Manifesto em Manaus - Rede Bandeirantes

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

44 comentários:

Anônimo,  6 de novembro de 2009 12:22  

Perceberam os argumentos? Fundamentações perfeitas! Principalmente o VADE MECUM desatualizado. Tem que anular a prova mesmo!

Anônimo,  6 de novembro de 2009 12:49  

Percebi foi o que ela disse "as peças que os alunos "proporam"???", deveriam exigir além de conhecimento específico, também conhecimento da lingua portuguesa.

Duda,  6 de novembro de 2009 13:20  

Livros desatualizados? Ridículo, levei a legislação impressa e não tive problema nenhum, usei sem nenhum problema.

Anônimo,  6 de novembro de 2009 13:41  

Pois é!
Perfeita fundamenteção!

VADE MECUM DESATUALIZADO?!?!?!?

Tá vendo, quem manda o CESPE cobrar a legislação e interpretação mais atual?
Malditos!

KKKKK

Sinceramente, essa é nova e eu desconhecia que a PUBLICAÇÂO DE LEI, NORMA, SÚMULA, OJ, ETC em VADE MECUM é requisito para existência, vigência.

Mas, me tirem uma dúvida, tem que ser no Vade Mecum da Saraiva, ou no da Rideel?

Por favor, meus caros, e ainda dão entrevistas "queimando" a categoria????

Anônimo,  6 de novembro de 2009 13:45  

Fala sério, a pessoa nem se atualiza e vem pedir anulação. Isso é o cúmulo do absurdo.

anderson-boese 6 de novembro de 2009 14:06  

INFELIZMENTE A REPÓRTER TEVE UM ERRO GROTESCO AO PRONUNCIAR Baichareis...

Anônimo,  6 de novembro de 2009 14:16  

HUAHUAHUAHUA que absurdo cair uma pergunta que só tinha no VADE MECUM 2009 né, JESUS?! hauuhahuahuhau

Anônimo,  6 de novembro de 2009 14:18  

Sou advogado, não tenho qualquer interesse no resultado do exame, por isso sinto-me confortável para lançar a seguinte indagação e ao mesmo tempo manifestar minha opinião: qual será a injustiça maior:

1)- anular a prova e considerar todos aprovados, ainda que havendo no meio destes haja aqueles absolutamente desqualificados;

2)- ou não anular a prova e reprovar quase todos?

Honestamente, penso que injustiça maior seria reprovar quase todos, até porque um absolutamente desqualificado não vai jamais exercer a profissão de advogado, mesmo que ele seja inscrito na OAB.
Eu tenho uma opinião pessoal formada sobre qual deveria ser a peça correta e sobre issso não vou emitir nenhum juízo, mas penso que o sensato seria uma comissão da OAB e do CESPE ser imediatamente formada para analisar detidamente a questão e decidirem pelo que é correto e justo, ou seja, se a maioria dos membros da comissão for favorável à anulação, que seja anaulada e se a maioria votar contra a anulação, que não seja anulada.

Anônimo,  6 de novembro de 2009 14:19  

Conheço muita gente boa que fez INQ. e merece passar. Estou na torcida! Porém, se for depender de argumentos como esse de VADE MECUM atualizado, me desculpem, mas...
Fé e sucesso para todos, mas, mais estudos para esses jumentos da reportagem!

Anônimo,  6 de novembro de 2009 14:46  

Fraca demais a argumentação do movimento. Se houve mudança na legislação o bacharém que se preza tem o dever de saber. Inclusive, se a pessoa que falou isso lesse o edital, ela iria perceber que o próprio edital permite que questões sejam inseridas na prova com base em mudanças ocorridas na legislação até o dia anterior à publicação doedital.

Anônimo,  6 de novembro de 2009 14:55  

na mensagem das 14;18, considerem a seguinte redação:)- anular a prova e considerar todos aprovados, ainda que no meio destes haja aqueles absolutamente desqualificados;

Anônimo,  6 de novembro de 2009 14:58  

Só para retificação.
Fraca demais a argumentação do movimento. Se houve mudança na legislação o bacharel que se preza tem o dever de saber. Inclusive, se a pessoa que falou isso lesse o edital, ela iria perceber que o próprio edital permite que questões sejam inseridas na prova com base em mudanças ocorridas na legislação até o dia anterior à publicação do edital.

Anônimo,  6 de novembro de 2009 15:00  

Ruy Barbosa está se batendo no caixão a esta hora... que vergonha, meus deus, preciso parar de ter vergonha pelos outros!!! voces me envergonham, repudio esta ação tenebrosa, sem pé nem cabeça.. "pegadinha"??? dá vontade de dar umas palmadas em todos voces que pensam diferente disso, não percebem que estão "aquem" da media razoavel, que já é bastante assustadora... O que há na cabeça de voces? embora a prova seja de Trabalho, não importa o que eles peçam, cabe a voces "adevogados" raciocinar com tantos livros a disposição e encontrar uma solução para pacificar aquele conflito e dar uma resposta a contento ao cliente, a ilegalidade se discute depois e naõ ficar pensando que só existem as peças proprias da materia, era pra voces aplicarem até um HC se fosse o caso e não ficar pensando no que consta ou não na materia, mais um motivo parar ficaram quietos e serem humildes, era para dar solução e não ficar criando problema, espero que se recolham a suas posições e esqueçam que um dia fizeram uma palhaçada destas... VERGONHA!!!!

VISÕES E VERSÕES 6 de novembro de 2009 15:00  

Realmente quem sempre reclama é quem nunca estudou na vida, e por algum acaso passou na primeira fase, por favor, porem de falar besteiras e vão estudar um pouco mais, ou até mesmo, compre um livro que contenha pelo menos uma lógica de argumentação, para não passarem vergonha...
Exame da ordem hoje e sempre!
Já está na hora de quem estuda de verdade começar a se mobilizar para que o exame da ordem se fortaleça cada vez, mais...

Anônimo,  6 de novembro de 2009 15:26  

É o cúmulo do ridículo reclamar porque foi cobrada questao atualizada e dizer que não constava no Vademecum, meu deus, existem pessoas que deveriam fazer curso de qualquer outra coisa por correspondência ao invés de se aventurar no direito, ótima impressão que a sociedade terá dos bacharéis em direito após essa entrevista...

Flávio F. P. 6 de novembro de 2009 15:28  

Essa coisa de vademecum desatualizado, não ha fundamento pois voce deve conhecer as atualizações, não podes alegar pro juiz numa petição que o seu codigo esta desatualizado.

Como alguns comentaram, as novas atualizaçoes deviam ser levadas impressas.

Anônimo,  6 de novembro de 2009 15:33  

Parabéns aos bacharéis de Manaus pela iniciativa!

Anônimo,  6 de novembro de 2009 15:36  

Eu fico tentando imaginar essa futura "advogada" na vida profissional fazendo um recurso alegando que a matéria não constava no vademecum dela!

Preliminarmente:
Inicialmente cumpre alegar como preliminar, que a legislação a qual fundamentou a decisão não constava no Vademecum deste procurador que ora recorre0.......

Alexandre 6 de novembro de 2009 15:50  

Tem certos argumentos que enfraquecem e comprometem as boas intenções.

Pedir a anulação do exame baseado no argumento de que o CESPE exigiu o conhecimento da legislação atualizada, é incoerente uma vez que o edital é claro sobre isso.

Tais argumentos suscitam dúvidas sobre a seriedade de quem os formula, podendo levar de roldão os outros bons argumentos, estes sim, dignos de exame.

Tem hora que é melhor calar.

Anônimo,  6 de novembro de 2009 16:18  

Que pena a falta de consideração de algumas pessoas com seus colegas. Elas possuem o direito de defender o que acreditam e, sinceramente, acho admirável pessoas que tenham garra de defender os seus interesses. Saliento aqui que não fiz inquérito, fiz ACP e não assinei o manifesto. Mas acho lamentável o início de carreira de alguns colegas que só sabem criticar os outros... a intolerância dá uma amostra dos profissionais que serão...

Anônimo,  6 de novembro de 2009 16:43  

Acho que ao inves de anularem a prova ou aceitarem todas as argumentações feitas, vcs devem é começar a estudar para a proxima prova, chega de bla bla bla... Boa Sorte. 1000.....

Anônimo,  6 de novembro de 2009 16:59  

Imaginem o que o CESPE vai falar do movimento. Na OAB/MT o mesmo não foi bem recebido. Vejamos o final da declaração que está no site desta seccional: “Por fim, a OAB de Mato Grosso lamenta a participação de professores e mestres nesse movimento, notadamente aqueles ligados a questão eleitoral de momento dentro da entidade, e, mais uma vez, repudia a tentativa de macular a imagem desta instituição, que sempre atuou com transparência e responsabilidade”.

Cuiabá, 6 de novembro de 2009.

Anônimo,  6 de novembro de 2009 17:08  

Provas CESPE-OAB com enunciados truncados que induzem a erro já virou rotina.
Idem para anulações de questões (nem todas).
Entretanto, o edital é hialino no quesito atualização da legislação até a data da publicação/edital.
Ou seja, torna-se COMPULSÓRIO ter VADE MECUM ATUALIZADO...ou lei impressa, etc.
Quanto a essa prova de TRABALHO duvido que haja anulação.
Até pq a anulação terá que contemplar TODOS candidatos dessa prova. Princípio da isonomia!

Anônimo,  6 de novembro de 2009 18:31  

Infelizmente, acho que com tais argumentos, fica impossível surtir qualquer efeito. A CESPE deve estar rindo dessa reportagem. Que pena.

Anônimo,  6 de novembro de 2009 21:34  

Somente fazendo um "quote na mensagem das 15:36:

Eu fico tentando imaginar essa futura "advogada" na vida profissional fazendo um recurso alegando que a matéria não constava no vademecum dela!

Preliminarmente:
Inicialmente cumpre alegar como preliminar, que a legislação a qual fundamentou a decisão não constava no Vademecum deste procurador que ora recorre.......


.
.

Eu não queria rir, mas foi perfeito, muito bom
kkkkkk

Anônimo,  6 de novembro de 2009 21:36  

Caraca, já sentiram vergonha alheia? Eu acabei de sentir vendo essa reportagem. VÃO ESTUDAR!!!!

Anônimo,  6 de novembro de 2009 21:54  

Também acho que a Cesp esta rindo e rindo muito de nos...to com medo, cansada....não vejo a hora de isso tudo acabar, fui parar até no médico por causa dessa prova, poxa foram cinco anos de estudo, audiências, estágios, gastos sem fim, acordando cedo dormindo tarde, livros e livros pra estudar e tudo que quero agora é ter minha profissão que escolhi e que amo exercer.
Chegaaaaaaaaaaa....OAB para de nos perseguir, e os médicos por não tem prova pra eles, os veterinários porque só os advogados , afinal nos lidamos com ''papeis'' eles lidam com a vida ou a morte.....Vamos orar...só isso que podemos fazer, eu fiz a peça de Consg Pag mas estou com medoooo....Deus nos ajude!!!

Anônimo,  6 de novembro de 2009 22:52  

Pessoal, em relação a questão nº 05da prova, eu particularmente tive um probleminha, pois na sala onde eu fiz a minha prova, não deixaram utilizar a lei impressa, disseram que poderiamos utilizar apenas os livros que tinhamos. E ai???? O que me dizem???. Será que eu teria que decorar as novas leis???. Me poupemmm....

Anônimo,  6 de novembro de 2009 23:02  

Quem disse que os médicos não tem a prova deles?????

Isso era no tempo que se remediava com coca-cola e se receitava sal pra pressão alta.

Quem não sabe, o cara quando se forma, só é "médico" e não passará disso.

Pra exercer a profissão e se dizer Pediatra, Cardiologista, Oftalmo, etc, eles tem que PASSAR NUMA PROVA de RESIDENCIA MÉDICA, pra entrar, ralar muito durante o curso de residencia.

Depois de terminar a residência, pra ter o "carimbinho" de Fulano de Tal, "Pediatra", precisa se SUBMETER a uma PROVA DE TÍTULO DE ESPECIALISTA.

Hoje, até mesmo pra ser CLÍNICO GERAL, exige-se residência médica E APROVAÇÃO.

Antes, bastava ao médico exercer certa área, por um bom tempo, para ser considerado como tal.

Hoje é assim, comparativamente assemelha-se à OAB, quem entrou sem
passar, ainda é, pela experiencia. Hoje, só com prova.

Pergunta pra quem fez residência, o que ele acha de quem não faz....

Boa coisa não se ouvirá!

Anônimo,  7 de novembro de 2009 00:00  

Dr.Mauricio, como devemos proceder em relação a questão nº 05 da prova, haja vista que em algumas salas, inclusive a que eu fiz a prova, não deixaram utilizar a lei impressa????. Não é justo, pois não somos obrigados a decorar lei, muito menos sermos obrigados a comprar o Vademecum da Saraiva, para fazer a prova...O que acha???. Por favor, preciso muito da sua opinião, pois tenho certeza que diversas pessoas tiveram o mesmo problema....

Anônimo,  7 de novembro de 2009 00:02  

Só tenho uma coisa a falar da reportagem e do manifesto...

MEU DEUS!!!!! Q COISA RÍDICULA.

E me nego a tecer qualquer outro comentário.

Moisés Fernando - Guarulhos/SP

Anônimo,  7 de novembro de 2009 00:05  

RÍDICULO MESMO....

E COM UM "R" BEEEEEM GRANDE!

Andreia - ADVOGADA - MANAUS,  7 de novembro de 2009 00:11  

Sinceramente acredito no manifesto dos colegas!
É por isso que a CESPE faz provas cada vez mais enroladas e nada acontece! Falta de consideração entre os bacharéis é visível, diferente do que ocorre com as outras classes, os bacharéis brigam entre si para ver quem cata de galo mais alto! Resta-me dizer que deviam elogiar OS MANAUARAS por estarem lutando por seus ideais! E tenho plena certeza que irão conseguir e provar aos babacas que criticam que os Amazonenses podem e vão enfrentar a Cespe, pois esta não está acima da lei e nem é soberana! Portanto nobres colegas não menosprezem a luta alheia elogiem e respeitem os colegas de classe! Se for demais fiquem calados ... mais não atrapalhem!!!!
Já dizia Voltaire: “Não concordo com o que dizes, mas defendo até a morte o DIREITO de o dizeres”. ...

Anônimo,  7 de novembro de 2009 00:26  

RESPEITE O POVO DE MANAUS SEUS MAL EDUCADOS!!!!!!!!

Anônimo,  7 de novembro de 2009 00:29  

DESCULPEM!!! Mais respeitem os bacharéis que estão lutando por seus ideais!!!
Não tem nada de ridiculo lutar por um ideal!!!

Anônimo,  7 de novembro de 2009 00:31  

Que reportagem iláriaa..
Vede Mercum desatualizado, questão mau formulada, pegadinha... kkkkkkk...fala sério e ainda tiveram a cara de pau de procurar o Presidente da OAB que nem lá estava para receber os futuros advogados, ainda achando que a CESPE vai anular a prova por causa disso.. nem em prova de Juiz issu acontece..
Pedir anulação de prova que ainda nem saiu o resultado. Obrigação de quem vai fazer prova é estar atualizaaadooo

Anônimo,  7 de novembro de 2009 10:06  

Eu fico pensando numa coisa, pedir anulação do quê? Ninguém sequer sabe a resposta que a CESPE vai dar, já imaginaram se a resposta da CESPE for exatamente a que o povo que está pedindo a anulação deu? Agora dizer que aplicaram uma prova de Processo Civil é ser ridículo, acho que até em Vademecum desatualizado tem o art. 769 na CLT, acho justo qualquer movimento que lute pelo direito, mas é preciso ter fundamentação consistente. Lutar sempre, mas com justiça e coerência.

Anônimo,  7 de novembro de 2009 11:50  

22:52, para aderir a uma manifestação para tentar forçar a barra você prestou, mas para mostrar para o fiscal que você poderia utilizar a lei você foi incompetente. E o que é um livro se não um impresso com capa? O edital permitia utilização da lei, não importantado de que forma ela está impressa (se por uma gráfica ou pelo bacharel). Comigo também aconteceu: pedi para chamar o responsável pelo exame naquele local e mostrei o edital e disse que se não deixassem seria para constar na ata de realização do exame a ocorrência.Resultado, eles permitiram na hora. Que tipo de advogardo quer ser você? Tipo "Maria vai com as outras", é? Merece a reprovação, sim. Adeus.

Felipe M 7 de novembro de 2009 19:24  

No começo da matéria a repórter pronuncia "baicharéis".....no início ri dela pelo erro de português.......mas depois que a pessoa diz que um dos argumentos era o seu Vade Mecum desatualizado, passei a achar que a repórter mencionou "baicharéis" a propósito !!! E de maneira muito oportuna !!!

Anônimo,  8 de novembro de 2009 01:01  

Senhores,futuros advogados,promotores,juízes... o que está acontecendo? que causa estão a defender? porque as ofensas pessoais? fomos acadêmicos, e aprendemos a defender teses, idéias,mas, sempre respeitando o nosso semelhante. O enfrentamento, deve ser no campo das idéias e jamais no pessoal. Estamos a presenciar, pessoas discutindo o que não é mérito, mas tão somente, fazendo discursos imaturos e de cunho a ofender seu semelhante. Paremos e reflitamos a cerca do que está sendo discutido, a cerca do que importa realmente. Atire a primeira pedra quem nunca no calor de uma questão ou discussão, não pronunciou frases sem nexo. Quem por um motivo qualquer não fundamentou bem o que queria pedir ou dizer. Ora, deixemos as coisas sem importância de lado e foquemos no que realmente importa. Penso que devemos defender o exame de ordem e ter orgulho dele, todavia, devemos defender, que seja o exame claro e objetivo, para que o bacharel possa de maneira justa, demonstrar o que sabe ou o que não sabe... Uma pergunta que não quer calar... porque quase 80% dos candidatos que prestaram exame para trabalho não acertaram a "suposta" ACP ?? Será que todos são incapazes??? ou será que realmente existe a possibilidade real de entendimento diverso?? Assim, é de se ponderar que a OAB e a Cespe devem de alguma forma demonstrar o contrário ou admitir que a questão pode ter outro entendimento diverso do deles. De qualquer maneira, a discussão deve existir, mas sempre no campo das idéias e, jamais no pessoal.

Anônimo,  8 de novembro de 2009 08:09  

levei a lei 11.925/2009 (a que muda o art. 830 da CLT) impressa e nao tive problemas para entrar. Afinal, o edital permitia.

Quem foi impedido de entrar com a lei impressa, deveria ter reclamado na hora e mostrado o editl, certamente teria conseguido, como fez o anônimo 22:52. Agora quem não fez e foi impedido de entrar, agora não tem mais jeito.

O DIREITO NÃO SOCORRE A QUEM DORME!!!

Anônimo,  8 de novembro de 2009 10:08  

Vade mecum desatualizado????? essa foi boa!hehehehe
Olha a qualidade de prováveis profissionais que entrarão no mercado ...

Anônimo,  8 de novembro de 2009 11:17  

VERGONHA É FICAR SUBMETIDO A UMA ENTIDADE EXAMINORA QUE SE JULGA SOBERANA E AS PESSOAS QUE FAZEM PARTE DELA TEM O EGO INFLADO! NÃO SOU CONTRA O EXAME DA ORDEM, MAS QUE ESTE SEJA JUSTO! TA SENDO MEDIDO SEU CONHECIMENTO, NÃO SEU PODER DE ADVINHAÇÃO! NA PRÁTICA ADV TEM A SUA DISPOSIÇÃO TEMPO, INTERNET, CONSULTAR COLEGAS E MODELOS PARA FAZER SUAS PEÇAS, NA 2A. FASE É SÓ VC, LIVROS E TODA PRESSÃO PARA QUE VC SE DÊ BEM!!!! SOU A FAVOR SIM DA MANIFESTAÇÃO ELES ESTÃO EXERCENDO UM DIREITO DELES, LI UM COMENTÁRIO ANTERIOR QUE DIZIA QUE SE NÃO PODEM AJUDAR PELO MENOS NÃO ATRAPALHEM! POR TANTO NÃO RIDICULARIZEM OS COLEGAS DE CLASSE PQ ESTÃO RIDICULARIZANDO A VCS MESMO QUE TB SÃO BACHAREIS!!!!! SE NÃO CONCORDAM PELO MENOS NÃO ATRAPALHEM!!!!PEÇO APENAS QUE RESPEITEM!

Anônimo,  9 de novembro de 2009 10:22  

DIGO NÃO AOS ESTUDANTES DESQUALIFICADOS!

É um absurdo não imprimir uma lei nova e achar que o CESPE/OAB são "antidemocráticos".

Estudantes desqualificados: RUA! Vão vender biscoito.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP