Conflito de datas entre a nova prova da OAB e provas marcadas para o dia 11 de abril

domingo, 7 de março de 2010

O dia 11 de abril, data da nova prova subjetiva da OAB, aparentemente conflita com a prova para o TRF-4, entre outras possíveis provas. O juiz do trabalho e professor Rogério Neiva escreveu uma interessante consideração sobre esse problema. Cliquem no link abaixo e confiram:

Blog Tuctor

15 comentários:

Lucas 7 de março de 2010 19:10  

Um absurdo anularem a prova. Vai prejudicar quem tinha ido bem e não tinha qualquer envolvimento com essa fraude. Quem tem q ser punido é qm fraudou, e n os demais. Mudem de idéia enquanto há tempo.

Lucas 7 de março de 2010 19:19  

Um verdadeiro absurdo, a OAB precisa mudar de idéia enquanto há tempo, isso é uma palhaçada!!!

j pessoa araujo 7 de março de 2010 19:41  

A OAB é uma instituíção semelhante ao casamento, tá fálida e, o pior tem um papel só político na sociedade, visando indicação dos seus p os cargos de destaque e de boa remuneraçaõ. A prova da imcompetência técnica da OAB é clara, vimos agora nesses últimos desastrosos exames.Qual a credibilidade q tem a OAB hoje, tecnicamente? Nenhuma, seus comandantes só te ação política e, mal feita. Agora, passei a ser a favor da exti~ção da OAB e, consolidação apenas do sindicato.

Jornalista D Cosmopax 7 de março de 2010 19:50  

muito fraco..falou, falou e nada disse.

Elizangela 7 de março de 2010 20:16  

Estou nesta situação, fiz a inscrição no concurso e agora a OAB marcou a prova para o mesmo dia. Será que há como pleitearmos a alteração da data, Professor?

Att.

Ralffer Barbosa 7 de março de 2010 21:24  

Na minha opinião, eles deveriam deixar esse dia mesmo. Já que é pra avacalhar, que seja direito.

Tomara que não mudem a data!

daniele.dolata 7 de março de 2010 22:38  

e agora??? gasteri 700R$ com cursinho pro trf, 130R$ com inscrições.... fora ter acertado a peça e as questões da prova da semana passada.... como é que fica??? quem vai ressarcir tudo isso???? qual tua opinião??????

Donizete 8 de março de 2010 01:32  

Daniela.dolota, acompanha o inquérito da Polícia Federal e se alguém for condenado pela justiça você ingressa com uma ação civil "ex delicto" para cobrar os danos sofridos em decorrência de um crime. Fora isso, é ficar "chovendo no molhado".

Leonardo Kuiabano 8 de março de 2010 09:03  

Eu só queria saber onde anda o MP que não se manifesta nesses assuntos relacionados aos disparates cometidos pela OAB.

Desde o exame 2009.2 a OAB e CESPE vêm praticando o que podemos chamar de "perfeitas injustiças". Lembrem os casos em que a CESPE, corrigiu uma prova e deixou de corrigir outras do mesmo tipo.

Não vi até o momento nenhuma manifestação da OAB nem do MP á respeito.

Dá a impressão que em termos de exame a OAB esta uma verdadeira "zona" no sentido literal da palavra.

Leonardo Kuiabano 8 de março de 2010 09:07  

Espero também que tanto a OAB quanto a CESPE tenha o respeito de explicar-se perante a sociedade e perante os examinandos o que de fato aconteceu e o porque dessa absurda decisão.

Até agora as simples notas explicativas, não podem ser consideradas o bastante para justificar esta decisão.

Será que o MPF do Brasil inteiro esta de acordo com esses acontecimentos, ou estão esperando maiores prejuizos ás pessoas que se vêm obrigadas a mais esta injustiça da OAB.

Natália 8 de março de 2010 10:51  

Absurda e arbitrária a decisão da OAB. Por conta de um único caso de fraude comprovado essa entidade vai prejudicar cerca de 19 mil inscritos!!! Essa é a JUSTIÇA que a OAB prega???
A entidade perde sua credibilidade com decisões como esta, que prejudicam milhares de pessoas que fizeram a prova de boa-fé, que perderam tempo e dinheiro com essa prova, sem ao menos imaginar que antes disso alguém já tinha as respostas em mãos!
Sem contar todo o estresse e tensão pré-prova que passamos, e teremos que passar tudo de novo... É MUITA INJUSTIÇA!
Somos VÍTIMAS do sistema de avaliação falho adotado pela OAB, e não culpados!!!
E estamos prestes a pagar por um crime que não cometemos!!!!
Um bacharel em direito não pode silenciar diante de tamanha injustiça!
OAB, ainda há tempo de mudar esta decisão, e prezar pela boa-fé de todos que prestaram a prova, com exceção apenas daqueles que realmente cometeram a infração, que devem ser punidos com muito mais rigor do que a simples anulação da prova.

Natália 8 de março de 2010 10:53  

Absurda e arbitrária a decisão da OAB. Por conta de um único caso de fraude comprovado essa entidade vai prejudicar cerca de 19 mil inscritos!!! Essa é a JUSTIÇA que a OAB prega???
A entidade perde sua credibilidade com decisões como esta, que prejudicam milhares de pessoas que fizeram a prova de boa-fé, que perderam tempo e dinheiro com essa prova, sem ao menos imaginar que antes disso alguém já tinha as respostas em mãos!
Sem contar todo o estresse e tensão pré-prova que passamos, e teremos que passar tudo de novo... É MUITA INJUSTIÇA!
Somos VÍTIMAS do sistema de avaliação falho adotado pela OAB, e não culpados!!!
E estamos prestes a pagar por um crime que não cometemos!!!!
Um bacharel em direito não pode silenciar diante de tamanha injustiça!
OAB, ainda há tempo de mudar esta decisão, e prezar pela boa-fé de todos que prestaram a prova, com exceção apenas daqueles que realmente cometeram a infração, que devem ser punidos com muito mais rigor do que a simples anulação da prova.

Itaqui 8 de março de 2010 15:33  

Espero que ao menos a OAB devolva o valor - abusivo - da inscrição para quem abrir mão desse Exame de Ordem em benefício do concurso do TRF4, como eu.

Donizete 8 de março de 2010 21:28  

Natália, não existe "meia fraude", ela existe na forma tentada ou consumada, mas "meia" jamais. O que ocorreu foi uma tentativa de fraude. Mesmo que tenha sido praticada por um único bacharel não deixa de ser fraude. Por isso, como não se sabe quem realmente foi beneficiado com o vazamente (sabe-se lá se você não foi?) é acertada a medida tomada pela OAB. E tem mais: embora seja chato e desgastante fazer prova, quem sabe vai ser aprovado do mesmo jeito, é apenas questão de um mês a mais, mas será aprovado. Isso de ficar choramingando e esperneando por aí dizendo que é injustiça, que a Ordem agiu errado, etc.é perda de tempo. Podemos até reclamar que a OAB está tendo dificuldades na aplicação do exame, mas dizer que a anulação foi injusta e errada não procede. O certo mesmo seria se acabar com o exame nacional e voltar ao sistema antigo em que cada Seccional realizava o seu, pois assim é mais tranquilo e mais fácil de fiscalizar. Um exame feito no mesmo dia em 27 Estados é muito dificil de ser controlado e fiscalizado seja, lá quem o aplique (o CESPE ou outra entidade qualquer).

Raphael Felippe 9 de março de 2010 18:43  

O dia da prova do concurso do Banco do Nordeste também é 11/04/2010.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP