D´Urso apóia exigência do Exame de Ordem para novos delegados

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso (foto), apóia a proposta prevista dentro do anteprojeto da cúpula da Polícia Civil, de exigir atestado de aprovação no Exame de Ordem para a contratação de novos delegados. “Sem dúvida, a adoção do critério de aprovação no Exame de Ordem qualificará melhor esses profissionais e será um viés de estímulo para que eles estudem e se aprimorem ainda mais”, ressalta D´Urso.

Para o presidente da OAB SP, o Exame de Ordem convive com o mito de que é difícil, quando na verdade, é criterioso. “É a má qualidade do ensino jurídico que se reflete diretamente no índice de reprovação de inscritos nos exames da OAB. Por isso, não recuo um milímetro na formatação atual do Exame, que deve ser mantido como está, servindo para avaliar se o bacharel reúne condições mínimas para atuar como advogado. O índice de reprovação apenas reitera a absoluta necessidade de sua manutenção”, avalia D´Urso.

No entender do presidente da Seccional Paulista o critério escolhido pela cúpula da Polícia Civil é uma homenagem à OAB SP e ao Exame de Ordem, que poderia ser adotado também pela Magistratura e pelo Ministério Público, que exigem para o bacharel que presta seus concursos de ingresso apenas 3 anos de prática jurídica. “Temos certeza de que essa proposta, se aplicada, terá efeitos benéficos nos serviços prestados pelos operadores do Direito e pelos delegados”, afirma D´Urso.

A proposta de adoção do Exame de Ordem para novos delegados integra o anteprojeto de reestruturação da Polícia Civil e está sendo analisado pelo governo Serra, devendo seguir posteriormente para a Assembléia Legislativa do Estado.

Fonte: OAB/SP

Até onde me consta, uma prova para delegado é mais difícil do que o Exame de Ordem.

Se a idéia é que o candidato tenha real prática jurídica após sua formatura, exigir o Exame de Ordem faz sentido. Se for apenas mais um critério para excluir candidatos, não faz nenhum.

De toda forma, a aprovação no Exame da OAB, cada vez mais, será a porta de ingresso para as carreiras jurídicas. Como os índices de aprovação não são muito bons, os bacharéis de direito que não conseguirem passar na prova serão excluídos do mercado de trabalho de forma quase que absoluta. Já não basta exclui-los do mundo da advocacia?

Eu gostaria de ver o Dr. D'Urso apoiar enfaticamente o fechamento das faculdades caça-níqueis. Ele e o Dr. Cezar Britto também. Já passou da hora da OAB Federal se mobilizar de verdade contra o tão aludido "estelionato educacional".

8 comentários:

Anônimo,  8 de outubro de 2009 16:36  

Infelizmente estamos diante de uma liderança voltada para o corporativismo e arrecadação de dinheiro via Exame de Ordem. Não há mais sombras de dúvidas quanto aos interesses financeiros envolvidos. Tanto o Sr. d'Urso quanto o Sr. Britto somente se interessam por $$$$!!!
A OAB é a instituição mais arbitrária que existe no Brasil. O estudante de Direito vai se tornando cada vez mais refém de lideranças duvidosas e o ÚNICO profissional que não pode exercer a profissão após a formação acadêmica. Porque não se fecha os cursos caça-níqueis??
Como diz aquele velho ditado: aonde há fumaça, há fogo.

Anônimo,  8 de outubro de 2009 18:32  

Tem que conseguir apoio de peso, assim essa manifestação vai acabar sendo vergonhosa.

Anônimo,  8 de outubro de 2009 19:23  

Agindo assim só irá aumentar o número de pessoas que vão ter que tirar a OAB por "necessidade" e não por opção ou vocação.

Com esse aumento irão fechar ainda mais as portas para o mercado da advocacia, em razão do elevado número de "portadores de carteira profissional" e irão reduzir o acesso a concursos, que não tem nada a ver com a advocacia.

As matérias até podem ser as mesmas, mas se a OAB cobra o mínimo do conhecimento jurídico, como sempre justificou, não deveria ser empecilho para quem é capaz de passar em concurso, pois já é dito, quem pode o mais, pode o menos.

Anônimo,  8 de outubro de 2009 20:33  

Olha,essa turma que está mandando na Oab quer, de qualquer maneira, provar a força que têm . No meu entendimento, isso vai acabar muito mal, para eles.Vão perceber, mais tarde ou mais cedo, as verdadeiras intenções dessa "dupla dinâmica". Eu acredito que o exame , como também, os 3 anos que pedem de prática jurídica, sejam extintos. Não no próximo ano , mas lá para 2011. Podem apostar, isso vai acontecer.quando se aperta muito, logo depois tem que desapertar.

Maurilio José,  9 de outubro de 2009 09:58  

Esta madita lei do exame de ordem foi proposta pelo extinto SNI. Nem Saney nem Collor teve coragem de promulga-la. Como a posse de Itamar Frnaco foi ilegitia, pois ao cassar Cllor teria que dar posse ao seguno colocado que seria o Lula ou faser novas Eleições OAB prefriu dar legitimidade ap ilegal desde qu Itamar sancionasse esta lei inconsitucional. Vamos voltar a moralidade neste País que eu tanto lutei para ser democrático. Extinção do exame de ordem declaração da ADIN urgente.

Anônimo,  9 de outubro de 2009 11:04  

20:33, perca as esperanças. O Brasil está mudando e mudando para melhor, ponha isso na sua cabeça e estude se quiser se tornar um advogado ou quiser seguir uma carreira jurídica. Categoria profissional formada por desqualificados descamba sempre para a corrupção generalizada, pois na falta de competência as pessoas querem sempre resolver na base da propina.Um país no qual os profissionais são desqualificados é um Estado mergulhado na corrupção.

Anônimo,  11 de outubro de 2009 11:00  

Verdade,16:36, "onde há fumaça há fogo". A OAB vem há muito dizendo que o ensino jurídico no país é uma porcaria: "onde há fumaça há fogo", verdade.

Lúcio Micheli Brito 13 de outubro de 2009 22:51  

Tomemos cuidado amigos!!!
Acordem com as novasa mudanças ai no exame da OAB!
Lúcio Micheli Brito.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP