Consulta às respostas dos recursos da Prova Prático-Profissional

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Já está disponível no site do Cespe a consulta às respostas dos recursos da Prova Prático-Profissional. Clique no link abaixo para obter a sua:

https://www.security.cespe.unb.br/OAB_08_3/respostas_discursiva/respostas.asp

14 comentários:

Anônimo,  9 de maio de 2009 01:04  

CORREÇAO DA PEÇA

SEM VERGONHICE E/OU INCOMPETÊNCIA É O QUE SE RESUME ESTA CORREÇÃO DE PROVA DA OAB... E O QUE MAIS INDIGNA AINDA É A FUNDAMENTAÇÃO "BIZARRA" E CONTRADITÓRIA!!!

Dr. Maurício: para mim.. o DANO MORAL não foi cobrado em parte também com a fundamentaçao no recurso e dessa forma ganhei pontos nos quesitos 2.4, 2.5 e 3!!!

Só que no 2.1 e 2.2 FOI COBRADO O DANO MORAL!!! COMO ASSIM?? EM CERTOS QUESITOS COBRA E OUTROS NÃO??

Gostaria de saber se caberia MANDADO DE SEGURANÇA NESTE CASO!! POIS É TOTAL CONTRADITÓRIA A CORREÇAO!!

Gostaria de entrar em contato contigo.. até para eu lhe passar o material sobre isto, a justificacao da oab pra conceder dano moral e não conceder tb! ehehe..

por isto. me adicione ou me envie um email: MAURICIO_MLJ@HOTMAIL.COM




GRATO POR TUDO QUE TENS FEITO ATÉ ENTÃO.. e acho que seria importante para muitos esta parte do dano moral.. sem contar que eu mencionei o art. 3 da CLT e nao me deram nada de ponto no quesito 2.1, da questao 3.

tiago,  9 de maio de 2009 13:14  

A fundamentação do recurso foi patética no meu caso. Essa prova é um fiasco. Os quesitos sem objetividade deixam uma margem de julgamento enorme para o corretor, que faz o que quiser e fundamenta como quiser, sem considerar nenhum aspecto objetivo da prova.
Sem contar as contradições. Acho que nem leram meu recurso, somente copiaram e colaram frases prontas...

Anônimo,  9 de maio de 2009 20:05  

Dr. Maurício, até hoje não consegui acesso a resposta do meu recurso no exame 137 de São Paulo. A CESPE havia me informado que no dia 8 iria ser disponibilizado junto com a resposta dos recursos do exame nacional, mas não aconteceu. O que faço?

Bia,  11 de maio de 2009 15:34  

Uma vergonha a correção do recurso da oab.
Precisava de 0,2 pts para minha aprovação e todos as minhas questões recorridas foram indeferidas. Pedi o dano moral e só me foi concedido 0,2.
A terceira questãpo acertei integral e me tiraram 0.2 por não ter clareza na resposta. faça me o favor.

Dr. Maurício gostaria que entrasse em contato comigo para um eventual mandado de segurança.

É possíve recorrer para a OAB federal?

Atenciosamente,

Beatriz.

Maurício Gieseler de Assis. 11 de maio de 2009 15:46  

Beatriz,

É mais fácil você entrar em contato comigo.

Abraços!

Bia,  11 de maio de 2009 16:10  

Como faço para entrar em contato com o senhor?

Anônimo,  11 de maio de 2009 18:01  

Caraca...alguém sabe me dizer o que devo fazer em razão de a O.A.B. de São Paulo não disponibilizar as respostas dos recursos? O próximo exame já será domingo e até hoje a Ordem nem disponibiliza as respostas e nem diz porque não o faz. Existe alguma medida que posso adotar? MS é cabível? Tenho direito de conhecer a decisão, oras bolas.

Obrigada.
Marise

Anônimo,  11 de maio de 2009 21:38  

Boa noite, entrei com recurso da segunda fase, contestando quase todos os quesitos, ocorre que indeferiram a maioria, deferindo pontuação de apenas um quesito, aumentando a nota em 0,40, porém eu havia tirado 4,90 na prova e arredondaram p/ 5,0, somando-se estes 0,4 fiquei com 5,30. Será que tenho chances no embargo de declaração e mais importante, alguém sabe como fazê-lo?
se puder me responder agradeço
Jair - jackb52@ig.com.br

Anônimo,  11 de maio de 2009 23:50  

Prova: Prova Prático-Profissional Direito do Trabalho - Peça - CONTEÚDO

Houve deferimento
quesito 2.1: deferido. Segundo orientações da própria OAB, o candidato que não pediu danos morais por entender que não ficou configurado, já que não houve revista íntima, deve obter conceito máximo.
quesito 2.2: deferido para majorar a nota.
quesito 2.4: deferido. Segundo orientações da própria OAB, o candidato que não pediu danos morais por entender que não ficou configurado, já que não houve revista íntima, deve obter conceito máximo.
quesito 2.5: deferido, pelos mesmos motivos já expostos no item 2.4.
quesito 3: indeferido, tendo em vista que demonstrou tecnica parcial ao deixar de incluir o dano moral e o pedido.

Fernando

Anônimo,  12 de maio de 2009 09:01  

Não cabe embargos de declaração, porque não se trata de decisão judicial. Cabe mandado de Segurança, mas se realmente tiver havido algum abuso por parte da comissão que analisou o recurso (E SEMPRE HÁ), fora isso é partir para o próximo exame cuja primeira fase vai acontecer domingo próximo.É o que vou fazer, desisti de ficar querendo recorrer contra a reprovação, é muito menos desgastante. Só que eu vou desmarcarar a OAB. Vou passar no próximo (e se não for no próximo será no terceiro...mas uma hora eu passo) e aí a rede globo vai ter um perfiL completissimo sobre o exame da OAB, INCLUSIVE COM IMAGENS mostrando tudo o que acontece durante as provas, mostrando as babaries que são cometidas, principlamente na segunda fase, onde somos tratados que nem moleques e cachorros, inclusive tendo os bacharéis que manuseiar os livros no chão, pois nem uma cadeira eles permitem (na maioria das vezes) ser utilizada como apoio.

Anônimo,  12 de maio de 2009 09:28  

Fernando por favor me passsa o seu recurso por email, pois so meu dano moral não foi deferido e com o seu recurso tenho chance de entrara com MS e demonstrar direito líquido e certo: o meu email é larissa@guilhermegoncalves.com.br.
por favor te peço para me encaminhar seu recurso, seu espelho e sua prova. entre em contato comigo.obrigada
Larissa

Anônimo,  12 de maio de 2009 17:17  

Tenho plena convicção de que a OAB e a tal CESPE não são instituições sérias. A OAB veste uma capa de seriedade mas comete arbitrariedade que jamais deveriam ser cometidas por uma instituição que se diz protetora dos direitos. Proterora dos seus direitos, isso sim que é a realidade. A primeira fase do próximo exame será já no domingo e até hoje, 12/05/09, eu não tive conhecimento da resposta ao meu recurso da segunda fase do exame 137. Nem a OAB e nem a tal CESPE se pronunciam sobre o assunto. E pior que eu não estou pedindo para eles nenhum favor, pois além de ser um direito que tenho eu paguei e paguei uma taxa EXTORSIVA de R$ 180,00 para participar do exame.Só por essa taxa, que se configura uma verdadeira extorsão oficializada, eu, assim como todos,já merecia um tratamento no mínimo derespeito dessa instituição de OITAVA CATEGORIA que se chama CESPE e dessa instituição que se veste de legalista, mas que no fundo, no fundo é arbitrária, que se chama OAB. Um dia já atribui à OAB o mais alto conceito dentre todos as instituições brasileiras, mas hoje, sentido na pela, vendo de perto o que realmente ela é e como age, posso garantir que no meu conceito ela não passa de um LIXO em avançado estado de putrefação e de quem tenho sérias dúvidas se realmente quero fazer parte (vou pensar muito até domingo, mas hoje a probabilidade de eu desistir de vez desse lixo é de 99,99%).

Anônimo,  12 de maio de 2009 23:26  

Gente, isto não está certo. A correção das provas não tem critério nenhum, vai pela subjetividade do examinador. Em um quesito do meu recuso: "indeferido, dificuldade na legibilidade dos grafemas". Para quem não sabe, grafemas são as letras.Em outro quesito: "embora haja dificuldade na legibilidade dos grafemas, a nota atribuída deverá ser majorada para...". Deus do céu! Que critério é esse que em um quesito indefere porque a letra é ilegivel e em outro defere embora a letra estaja ilegível? Ilegiível PRA ELES, porque pra mim tá muito e bem legível, só não entende quem não quer. Que coloquem computador então nessa desgraça de exame, caramba. E o que é mais esdrúxulo: praticamente fui reprovado porque eles não entenderam minha letra, mas um amigo colega de faculdade recorreu pedindo a majoração da nota em um quesito da peça processual e a nota foi majorada para o MÁXIMO e ele foi aprovado, mas agora pasmem: meu amigo não fez a peça, só começou, endereçou errado e colocou o nome errado e parou aí. Qual é o erro mais grave? Fazer a peça competinha e eles com preguiça não tiveram paciência para ler o que estava escrito simplesmente porque acham minha letra feia, ou quem não fez a peça? Isso é um absurdo sem tamanho, gente, estou indignado. Gente, nos dias atuais ninguém, faz uma preça à mão, nem que queira não faz. A peça deveria ser feira em um compufador, que se vire a OAB e a CESPE para dispinibilizar os equipamentos (e ganham muito bem, pra isso, a taxa de inscrição é absurda). Que façam o exame em vários dias, qual o problema nisso? Aliás, nem precisava esse exame do jeito que é, bastava o bacharel se dirigir à OAAb, agendar a prova e no dia marcado ir lá e fazer.Ah, questão de transparência, igualdade para todos (não estaria havendo nenhuma desiguldade)? Me engane que eu gosto OAB.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP