Exame da OAB – Existe uma fórmula?

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Temos visto sempre que o índice de aprovação nos exames da OAB tem provocado espanto e medo nos estudantes de direito. A cada exame de ordem, o índice de reprovação tem aumentado consideravelmente. Mas a quem atribuir este resultado?

Um dos grandes motivos se deve ao aumento do número de faculdades sem o padrão mínimo de qualidade, acarretando, desta forma, na deficiência do ensino do direito no País. Por outro lado, observamos o descaso dos estudantes durante a graduação, preocupando-se apenas com o diploma ao final do curso. Estes fatores conjuntos têm feito com que a expressão “Juridicamente analfabetos” seja cada vez mais comum no meio jurídico.

Assim, os cursos preparatórios, tal qual o Curso Maurício Trigueiro, assumem um novo papel, além de preparar seus alunos para o exame de ordem, suprem a carência de ensino das faculdades. Está cada vez mais comum ouvir alunos dizerem nos corredores do Curso Maurício Trigueiro que aprenderam determinadas matérias aqui.

As chances de aprovação no Exame de Ordem são bem maiores para quem se dedicou em aprender durante a graduação. O estudante de direito deve se preocupar com o Exame de Ordem no primeiro dia de aula na faculdade. Evidentemente, isto não acontece por uma série de fatores, dentre eles a cultura brasileira de deixar tudo para última hora. Contudo, a cada novo exame percebemos que os avaliadores têm levado em conta o nível do raciocínio jurídico, capacidade de interpretação, habilidade para expor idéias, correção gramatical e até mesmo a organização e administração do tempo durante a prova.

A fórmula está no planejamento dos estudos

O primeiro passo é organizar o tempo, de modo a estudar racionalmente. Não há necessidade alguma de abandonar os compromissos diários e outras atividades para se dedicar exclusivamente ao Exame de Ordem. Mas, para obter sucesso é preciso que o candidato tenha um compromisso, no sentido de que um estudo direcionado e a prática de exercícios, sem dúvida, geram melhores condições.

Outra grande dica é fazer pelo menos os últimos 10 exames da OAB, confrontando e analisando o gabarito com as alternativas e enunciados. Temos percebido que várias questões dos exames têm se repetido, no entanto, com outra roupagem.

Os cursinhos preparatórios também têm tido grande influência sobre os aprovados no exame. No Curso Maurício Trigueiro, por exemplo, os candidatos recebem grande suporte, através dos professores que fazem uma revisão geral, com enfoque total no Exame de Ordem. Além disso, o Curso Maurício Trigueiro disponibiliza toda uma estrutura, não só durante as aulas, mas também com material didático que inclui roteiros de estudos e bateria de exercícios.

Autor: Matéria escrita por Tiago Torres – Coordenador do Curso Maurício Trigueiro.

11 comentários:

Anônimo,  18 de setembro de 2009 09:58  

Com todo respeito pelos cursos e pelas opiniões a respeito, não é possível ninguém aprender nada em 1, 2 meses quando deveria ter aprendido em 5 anos. Os cursos são de fundamental importância para que o bacharel faça uma atualização rápida e relembre alguns pontos que foram vistos no início para o meio do curso na falculdade. É, portanto, uma atualização suficiente para aprovação no exame, mas não suficientemente adequada ao exercício da profissão.Concordo plenamente que o ensino jurídico no Brasil está "avacalhado", há falculdades sem a menor capacitação para o ensino jurídico, visam apenas o aspecto econômico/financeiro e, por outro lado, os alunos dessas faculdades se satisfazem apenas com o diploma e depois ficam reclamando que o exame é difícil.

Anônimo,  18 de setembro de 2009 11:04  

Amigo, vc tem alguma dica de estudos para 2ª fase de penal !?
grato e parabéns, pelo trabalho desenvolvido !

Anônimo,  18 de setembro de 2009 11:59  

Não podemos deixar de analisar que na porova da CESPE vc tem que provar que ja sabe tudo, como se estivesse advogando, não mede o teu conhecimento bosta nenhuma pra falr no portugues bem chulo..eu mesma fiz 46 e tomei na cara por causa de umas questões que eu fiquei na duvida ..qual questão seria a correta para a cespe tendo em vista que tinha interpretação dúbia...e vou falar mais ..não estudei nada...não fiz cursinho e ja fazem 3 anos que me formei é o 6 exame, então isso prova que a faculdade não resolve nada, resolve vc estuda por conta, saber mas o problema está em provar que vc ja é advogado....e não que vai ser!

gesse,  18 de setembro de 2009 12:14  

e o exame 2009.3 sigo o mesmo raciocinio de estudo, ate pelo que sei as questões objetivas não serão mais a letra da lei pura e seca. de 100 caiu para 80 questões.

Anônimo,  18 de setembro de 2009 12:21  

Concordo com o colega, o aluno que se prepara bem,durante os cinco anos da graduação não tem porque temer o exame. Foi o que aconteceu comigo, não fiz nenhum cursinho, não me preparei para o exame da ordem e passei de primeira, no 10 semestre da faculdade. Recebi minha carteirinha no dia 25 de agosto. Qual o meu diferencial?, nada além de gostar de verdade da carreira que escolhi. Estudei durante toda a graduação, não apenas para passar cada semestre, mas para ser uma profissional de qualidade. Funcionou!!!

Anônimo,  18 de setembro de 2009 12:27  

Para obtenção de êxito no exame de ordem não tem formula, o que há dentre uns dos critérios está nas questões controversas, passiveis de anulação; sorte??? não acredito!!! controle emocional, até pode; marcar por marcar o gabarito, não sei, pq as questões são muita capciosa; reserva de mercado, isto sim, acredito uma formula para não obter êxito; qde de questões é muito, pois, não são 100, mas sim 400 (100 x 4)pq entrelaçam as disciplinas; existem "enes" maneiras de elaborar questões e o CESPE usam e abusam, desde dispositivo, no intuito de envolver o examinado.
J.Carlos

Anônimo,  18 de setembro de 2009 14:41  

A objetiva vai mudar? de 100 para 80? já é uma rabuda do jeito que está,imagine se complicarem.Interpretação em prova objetiva? xiiiiiiiii, o que vai dar de recurso!!!!.podem multiplicar por mil!!!!!, teremos milhares de interpretações.

Anônimo,  18 de setembro de 2009 15:49  

é!! existe cursinho para a prova da OAB! fazer cursinho ou não? vejamos que se uma pessoa média, com formação apenas do ensino médio, faz cursinho para qualquer área, tem uma probabilidade muito grande de passar.
5 anos na faculdade, nunca ouvi falar em OJ (orientação Jurisprudencial), aprendi quando reprovei na segunda fase da OAB. o que deu errado? pq não aprendi isso na faculdade????
faculdade ruin???? penso que nada disso. Precisa sim, muito empenho, deixar de trabalhar sim para se esforçar ao máximo, estudar em casa, ler muito.
2008.1, foi a ultima prova que caiu questões bem batidas e simplorias da OAB, disso em diante, a mão pesou na feitura das provas, pq não aumentou tanto o número de reprovados??? acho que é pq os candidatos andam estudando ainda mais. Tenho certeza que advogados formados ha muito tempo, num exame de ordem hoje, sem cursinho, sem empenho, seriam facilmente reprovados, alguns não atingiriam 1/4 da nota.
Percebí tambem, o jeito de elaboração das questões é limiar, leva o candidato que não estudou exautivamente a erro.
Exemplo, 2009.2 constitucional. Acertei as 10 questões de deontologia jurídica e 2 de constitucional. Acontece, que passei uma semana inteira estudando direito Constitucional. Concluo que as questões atualmente são propostas para confundir o aluno, que sai da prova arrasado, se sentindo o pior de todos, ainda, que foram em vão os anos de faculdade e esperança de atuarem com advogado.
Vou estudar cada dia mais, com mais afinco, sei que é dificil para todos, mas se é exigido o tal exame e da forma que "eles" estabelecem, vamos a luta.
Um abraço a todos os bachareis, força sempre.

Anônimo,  18 de setembro de 2009 20:01  

Anônimo 11:59, posso lhe assegurar, sem nenhum medo de errar, que advogar é 100 vezes mais dificíl que a prova do exame de ordem.

Anônimo,  19 de setembro de 2009 10:11  

Não sei se há formula, mas de uma certeza é tenho das dos 03 ultimos exames eu errei todas as questões provavel de anulação. Será que qto mais estudo menos aprendo?????. É um desabafo.
J.Carlos

Anônimo,  20 de setembro de 2009 00:13  

J.Carlos, quantos pontos você fez na 2009.2?

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP