As estatísticas do Exame de Ordem 1.2009

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

O site da OAB Federal liberou as estatísticas do último Exame de Ordem (clique AQUI), e o site Conjur publicou uma matéria sobre o assunto (clique AQUI)

O mais interessante na matéria do Conjur é verificar que apenas 53 faculdades de Direito aprovam 50% ou mais de seus alunos, dentro de um universo de 699 faculdades (foram ignoradas as faculdades com menos de 10 alunos envolvidos no certame).

É fácil constatar que o ensino superior de Direito no Brasil está na UTI. Apenas 1/5 dos bacharéis que fazem o exame conseguem passar.

Vejamos abaixo o ranking por Seccionais:

É importante fazer justiça aos Estados do Nordeste, pois das dez primeiras Seccionais no ranking, sete são dessa região. Talvez isso decorra do fato de que o Exame Unificado começou pelos Estados do próprio Nordeste, mas, com a progressão da unificação e a consistência obtida dos resultados dos últimos Exames, é difícil fugir do raciocínio de que o estudante de Direito nordestino é, no mínimo, mais aplicado. Parabéns ao Nordeste!

Por fim, dei uma olhada na longa lista do site da OAB, para ver se era possível elabrar uma relação com as piores faculdades de Direito. Fazer das melhores é fácil, mas fazer das piores...

Seria uma tarefa que consumiria um dia inteiro de trabalho, pois o número de faculdades que aprovam pouquíssimos de seus alunos (isso quando não aprovam nenhum) é imenso

Vamos ver se o MEC toma alguma providência.

21 comentários:

Anônimo,  28 de agosto de 2009 08:37  

No exame 2009.1 o CESPE/OAB diplomou 13.092 advogados.

Anônimo,  28 de agosto de 2009 09:45  

Estamos com um problema no Brasil: existem dois Estados de Rondônia !!! bom, pelo menos para a OAB existem; e o Estado de Roraima (também na UTI) ficou de fora desta lista. Que pena !!!

Anônimo,  28 de agosto de 2009 12:28  

Pois é. Veja que o Nordeste sempre está na frente em vários estados e com grande número de inscritos. É como falei sobre o post anterior sobre o Piauí. Ass. Rodrigo Ricardo

Anônimo,  28 de agosto de 2009 12:37  

E o mais preocupante da estatística é que São Paulo, com número gigantesco de bacharéis, ficou na "lanterna". Vergonha nacional, mas São Paulo é vergonha em dobro!!!

Anônimo,  28 de agosto de 2009 14:17  

Eu não acredito nessas estatísticas, pois no nordeste uma prova pode "vazar", assim como pode em São Paulo.

Se vazar em São Paulo, e passarem 100, não faz muita diferença no final, porque o número de pessoas é grande.

Agora se vazar no nordeste e passar 100, aí o ranking muda.

Anônimo,  28 de agosto de 2009 14:36  

"Entre as escolas, o melhor desempenho foi o da Universidade de Brasília, que aprovou 35 dos 36 candidatos que fizeram a prova, com um índice de (97%) de aprovação."

Acho que vou repetir o curso e estudar na UNB, talvez eu possa ser aprovado nesse Exame. kkkkk

Reprovaram so 1, só de migué....kkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo,  28 de agosto de 2009 15:53  

Esses dados estão no mínimo estranhos! Minas Gerais não se submeteu ao exame nacional em 2009, a coordenação dos exames de abril e agosto de 2009 em Minas foi a OAB/MG, portanto no que se refere a este estado não ha base de comparação que leve a qualquer conclusão, já que trata-se de provas distintas.

Anônimo,  28 de agosto de 2009 16:20  

Sou carioca,advogado passei no exame mas já era para estar advogando desde 2007,quando fiz o 31°exame a segunda fase e me deram 5 tentei recorrer na OAB ela manteve a nota a situação era tão injusta aquela correção maliciosa que não mede conhecimento de ninguém, muito pelo contrário quantas questões na prova objetiva são dúbias e não são anuladas,então eu digo com toda a propriedade por ter feito 6 exames está prova o único objetivo é reprovar;agora não venham com hipocrisia de dizer cadê o MEC;que existe faculdade que não tem um bom corpo docente eu concordo e cabe o MEC punir mais quem faz a faculdade também é o aluno e será que este baixo índice de aprovação no RJ E SP,principalmente é por incapacidade dos bacharéis ou por malícia da OAB.

Anônimo,  28 de agosto de 2009 19:24  

O percentual de aprovação da Universaidade é super supspeito, pois o CESPE é de quem? É da Universaidade de Brasília.

Anônimo,  28 de agosto de 2009 19:27  

Não acredito no Nordeste, não acredito mesmo...não acredito na pesquisa é só ver o que MG ta fazendo ali...certo o anônimo das 15:53...Parece que eu surtei vendo isso...Jesus me abana!

Anônimo,  28 de agosto de 2009 20:20  

Se as primeiras colocações fossem de SP ou RJ não haveria qualquer reprovação, como é do Nordeste...Tem gente que comenta até sobre vazamento de prova. Ora, será que é crível que a prova vaze em quase todos os estados do NE em vários exames de ordem consecutivos? Absurdo! Outra: porque vários outros estados com número de inscritos semelhantes aos do NE não apresentam aprovações melhores (salvo raras exceções como o DF)? Ass. Rodrigo Ricardo

Anônimo,  29 de agosto de 2009 07:25  

Há uma relação direta com o tamanho da Seccional (número de bachaéis que fazem o exame). Como na Regição Norte e Nordeste o número é muitíssimo menor que nas outras Regiões há sempre um percentual maior de aprovação. A probabilidade de um percentual maior de aprovação é muito maior quando são 300, 500 bacharéis que fazem a prova do que quando são 3.000, 5.000, 20.000.Não há nada de melhor qualificação.

Anônimo,  29 de agosto de 2009 13:44  

Sou estudante da UFAL, me formei a pouco e passei no último exame.
Assim como eu, quase tds q tentaram na minha turma passaram e sem dúvida esse percentual se deve a mt esforço.
Odeio vir aqui e ver tanta dor de cotovelo...além disso não é a 1º vez que o NE se destaca...
Posso dizer com muita firmeza que aqui o nível é alto e por conta disso os bons resultados acontecem.

Anônimo,  29 de agosto de 2009 17:25  

Não há como comparar. É evidente que sempre fazem a comparação, mas não há parâmetros seguros para a comparação merecer credibilidade, até mesmo por causa, como já escreveram anteriormente, do número de participanates no exame. Por exemplo, em São Paulo são mais de 20.000 bacharéis que realizam o exame em cada edição, enquanto em muitas regiões o número não passa de 800 bacharéis e a gande maioria esse número não passa de 400 bacharéis.Não é inveja, dor de cotovelo e nem nada,até porque eu já sou advogado faz mais de 3 anos, é a realizade. Querem ver como a comparação não merece crédito? Se fizerem a comparação em números absolutos ninguém venceria São Paulo.

Anônimo,  30 de agosto de 2009 13:45  

Os resultados são proporcionais!!!
Não importa o nº de inscritos..800 ou 1.000. Logo o resultado no Nordeste merece td mérito sim!
Abçs.

Anônimo,  30 de agosto de 2009 18:56  

Exato. Os números são proporcionais e a prova é igual para todos. Além do mais, não é só um estado, mas quase todos que participaram do exame no NE tiveram desempenho entre os 10 melhores. Eles representam um quantitativo grande de candidatos (mais de 7 mil) e um espaço amostral quase tão considerável quanto o de outros estados maiores. Só para exemplificar: GO e RS têm juntos mais de 6 mil inscritos e tiveram percentuais de aprovação bem inferiores (em torno de 20%), enquanto os referidos 7 estados do NE tiveram em torno de 30% de êxito. Assin. Rodrigo Ricardo

Anônimo,  30 de agosto de 2009 21:53  

Procurem um matemático que ele explicará para vocês que comparando uma Seccional na qual 100 bacharéis participam do exame e uma na qual 10.000 participam, a probabilidade de um percetual elevado de aprovação ser atingido será muito mais fácil naquela que teve 100 participantes. Tudo bem, vocês estão analisando a situação levando em consideração números proporcionais e eu estou falando em probabilidade. Sem nenhuma. Portanto, sem pretender dar qualquqer conotação "bairrista" à discussão, discordo totalmente de quem está simplesmente olhando o percentual de aprovação para afirmar que determinada Região (no caso a Nordeste)apresenta faculdades melhores ou bacharéis mais bem preparados.

Cris,  31 de agosto de 2009 00:14  

Nós aqui estudamos muito sim. Esse ranking só é resultado do nosso esforço. Enquanto os do sudeste perdem tempo criticando, nós aqui estamos lendo, com a carinha nos livros. Eu por exemplo, colo grau essa semana e passei no exame de 1ª. E fiz isso com toda a carga de uma monografia, matérias de fim de semestre e ainda tendo que trabalhar...
Talvez o maior erro do ser humano seja culpar os outros pelas suas derrotas. Afinal, é mais fácil apontar do que dizer "O que estou fazendo de errado" Pensem nisso. Bjinhos a todos os aprovados do exame 2009.1. Os que não obtiveram êxito, força e fé, se quiserem derrubarão essa barreira logo, logo...só depende de vcs!! Forte abraço...BAHIA marcando presença..huhu

Anônimo,  31 de agosto de 2009 00:24  

Nível alto? estamos falando de decoreba.

Passar nesse exame não significa nada do ponto de vista do bom profissional.

Anônimo,  31 de agosto de 2009 09:21  

"Odeio vir aqui e ver tanta dor de cotovelo"

Quanta infantilidade!

Isso jamais foi discurso de advogado. Me desculpe!

31 de agosto de 2009 18:12  

Parabéns ao Nordeste!!! Mas não adianta cantar vitória, porque a prova da OAB unificada é o texto da lei, muito diferente da antiga prova OAB-SP é só comparar. Então eu aconselho a todos estudar a lei, e não ficar decorando fórmula. Um bom livro de questões comentadas tambêm faz a diferença e para mim foi o que deu certo na prova 138º, pois eu fiz tantas questões parecidas, todas de exames anteriores que na hora da prova não foi tão estranho as questões de meia página. Para todos Sucesso!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP