O resultado das recorreções

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Segue a parte final da lista dos candidatos aprovados publicada agorinha:

2 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

2.1 As respostas aos recursos interpostos, no período de 17 a 19 de novembro de 2009, contra o resultado na prova prático-profissional estarão à disposição dos candidatos a partir do dia 10 de fevereiro de 2010, nos endereços eletrônicos www.oabxx.org.br ou www.oab.org.br.

2.2 A OAB/DF não arcará com prejuízos advindos de problemas de ordem técnica dos computadores, falhas de comunicação, congestionamento das linhas de comunicação, bem como de outros fatores, de responsabilidade do candidato, que impossibilitem a visualização das respostas.

2.3 O resultado final no Exame de Ordem 2009.2 da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do XXXXXXXXXXXXX fica devidamente homologado nesta data pelo Presidente da Comissão de Estágio e Exame de Ordem da OAB/XX.

Pois bem, trata-se então do resultado final do Exame de Ordem 2.2009. NÃO será aberto nenhum prazo recursal. Acabou tudo.

A nova correção das provas só será disponibilizada em 10 de fevereiro de 2010. Na minha modesta opinião, é um grande absurdo. A OAB teve mais do que tempo para disponibilizar tudo AGORA, pois tempo não faltou para isso. Ou seja, banho-maria em todo mundo até lá.

Vamos torcer, e muito, que o Exame 3.2009 seja completamente diferente do malsinado Exame 2.2009.

Pelas ligações que recebi, aparentemente a OAB não facilitou nessa recorreção, exceto, pelas notícias, para o pessoal que fez a prova de Direito Penal. Mas só será possível saber com a divulgação da recorreção.

Meu sentimento neste momento, como blogueiro que acompanha o Exame de Ordem há algum tempo, é de indignação.

25 comentários:

Hermano 15 de janeiro de 2010 19:55  

E aí? e os inquéritos trabalhistas que foram corrigidos (e aprovados) na primeira correção? Pelo visto o meu não vai ser um deles...

Omar Roberto de Aguiar Filho. 15 de janeiro de 2010 19:56  

Sem comentários.
Indignação total, tristeza e descrédito total na CESPE.
Injustiça!

Mandy Nobre 15 de janeiro de 2010 20:02  

Só sei que a minha peça nem foi corrigida, novamente! E olha que eu poderia ganhar uns pontinhos por ela pelo dito padrão de respostas! :/

Só sei que estou indignada, frustrada e não estava com a MÍNIMA vontade de fazer a prova de domingo. Só me inscrevi por pressão mesmo, pq estou "sem cabeça" desde que fiz esse vergonhoso exame de ordem 2009.2.

Se eu soubesse que a prova de Direito do Trabalho seria aquela palhaçada, eu jamais teria feito o exame passado. Eu fiz por fazer, pra ver como eu iria, pois eu estava na 10ª fase.

Mas eu não estou triste pq eu não passei, mas pela prova nojenta que caiu em Direito do Trabalho onde não cabia nenhuma peça, que o mais correto ainda seria uma RT e não uma ACP. A OAB deveria assumir o seu erro e anular a peça trabalhista, mas não quis, pois quer que o seu exame continue reprovando mais do que aprovando, custe o que custar!

Aff, se arrependimento matasse...

jacqueline 15 de janeiro de 2010 20:18  

aqui no MT n mudou qse nda o resultado final.é mta injustiça.

Marcelo 15 de janeiro de 2010 20:21  

Fiz a prova de Direito do Trabalho e optei pelo inquérito judicial para apuração de falta grave. Eu zerei a peça e tirei 4,5 nas questões, então precisava somente de 1 ponto nessa revisão, resultado: não ganhei nada e não passei.

Dois amigos meus estavam na mesma situação, mas precisavam de mais pontos que eu para conseguirem a aprovação. Um deles precisava de 1,5 e o outro de 1,8. Resultado: ambos passaram. Inclusive, o que precisava de 1,5 ganhou no mínimo 2,5 pontos , pois ficou com nota 7,0 no final.

Ressalto, nós 3 fizemos a peça de inquérito judicial!

Queria que alguma alma iluminada me respondesse como isso é possível, porque a minha mente não encontra nenhuma explicação plausível para essa discrepância.

Estou feliz pelos meus amigos, claro, mas totalmente revoltado com o ocorrido.

O pior de tudo é que precisarei aguardar até o dia 10/02 para ter alguma explicação, simplesmente lamentável.

Não me resta outra opção, entrarei judicialmente requerendo outra correção.

Mario Berger de Sousa 15 de janeiro de 2010 20:24  

Fiz Tributário. No meu caso, essa revisão não mudou em nada. Quer dizer, a menos que tenham corrigido minha peça e atribuído nota menor do que 1,6 (que era o que precisava na peça). Sinceramente acredito que não tenha sido isso, penso que, mais uma vez, não corrigiram minha peça (exceção de pré-executividade).

O que MAIS irrita é saber o padrão de respostas foi burro - simplesmente porque a EPE é plenamente capaz de satisfazer o principal problema que foi posto (anulação do lançamento do crédito).

Fiz estágio por DOIS ANOS na PGFN, conversei com todos os procuradores, mostrei minha peça, NINGUÉM achou que a peça poderia ser considerada inadequada, digna de um ZERO.

Olha, eu até respeito a OAB, mas é impossível sair dessa sem nenhuma mágoa. Essa indústria de concursos, essa máquina de fazer dinheiro e estatísticas que o exame de ordem se tornou é algo RIDÍCULO e está arrastando a instituição para o mesmo patamar de estupidez.

Agora resta concentrar para o próximo exame.

Boa sorte a todos, e não se abalem, porquanto não será um exame como esse que dirá quem de nós é competente ou não.

Abraços a todos!

lilicadedeco 15 de janeiro de 2010 21:03  

Que vergonha, eles nao corrigiram a maioria das peças, que NOJO esta instituiçao chamada OAB esta me causando, porque nao fiz ENGENHARIA MEU DEUS.. que puleiro fertido que é esta OAB, nao corrigiu as provas de novo apenas de alguns por isso vai lançar somente no dia 10 o resultado do recurso. QUE NOJO.

Perséfone 15 de janeiro de 2010 21:17  
Este comentário foi removido pelo autor.
aerosmith 15 de janeiro de 2010 22:13  

OAB Vergonha Nacional !!! Onde está a transparência, onde estão os direitos humanos que esse pessoal defente, me sinto indigno de ser advogado !!

Derlucy 15 de janeiro de 2010 23:49  

Depois de tanta angustia, incerteza ,inconformismo. Vejo a vitória!!!!. Consegui, meu recurso foi aceito, dessa tal malsinada prova de direito do trabalho.
Ufa!.
Compartilho a minha alegria com todos, que como eu procuravam apoio e noticias neste blog.
Aos que não lograram êxito, força coragem!!, sigam em frente, nunca desistam. Até a vitória!!!

Derlucy

AMIGO DE DEUS 15 de janeiro de 2010 23:56  

Não é de se assustar que a OAB tenha endurecido na correção.. sinceramente eu ja esperava por isso (se é q isso realmente vai acontecer né).. Isso é uma espécie de vingança do organizador da prova.. andei fazendo umas provas que foram anuladas recentemente, e em todas elas, a 2ª prova sempre foi bem mais dificil do que a primeira...

Magnitude 16 de janeiro de 2010 00:01  

Dr. Mauricio.. No comunicado do dia 17 está escrito de forma clara q o resultado da nova correção, bem como a RESPOSTA AO RECURSO seria divulgadoi no dia 15/01, e agora, eles passam pro dia 10/02?? isso tá cada vez pior.. é um absurdo atrás do outro!!

LUDMILA 16 de janeiro de 2010 00:13  

eu fiz a prova em direito do trabalho e com a nova revisão fui aprovada na prova! Não acreditei que vi meu nome lá! Mas agora não sei como é o procedimento, até quanto tenho para levar a declaração de formada na OAB?? Alguém pode me dar uma luz??

João silvestre sobrinho 16 de janeiro de 2010 00:14  

segunda fase 2009.2 Em Bauru fizeram recorreção 15/01/2010, para aprovação de 3(tres) candidatos do total de 102 agora 105 aprovados. interessante é que um dos candidatos ficou com 7 após correção , e outros dois com 6.
É uma barbaridade reprovado com 5,4 no minimo , foi para 7. a nota subiu exatamente no minimo 1.10 para ir para 6,5 e ficar com 7, no mesmo cabarito e mesmas correções.
Só para ingles ver mesmo.

JOSE CARLOS RODRIGUES 16 de janeiro de 2010 10:33  

Estive no seu Orkut para desejar um feliz aniversário, ontem, hj, mas infelizmente, estou proibido de postagem, ma não tem nada não, felicidade a vc

Nilson 16 de janeiro de 2010 10:48  

Vergonhoso é ver a OAB usar de manobras espúrias para não encarar os bacharéis nas ações judiciais, pois só o poder publico poderá colocar ordem nesta instituição que se diz defensora dos direito dos cidadãos e massacra os seus desta forma.
Eu não tinha esperança de que a OAB corrigisse seu erro, só não contava com tantos comunicados truncados e sucessivas prorrogações na divulgação dos resultados com a finalidade exclusiva de impossibilitar que tenhamos os elementos necessários para propor uma ação com os documentos necessários para sua apreciação.
Todos temos o direito de ter nossa provas corrigidas e com isonomia, fico indignado em saber que pessoas que apresentaram a mesma peça que eu foram aprovas, é lógico que o poder judiciário vai determinar a correção e a aplicação da isonomia, principalmente afastando a tese de peça incoerente.
Por outro lado vejo que a anulação da prova seria medida de justiça, pois a própria OAB produziu todas as provas necessárias para comprovação de quebra do edital. Se não anularem, não precisa mais edital para regular o certame, pois o que impera na verdade é a vontade dos dirigentes da OAB, sem qualquer motivação.
Ainda que demorem ano para publicar os documentos relativos a este certame vou a ajuizar uma ação para fazer vale a justiça.

rosemery 16 de janeiro de 2010 12:27  

Prof. Me desculpe! Lamento informar que aqui em GO, não houve facilitação nesta malfadada correção deste maldito exame para o pessoal que fez a prova de Direito Penal, pois além de não terem corrigido meu recurso anteriormente, também não recorri giram a minha prova nesta nova última correção.

Donizete 16 de janeiro de 2010 12:40  

Na minha cidade nenhum bacharel, ABSOLUTAMENTE NENHUM, foi aprovado com a revisão. A OAB deu um belo "baile" naqueles que fizerem as manifestações e ameaçavam impetrar Mandado de Segurança. Digo que deu um "baile" porque agora o fundamento de eventual MS simplesmente desapareceu. Que um ou outro conseguiu aprovação, creio que sim, pois a Ordem precisa de um disfarce, de um argumento forte para combater eventual MS, mas pelo visto foram raros, foi só mesmo um "cala boca" que a OAB/CESPE fez. De qualquer forma, eu como advogado vejo, ainda, uma bela saída para os bacharéis que é a impetação do Mandado de Segurança, mas agora sob outra argumentação. Agora sob o argumento de que tiveram cerceamento ao direito de ingressarem com RECURSO, ou seja, houve claramente a violação do art. 5º, LV, da Constituição Federal. Com efeito, se houve nova correção é evidente que o bacharel tem direito a novamente recorrer.

Donizete 16 de janeiro de 2010 12:47  

Penso eu que só aqueles que precisavam de pouca coisa tipo 0,10, 0,20 é que conseguiram aprovação com a nova correção. Aliás, para que eu possa fazer essa comparação, eu peço que as agora Dras. Derlucy e Ludmila me digam se eu tenho razão.

Donizete 16 de janeiro de 2010 12:47  

Penso eu que só aqueles que precisavam de pouca coisa tipo 0,10, 0,20 é que conseguiram aprovação com a nova correção. Aliás, para que eu possa fazer essa comparação, eu peço que as agora Dras. Derlucy e Ludmila me digam se eu tenho razão.

Paulo Silva 16 de janeiro de 2010 14:57  

Donizete fiz PPP em Administrativo e precisava de 0,10. Não consegui e creio que tb não analisaram meu recurso, pois em uma das questões fiz pontuação máxima em todos os quesistos, mas quando chegou em raciocínio jurídico me deram 0,00, o que é pelo menos ilógico. Portanto, se tivesse examinado meu recurso, pelo esse décimo teriam me dado!

Vou impetrar MS mas para ajudar preciso de um ou mais espelhos de correção de Administrativo, e também a peça, pois fiz apelação (acertadamente) e na qualificação das partes, mencionei "já qualificadas nestes autos". Não me deram pontuação, embora os manuais de processo civil orientei no sentido da desnecessidade de qualificação em sede de apelação. Se alguém tiver esse material, por favor me comunique em vfperes@click21.com.br

Marcelo 16 de janeiro de 2010 15:03  

Donizete, é só ler a minha postagem (é a quinta, de cima para baixo) para ver que você não tem razão.

Eu precisava de 1,0 ponto e não passei. Dois amigos meus que precisavam de mais que isso (1,5 e 1,8 pontos) passaram. Nós três fizemos inquérito judicial para apuração de falta grave.

Estou revoltado demais com tudo isso. Farei a prova amanhã, mas sem motivação nenhuma depois dessa palhaçada.

Hermano 16 de janeiro de 2010 17:25  

Não acho que por causa dessa nova correção o fundamento do MS tenha desaparecido. Se eles realmente não corrigiram os inquéritos e RTs simplesmente se esquivaram uma segunda vez de obedecer à isonomia. A minha dúvida é se é possível esperar sair o resultado dos recursos no dia 10/02 ou se já devemos impetrar ms logo agora...independentemente, impetrar o MS agora seria dar um tiro no escuro, concordam?

Mario Berger de Sousa 16 de janeiro de 2010 22:46  

Queria saber se alguém tem algum espelho de Exceção de Pré-Executividade que foi corrigido neste exame 2009.2. Soube no twitter do professor Mazza que teve gente que conseguiu passar com EPE, mas eu fiquei pelo caminho... não corrigiram minha peça de novo!

Por favor, me ajudem (quem puder). Quero ingressar com MS, mas acredito que ter um espelho como esse seria de grande valia!

Obrigado

Dan 18 de janeiro de 2010 14:17  

Mario, passei com EPE. Se quiser tenho o espelho. Entre em contato em danilo@ufrj.br

Abraços e boa sorte!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP