Como estudar para o exame de ordem

terça-feira, 28 de julho de 2009

Amanhã será divulgado o edital para o exame de ordem 02/2009. Nesse momento muitos bacharéis se perguntam: Como estudar para o exame de ordem?

Naturalmente que existem dezenas de métodos de estudo, mas vou abordar aqui um sistema que se adapta melhor para quem deseja passar no exame de ordem.

1 - O primeiro passo é ler a lei seca. O Cespe majoritariamente estrutura suas questões valendo-se da legislação nua e crua. Logo, dar uma boa lida na Constituição, nos códigos, e nas leis que o exame aborda (ECA, CDC, Legislação ambiental, etc.), estrutura a base necessária para se enfrentar a prova. É importante ressaltar que a legislação referente à deontologia jurídica é de suma importância, pois não há grandes divagações doutrinárias sobre ela, e, como esse universo é relativamente restrito, o candidato tem grandes chances de acertar as dez questões, o que representaria 20% do necessário para conseguir aprovação na primeira fase.

Uma observação importante que faço analisando o desenvolvimento da prova da 1ª fase desde o exame 1/2008 é que o Cespe tem preferido exatamente a lei seca em detrimento da jurisprudência sumulada dos tribunais superiores, especialmente no campo do direito do trabalho. Tenham isso em mente.

2 - Exercícios são essenciais para adaptar o
candidato ao sistema de perguntas do Cespe. Se você começou a estudar agora, aproveite e faça de imediato uma das provas anteriores, para sentir como está seu preparo. Não se assuste se conseguir responder inicialmente apenas 20 ou 25 questões - isso é normal para quem está "cru". Resolva pelo menos 15 provas antigas do exame. Além das provas do Cespe, eu recomendo as provas da OAB/DF e da OAB/RS, que até então tinham um bom nível de dificuldade. Depois de resolver muitas provas, compreender seus próprios erros e superá-los, você adquirá alguma malícia para enfrentar o seu vindouro dia da verdade. Tem um livro no mercado, de autoria do Dr. Wander Garcia, que serve, e muito, para ajudar o bacharel nesse aspecto. Quem quiser saber mais sobre a obra clique no link: (www.focojuridico.com.br)

3 - A Doutrina direcionada para o exame de ordem é distinta e peculiar. Isso decorre de dois fatores básicos - A prova do exame de ordem não aborda os institutos jurídicos com profundidade e o tempo de preparo é muito curto. Em razão disso, a produção editorial nessa seara é farta, representada pelos famosos resumos jurídicos, que se amoldam à perfeição dentro desses dois fatores, convergentes entre si. Para o exame de ordem, a leitura dessa doutrina, em conjunto com a leitura da legislação e da resolução das questões, ajuda a formar o arcabouço necessário para o candidato lograr aprovação na primeira fase. O mercado proporciona ampla fartura de publicações nesse sentido. Não indico uma em específico porque de um modo geral todas se parecem.

Você pode me perguntar: Devo fazer um cursinho? Depende como você se sente como candidato, ou depende se você pode pagar por um. Se puder, independente da forma como você se sente como candidato, eu aconselho a cursar. Por outro lado, se tens muita confiança em si mesmo ou está com a grana curta, pode prescindir de um cursinho, desde que se dedique seriamente aos estudos. Cursinho é bom, pode ser ótimo, mas não é imprescindível.

Tem gente que diz que os cursinhos são urubus mercantilistas que se aproveitam dos bacharéis para fazerem dinheiro. Bem.., quem procura o cursinho é o bacharel, e não o contrário. Se você tem essa restrição, abandone-a.

Lembre-se que não existe fórmula milagrosa ou revolucionária de estudos. Se alguém tentar te vender essa idéia, desconfie - Te garanto que nesse campo não há nada de novo sob o sol. Sucesso ou fracasso, de um modo geral, estão atrelados mais a persistência e dedicação do que a métodos mirabolantes. Claro que inteligência conta, mas, até onde eu sei, deficiências intelectuais podem ser perfeitamente superadas pelo esforço e empenho.

A soma de um bom esforço, com a leitura da doutrina adequada, da legislação, com a resolução de exercícios, serão a chave que te abrirá as portas da OAB.

Mas mesmo assim (sempre tem um porém) as coisas podem sair do esquadro, e, apesar dos esforços, você pode colher o fracasso e se frustrar, em que pese todo o empenho e esforço despendidos. Isso decorre geralmente da falta de estratégia para enfrentar o exame.

Antes que você ache que eu estou me contradizendo com o que acabei de escrever sobre métodos mirabolantes de estudo, devo alertá-lo que estratégia não se confunde com uma aludida "revolução na forma de estudar" - Eu explico:

O exame de ordem, se analisado na sequência em que já foi aplicado, e, da forma como é aplicado, revela-se uma prova telegráfica - ou melhor - mapeável. Não estou aqui querendo dizer que sei mais ou menos o que cairá na próxima prova - isso seria futurologia, e eu não tenho vocação para cartomante ou pai-de-santo. Como você já deve saber, e, se não sabe, descobrirá rapidinho, a prova vem dividida em vários "setores", cada um dedicado a um campo do direito, tal como o direito constitucional, administrativo, penal, etc, etc. Esses campos podem ser divididos naqueles que são mais importantes (o grau de importância é determinado pelo número de questões que cada campo tradicionalmente apresenta nas sucessivas provas). Logo, os três campos mais importantes são o direito civil, direito penal e direito do trabalho, cada um apresentando na média 15 questões por prova. Depois temos o direito constitucional, administrativo, tributário e deontologia jurídica, cada um com aproximadamente 10 questões por prova. E, ao fim, vêm os campos menos relevantes, como direito internacional, ECA, ambiental e consumidor.

Sabendo disso, o candidato deve eleger as matérias para estudar que, concomitantemente, têm um maior peso na prova e que lhe sejam mais fáceis de estudar. Por exemplo, se eu fosse escolher um grupo de matérias para dar uma maior prioridade, escolheria constitucional, administrativo, trabalhista, ética e civil, exatamente por ter uma maior afinidade com elas. Assim, eu sugiro ao candidato que monte um grupo prioritário de matérias para estudar, combinando suas preferências pessoais com as matérias que possuem o peso certo.

E o que é peso certo?

São as matérias que, combinadas, darão ao candidato os 50 pontos que ele precisa para lograr aprovação. Não se esqueça, você não precisa de 80 pontos para passar, e sim de 50, somente isso. Cinquenta e um pode ser até uma boa idéia, mas para o seu propósito, eu asseguro que é um exagero. VOCÊ SÓ PRECISA DE 50 PONTOS!! A sua estratégia de estudo tem de priorizar as matérias que lhe darão os 50 pontos. "Mas jogar esse jogo olhando só para o limite de 50 pontos não é perigoso?" Claro que é! Eu disse que as 5 matérias são sua prioridade, mas você não deve neglicenciar as demais, por óbvio. A soma das matérias prioritárias com as demais é que lhe dará o sucesso, inclusive porque é virtualmente impossível que você estude apenas 5 matérias e acerte 50 pontos cravados. No entanto, com essa estratégia, você evita estudar como se fosse um franco atirador, atirando para todo lado sem saber o que estudar e o quanto estudar. Essa estratégia tem o único propósito de permitir que você racionalize seu estudo, dando-lhe um foco e uma meta, estudando com a segurança de que está no caminho certo, exatamente porque tem uma estratégia para seguir.

Lembre-se, seu tempo de estudo é limitado. A próxima prova será no dia 13 de setembro. Gaste um ou dois dias planejando seus estudos e pare de perder tempo.

Bons estudos!

9 comentários:

Anônimo,  28 de julho de 2009 11:49  

Dr. eu também acho que os cursinhos são "urubus" mercantilistas, só que eles estão ocupando um espaço e resolvendo uma carência que o bacharel, sozinho, dificilmente será capaz de sanar. As faculdades além de em regra serem ruins, o que foi ensinado antes (do 1º ao meio do 5º ano)não é atualizado, ou seja, para as faculdades, o passado é passado e nisso elas mais se mexem.Se as faculdades não preparam e não se preocupam em atualizar os seus alunos,e como se sabe as leis e a Constituição são modificadas a todo instante, os cursinhos ocupam este espaço (se eles são dos próprios donos das faculdades é outra história),querendo a grana, é verdade (mas que há de errado nisso?),e tantam fazer o que as faculdades não fazem. Por isso, posso asseguarar que nos dias atuais os cursinhos são de FUNDAMENTAL IMPORTÂNCIA para quem almeja aprovação na primeira fase (principalmente) do exame. As alterações na legislação têm se processado em ritmos acelerado, todos os dias ocorrem dezenas e dezenas de modificações nas leis e Consitituição e os cursinhos estão sempre atualizados e é lá que o bacharél encontra todas essas modificações de forma consolidada. Comete um grave equívoco quem pensa que não precisa de cursinho para ser aprovado no exame de ordem. É evidente que têm alguns que até conseguem, mas isso é raro e só acontece com quem fez uma boa faculdade e se manteve durante todo o tempo rigorosamente se atualizando.É um risco grande não fazer um cursinho. Aliás, cá para nós, quem gastou uma boa grana durante o curso de direito, agora fica se apegando a qualquer R$ 500,00, R$ 600,00 como pretexto de não fazer um cursinho está sendo pouco inteligente, até porque o direito é dinâmico, o direito exige atualização constante, e os cursinhos, repito, estão super atualizados sempre. Pessoal, pensem bem, o que vem sendo exigido quase sempre é a lei seca, mas se o bacharel não for capaz de interpretar o texto da lei de nada adiantará, pois a prova do CESPE não costuma ter questões que são resolvidas com a interpretação literal pura e simples do texto da lei e a última prova é um exemplo claro disso.

Ju 28 de julho de 2009 12:28  

Dr. Mauricio,

Muito obrigada pelas dicas. Vou fazer o próximo exame e já adquiri o meu livro. Agora é correr contra o tempo.
Abraços

Anônimo,  28 de julho de 2009 15:05  

E ACONTECEU COMIGO..EU RELUTEI EM FAZER CURSINHO E EM 3 EXAMES LEVEI PAU...NA QUARTA TENTATIVA FIZ O CURSINHO E FOI SUSSEGADO, PASSEI TRANQUILO. VERDADE SEJA DITA...SE NÃO EXISTISSE OS CURSINHO O PERCENTUAL DE REPROVAÇÃO SERIA QUASE 100%.

Arthur 28 de julho de 2009 18:01  

Será que a prova ocorrerá mesmo no dia 13/09? O Cespe fará no mesmo dia e horário uma prova de caráter nacional (PF). Estou chutando que o dia deve ser alterado para o dia 20, mais ou menos.

Anônimo,  28 de julho de 2009 18:24  

Chute errado. O CESPE/OAB costuma cumprir rigorosamente as datas estabelecidas no edital para realização das provas. São terivéis para divulgar resultados, mas para realização das provas são pontuais.

Anônimo,  28 de julho de 2009 18:38  

Galera, passei no exame 138, e nunca fiz cursinho, apenas estudei com muita disciplina.

Temos que acreditar em nosso potencial.

Galera, bons estudos e sucesso a todos.

Arthur 28 de julho de 2009 19:29  

Mas o edital ainda não saiu. Certeza mesmo só quando sair.

Patricia,  29 de julho de 2009 09:53  

Bom dia ao Blog!

A questão de fazer ou não cursinho é bastante discutida.

Fui aprovada no 138 e não fiz cursinho. No 137 fiquei na 2. fase, também sem cursinho. Mas vejam, quem tem recursos,PODE e DEVE fazer.

O que o Dr. Maurício escreveu é verdade. Para a primeira fase lei seca é a melhor opção. Outro recurso que me ajudou e muito foi a leitura das sinopses jurídicas. Tem gente que não gosta, porém, recomendo.

Outra coisa. Ficamos todos desesperados para estudar todo o conteúdo de 05 anos ( o que aprendemos e o que NÃO aprendemos). Tudo de Tudo. Civil, Processo Civel, Penal, Processo Penal e etc.

Esqueçam. Escolham 04 matérias é o Código de Ética e estudem as escolhidas. O que todos nós precisamos ter em mente é que com 50 passa. Fui bem nos dois exames, nas primeiras fases, com esta minha tática de guerra..rs.

Confesso que a minha 2. fase foi traumática. Já tinha tomado pau no exame anterior de estava MUITO nervosa.

Ocorre que eu tenho amigos. E quando os temos os perrengues ficam mais fáceis de suportar.

Fiz penal na segunda fase. O direito material pra mim nunca foi problema. Mas, a prática sempre foi, haja vista não ter podido estagiar. Fiz o estágio da faculdade e me dediquei às aulas de prática 100%.

Estudei para a segunda fase com a ajuda de um casal de amigos, também advogados, que corrigiram todas as minhas peças e me deram toques prá lá de importantes.

Então, pessoal, se a grana estiver curta pra cursinho, se socorram dos amigos...e olha, quando eu fui aprovada choramos os três de felicidade...eu pq passei..eles por certo, por não terem mais que corrigir as minhas peças...rs

Ah! e o mais importante: Acompanhem o Blog. Garanto que tudo que li aqui, me ajudou por demais.

Boa sorte a todos!

Patricia

Anônimo,  29 de julho de 2009 20:00  

O QUE ACONTECEU COM A PUBLICAÇÃO DO EDITAL DO EXAME 2009.2? ESTAVA MARCADA PARA HOJE, DIA 29/07 MAS, ATÉ ÀS 20:00 HS. NADA, NEM NO SITE DO CONSEKHO FEDERAL EN NEM NAS SECCIONAIS ESTADUAIS. FOI ADIADO?

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP