Notícias sobre a fraude no Exame de Ordem 3.2006 da OAB/DF

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Fiquei sabendo da disposição da nova direção da OAB/DF em apurar todas as fraudes ocorridas nos anos de 2004, 2005 e 2006 na OAB/DF.

Até então os processos encontravam-se estranhamente parados.

Das 250 provas apontadas como suspeitas pelo Ministério Público Federal, 137 tiveram adulterações confirmadas. Além disso, nove examinadores também estão sob suspeição pelo Tribunal de Ética e Disciplinar da OAB.

Das 137 provas analisadas, 18 foram entregues em branco e respondidas posteriormente por outra pessoa. Em outras 97, o conteúdo respondido era insuficiente - se levado em conta a nota atribuída aos candidatos - e 25 provas tiveram inserção de texto, apresentando em comum a mesma letra em diversas provas.

Lembro-me inclusive de algumas conversas de bastidores, que, entre os beneficiários desta fraude, haviam filhos de gente importante dos tribunais sediados em Brasília.

De uma forma ou de outra, espera-se efetivamente que a OAB/DF limpe de vez essa vergonhosa nódoa sobre seu nome.

16 comentários:

jorgeannynl 8 de abril de 2010 12:10  

enquanto isso... fico aqui remoendo o fato de eu não ter passado por um décimo na 2009.2!

Glaydson 8 de abril de 2010 12:14  

Qual a razoabilidade de anular 2009.3 por causa de UM e estas provas não já que são centenas de fraudes?

E... afinal... como anda o inquérito da PF sobre este caso. Já são mais de 30 dias.

Será que houve fraude mesmo?

Jaime 8 de abril de 2010 12:22  

Quinta, 8 de abril de 2010, 8h41
Fonte: Redação Terra

Concursos
Anulado concurso que teria favorecido namorada de ex-corregedor

Atualizada às 10h

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) anulou o concurso público para tabelião feito em novembro de 2008 (nº 41) pela Corregedoria-Geral da Justiça do Rio de Janeiro por considerar que houve favorecimento de uma ex-namorada e uma amiga do presidente do Tribunal de Justiça do Estado (TJRJ), Luiz Zveiter, na época corregedor e presidente da comissão examinadora do concurso.

A Corregedoria Nacional de Justiça irá determinar um prazo para que o TJRJ realize novo concurso e declare vagos os cargos já ocupados.

Zveiter foi acusado por candidatos do concurso de favorecer na correção das provas uma ex-namorada sua, Flávia Mansur Fernandes, e Heloísa Estefan Prestes, que, segundo os acusantes, não possuíam as habilidades necessárias para ocupar os cargos a que foram indicadas, em Niterói.

Os conselheiros do CNJ compararam as provas delas às de outros candidatos e chegaram à conclusão de que houve favorecimento, decidindo pela anulação do concurso. O então presidente da comissão examinadora alegou que na época não tinha mais relações com Flávia Fernandes e que não beneficiou as candidatas.

» Confira mais notícias sobre Economia


Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Redação Terra.

Mario Berger de Sousa 8 de abril de 2010 15:30  

É isso aí... e dizem que o exame de ordem serve para selecionar a qualidade do advogado, confere respeito à profissão, etc, etc...

Carolina 8 de abril de 2010 15:44  

Boa tarde!

Dr. Maurício,

Estão rolando boatos de que a prova objetiva do exame 2010.1 será no dia 20/06/2010. O sr. tem alguma notícia sobre isso?

Abçs. Carolina.

Paiva_adv 8 de abril de 2010 17:53  

E o 2009.2 !!! Não analisarão a falta dos parâmetros usados na correção -ferindo o princípio da isonomia! Examinados a mercê de cada examinador...!!!!

Airton 8 de abril de 2010 20:45  

Agora este humilde examinando, no alto dos 60 anos de idade, que se aventurou em desafiar os meandros deste Exame, passa a entender porque minha peça prática do Exame da Ordem 2009.2, foi considerada inadequada e outras idênticas receberam nota e já estão advogando. Não fui simpático aos olhos dos examinadores...valha-me Deus...desvende este mistério... e me livre deste....sofrimento....tire-me desta angustia..e interceda junto a estes pecadores que lesaram milhares de inocentes formandos de direito, porque fizeram isto, qual o objetivo,não posso acreditar que foi pelo vil metal...que horror, como irão reparar isto, OAB, por favor ainda há tempo de reparar o erro, anule a questão prática trabalhista 2009.2, porque acobertam um equívoco que não foi vosso, o Cespe não merece toda essa lealdade, mãos à obra.....eles trairam a vossa confiança, Deus vos proteja.....

André Dantas 8 de abril de 2010 20:45  

Prezado Dr. Maurício gostaria que o Sr. ou alguém me respondesse as seguintes questões:
1. Todos os integrantes da OAB (tanto federal como seccionais) passaram pelo exame?
2. Por exemplo, os ministros do Supremo passaram pelo exame? (Todos são extremamente capazes e conhecedores da Lei).
3. Quantos examinandos passaram nos exames de ordem anteriores (que pelo que me parece, a cada dia que passa se mostra extremamente corrompido desde muito tempo) e que hoje atuam como advogados, talvez muitos tendo se beneficiado de alguma forma?
4. Considerando que o exame, em sua essencia, tem a finalidade de medir a capacidade profissional dos futuros advogados, e, que o Direito é extremamente dinâmico e que o exame tem essa finalidade etambém a de (evitar possíveis danos à sociedade), não seria então necessário um exame de reciclagem de todos os advogados a cada dois anos por exemplo? (Acredito que muitos não passariam nem na 1ª fase).
5. E por fim, pelo andar da carruagem (o Sr. ou quem me responder) acredita, sinceramente que hoje o exame capacita ou mede a capacidade de alguém de forma isonômica e justa?
Deixo claro que tais questionamentos não tem a intenção de simplesmente provocar, mas sim de trazer à tona uma discussão séria em relação ao fim do exame ou de sua total reformulação.
Abraços,
André Dantas.

Poderoso Hércules 8 de abril de 2010 21:01  

Acredito que o Ministério Público deveria investigar o polêmico exame da ordem 2009.2. É inadmissível o que ocorreu com os examinandos, vítimas deste certame. As respostas dos recursos se resumiam a uma ou duas linhas no máximo. Alguém nos ajude!Ou será que isso é justo? É meu segundo exame de ordem e é a terceira vez que vou fazer a prova da segunda fase. Se muitos passaram com RTs puras,IJs, e sem contar muitas peças absurdas que foram aceitas, as outras deveriam ser corrigidas. Precisamos de ajuda. De alguém que olhe por nós. Socorro MP!
“Há algo de podre no Reino da Dinamarca”.

Perséfone 8 de abril de 2010 21:20  

É ... a cada dia aparece uma bomba nova com um maior número de megatons. É o apocalipse jurídico!

lfmarassini 8 de abril de 2010 23:30  

Já nem me impressiono quando leio notícias sobre ´´fraudes nos Exames da OAB´´.

Esses casos server para demonstrar que, conhecendo as pessoas certas e tendo MUITA grana, o exame de ordem é barbada mesmo.....Afinal, com dinheiro, qualquer um compra o gabarito e passa.

Mario Berger de Sousa 9 de abril de 2010 01:33  

Paiva_adv! Estou de pleno acordo, me sinto garfado pelo que houve no 2009.2. Teve gente passando com Exceção de Pré-Exetividade e eu sequer tive minha prova corrigida. Precisa alcançar somente 1,5 pts na peça pra passar (nas demais questões fiz 4,0 pts).

Tatá 9 de abril de 2010 10:38  

No meio de toda essa bagunça da OAB precisei mudar de cidade e, hoje, estou morando bastante longe do local para onde me inscrevi e residia anteriormente. Já fiz diversos requerimentos à OAB e Cespe, mas nada ainda resolveram sobre uma possível troca de cidade de aplicação da prova. Um "chuta" a responsabilidade para o outro, demonstrando, ainda mais, a desorganização existente.
Alguém sabe de algum caso em que se tenha conseguido essa alteração ou sobre a possibilidade de ela ocorrer?

texugo 9 de abril de 2010 17:27  

espero que nao demore 4,5 ou 6 anos ate que realmente seja apurada a fraude ocorrida agora, no exame 2009.3. Mas pelo jeito é o que vai acontecer, é o "modus operandi" da OAB.

Maria Doralice 9 de abril de 2010 19:41  

... e coelhinho da páscoa... e papai noel... e político honesto... e mula sem cabeça... Por favor, me dá um chá de flor de laranjeira!!!

Airton 10 de abril de 2010 09:32  

Colega Mario Berger de Sousa, solidarizo-me com você, alcancei 4,1 pontos nas questões subjetivas, e minha RT foi considerada inadequada, vi com meus próprios olhos um examinando que fez um parecer pontuar 1,4 pontos na peça, e outras já exaustivamente citadas como IJ, RT pura, RT com consignação e tantas outras, simplesmente inexplicável.Ainda acalento esperanças de que a OAB irá reavaliar esta situação, não deixará esta mancha ilícita fazer parte de sua grandiosa história. Por favor nos ouçam.....ainda há tempo......

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP