMADO, QUE NAO TEM CORAGEM DE LUTAR PELO QUE OBJETIVA, DIFERENTE DOS BACHAREIS QUE FIZERAM A PEÇA DE TRABALHO,QUE NA VERDADE NAO E QUE NAO ESTAO PREPARADOS MAS SIM ESTAO LUTANDO POR UMA INJUSTIÇA, HAJA VISTA QUE SE A PEÇA ERA OU E CONSIGNAÇAO EM PAGAMENTO, NAO TINHA QUE SER CORRIGIDA OUTRAS PEÇAS, SENDO ASSIM ABRIU PRECEDENTE, AGORA TEM QUE RECONHECER O ERRO
RECONHECER O ERRO NAO E NENHUMA VERGONHA, VERGONHA E SIM RECONHECER O ERRO E PERSISTIR NO MESMO
ANULAÇAO JA PARA PEÇA DE TRABALHO.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 15:19  

ANULAR SOMENTE A PEÇA DE TRABALHO É PURO CASUÍSMO, AS PROVAS DAS OUTRAS ÁREAS DEVEM TER O MESMO TRATAMENTO COM A ANULAÇÃO DOS PONTOS EM DESACORDO COM O EDITAL. ANULAÇÃO SOMENTE DE TRABALHO CHEIRA A ARTIFÍCIO PARA SE CONSEGUIR ALGUNS "VOTINHOS" NA ELEIÇÃO QUE SE APROXIMA!!!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 15:23  

Parabéns aos dois que tem auxiliado e se manifestado em prol de tantos candidatos que se encontram em dificuldades de expor suas idéias e seus argumentos. Que o clero da OAB saiba sopesar o justo e não apenas o carater eliminatório que tanto prejudica capacitados efetivamente para advogar...

Pedro Moacir,  26 de novembro de 2009 15:50  

É comprensível que a OAB Federal não ceda às questões que aludam a toda esta desordem.Considerar, após a prova, que as outras pecas seriam possíveis - da prova do Dir. do Trabalho, consagra que tal dubialidade presente no enunciado prejudicou sua melhor compreensão,compromentendo, por final, o desenvolvimento da peca optada. É duro, mas a decisão do dia 04 de dezembro não pode prejudicar, sequer, 1 (um) candidato. Se outros candidatos se beneficiarão, paciência. Agora, precisamos conhecer o(a) incompetente que elaborou a questão e exigir que vá estudar.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 15:50  

Dr. Maurício,
também tivemos problemas com a prova de tributário, as provas não foram corrigidas, o senhor poderia usar um espaço no blog para disponibilizar o manifesto nacional? Segue o link: http://www.petitiononline.com/OABTRIB/petition.html
Desde já agradecemos.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 15:54  

Não vejo outra opção para o CESPE/OAB se não a anulação da peça. Já que a mesma foi mal elaborada. O cespe acertou várias peças como sendo corretas neste caso a RT, RT cc ACP e ACP, para amenizar a reprovação mesmo assim a aprovação foi mínima. Não resta dúvida que houve erro do cespe tanto na elaboração da peça trabalhista como também na de tributário e penal, os bacharéis não podem pagar pelos os erros desta instituição. Que os responsáveis pela elaboração do certame tenham consciência e façam justiça....justiça....

Anônimo,  26 de novembro de 2009 15:57  

Dr. Maurício ajude o pessoal de penal. Abaixo assinado para anulação de quesitos da prova no site http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/526estamos precisando de propaganda. Obg.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 16:01  

SÓ QUERO QUE FIQUE BEM CLARO QUE COM ESSA MANISFESTAÇÃO NÃO ESTAMOS PEDINDO FAVOR A NINGÚEM, MAS SIM SÓ QUE SE FAÇA CUMPRIR O QUE CONSTA NO EDITAL. ANULAÇÃO DA PEÇA DE DIRETO DO TRABALHO JÁ!!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 16:27  

DESDE JÁ EXPRESSO MEU APOIO A ESSA JORNADA RUMO A NOSSA APROVAÇÃO, FIZ DIREITO DO TRABALHO E OPTEI POR INQUERITO, TENDO EM VISTA SER A PEÇA ADEQUADA, TENHO QUE PARABENIZ-LO PELA INICIATIVA E DIZER QUE É MUITO INTELIGENTE, E DESE TIPO DE PESSAS QUE A SOCIEDADE PRECISA. SOU DE VILHENA-RO, INFELISMENTE NÃO PODEREI ESTAR POR SER UM TANTO LONGE, E POR HORA ESTAR DESPROVIDO DE MEIOS PARA VIAGEM, MAS VOU ESCREVER ALGO E LHE ENVIAR DERREPENTE PODE AJUDAR NUMA POSSIVEL SUSTENTAÇÃO ORAL...CASO PRECISE DE ALGO MEU E-MAIL mapaho@msn.com......

MARCIO

Anônimo,  26 de novembro de 2009 16:29  

Caro Doutor Maurício...
Qdo o senhor diz que nenhum examinando APROVADO seria prejudicado, se engana.
Na verdade já estamos sendo. Aqui em Santa Catarina não se pode entregar nenhum certificado de aprovação por causa daquela liminar concedida no fatídico MS de Campo de Grande.
Dessa forma, esse ano acabou o tempo hábil para entrega de carteirinhas.
O seja, hoje obtive a resposta de que provavelmente apenas em março receberei a minha carteira e só assim poderei ADVOGAR=TRABALHAR.
Parabéns aos examinandos REPROVADOS....
Patrícia-SC

Anônimo,  26 de novembro de 2009 16:33  

Gostaria de prestar meus sinceros agradecimentoa ao JH e ao Dr. Mauricio...
Fiquei muito mal depois do resultado do exame pensei em nunca mais seguir esta carreira, apesar de trabalhar na area por mais de 7 anos, tenho certeza que tenho muito mais conhecimento e capacidade do que muitos "filhinhos de papai" que passaram no exame e agora ficam falando coisas desagradaveis aqui neste blog.

Assim como muitos gastei mais de 1000 reais entre livros, cursinhos e etc. para me preparar para este exame, pois sei que tudo o que a gente sabe no dia a dia do escritorio, nem sempre e o que a CESPE quer da gente. tanto e que eu nao fui aprovado, e rezo todas as noites para que esta peca seja anulada, assim teremos o verdadeiro significado daquela velha frase... "POR SER MEDIDA DE JUSTICA"
Obrigado a todos que estao nesta luta, e mostram a cara e nao assinam como anonimos...

Att. ANDERSON JOSE PEREIRA - SECRETARIO MUNICIPAL DA ADMINISTRACAO - BRAGANEY - PR

Anônimo,  26 de novembro de 2009 16:37  

Acordem, esta prova não será anulada! Aproveitem o tempo para estudarem para a próxima! É o melhor que podem fazer!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 16:53  

Pessoal, eu fiz a prova no supletivo e quero reclamar, vamos fazer uma manifestação. Isso é um absurdo não deixarem todos do supletivo ingressaram no curso de direito. Eu quero também...kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo,  26 de novembro de 2009 16:53  

Anônimo 12:20, por gentileza,contribua... se debruce sobre os fundamentos e jurisprudência que sedimentam a assertiva do grave problema constante do enunciado da questão da peça trabalhista, não seja inconsequente, demonstre sua cultura debatendo fundamentadamente, e certamente todos tiraremos proveito do vosso conhecimento e agradeceremos humildemente naquilo que não nos ativemos no momento oportuno, e que seja por vós esclarecido. Fraterno abraço.

lmm 26 de novembro de 2009 16:53  

É muito fácil chegar aqui e dizer que as pessoas que estão lutando por uma correção de verdade, está querendo passar na marra...eu estudei, respondi corretamente as questões, fiz a peça certa, pedi o que era mais conveniente( a anulação e absolvição do acusado) e não passar porque não citei artigos ou por que não aleguei teses subsidiárias em que se deveria supor requisitos que não estavam descritos seria muito conformismo da minha parte, ninguém que estivesse na minha situação ficaria quieto.
E não sei por que quem passou está tão incomodado com tudo isso...é muito individualismo!!!

valdecir balaben 26 de novembro de 2009 17:02  

BOA TARDE DR. ACREDITO QUE SEU TRABALHO, JUNTO AS PESSOAS ENVOLVIDAS, NESSA MANIFESTAÇÃO A RESPEITO DO EXAME DE ORDEM, SOBRE A PROVA TRALHISTA, TEM TUDO PARA DAR CERTO. REALMENTE SOU A FAVOR DA ANULAÇÃO DA PEÇA TRABALHISTA.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 17:32  

Anular a peça é um absurdo, é um atentado contra a advocacia!!! Lamentável... Acompanho o blog desde o seu surgimento e confesso que estou muito surpreso com o caminho que está tomando. Não posso acreditar que o Sr. apoie tal causa... O sucesso do blog é nítido, apoiar uma causa assim é no mínimo um absurdo.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 18:06  

O melhor conceito de uma instituição não lhe é dado por ser infalível, mas por tratar o "Direito direito". A questão foi mal elaborada. No caso, o advogado poderia ter prestado assessoramento no sentido de a empresa promover consignação de pagamento extrajudicial, meio que seria menos oneroso e, por conseguinte, não requereria fosse redigida qualquer peça, necessária para aferir conhecimentos técnicos do aluno.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 18:49  

Realmente, a Rita (11:05) é uma iludida! Coitada...

Flávio Bonafé,  26 de novembro de 2009 19:03  

Parabéns a todos pelo empenho, e muito obrigado,o que realmente esperamos é que seja feito a esperada JUSTIÇA!!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 19:30  

Anônimo do dia 26 de Novembro de 2009 12:20

Eu tenho pena de você. Deus, piedade!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 19:40  

Imm, 16:53, nessa hora todo mundo é estudioso pra caracas, tomo mundo quase se matou de tanto estudar pra fazer a prova. Conta outra, vai, essa aí tá desgastada já.

justiça já 26 de novembro de 2009 19:44  

Quando o senhor estiver com a sua carteirinha de advogado vai pensar diferente... vai querer lutar, igualdades,etccc. no início é assim... defende o exame, se acha o maioral, mais depois a crista fica rasa e o bolso vazio... acorda ANÔNIMO!

Anônimo,  26 de novembro de 2009 19:51  

Tenho um colega que fala (e escreve)"pobrema", "bicicreta" e está ouriçadíssimo com a possibilidade de a prova ser anulada e ele ser aprovado, é mole ou querem mais? Não sei que diabos aconteceu que ele depois de 12 exames conseguiu aprovação na primeira fase (pela primeira vez passou para a segunda fase). Ele acertou 48 e com as duas anuladas conseguiu ser aprovado. Agora me digam: essa eventual aprovação é justa para com a sociedade?

Anônimo,  26 de novembro de 2009 19:54  

CESPE = Centro de Exame Supletivo Para Enganar

Anônimo,  26 de novembro de 2009 19:54  

Peço venia, Dr. maurício, para expor um desabafo, sou a favor do exame da ordem, mas que seja um exame digno, correto, verdadeiro, justo, não como foi este, que muitos, como eu, ficaram perdidos por conta de uma questão sem sentido, e acabaram por fazer uma péssima petição. Eu fiz uma "RECLAMAÇÃO TRABALHISTA" que acabou não sendo corrigida, não por incompetência minha, mas porque até agora não encotrei fundamento para ser uma consignação em pagamento. Peço aos que estão certos de ser CP, e foram aprovados, que tragam a fundamentação correta, eu me conformarei com a derrota se estiverem certos.
Quero expor um fato que ocorreu antes do exame da 2º fase: ligaram pro meu celular no dia 19/10/2009, dizendo que era uma secretária do curso "IURIS" e haveria uma aula onde todos os alunos iriam ser aprovados porque seria dada toda a matéria, não fiz o curso porque no meu entendimento é impossível esgotar a matértia em uma aula. Agora soube que quem fez esse curso foi aprovado. Será que já tinham esse gabarito que vazou pela internet?, devem ser os mesmos que estão menosprezando os que não passaram, com medo de fazer outro exame pois sabem que não tem competência para passar, só com o gabarito na mão.
OAB, por favor, seja justa, anule esta peça ou faça um novo exame para todos, os bachareis não vão ficar calados, temos o judiciário, se a Cespe tivesse colocado uma prova decente não estaria acontecendo esta polêmica, aqui no RJ esta todo mundo se mobilizando, pode ser que o lado escuro da Cespe começe a aparecer.
Ainda acredito que a OAB seja uma instituição digna, que coloca a justiça em primeiro lugar.
Bacharel: Eduardo de Jesus Martins da Costa.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 20:00  

A anulação da peça é a medida mais justa para todos. Não ficamos 5 anos estudando, e mais meses de preparação para enfrentar pegadinhas. ANULAÇÃO DA PEÇA.

Edu,  26 de novembro de 2009 20:33  

JH, a OAB precisa de vc !
Um advogado de verdade luta pelo que é certo !
Um advogado de verdade age com cautela e determinação !
Dr. Maurício, parabens pelo blog e muito obrigado pelo apoio que tem dado ao nosso movimento !
A peça de trabalho tem falhas. Minha peça nao foi corrigida, mas muitas, com mesmo teor, foram !!!
algo está errado e precisa ser reparado !
Boa Sorte JH ! nossa esperança de justiça está em suas mãos !

Oiregor Sotnas 26 de novembro de 2009 20:36  

Os examinandos aprovados no referido exame e que discordam dos argumentos do manifesto apresentado por Azeredo e demais colegas nas Seccionais organizamos outro manifesto, a que chamamos de MANIFESTO NACIONAL DE APOIO AO EXAME DE ORDEM 2009.2. Esse manifesto tem a intenção aberta de se contrapor ao manifesto em pela anulação por entendermos que seria medida de injustiça, desreispeito e violência moral aos candidatos aprovados. Pretendemos protocolar o manifesto nas Seccionais até o dia 04 de dezembro, data em que a Comissão Nacional do Exame de Ordem se reunirá para tratar do assunto. Queremos que a OAB e o CESPE/UnB saibam que a anulação, seja da peça seja do exame, é o interesse de apenas uma parcela dos examinandos, mormente, dos que não passaram.

Compreendemos o posicionamento solidário àqueles colegas e favorável à anulação da prova mas dentro do espírito democrático que rege a ordem jurídica do nosso País não comungamos com esse entendimento e, por isso, há esse manifesto contra a anulação. Até mesmo em homenagem ao princípio do contraditório e da livre manifestação do pensamento.

Não queremos prejudicar ninguém mas também não queremos ser prejudicaos ou vilipendiados por quem quer que seja. Estamos fazendo o que achamos certo e justo, amparados nas mesmas garantias constitucionais do Estado de Direito de que se serviram os nossos valorosos colegas do outro manifesto.

Quem quiser assinar o manifesto, o mesmo se encontra hospedado no endereço

http://www.peticaopublica.com/?pi=oab2009a

ou

http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=oab2009a

A home page é

http://www.peticaopublica.com/

Aí o manifesto pode ser encontrado usando as tags oab, exame de ordem 2009.2, manifesto.

Aos desesperados que querem sabotar o nosso manifesto colocando nomes falsos, esqueça, podemos apagar as assinaturas engraçadinhas.

Os que passamos somos menos por isso nós não temos 1.200 assinaturas, como o manifesto do amgo Azeredo, porque forma poucos que passaram. Aqui no RN (estado natal meu e de Azeredo foram apenas 12 % de aprovação, p. ex.)

Colegas de outros estados que querem participar da mobilização, podem entrar em contato comigo pelo e-mail oiregorshoury@gmail.com.

Grande abraço.

Att.: Isaac Paiva Linhares

Funcionário Público do Rio Grande do Norte, matrícula 198.588-4.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 20:43  

Acho errado a anulação so pq a maioria que esta despreparada nao conseguiu entender o raciocinio juridico que q cespe esperou do candidatos, ja que foi tão absurda, pq alguns conseguiram acertar?ali era bem claqro q era uma consignação, so que muitos despreparados nao sabiam nem o que era isso, por isso nao acertaram e acho vergonhoso conseguir a aprovação em decorrencia de uma anulaçao, pois nao passaram pelos prorios méritos e sim pq a cespe deu de graça aprovação de vcs,prefiro passar pelos meus méritos a passar assim.

roney 26 de novembro de 2009 20:51  

José henrique me chamo Roney, sou de Dourados/MS. Gostaria de parabenizá-lo pelo se empenho para anular a nossa prova de trabalho para OAB, concordo plenamente com os fundamentos usados na inicial, saiba se conseguirmos anular a prova devemos isso muito a você e seus amigos que estão a frente dessa luta, parabèns e desde já obrigado.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 21:04  

DR.MARÍCIO QUERO QUE VC ME RESPONDA PORQUE QUE JÁ ANULARAM ATÉ SEIS QUETÕES NA PRIMEIRA FASE DA OAB (2008.3) E AGORA EXISTE UMA RESISTÊNCIA PARA NÃO ANULAR UMA SÓ QUESTÃO NESSA SEGUNDA FASE? FATO ESTE NÃO PODE SERVIR COMO FUNDAMENTO PARA SE ANULAR UMA QUESTÃO TÃO MAL ELABORADA?

Anônimo,  26 de novembro de 2009 21:47  

Marcos Antonio:

A peça NÃO DEVE SER ANULADA, é uma questão de justiça para com quem já foi aprovado. Se anularem a peça, consequentemente prejudicaria os advogados que foram aprovados. Ocorreria uma injustiça imensurável.

De resto, fica no ar, a impreensão de existir uma questão política por trás do movimento que pede a anulação da prova, e não creio que a OAB irá entrar nesse joguinho.

Vamos ver se esse comentário meu será publicado desta vez.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 21:49  

Anônimo 20:00 (26 de Novembro), certamente você é um dos tais que ao invés de assistirem aulas ficava nos bares ao redor da faculdade tomando chopp e agora, na hora da verdade, vem com esse papo furado que passou 5 anos na faculdade. A prova estava fácil demais, qualquer aluno do terceito ano (que assiste aula) é capaz de resolver a questão sem nenhuma dificuldade.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 21:54  

In dubio pro bacharel...
O mercado selecionará...

Parabéns pelo espaço Dr. Mauricio, não irei me cansar de te agradecer por tudo que tem feito aos bachareis.
A OAB deveria tratar melhor o bacharel...

Anônimo,  26 de novembro de 2009 22:11  

Maurício como faço para aderir ao novo movimento nacional que visa garantir o direito aos aprovados na prova de trabalhista?

Quero lutar para que a prova NÃO SEJA ANULADA.

Dirceu.

lmm 26 de novembro de 2009 23:18  

oh queridinho( anônimo, 19:40)
quem é você para julgar se eu estudei ou não?
só pq vc passou nessa oab, vc se acha nesse direito?
um colega errou a peça, errou parte das questões e passou, querido...
Acho que realmente tinha muito examinador cego!
É engraçado, como tem gente que só pq passou( não todos,lógico)se acha superior, mais inteligente que as outras pessoas que não obtiveram êxito...
como se os 0,3 décimos que fez com que eu não fosse aprovada fosse possível julgar a minha capacidade ou não de advogar...
essa é boa...kkkk

Anônimo,  26 de novembro de 2009 23:28  

Aqui... agradecido, na simples condição de examinando, aprendi do que é capaz um Ser Humano para externar sua maldade e arrogância; aqui aprendi que pessoas generosas e puras se unem em torno de palavra justiça com grande desprendimento, aqui... vi que precisamos valorizar mais a solidariedade e jamais subestimar ninguém... lamento pelos maus que pude ver se manifestarem aqui... desejando a derrota do próximo, pela inveja declarada e pela ganância velada que pude acompanhar. Enalteço os justos que benevolentemente compreenderam o grave erro ocorrido e foram solidários. Assim, aos perversos, que podem ser lidos facilmente em suas gravíssimas pedâncias e desprezo pela agonia do próximo, que o Grande Arquiteto do Universo por vós interceda, e aos que sofreram e estão sofrendo, dele aguardem sem temor a mais fiel de todas as justiças. Abraço Fraterno a todos... indistintamente.

Anônimo,  26 de novembro de 2009 23:31  

ESTRANHO... NÃO ME FORMEI... ESTOU A 1 ANO DO MEU EXAME, E TALVES POR ISSO NÃO ENTENDA O PORQUE DE ALGUMAS PESSOAS QUE JA ESTÃO APROVADAS FICAM SE PROCUPANDO COM UMA POSSIVEL ANULAÇÃO...

EU NÃO TERIA TEMPO PARA ISSO, ESTARIA FESTEJANDO ATE AGORA, POIS O PRES. DO CONSELHO FEDERAL JÁ DISSE QUE ELES PODEM DAR ENTRADA NORMALMENTE EM SUAS DOCUMENTAÇÕES JUNTO A SECCIONAL...

E SE O PROBLEMA É A TAL LIMINAR DO MS, ESSA JÁ FOI INDEFERIDA MINHA GENTE, VAMOS FESTEJAR E POR FAVOR, ME CHAMEM...

SE O PROBLEMA É ENCHER O MUNDO DE ADVOGADOS DESPREPARADOS, MELHOR PARA OS APROVADOS, QUE SE DIZEM SUPERIORES, NA VIDA VÃO TER A CHANCE DE DEMONSTRAR OS RESPECTIVOS TALENTOS!!

FORÇA E SORTE A TODOS, APROVADOS, INJUSTIÇADOS, E AOS QUE, COMO EU, AINDA VÃO SE DEPARAR COM ESSE EXAME.

Anônimo,  27 de novembro de 2009 09:53  

Anônimo 23:38, quanta ingenuidade, não? O que é justo para você pode não ser justo para outras pessoas. Da mesma forma que você tem liberdade para se manifestar os outros também têm, ainda que essa manifestação dos outros seja contrária aos seus interesses e aos seus pensamentos, ninguém é obrigado a pensar igual a você. Isso se chama democracia e não inveja, ganãncia ou seja lá que nome você queira dar. aliás, se a manifestação dos outros é inveja ou ganância, como deveremos rotular a sua manifestação, se não também de inveja e ganãncia? Reflita bem, pobre da pessoa que se torna um ser alienado e que não consegue pensasar diferente das demais pessoas.

Anônimo,  27 de novembro de 2009 09:55  

Querem saber? Se o enunciado do probela estivesse errado nenhum bacharel teria acertado a peça, mas muitos acertaram.

Anônimo,  27 de novembro de 2009 09:57  

09:27, mas antes tem que passar no exame...kkkkkkkkkkk Advocacia é muito mais que manifestações e gritarias, creia.

Anônimo,  27 de novembro de 2009 14:13  

É...03 coelhos de uma cajadada só ! Boa Sorte amigos.

Anônimo,  27 de novembro de 2009 14:29  

Veja caro, "27 de Novembro de 2009 09:53" - Lamentável e útil, a forma como as minhas palavras não estavam dirigidas a ninguém em específico e voce tomou para si com tanta veemência, alcancei um nobre objetivo, toquei sua natureza recalcitrante, mas uma pena que voce não teve dicernimento suficiente para interpretar minha palavras, tal qual o objetivo para elas dedicado. Leia novamente, e verá que não fui contrário a democracia, apenas lamentei por uma lado nefasto e enalteci pelo lado positivo. Voce se denunciou do lado nefasto se enquadrando no que foi dito acerca disto, uma pena voce se enquadrar, mas é natural, se defender foi uma reação normal. Pode continuar agindo como quiser, eu apenas lamentei, apenas lamentei genericamente. Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é.. como dizia o poeta !

Anônimo,  27 de novembro de 2009 16:45  

O topo da inteligência é alcançar a humildade.
Ninguém é superior a ninguém.
27 de Novembro de 2009 09:55
Não acertaram, tiveram a sorte de ter a peça corrigida e considerada.
“09. Como se vê, portanto, Excelência, a hipótese enfocada no enunciado da peça profissional não se enquadra em nenhuma das que se encontram previstas no artigo 335, do Código Civil, o que indica de modo claro que não seria cabível a ação para consignação do pagamento.”

Anônimo,  27 de novembro de 2009 17:43  

Tem cada idéia nos comentários que já dizia minha avó: Cada um por si e Deus por todos.

O homem é um animal político e egoísta...Quanta asneiras são expressadas neste blog.
Poderiam usar este espaço pra crescer, compartilhar, mas o que se ver é muita piada de mau gosto, muito pessimismo, quanta desumanidade.
Que bom que são anônimos, não gostaria de conhecê-los.

ESSE É UM PAÍS INDIVIDUAL, POR ISSO NÃO DEU CERTO AINDA. QUEM SABE DAQUI UNS QUINHENTOS ANOS.

RENOVE OAB, esta é a sua hora, mostra pra que veio. Os bacharéis só querem a aplicação do edital e se não obtiver vocês verão as ações que serão mais do que justa no judiciário, não tem problema algum...
Todo bom senso fará isso...paga pra ver...

E aos mal amados de plantão, dê licença, aqui o assunto é outro, vocês devem ser filhos de políticos, coronéis, latifundiários, já estão com a vida ganha, com a herança garantida e deixem de perturbar um espaço digno para quem luta por justiça.

INOVE OAB, corte na própria carne e saíra grandiosa.

Esse movimento não é comum, saiu da pequena massa de bacharel, não irão calar enquanto houver injustiça.

Minas Gerais fez sua última prova, vê se ouviram ou viram essas irregularidades.

A unificação da prova da ordem vai fazer um bem tremendo a todos. Qualquer irregularidade, abuso, fraude, será imediatamente detectada e aos gritos chegaram aos quatro cantos do Brasil.

Não aceitaremos injustiça.
Por isso fizemos Direito...

OAB a sua responsabilidade aumentou, agora são todos os estados.

RESPEITEM O BACHAREL!!!!!!!

Anônimo,  27 de novembro de 2009 18:32  

SOBRE O COMENTÁRIO A SEGUIR, PUBLICADO POR UM ILÚSTRE COLEGA, ANTES DE MAIS NADA QUERO LHE DIZER: Sê você fez a Peça ACP, também erraste, não és o "CARA", ÉS UM MERO CHUTADOR que fosse acolhido pelo grave erro da CESPE, TE CONTENHA, pare de falar besteira. Aqui nesta Peça ninguém respondeu melhor do que ninguém, pois não existe acertiva correta.

"Querem saber? Se o enunciado do probela estivesse errado nenhum bacharel teria acertado a peça, mas muitos acertaram"

Anônimo,  29 de novembro de 2009 12:02  

A questão é bastante polêmica, e de fato está comprovada a existência de falhas no que tange sua elaboração, faltou complemento a questão, além da obscuridade, se fez presente um elemento fundamental, quanto a questão do pedido e sua contradição legal. O mais lógico seria a anulação da peça, pois não daria direito a todos, mais um tratamento isonômico de direitos, tendo em vista que gerou entendimentos truncados e consequentemente causou mais tensão e falta de tranquilidade para os examinandos. Eu me senti mais tensa e optei por inquérito, por achar a mais viável em meio a tal emarranhado da questão. Boa sorte a todos e que justiça seja feita, hoje e sempre!!!! Meus agradecimentos a todas as autoridades que se posicionam em nossa defesa.

Anônimo,  29 de novembro de 2009 16:54  

OAB/CESPE, aceitaram e comprovadamente corrigiram várias peças diferentes! Sem edital completar, portanto dele se desvinculou ferindo o PRINCÍPIO DA LEGALIDADE. OAB/CESPE, limitaram o número de caracteres em 1.000, prejudicando centenas de examinandos; O que não se admite a nao ser que se viole a CF/88; feriram o PRINCÍPIO DA AMPLA DEFESA, perfeitamente aplicável no processo administrativo. Os Examinadores, uns decidiram corrigir determinadas peças, outros acharam por bem, zerar as mesmas peças... feriram o PRINCIPIO DA ISONOMIA... E VOCÊS ACHAM AINDA QUE ESTE EXAME SE SUSTENTA ????? HÁ...ME DÁ UM COPO COM ÁGUA E AÇÚCAR VOCES NÃO CURSARAM DIREITO, NEM PASSARAM PERTO DA FACULDADE DE DIREITO.

Anônimo,  30 de novembro de 2009 11:03  

Por favor, peço aos senhores, autoridades da OAB, que apreciem em Belo Horizonte a prova de direito Penal. Também houve verdadeiras injustiças na correções. Dr José Henrique levante também a nossa bandeira. Agradece.

Anônimo,  30 de novembro de 2009 11:13  

A MAIORIA DOS EXAMINANDOS DE PENAL LEVANTARAM A QUESTÃO QUE SERIA MAIS FAVORÁVEL AO RÉU, A NULIDADE ABSOLUTA DO PROCESSO. NO ENTANTO, ESSA MESMA GRANDE MAIORIA FOI REPROVADA NO EXAME POR NÃO TER ABORDADO QUESTÕES SUBSIDIÁRIAS, TAIS COMO REGIME ABERTO PARA CUMPRIMENTO DE PENA, SUBSTITUIÇÃO DA PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE PO PENA DE MULTA OU RESTRITIVAS DE DIREITO, APELAÇÃO EM LIBERDADE, FIXAÇÃO DE PENA NO MÍNIMO LEGAL, ETC. PORTANTO HOUVE VERDADEIRA INJUSTIÇA NA CORREÇÃO DA PROVA DE DIREITO PENAL, DEIXANDO OS EXAMINANDOS INCONFORMADOS POR TAMANHO PREJUÍZO JÁ QUE DEMONSTRARAM PERFEITO DOMINIO DO RACIOCINO JURIDICO HAJA VISTA QUE LEVANTARAM A TESE MAIS IMPORTANTE PARA A SOLUÇÃO DO CASO, A NULIDADE ABSOLUTA DO PROCESSO, QUE NA PRÁTICA, SERIA A SOLUÇÃO MAIS FAVORÁVEL AO RÉU. POR FAVOR, PEDIMOS AO DR, JOSE HENRIQUE QUE LEVANTE TBM EM BELO HORIZONTE A BANDEIRA DA PAZ EM FAVOR DOS EXAMINANDOS DE PENAL. AGRADECE!

Anônimo,  30 de novembro de 2009 14:26  

Olá pessoal não vamos desistir, a OAB vai ter que anular a peça de trabalho. Fico muito chateado de ver alguns comentario maldoso neste blog, de alguns que já passaram e fica falando besteira eu vou confessar para vcs, eu consegui minha aprovação mas não julgo ser mais do que ninguém esses caras besta, bobo, ignorante eu nen sei como qualificar que fica humilhando outras pessoas, cara vc já passou como eu e outros vamos colaborar com os nossos amigos, não fazer movimento contra, isso da uma impressão de insegurança de medo, rapaziada o mercado é para todo mundo deixa de ser egoista isso faz mal, se vc acha mais competente do que aqueles não passaram esses não irão atrapalhar na vida profissional, mas fazer o que ??? Por incrivel que pareça tem gente mesquinha e egoista sem Deus no coração epero que o G.A.D.U. abençoa vcs.

T.: F.: A.:

Anônimo,  3 de dezembro de 2009 21:30  

Devemos atentar para o caso da mudança de gabarito pois, as inscrições do próximo exame terminam no dia 17/12, se abrirem prazo para novos recursos ficaremos nas mãos do CESPE mais uma vez, tendo nossas provas sendo corrigidas de forma desigual, cada examinador fazendo julgamento de forma isolada. A melhor forma de se fazer justiça é a anulação da peça. Lembrando que no edital não é previsto dois gabaritos para a mesma prova.Parabéns aos líderes do manifesto pela iniciativa, estamos confiando em vocês!!!

Eliana 4 de dezembro de 2009 23:33  

Dr. Maurício
Parabéns
José Henrique tb, sempre acreditei que serão os operadores de direito que poderiam fazer a diferença neste país,porém, com os últimos acontecimentos, estava ficando decepcionada, mas sei que ainda existe pessoas como vcs e assim existe esperança para um futuro mais digno e melhor.

Madalena Sofia Galvão Viana 5 de dezembro de 2009 10:48  

Pessoal, alguém sabe o resultado da reunião de ontem? Já garimpei em diversos sites, inclusive da OAB Federal e Cespe e não encontrei nada!!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP