Bacharéis de Direito querem anulação de questão da prova da OAB

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Manifestantes querem que uma questão seja anulada ou que todas as repostas sejam consideradas

Bacharéis de Direito, que realizaram a prova de Direito do Trabalho na 2ª fase da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), querem que uma questão seja anulada, pois acreditam que há erro e que tenha sido mal elaborada.

Os manifestantes acreditam que uma das questões práticas da prova, realizada no dia 25 de outubro, tenha sido mal formulada em seu enunciado e que, desta forma, possibilitaria três interpretações e respostas diferentes, sem que nenhuma contemplasse em 100% o que pedia a pergunta. Professores de cursinho teriam endossado a reclamação dos bacharéis, depois que os alunos falaram sobre a questão.

De acordo com os manifestantes, o "enunciado do problema traz informações tais como a ocorrência de um auxílo-doença, sem especificar o tipo de auxílio, se decorrente ou não de acidente ou doença de trabalho, dando ensejo assim a dupla interpretação. Além do mais, em continuidade, o texto deixa claro que a empresa procura um advogado, pois está preocupada e deseja resolver três problemas, quais sejam: 1 - Rescisão do contrato de trabalho; 2 - Baixa na CTPS; 3 - Pagamento das parcelas decorrentes da rescisão para não incorrer em mora; Sendo assim, o advogado deveria propor medida judicial com vista a atender as três solicitações de seu cliente".
"Como se não bastasse, pelas exigências feitas pelo problema, não existe nenhuma peça processual 100% correta para o caso prático pretendido, da mesma forma que nenhuma peça processual está 100% errada", indica o manifesto.

Para pedir anulação da pergunta, bacharéis de todo o Brasil devem realizar uma manifestação que será protocolada na OAB. Eles querem que a questão seja anulada, para não prejudicar ninguém, ou que os cinco pontos da questão sejam considerados para todas as respostas.

Em Catanduva a manifestação será às 14 horas na OAB. Em seguida vão para São José do Rio Preto, para protocolar o manifesto na OAB daquela cidade.

A manifestação de nível nacional já conta com 1.400 assinaturas, o que representa mais de 20% de todos que fizeram a prova de direito do trabalho no País.

"Nós , alunos da segunda fase, estamos do lado da OAB e temos a certeza que a OAB tomará as devidas atitudes em relação ao erro cometido pelo CESPE, disse Everton Calegari.

Por Flávia Frigeri

10 comentários:

Anônimo,  6 de novembro de 2009 07:50  

Que Cretinisse, querer aprovar todo mundo??

Os idiotas erraram a peça e querem passar no grito.

ONDE JÁ SE VIU IJ PARA PEDIR RESCISÃO.

não precisa do judiciário para rescindir contrato. a questão disse que a empresa estava PREOCUPADA e nao que queria que o advogdo ajuizasse ação para demitir o empregado.

RT para demitir?? onde já se viu ? Rt para dar baixa na CTPS? onde já se viu??? só cabe ACP.

Conformem-se e estudem para o ano que vem. Quem sabe da próxmia vez caia uma RT, RR, ou contestação que é a única peça que vcs sabem fazer. aí TALVEZ, eu disse TALVEZ, vcs sejam aprovados.

Francamente.....

Anônimo,  6 de novembro de 2009 14:01  

Concordo em parte!

Anônimo,  6 de novembro de 2009 14:23  

E você é tão capaz que nem coragem de divulgar seu nome tem, acho até que vc teve a sorte de identificar a peça...parabéns.
Mas vejo que não é solidário, eu acertei a peça, mas concordo com os colegas estava confusa sim e merece ser anulada...ninguém quer passar no grito mas se precisar gritaremos sim e bem alto de preferência bem no seu ouvido mané.
Michele

Anônimo,  6 de novembro de 2009 15:48  

Se todo candidato que "ficasse confuso" na hora da prova e fosse pedir anulação, não seria necessário o concurso...né?
VÃO ESTUDAR, GALERA!

Anônimo,  7 de novembro de 2009 15:56  

A prova estava confusa para quem é confusso!!!
Estudar, estudar e estudar é o que esclarece a prova!

Anônimo,  7 de novembro de 2009 18:43  

S'o tem duvidas quem estuda!Ja viu quem nao estuda ter duvida de alguma coisa?Mal sabe a materia e o que vem a cabeca,logo coloc no papel e fica torcendo.Diferentemente 'e aquele que tem o habito de estudar,logo comeca ater uma visao mais ampla e aperfeicoada das coisa!Ja ouviu falar em jurisprudencias....sera que o sue nascedouro 'e de algum mediocre ?Certamente alguem ousado e que teve duvidas,apostou no seu conhecimento academico e provavelmente contra algo que ate aqule momento ninguem havia ousado a fazer,resultou em um julgamento aceito ou pelo menos deu margem para uma anlise mais criteriosa!
Nao me venha falar de quem nao estuda ' que tem duvidas!
Concordo que prova 'e uma otima oportunidade para estudar e aprofundarmos mais em determinados assuntos!
O estudo e a pratica 'e que nos levam a pereficao!Se isso for possivel no direito...trocaria a perfeicao por mais aceitavel!

LÓGICA,  8 de novembro de 2009 13:21  

E multa do 477??? Não Há que se falar em multa do 477 na JUSTA CAUSA!!!!!
Onde paira o cerne da lógica e do conhecimento????

Anônimo,  9 de novembro de 2009 02:53  

Sinceramente, a prova da OAB é feita pra quem tem o conhecimento rasteiro, porque quem sabe mais, quem realmente estuda identifica sim o absurdo que foi a peça. Tenho pena de quem se acha e que fica por ai criticando as pessoas que mal conhece e que provavelmente são bem mais inteligentes e capazes. A peça foi mal formulada, o pedido não era apenas sobre a mora, RT é necessária sim para rescindir o contrato do empregado com mais de um ano, a CTPS tem sim que ser dada baixa em audiência já que a rescisão é direito de empregador, se bem que, caso o empregado justifique a posteriore suas faltas nem cabe justa causa, por outro lado o empregado deveria ter sido notificado da dispensa, não há preocupação quanto a multa, indenizações, enfim... Cabem muitas interpretações o que não cabe é sair por ai se revoltando que nem louco e chamando as pessoas de idiotas! ah sim, e pra esse tipo de atitude cabe mais uma coisa "com todo respeito": camisa de força!

Anônimo,  9 de novembro de 2009 16:18  

O manifesto ja tem mais de 1800 assinaturas..........

Anônimo,  11 de novembro de 2009 12:26  

Fiz a prova e acertei a peça, mas nem por isso me gabo achando que vou passar, pois a prova nao se resume só na peça, existem as cincos questões subjetivas. O fato é que é ABSURDO pedir anulação da prova, porque muita gente errou a peça, acho dificil o CESPE acatar tal pedido. Fica pra nós bachareis em direito a consciência de sermos mais humildes e aceitarmos a derrotas que aparecem em nossas vidas, que resalva-se nao sera a primeira. BOA SORTE A TODOS.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP