O Império contra-ataca

quinta-feira, 29 de outubro de 2009


Passados alguns dias da prova da 2ª fase, é possível tirar três conclusões do que aconteceu no domingo.

1 - A OAB resolveu bater pesado nos bacharéis, em todas as áreas. Provavelmente isso já seja um indicativo do futuro Exame de Ordem.

2 - Muitos, mas muitos cursinhos jurídicos, Brasil afora, foram pegos com as calças nas mãos e NÃO deram a ação de consignação em pagamento para seus alunos (nem mesmo o inquérito para a apuração de falta grave). Muitos somente deram reclamatória, contestação, recurso ordinário e recurso de revista. A reclamação com os cursos é geral.

3 - A prova, em toda as áreas, precisa ser melhor elaborada. É possível fazer uma prova difícil sem se tentar confundir os candidatos com questões dúbias, somente para derrubar o maior número possível de bacharéis.

Recebi notícias sobre o novo provimento da OAB, de várias fontes, e o futuro do Exame parece que será esse:

1 - As provas objetiva e subjetiva serão no mesmo final de semana, com a objetiva no sábado e a subjetiva no domingo;

2 - A prova subjetiva será aplicada somente com consulta a lei seca. Nada mais de doutrina;

3 - A prova objetiva continuará com 100 questões, em vez das cogitadas 80;

4 - Ética terá 15 questões, além da inclusão da disciplina Direitos Humanos.

Não posso afirmar categoricamente que as informações acima procedem. Só as relacionei porque várias fontes distintas me asseveraram a mesma coisa. Resolvi dar crédito.

De toda forma, eu estou atrás desse novo provimento. Assim que conseguir, publico aqui no Blog.

A conclusão que tiro é que o Exame se tornará ainda mais difícil. A prova subjetiva de domingo foi pesada, sob certos aspectos inovadora, e, certamente, teremos agora um índice elevado de reprovações, não por acaso, para contra-balancear o índice alto de aprovações da 1ª fase.

Procurem compará-las com as provas subjetivas da última prova. O abismo entre ambas é evidente.

Já de algum tempo que acredito que a preparação para o Exame de Ordem não pode ser simplesmente deixada para o último semestre da faculdade. Ou mesmo um cursinho com apenas 4 ou 5 meses de duração basta para se lograr êxito.

Os candidatos deverão dedicar o último ano inteiro de seus cursos revendo todas as matérias de olho no Exame de Ordem.

Do contrário...

79 comentários:

Anônimo,  29 de outubro de 2009 15:34  

Jesus! Se consultando os livros foi o desastre que foi, imaginem sem consulta. Não acredito que isso passará não, até porque muita gente tinha dado como certo que a prova iria ter na primeira fase só 80 questões. Penso eu que o grande trunfo da OAB será publicar também a nota de cada faculdade, isso vai fazer com que elas mudem, que elas passam a exigir dos alunos 9hoje todo mundo pagando passa).

Anônimo,  29 de outubro de 2009 15:38  

ESTOU A-PA-VO-RA-DAAA
OU SEJA QUEM NÃO PASSOU AGORA DIFICILMENTE SERÁ UM ADVOGADO :(
Eu fiz uma reclamatória então....

Elaine,  29 de outubro de 2009 15:47  

Objetiva e subjetiva NO MESMO FIM DE SEMANA?! Quer dizer estudar como loucos p/ TODAS as matérias da subjetiva ao mesmo tempo que se prepara para a subjetiva?! Meu Deus! isso já está se tornando desumano! Sinceramente, isso só me desanima e me faz pensar seriamente que talvez eu só tenha perdido dinheiro e 5 anos da minha vida desde o dia em que escolhi o direito.

Elaine,  29 de outubro de 2009 15:53  

Objetiva e subjetiva no mesmo fim de semana?! Quer dizer, estudar como loucos para TODAS as matérias ao mesmo tempo em que se prepara para a específica?! Meu Deus! Isso já está se tornando desumano! Sinceramente isso só me desanima e faz eu pensar que talvez tenha apenas perdido dinheiro e 5 anos da minha vida desde o dia em q escolhi fazer direito com o sonho de advogar.

Elaine,  29 de outubro de 2009 15:54  

digo, ao mesmo tempo que se prepara para a ESPECÍFICA -

Gilberto,  29 de outubro de 2009 15:56  

Dr. Maurício! Primeiramente parabéns pelo Blog e por está sempre postando novidades nele. É inegável que pelo número enorme de Faculdades de Direito em nosso País e pelo fato de ninguém querer responsabilizarem-se pelo ensino ou pela fiscalização do mesmo, entre quem cuida (MEC e OAB), alguém tente fazer alguma coisa para barrar tantos Bacharéis. Fiz a prova 2008.3, fiquei com 4,00 pts. na peça e fiz 1,00 pt. nas demais questões de forma que fiquei com 5,00 pts. de média, briguei até onde pude e não consegui aprovação, cheguei a conversar com presidente do estágio em Goiás o qual me disse que minhas questões tinham lacunas por isso a nota baixa. (ora a primeira vez que vejo lacunas reprovar alguém). Dessa vez fiz novamente Civil e acho que fui um pouco melhor que na outra, mais ainda fico muito desconfiado, pois agente nem sabe como realmente se dar tal avaliação. E uma grande tristeza paira sabre mim, quando imagino que enquanto eu e alguns colegas nos matávamos de estudar, alguém poderia está com a prova já resolvida em casa, só para passar para o papel com acorreu com o ENEM, isso me revolta e muito, daí fala-se em aumentar as questões de ética, ética e moral se confundem e se não se tem uma jamais terá a outra. O certo é que alguém tem que fazer algo e rápido para moralizar o ensino no geral em nosso País. abraços!

Elaine,  29 de outubro de 2009 15:59  

digo, objetiva e subjetiva -

Anônimo,  29 de outubro de 2009 15:59  

Pois eh amigo. Tomara que eu passe nesse exame. Fiz civil, então não estou na forca com alguns de trabalho. Fui bem na peça, então, sinceramente, espero ter passado nesse exame. pq se não...

caio 29 de outubro de 2009 16:01  

Parem de reclamar pessoal, afinal, cada um tem que acreditar no seu potencial, se vc não acreditar em si mesmo nunca irá passar. E outra, quanto maior o desafio maior será o sabor da vitória!!!!
boa sorte a todos...

Julie 29 de outubro de 2009 16:11  

Dr. Maurício,

Eu fui aluna do Curso Ideia na 1a fase e do LFG na 2ª fase e não tenho reclamação alguma para fazer em relação à minha preparação. E antes que pensem que sou um gênio com tempo sobrando, trabalho e estudo e mesmo assim assisti a todas as aulas e usei como método de estudo refazer as provas anteriores. A 1ª fase do Idéia me preparou excelentemente para a prova da 1a fase. Foco certo, aulas ótimas não tenho do que reclamar. Qto à 2a fase não sei, mas os professores do LFG onde fiz deram TODAS peças trabalhistas em aula. Ou seja, era pouco provável que caísse a consignação, eles msm falaram, mas quem frequentou bem as aulas teria acertado ou feito baseado numa RT, ou até ido pelo caminho do inquéiro (peça que eles deram mais de uma vez). Quanto ao novo provimento, não vejo porque a OAB quer dificultar tanto a entrada na carreira, visto que com a prova como está já tem gente fazendo em até 5x. Acho que a prova 2009.2 estava complexa sim, mas não completamente impossível mas creio que somente com o Vade Mecum ela se tornará. Ainda mais se as duas provas forem juntas. Acho que os elaboradores da prova deviam fazer uma consulta aos candidatos e ver o que eles acham. É uma prova cansativa e até os muito bem preparados podem ter um vacilo de atenção afinal são 5h de prova e muita pressão. O que devia ser feito era uma melhor fiscalização das faculdades de Direito pra acabar com esse mercantilismo do ensino, onde todo mundo tem que ter um diploma mesmo que ele não sirva pra nada porque é isso que eles usam de justificativa para essa dificuldade toda nas provas.

E seguimos aguardando o resultado!

Obrigada pela ajuda de sempre! Seu blog é um guia! ;)

beijos

Julie

Anônimo,  29 de outubro de 2009 16:18  

Fácil , ja ouvira falar em BOICOTE , ninguem se inscreve , vamos ver no que vai dar; O corpo dicente reclama e não faz nada , vamos começar a nos manifestar.
Quando decretrem de fato as mudanças ninguem faza inscrição , vai ser lindo.... aposto.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 16:18  

Parabéns pelo Blog! desculpe pelo incômodo, mas estou inquieto por causa de uma questão e acho que o sr. poderia me ajudar. Na questão que versava sobre sonegação fiscal, eu aduzi falta de interesse de agir do MP ante a ausência de prova pré constituída para a ação penal. Não falei em súmula do STF e nem, tampouco, na Adin como estão dizendo.
Pergunto: dá pra considerar alguma coisa - ainda que falta de interesse não seja um dos quesitos contidos no espelho??? se vc fosse examinador, consideraria algo neste meu argumento? quanto mais ou menos?
Desde já, agradeço! fiquem com Deus!

Anônimo,  29 de outubro de 2009 16:20  

Parabéns pelo Blog! desculpe pelo incômodo, mas estou inquieto por causa de uma questão e acho que vcs poderiam me ajudar. Na questão que versava sobre sonegação fiscal, eu aduzi falta de interesse de agir do MP ante a ausência de prova pré constituída para a ação penal. Não falei em súmula do STF e nem, tampouco, na Adin como estão dizendo.
Pergunto: dá pra considerar alguma coisa ainda que falta de interesse não seja um dos quesitos contidos no espelho??? se vcs fossem o examinador consideraria algo neste argumento? quanto mais ou menos?
Desde já, agradeço! fiquem com Deus!

Péssimas 29 de outubro de 2009 16:21  

ao que consta, serao válidas a partir do 2010.1, na próxima, 2009.3 ainda nao haverá essas mudanças pelo pouco tempo de preparo. ACHO EU. Pelo menos foi o que ouvi dizer

Anônimo,  29 de outubro de 2009 16:38  

Melhor com a lei seca!!Basta aprender interpretar e treinar! 2 dias seguido: trata-se de acréscimo ao poder biológico do examinando!!!Se tiver que repetir melhor tentar adaptação, afinal nada cai do céu!!

Anônimo,  29 de outubro de 2009 16:48  

A OAB até pode fazer todas essas mudanças, as quais são visivelmente elaboradas para dificultar o ingresso dos alunos, porém, caso tomem tais providência, uma outra mudança se faz mais do que necessária: tirar a responsabilidade da elaboração das provas pelo CESPE, passando para uma instituição séria e de qualidade. Uma coisa é prova difícil, outra bem diferente é uma pessimamente feita e dúbia. Eu estou particularmente transtornado, pois acertei as 5 questões, mas fiz uma RT e, sinceramente, não tenho lá muita esperança de que minha peça será considerada, dada a fama do CESPE. De qualquer forma, eu vou até o fim com a interposição de recursos.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 16:50  

As mudancas no provimento ja valerao para o exame 2009.3?????

Anônimo,  29 de outubro de 2009 16:56  

Fiz a Ação de Consignação em Pagamento, fiz um tópico "DA RELAÇÃO DE EMPREGO", outro "DO ABANDONO DE EMPREGO", fiz outro "DA RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO", alegando a justa causa, pedi para fazer o depósito das verbas rescisórias: saldo de salário e férias vencidas, para a empresa não incorrer em juros e correção monetária, para dar baixa na carteira. valor da causa coloquei "DÁ-SE À CAUSA O VALOR DE R$______" pedi a notificação sob pena de revelia, protestei provar o alegado por provas.
Tenho chance de tirar uma boa nota??, visto que nas questões só acertei 02.
Por favor me respondam.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 17:05  

Ahhh, fiz também um tópico "DA CONSIGNAÇÃO"

Grato..
aguardo manifestação..

Anônimo,  29 de outubro de 2009 17:05  

Ferrou, agora não vai mais ter a moleza de ficar mais de um mês estudando pra segunda fase. E, sinceramente, estudar para a primeira e para a segunda fase juntas fica muitísismo mais pesado e difícil. Lembram que eu sempre falei aqui mesmo no Blog que não iria demorar para a OAB apertar o ciento e deixar o percentual de aprovação bem próximo de zero, semellhante ao percentual de aprovação nos concursos para magistratura? Taí começando a coisa se confirmar.

Luiza,  29 de outubro de 2009 17:08  

essse comentário do autor do blog é mais um argumento para que seja anulada a peça da prova da 2ª fase trabalho 2009.2.

Questões dúbias como essa podem e devem ser anuladas, se não espontaneamente via judicial.

ANULAR JÁ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo,  29 de outubro de 2009 17:14  

Vai ser uma loucura, não acho certo isso de as duas fases serem no mesmo fim de semana, afinal ninguém é "burro e carga". Disocrdo, mas entendo a lógica da OAB em adotar tal sistemática (se adotar). Ela quer que as faculdades ensinem de verdade e que a pessoa, ao terminarem o curso, já esteja absolutamente preparada para fazer o exame, sem precisar fazer cursinho (até porque se aprende hoje no cursinho e amanhã já não se sabe mais, ou seja, a preparação foi apenas para o exame e não para o exercercício da advocacia). Penso que pode dá resultado, sim, a médio prazo, é interessante, mesmo eu discordando a princípio

Anônimo,  29 de outubro de 2009 17:20  

Julie (16:11), desculpe-me pela sinceridade, mas você está mentindo. Eu fiz o LFG, as aulas são rigorosamente as memas independentemente de onde é a unidade do Curso, assisti a todas as aulas, e a peça Consignação em Pagamento, assim como muitas outras, não foi dada pelo Curso LFG. Não sei quais as razões para você vir aqui dizer que foram dadas todas as peças da ára trabalhista, mas você está faltando com a verdade.Eu fui muito bem na prova, creio que vou ser aprovado, acho o LFG um excelente curso (ele apenas priorizou de forma errada, não deu sorte) e tenho certeza que serviu de lição, mas sejamos honestos,não vamos dá o crédito a quem não tem.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 18:12  

e como será para saber se o cara passou na 1ª fase?

Anônimo,  29 de outubro de 2009 18:44  

Simples, 18:12. Faz-se as duas p´rovas e a práticoprofissional só será corrigida se houver aprovação na segunda. Mas você me chamou a atenção para um detalhe: será que financeiramente isso é interessante para a OAB/CESP? É que a impressão da prossa gera um custo enorme.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 18:45  

ENTÃO É MELHOR EXTINGUIR DESDE JÁ O CURSO DE BACHAREL EM DIREITO DO PAIS, ASSIM TANTO AS UNIVERSIDADES QUANTO OS CURSINHOS QUE SE DIZEM PREPARATÓRIOS PARAM DE GANHAR DINHEIRO AS NOSSAS CUSTAS. EU FIZ UMA PERGUNTA SOBRE A CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO NO MEU CURSO E O PROFESSOR RESPONDEU DE UMA MANEIRA BEM SUPERFICIAL, EM 05 MINUTOS E EM TOM DE DEBOCHE. FIQUEI COM VERGONHA ACHANDO QUE TINHA FEITO UMA PERGUNTA IDIOTA, VISTO QUE A POSSIBILIDADE DE CAIR ERA REMOTA.... MAS CAIU....

Anônimo,  29 de outubro de 2009 18:46  

Um dia é da caça outro do caçador. Trabalho na Câmara dos Deputados e aviso desde já que rola nos bastidores do Congresso Nacional mudanças drásticas para conter esse poder da Ordem. Além dessa maluquice da prova, passei o maior constrangimento ao precisar ir ao banheiro no momento da segunda prova. Passado quase duas horas do início da prova, sinalizei para um capitão do mato, digo, fiscal, que necessitava ir ao banheiro, ele como o mandachuva do pedaço, sinalizou que sim. Passei pelo cão de guarda, que fez o procedimento do detector de metais, e me dirigi ao vazo, foi quando percebi que o capitão estava literalmente atrás de mim. Eu me perguntei: que porra é essa? Se a concentração para a prova já não existia mais, imaginem para o meu líquido excrementício segregado pelos rins, ou simplesmente meu xixi. O coitado, não queria mais sair. Dizer para aquele infeliz que era necessário ele sair de perto de mim, era o mesmo que pedir para ser indiciado pela polícia civil, por tentativa de fraude no exame. Sabe lá o que aquele ignorante podia pensar. Isso tudo pode parecer cômico, mas é a realidade que somos submetidos para exercer a advocacia. O médico não passa por isso, o engenheiro, o químico nem pra ser jornalista precisa de diploma. Por que isso? Somos diferentes? Será que a vida vale mais do que o patrimônio? Ou será que a contenção de novos advogados no mercado implica menos clientes para os velhos/antigos Advogados? Hoje tem advogado no mercado que nem passou por exame e nem por isso ele é melhor do que os novos.

Duds,  29 de outubro de 2009 18:47  

Eu acho que vao aceitar o inquérito e a consignação nessa prova...
o Inquérito por tratar da rescisão e a Consignação por tratar da mora !
a questão nao confundiu os examinandos, confundiu quem vai corrigir a peça, visto que agora terão mais trabalho para distinguir os fundamentos.
att

Anônimo,  29 de outubro de 2009 18:49  

ABSURDO!!! Por isso é que dizem que o Brasil é o país dos Tolos, pois só nós mesmos para deixarmos que isto aconteça. Que horror!!! Que vergonha!!!. Que palhaçada foi aquela prova de Trabalho no domingo. Pessoal vamos pedir a anulação daquela prova já!!!!. Eu nunca vi isso acontecer na Vunesp..... Fora Cespe!!!!

Anônimo,  29 de outubro de 2009 18:53  

Professor Mauricio, muito obrigada pelo apoio. Agora só nos resta torcer para os examinadores olharem com carinbo todas as provas, pois o nosso sonho não pode ser destruido por um simples capricho da CESPE!!!

Anônimo,  29 de outubro de 2009 19:20  

Ouvi um comentário de que a OAB acabou também com a apção por área, ou seja, a partir de 2010 será uma peça só, escolhida entre todas as áreas, para todos os candidatos.Alguém sabe sobre isso? Caramba, tô ferrado se for isso mesmo.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 19:27  

Não adianta nada ficarem discutindo a mudança no provimento que regulamenta o exame de ordem. Enquanto não for tomada as devidas providências a esse respeito, nada vai mudar. Façam como os Médicos que não aceitaram prestar um exame parecido com o da OAB. E para quem não sabe, um PL que disciplinava regras para a execução de um exame para os veterinários foi VETADO pelo Presidente Lula. Pensem nisso.

ReNNy 29 de outubro de 2009 19:39  

EU TAMBÉM FIZ PREPARAÇÃO NO LFG NA 2ª FASE E NÃO FOI DADO EM NENHUMA AULA AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO, PELO CONTRÁRIO, FOI DITO BREVEMENTE QUE ERA UMA PEÇA QUE NÃO TINHA POSSIBILIDADE DE CAIR NA PROVA, NOS LEVANDO A FICAR DESPREOCUPADO.
SÓ ACERTEI A PEÇA PORQUE TENHO UM POUCO DE PRÁTICA, MAS NAS QUESTÕES NÃO ME SAIR MUITO BEM PELO POUCO TEMPO QUE RESTOU, POIS COMO NUNCA HAVIA FEITO UMA AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO PASSEI HORAS PESQUISANDO NOS LIVROS PARA NÃO ERRAR. MAS NO LFG EU NÃO VI ESSA PEÇA EM NENHUM MOMENTO E ASSISTIR TODAS AS AULAS PARA 2ª FASE.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 19:42  

Boa pergunta do colega, se uma prova será seguida da outra, o único critério imaginável é que da correção da 1ª prova já nem corrija a segunda porque a 1ª não tenha atingido 50 pontos.Nessa a pessoa que se matou de estudar para as duas fases vai ficar mais frustrada ainda...

Anônimo,  29 de outubro de 2009 19:47  

Concordo com o Maurício.

Nada na vida é fácil inclusive a prova da OAB....

Anônimo,  29 de outubro de 2009 19:47  

Na verdade, a aula de consignação em pagamento foi "comentada" na LFG, e que o passo-a-passo seria igual de uma inicial, só! Não foi redigido um modelo, nem houve resolução de um problema que levasse a esse tipo de peça.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 19:56  

quais livros de vocês serviram? o unico que realmente e serviu foi a clt da ltr o resto foi para perder tempo. dava pra fazer a prova só com a lei seca sim + ojs e juris.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 20:12  

Os candidatos que optaram por fazer trabalhista, assim como os cursos, estavam habituados apenas a estudar peças como: RT, RO,RR e ai foram supreendidos com uma peça digamos "rara" mais que segundo o edital, poderia ser cobrada. Acho que o CESP, não está errado, apenas cobrou o que era previsto no edital. Nada demais..

Anônimo,  29 de outubro de 2009 20:15  

Verdade seja dita. O curso do LFG errou e errou feio .Eu assisti a todas as aulas e o Professor André em nenhum momento nos ensinou como fazer uma Ação Consignação em Pagamento. Se, ensinado, muitos saberiam como proceder. Terão eles sim, grande parcela de culpa pelo número de reprovação, que vai ser a maior na história da Cespe. Acreditem.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 20:17  

FAZ TODO SENTIDO COLOCAR AS DUAS PROVAS JUNTAS, A OAB APLICA RÁPIDO...CORRIGE RÁPIDO...REPROVA RÁPIDO...E ABRE OUTRO EDITAL RÁPIDO COBRANDO R$ 180,00 DOS TROUXAS PARA FAZEREM DE NOVO.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 20:33  

Pessoal quem quizer já saber como será, caso realmente se confirme as duas provas sendo realizadas no sabádo e no dimingo, é só acompanhar aprova que será realizada pela OAB em Minas Gerais. Será nos dias 28 e 29 de Novembro de 2009. Portanto, é facil interpretar que realmente isso irá acontecer pois Minas Gerais já esta aplicando as provas nesses moldes, ou seja, em dois dias consecutivos. Agora se vocês acham que a prova do CESP é dificil, dê uma olhada nas provas tanto de 1 fase quanto da 2 fase em MINas Gerais, que vocês irão perceber que a prova do CESPE é moleza diante da prova realizada pela OAB/MG. Boa sorte a todos, e estamos na luta.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 21:44  

Bom, pelo menos a angústia e o stress será menor rsrs...vc vai e reprova num final de semana ou passa de vez, não fica dois meses mastigando expectativas!

Anônimo,  29 de outubro de 2009 21:53  

A prova contundente e clara de que o exame de ordem terá as duas fases na mesma semana é o exame de ordem de Minas Gerais que está em curso. Esse exame de Minas terá a primeira fase no dia 28 de novembtro e a segunda no dia 29 de novembro. E me parece que é o primeiro exame lá que tem as duas fases na mesma semana. Como sabemos, Minas aderiu ao exame nacional, e se não me engano será o último em nível estadual que ocorre lá é o que está em curso.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 21:57  

Mas proibindo o uso de livros de doutrina e jurisprudência o tipo de prova vai ter que mudar também. A prova de trabalhista, por exemplo, que hoje exige demais Súmulas do TST, como ficará, já que Súmula não é lei? Sei não, mas acho que vai ficar mais fácil.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 22:05  

Acho ótimo só com a lei, pelo menos não iremos ficar em dúvida e cair na conversa de doutrinadores idiotas que nos induzem ao erro!

Anônimo,  29 de outubro de 2009 22:06  

Pessoal, se as provas forem as duas na mesma semana, que tudo indica que será mesmo, visto que Minas Gerais já é assim, sabe quem sairá no lucro? OS CURSINHOS, pois até agora quem era reprovado na primeira fase (que são 80%)não fazia cursinho para a segunda, só que agora todo mundo vai fazer cursinho para a primeira e para a segunda, é mole? Esses caras da OAAB devem ser os donos dos cursinhos no Brasil, só pode ser isso.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 22:32  

19:27, ACONTECE QUE AS PROVIDÊNCIAS JÁ FORAM TOMADAS, UM NOVO PROVIMENTO JÁ FOI APROVADO NA SAMANA PASSADA. SÓ FALTA AGORA A OAB PUBLICAR ESSE NOVO PROVIMENTO, MAS QUE MUDOU O EXAME MUDOU.

Julie 29 de outubro de 2009 22:33  

Prezado Anônimo que se dirigiu a mim: Eu não faltei NENHUMA aula, assim como tenho material escrito de TODAS as aulas no meu caderno e sim, vimos todas as peças. Não sei o que você ganha dizendo que faltei com a verdade, meu ponto não era fazer propaganda do curso e dizer que sim, uma vez estudadas as possibilidades de iniciais, esse tópico foi ministrado em sala, ou seja, acho que a culpa não é dos cursos e sim da OAB. Era isso que eu quis dizer. Não ganho nada fazendo propaganda do curso, mas tb não tiro seu mérito. Eu tb acho que vou passar mas não venha me acusar de mentirosa porque essa é uma acusação muito grava num meio público onde o Sr(a) resolveu se manifestar. Estou apenas manifestando minha opinião.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 22:42  

O maior problema e fazer a prova "só" para exercer uma profissão.Com direito a pagar anuidade...
No mínimo é desconfortável, mas é a regra do jogo.

Anônimo,  29 de outubro de 2009 22:47  

Não adianta brigar com o tema.
Precisamos unir força e brigar para valer contra este exame imora e indescente. Proterstem contra esta hipocrisia, contra esta instituição corporativista. O povo unido jamais será vencido.

Samuel Oliveira,  30 de outubro de 2009 00:02  

gente se isso for verdade nao será nada de dificil, será ainda mais facil passar.
prestem bem atenção, se forem 15 de etica ja sao 15 acertos, pq etica eh assaz facil.
Se incluirem direitos humanos, seria como incluir direito internacional ou direito ambiental, as perguntas sao ridiculas, facilimas.
como baixaram para 80 o numero de questoes, e considerando o q comentei acima, tirar 40 nao será nada dificil...
Nada de desespero com relação a nao usar mais doutrina na subjetiva, pq isso nao significa q vc terá de decorar a doutrina p embasar sua prova, mas q nao terá q levar uma mala de livros no dia da prova, ja q nao poderão cobrar fundamentação doutrinária a respeito, e somente a lei seca no comando e no corpo das questoes.
A PROVA FICOU SIMPLÉRRIMA!!! APROVEITEM A BRECHA!!!
Se cair algo de diferente do q cobrarem tenham certeza q choverá MS e voltarão atrás (tomara q nao hehe).

Ricardo 30 de outubro de 2009 00:15  

Acredito que para se fazer uma previsão desta, o fenômeno precisa se repetir. Vamos acreditar que houve um incidente na primeira fase (ao se elaborar uma prova fácil) e a OAB quis "compensar" na segunda. Vamos ser otimistas... Acreditar que o Exame 2009.3 volte ao "normal" (como foi o 2009.1, ainda sem as mudanças previstas para o "2010.1").

Anônimo,  30 de outubro de 2009 02:15  

Bachareis uni-vos! Peçamos todos em conjunto o registro como jornalistas!!! hahahahaha...

Anônimo,  30 de outubro de 2009 05:13  

Acho que a provas deveriam ser em duas etapas. Na objetiva, p.ex., se for 80 questões, 2 cadernos com 40 questões cada (duas etapas de 2h30min) e intervalo de meia hora para relaxar , ir ao banheiro, fumar (meu caso!) etc. Na subjetiva, da mesma forma, um caderno com as questões e outro com a Peça. Acho que assim seria bem mais fácil a aprovação. As 5h seguidas de prova é uma coisa desumana!

Anônimo,  30 de outubro de 2009 08:47  

Olha, vi a prova prática de trabalho e cheguei a uma conclusão: Definitivamente, o exame da ordem não seleciona os que estão preparados para exercer a profissão. Seleciona QUANTOS a OAB querem. Ou seja, quantidade, não qualidade! Já sou advogado (aprovado no 1o exame de 2009 - graças a Deus!!). Tenho quase certeza que SERIA REPROVADO NESTE EXAME (2/2009). CF (Brasília)

Anônimo,  30 de outubro de 2009 09:55  

Penso que tudo o que está acontecendo acabará se virando contra a parceria CESPE/0AB. Pressinto que esse inconsequente "exame da ordem" tem seus dias contados. Essa tal "força" da Oab é tão indestrutível quanto um telhado de vidro.

GJO 30 de outubro de 2009 10:10  

pessoal a cesp,deverá considerar tanto rt como acp,desde que fundamentada no mesmo art. e sumula32..acredito que também podera seguindo a tradição da cesp a peça ser uma reclamação trabalhista.

Anônimo,  30 de outubro de 2009 15:40  

09:55, tenho dó de você. Tira essa ideia da cabeça de que o exame vai acabar, tira isso e ai á luta, vai estudar.

Paulo 30 de outubro de 2009 16:35  

Considero absurdas essas supostas alterações. Nota-se que a OAB está perdida em relação à elaboração de exame que de fato avalie o conhecimento prático-jurídico dos candidatos.
Ora, para se elaborar parecer jurídico, ou peça judicial, os agentes do direito, sejam eles advogados, juízes, promotores ou procuradores, tem que levar em conta as fontes do Direito: AS LEIS, A JURISPRUDÊNCIA, A DOUTRINA E OS COSTUMES.

Não se pode basear apenas em interpretação da lei seca, e, portanto, para elaborar peças jurídicas na prova ou mesmo responder a questões jurídicas, é mandatório utilizar livros de doutrina e jurisprudência!!!

Se verdadeiras essas informações, esse é mais um absurdo da Comissão de Exame de Ordem.

O que se viu no último exame prático trabalhista foi algo inimaginável.

No tocante à peça trabalhista, jamas se poderia esperar que um advogado elaborasse uma peça pleiteando em favor do cliente levando em consideração apenas os elementos fornecidos pela banca examinadora! Se o fizesse seria desidioso e negligente, sujeitando o cliente aos danos de uma aventura jurídica frustrada (Hipótese prevista no art. 34, XXIV do Estatuto da Advocacia).

Elaborar uma peça trabalhista baseando-se apenas nos elementos fornecidos no enunciado do último exame de ordem é incorrer no risco de lide temerária, ou , no mínimo, ter a peça considerada inepta ou ainda ter o pleito julgado improcedente por falta de sustentação em fundamentos fáticos!

O mínimo que se espera de uma Ordem que tem por finalidade defender a Costituição, a ordem jurídica, os direitos humanos, a justiça social, e pugnar pela boa aplicação das leis, é que dê o exemplo e atue com justiça dentro de sua própria casa. Mas, a prova prática trabalhista do último Exame de Ordem é exemplo flagrante de injustiça.
Se o enunciado dúbio e insuficiente para a propositura de ação judicial não foi fruto de erro ou desconhecimento técnico por parte da comissão julgadora, somos levados a imaginar que foi proposital e com o objetivo de confundir os candidatos, elevando o índice de reprovação, o que configuraria MÁ FÈ e interesses escusos, o que não queremos acreditar.

Devemos esperar que a Comissão do Exame de Ordem da OAB reflita com serenidade, equilíbrio e senso de justiça, e anule a questão relativa à peça da prova trabalhista, por ser a decisão mais justa, acertada e legal.

PS: eu elaborei a peça AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO no exame de ordem, e mesmo assim entendo que a questão deve ser anulada!

Anônimo,  30 de outubro de 2009 22:08  

Só lei seca? Depois a Ordem diz que o exame tem objetivo de medir a qualificação dos bacharéis? Eu duvido qual o advogado que realiza uma preça processual sem utilizar livros de doutrina. E não é só o advogado, não, todos os juizes também consultam os livros de doutrina para melhor proferir suas sentenças e não raro eles citam nas sentenças a doutrina. Então, sendo assim, a OAAB está cometendo um trmendo equivoco probibir o uso de livros de doutrina no exame de ordem.Aliás, a área trabalhia o exemplo vivo de que não pode ser utilizado só a lei seca, pois quase tudo, QUASE TUDO mesmo no processo trabalhista, envolve jurisprudência (Súmulas e OJ). Então como vai ficar a prova de trabalhista, por exemplo?

Anônimo,  31 de outubro de 2009 14:16  

Fato interessante que eu pude observar pelomenos em minha faculdade é que os chamados "nerds" alunos bitolados a grande maioria caiu na pegadinha do inquerito e suas diversas teorias, enquanto uma parte na qual nao se esperava muito fizeram ACP, eu confesso que nao estudei tao pouco fiz cursinho, ao abrir a doutrina logo cai em acp, sequer sabia o cabimento de inquerito. O que eu posso dizer é que a CESPE pegou aqueles que achavam que sabiam demais, porque somente aqueles que conheciam o IJ cairam na pegadinha da CESPE com suas diversas teorias fictas.

Anônimo,  31 de outubro de 2009 17:39  

Quanto mais estudarmos,mais dificil vai ficar a prova.Agora vem Direitos Humanos,depois Previdenciário e Eleitoral. Depois virá Filosofia e Sociologia como na prova da Magistratura. Depois serão 200 questões como as provas para AGU com certo e errado. Depois cada errada vai anular uma certa.Depois serão 3 provas específicas como é na Defensoria , Mp e Magistratura. Depois pedirão titulos.
Enfim nós estamos correndo contra o tempo. Eles vem a 300 por hora e nós temos que correr a 500 por hora para nos anteciparmos às mudanças. Ou vamos ficar pelo caminho.

Anônimo,  31 de outubro de 2009 19:39  

No RJ, em geral, os principais cursos deram a peça q caiu e ainda ressaltaram q poderia ser totalmente inovadora a peça!!!

E concordo com tudo, mas penal foi mole! Graças a Deus!!! Foi obvia, tranquila, cheia de informações,...

Anônimo,  31 de outubro de 2009 20:21  

Eu falei... faz tempo que eu venho aqui no Blog dizendo que o exame de ordem caminha para ficar tão difícil quanto o concurso da magistratura, onde o percentual de aprovação fica beirando a zero. Eu não tenho nenhuma dúvida que já no exame 2010.1 o indice de aprovação não passará de 3%, creiam piamente nisso, creiam mesmo e façam o maior esforço apra passar no próximo ou então nunca mais conseguirão.Se hoje, sendo o exame ainda é muito fácil e mesmo assim 80% são reprovados, imaginem com as mudanças previstas para 2010.

Estudande de Direito,  31 de outubro de 2009 22:29  

É evidente que os exames estão cada vez mais difíceis e irão piorar ainda mais com as novas regras. Para passar no exame da ordem, como bem o Dr. Maurício resaltou, é necessario que o candidato comece a se preparar bem antes, e não só no ultimo ano da faculdade como a maioria dos alunos fazem. Se possível, quando o aluno estiver no 3 ano (e tiver levado esses 3 anos a sério), já começar a fazer um cursinho nos sabados, esses cursinhos de 1 ano, para ir reforçando os conhecimentos. Eu falei isso para um primo meu e ele disse: "ah, é cedo ainda para começar a estudar para o exame da ordem". Bom, depois então não fique desesperado no ultimo ano do curso com trocentas matérias para estudar e fixar.

Anônimo,  1 de novembro de 2009 00:25  

E o pior que nos rachamos de estudar, pagamos um grana considerável para fazer o curso (faculdade, livros, materiais, etc.)e quando conseguimos aprovação no exame simplesmente não se arruma trabalho (quando arruma é pra ganhar salário de R$ 500,00). Estou há 2 anos advogando e até hoje não ganho mais do que R$ 400,00 por mês como advogado, minha salvação é que trabalho em outra atividade (fui abrigado a te-la, senão morreria de fome). E tem outro detalhe: os advogados, como são muitos, nunca cobram pelo menos o mínimo da tabela de honorários da OAB, todos eles cobram muito abaixo, o que é uma vergonha e uma desmoralização para a classe. Estou arrependido de ter perdido tanto tempo fazendo um curso de direito pra nada. E não vejo nenhum perpesctiva diferente pela frente não. Ah, a solução é concurso público? Infelizmente sempre trabalhei para sobreviver e nunca tive tempo de ser estudante profissional (aquele que estuda quase 24 horas por dias, pois tem pais ricos)e infelizmente concurso hoje em dia tem que estar super, hiper preparado, senão nunca vai passar.Infelizmente faculdade de direito não nos dá base nenhuma para aprovação em concurso, por mais simples que ele seja, esta é a mais pura realidade.

Anônimo,  1 de novembro de 2009 17:57  

PARA MORRER O ASSUNTO. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DO EXAME DE ORDEM DO RN, INFORMOU EXTRAOFICIALMENTE, QUE A PEÇA CORRETA A SER CONSIDERADA PELO CESPE É A ACP. ME DEI MAL, FIZ IJ. O QUE RESTA E ESTUDAR PARA O 2009.3.

Anônimo,  2 de novembro de 2009 03:46  

Pois é....ao passar na OAB os problemas não terminam como muita gente pensa. Tem gente que faz festa como se tivesse ganhando na mega sena e amarrado o burro na sombra. É depois de passar na OAB que o bicho pega, pois aí o recem formando vai ter que entrar no mercado de trabalho que não está nenhuma maravilha como todos já devem saber. De qualqeur forma, boa sorte a todos, inclusive para mim, pois estou no mesmo barco.

Anônimo,  2 de novembro de 2009 14:08  

E isso mesmo 03:46, que o diga o anônimo que fez o comentário 00:25 (01 de novembro). Advogar é 1.000 vezes mais dificíl do que ser aprovado no exame de ordem.

Anônimo,  2 de novembro de 2009 19:02  

Fato interessante que eu pude observar pelomenos em minha faculdade é que os chamados "nerds" alunos bitolados a grande maioria caiu na pegadinha do inquerito e suas diversas teorias, enquanto uma parte na qual nao se esperava muito fizeram ACP, eu confesso que nao estudei tao pouco fiz cursinho, ao abrir a doutrina logo cai em acp, sequer sabia o cabimento de inquerito. O que eu posso dizer é que a CESPE pegou aqueles que achavam que sabiam demais, porque somente aqueles que conheciam o IJ cairam na pegadinha da CESPE aforando-se com suas diversas teorias fictas.

Omar Roberto de Aguiar Filho. 3 de novembro de 2009 01:04  

Caro Maurício,

Todas as informações com relação ao novo exame procedem, é o que anda falando o Sr. Dilson aqui de Aracaju - Sergipe, em alto e bom tom, para todos que querem ouvir, não há mais segredos com relação a esse assunto. Conforme você colocou será assim mesmo:
1 - As provas objetiva e subjetiva serão no mesmo final de semana, com a objetiva no sábado e a subjetiva no domingo;
2 - A prova subjetiva será aplicada somente com consulta a lei seca. Nada mais de doutrina;
3 - A prova objetiva continuará com 100 questões, em vez das cogitadas 80;
4 - Ética terá 15 questões, além da inclusão da disciplina Direitos Humanos.
O que ainda não foi aprovado é somente a questão do aproveitamento da aprovação na primeira fase por 3 exame consecutivos, ou seja, sendo aprovado na primeira fase ela terá validade no exame vigente e por mais dois exames, totalizando três.
Diante de todas essas modificações, O Sr. Dilson deixou bem claro que o objetivo do exame não é o de derrubar os candidatos, mas proporcionar uma seleção adequada. Frisou que é uma exigência da Banca ao CESPE que elabore uma prova adequada ao novo modelo. Continuou tentando amenizar a preocupação dos presentes, que se mostraram muito tensos e de certa forma contrariados. Foram muitas reclamações dos presentes, acho que serão a de muitos também...

Anônimo,  3 de novembro de 2009 01:23  

Concordo com você, eu sou muito estudiosa, mas apesar de gostar muito de trabalho eu não consigo viajar em teorias como ocorre com D. constitucional. Então quando peguei a prova nem imaginei que fosse pegadinha, procurei uma que evitasse os juros e fiz. Agora, eu achei que as duas primeiras questões demandavam muito tempo, e eu que sempre fiz tudo em tempo recorde, entreguei minha prova no ultimo segundo e sem ter tempo de revisar nada e nem de complementar as questões como queria. Resumindo: mesmo tendo feito ACP estou na corda bamba, pois só fiz de forma completa 3 questões. Resta aguardar e rezar para que o espelho da Cespe esteja conforme a minha peça e questões. Quem sabia menos, se deu melhor nesta prova.

Anônimo,  3 de novembro de 2009 16:04  

Puts... o anônimo 01:04 de uma notícia bomba. Os reprovados em trabalhista agora é que vão ficar malucos. Se não passarem agora adeus aprovação.

Anônimo,  3 de novembro de 2009 20:18  

Pessoal, falei pessoalmente com o Sr. Dilson e ele me assegurou que não tem nada certo quando ao novo formato do exame de ordem, que a única coisa certa que que vão ser inclusídas questões de direitos humanos.

Anônimo,  3 de novembro de 2009 22:13  

22:33, TEM TODAS AS AULAS? EU TENHO TAMBÉM. ENTÃO PEÇA O MODERADOR PARA PUBLICAR A SUA AULA DESSE DIA QUE VOCÊ DIZ QUE O LFG ENSINOU A CONSIGANÇÃO EM PAGAMENTO E QUE VOCÊ TEM QUE EU TAMBÉM PEÇO DEPOIS PARA SER PUBLICADA A MINHA DESSE MESMO DIA.

Anônimo,  3 de novembro de 2009 23:23  

Osmar Roberto (1:04), e quem é esse Sr. Dilson? Ele é da OAB, que função ele tem lá? Será que merece mesmo credibilidade, porque uma vez falaram como certa a mudança de 100 para 80 questões na prova.

Julie,  4 de novembro de 2009 00:56  

Anônimo 03/11/09 22:13 Por que ainda está perdendo tempo discutindo isso quando tem muito mais coisas a se preocupar? Se quiser ver os meus cadernos, terei muito prazer de scannear tds as aulas e lhe mandar, mas creio que a discussão nesse tópico é outra. Se eu vi na aula e você não viu ou o que quer que seja, agora não vai fazer diferença nenhuma uma vez que a prova já foi dada e a peça que vc tinha que fazer você fez, acertou e foi muito bem, como mesmo disse, sem ajuda do curso enquanto pra mim o curso ajudou. Por favor, eu quero acompanhar as discussões sobre a peça e o que pode vir de resultado, não perder tempo em discussões pessoais. Obrigada pela atenção.

Anônimo,  4 de novembro de 2009 16:48  

Perdendo tempo não, colocando a verdade sobre a mesa.

Anônimo,  5 de novembro de 2009 12:02  

= perdendo tempo!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP