Eleições da OAB em todo o país serão totalmente informatizadas, anuncia Britto

segunda-feira, 8 de junho de 2009

As eleições das 27 Seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que abrangerão em novembro deste ano mais de 600 mil advogados em todo o País, serão totalmente informatizadas. O anúncio foi feito hoje (08) pelo presidente nacional da entidade, Cezar Britto, durante a sessão plenária da OAB, realizada na sede da Seccional da OAB do Rio de Janeiro. Segundo Britto, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deferiu o requerimento feito pelo Conselho Federal da entidade, de empréstimo de urnas eletrônicas para as eleições. A decisão do TSE garantiu à OAB a cessão do sistema por tempo indeterminado, garantindo o seu uso em todas as eleições futuras da entidade máxima da advocacia.


Não é novidade que muitos reclamam da estrutura da OAB, mais especificamente, neste Blog, sobre o valor das anuidades, o valor da inscrição para o exame de ordem, os critérios de elaboração e correção da prova, entre outros queixumes.

Em novembro teremos eleições para a OAB, e agora, exatamente agora, seria o momento ideal para vocês lutarem por seus interesses. Se a entidade tem seus defeitos, não seria melhor consertá-los por dentro, valendo-se da legítima força do processo democrático? 

Procurem os comitês dos candidatos de cada seccional e descubram quais candidatos têm uma plataforma orientada de acordo com seus interesses. Ajudem-os! Essa é uma forma inteligente de se mudar o atual quadro, mesmo que ela produza resultados dentro de um médio ou longo prazo.

Lembrem-se de se organizar antes de procurar um candidato. O exercício do poder dentro de uma democracia pressupõe uma prévia força coletiva, orientada pelos mesmos interesses.

18 comentários:

Anônimo,  8 de junho de 2009 16:26  

Pois é, ao invés de a OAB se preocupar em informatizar o exame nojento, repito, NOJENTO, que ela insiste em manter, fica se preocupando com as eleições na entidade. As eleições são importantes, mas os milhares e milhares de bacharéis que são prejudicados em cada exame é muito mais importante. Faço este comentário porque em todos os exames, absolutamente todos, centenas de bacharéis me procuram querendo encontrar uma medida administrativa (esta impossível) ou jurídica contra o indeferimento de recursos sob a alegação de a caligrafia (grafemas) ser incompreensível. A OAB e o CESPE têm condições e já deveriam ter acabado com as provas manuscritas da segunda fase.Alguém, seja lá em qual canto do país esteja, faz alguma peça ou petição manualmente? Se fizer, sou capaz de apostar que o juiz mandará refazer, embora não exista nada que proíba a feitura de forma manuscrita. Hoje até a tribo de indíos mais longínqua e isolada usa computador, por isso não tem mais sentido bacharéis serem reprovados por o examinador não compreender sua caligrafia. E daí que não entenda? será que é ele, examinador que não saber ler ou não tem preparo para corrigir provas, para saber compreender os diversos estilos de caligrafia, ou é o bacharel que não sabe escrever, que é analfabeto? Certamente a primeira hipótese é a mais provável. Ora, meus caros, caligrafia é algo comparável à impressão digital, ela é única, é da própria pessoa e jamais se modifica. Pode até ficar mais bonita ou menos bonita (e assim esmo na fase da infância), mas a forma de escrever já vem com a criatura, é dela, repito.Caligrafia feia ou que o examinador não compreende não é sinônimo e analfabetismo, a OAB tem que entender isso. Pelo que escrevi faço a seguinte indagação: há como uma pessoa já formada, que já concluíu o curso de graduação, mudar a sua caligrafia? Mas nem que a galinha nasça dentes isso vai acontecer. E como não é possível a caligrafia ser mudada depois de "velho", acontece de o bacharél fazer a prova "desenhando" as letras e, por isso, o tempo que ele normalmente levaria para escrever um texto será pelo menos 3 vezes maior quando o faz desenhando as letras. Isso é, dentre as inúmeras distorções que existem no exame, talvez uma das mais sérias e prejudiciais a muitos bacharéis e que precisaria de uma providência séria por parte da OAB e do CESPE (ou seja lá quem palique a prova).Já que para a Ordem o exame será eterno, ela já deveria ter construído em cada seccional espaço próprio para a realização do certame, dotando esse espaço de computadores específicos para tal finalidade (e mesmo não construíndo um espaço própio, nada impede de os espaços que hoje normalmente são utilizado sejam antes da prova preparados com a instalação dos computadores, pois é só retira-los depois da prova), o que não pode é continuar essa indecência de bacharéis serem reprovados por não ter o examinador comprendido suas as caligrafias.

Maurício Gieseler de Assis. 8 de junho de 2009 16:40  

Prezado anônimo. Quem é você? Me escreva.

Doris,  8 de junho de 2009 17:37  

Anônimo,pertinente o seu comentário.Parabéns.Foi o que aconteceu comigo.Na 2ª fase do exame 136 acertei a peça e 4 questões, porém, minha nota foi 5 e o recurso foi indeferido sob a alegação de que minha caligrafia era ilegível.O 137 não prestei,me senti desanimada.Hoje refaço as peças, treinando a caligrafia e cronometrando o tempo, mas, pouco tenho conseguido.

Led,  8 de junho de 2009 20:12  

Isso também aconteceu comigo..
Acertei a peça do Exame passado e 4 questões (a outra foi a que deu a discussão sobre as horas 'in itinere' e a súmula 90 do TST).
Mesmo assim, fiquei com 4...
Perdi pontos em todos os quesitos relacionados à letra, formatação e etc...

Anônimo,  8 de junho de 2009 20:13  

Porque o "novíssimo advogado" não pode votar? Qual é o tempo mínimo que é preciso ter de inscrição para que possa votar?
Faço parte da oposiçao da OAB gostaria de votar já nessa eleição.
Estou na segunda fase do Exame em andamento...

Maurício Gieseler de Assis. 8 de junho de 2009 20:43  

Pode sim...foi erro meu. Ele não pode é se candidatar. Já suprimi a informação equivocada.

Anônimo,  8 de junho de 2009 20:54  

Creio que é feito dessa maneira por uma questão de autenticidade, certeza de que é o "examinando" quem ,realmente, faz a peça. Na 1ª prova,inclusive,vc tem que escrever um texto.Como disse o anônimo, a prova é realmente algo nojento. Agora, se passar a ser feita em computadores,sei não,vai ter muito "hacker" sendo contratado, isso vai ( rsrsrsrsrsrsrs ).

Anônimo,  8 de junho de 2009 22:51  

Anônio 20:54, o comentário do primeiro anônimo tem tudo a ver, é uma exelente ideia de fato. E não vejo fundamento no seu receio pois o cracker (seria o termo melhor empregado)não teria como agir, uma vez que os micros seriam instalados sem nenhuma possibilidade de comunicação externa e sem comunicação entre eles e seriam micros especialmente preparado, não haveria como inserir disquete, CD, pen driver, etc.Eu enxergo um sistema como o sugerido muito seguro. Seria muito mais fácil mandar outra pessoa fazer a prova do que fraudar um sistema informatizado. Quem me garante que é o canditado dono da inscrição que está fazendo a prova? Sistema infarmatizado é tão seguro que a O.A.B. e a CESPE disponibilizam os dados das notas no site e eles não são alterados por cracker.Cracker não tem como agir se não lhe é dado algum caminho. O que muitos falam de cracker (há uma certa confusão com hacker)invadindo sistemas quase sempre é lenda. Pode verificar que gralmente eles agem porque as vítimas lhes abriram o caminho (voluntariamente ou facilitando o furto)e isto seria simplesmente impossível em um sistema como o sugerido, a não ser que alguém da O.A.B. ou da CESPE facilitasse, mas no sistem atual não é difernte. Não é impossível um cracker invadir um sistema como o sugerido sem a contribuição direta e consciente da vítima (no caso OAB e CESPE), mas isto é tão difícil, mas tão dificil que a possíbilidade torna-se desprezível, fazendo uma comparação, é a mesma segurança que se tem em um exame de DNA.

Carlos RJ,  9 de junho de 2009 01:40  

essa prova é tão ridícula que os candidatos possuem senha e número de inscrição e mesmo assim a OAB faz questão de disponibilizar a relação dos candidatos que estão prestando o certame,procedimento sem necessidade,basta que cada um pesquise com sua senha e inscrição se seu pedido e local de prova foi deferido. ao meu ver é um modo de constranger os bachareis perante seus familiares, sim porque sempre que é aberto o certame estes tem a condição de saber se o bacharel está ou não inscrito, aumentando a pressão sobre o candidato. é tempo desta informação ser restrita somente a aqueles que prestarão o exame e cabe a estes mesmos o interesse de informar a quem quer que seja. fiz o exame 2008/3 e o 2009/1 o primeiro fiquei com 48 de pontuação o segundo sem as anuladas fiz 46. além do estres todo que passei estudando desde do ano passado, ainda tenho que ficar passando pela pressão dos familiares, já é hora da OAB, reformular as informações prestadas no site que dizem respeito somente aos candidatos.

Anônimo,  9 de junho de 2009 09:44  

Pelo que sei, a OAB só divulga o nome dos aprovados. Qual o problema nisso, que constrangimento há? Nao concordo com você, Carlos.

Anônimo,  9 de junho de 2009 10:15  

Sinceramente, eles ( hackers ou crackers ) invadem os computadores da Nasa, governos, bancos, não vão entrar no sistema da Oab? claro que vão,vc deixando ou não. O que pode evitar mutretas, é vc fazer a peça manualmente e depois digitar no micro, entregando as duas.
Havendo divegências ou desconfianças..... vale a escrita.Quer dizer, o que tem que ser mudado é a maneira como a prova é corrigida, tem que ter um método desconsiderando a opinião subjetiva daquele que está corrigindo a peça.Mas , se considerarmos o apecto absolutamente "Moral", essa nojeira de exame tem que ser extinta, exterminada.

Anônimo,  9 de junho de 2009 14:17  

Não tem sentido o comentário 10:15. Ele tá biruta. O cara (ou a cara)fez uma sugestão excelente que se fosse posta em prática facilitaria mesmo e ele vem com muma maluquice de fazer peça digitando no micro e também fazer manual. Deus do céu, seria quantas horas de prova? 39 horas, é? Caraca, mutreta pode existir em qualquer método utilizado, nada é imune a fraudes.Anônimo, presta atençãio numa coisa: você já leu ou viu em algum lugar alguém comprovando que o site da NASA foi invadido? Já houve tantativa, mas invasão, pelo que eu sei, até hoje nunca aconteceu. Invasão de site de governos? me fale onde isso aconteceu, pois desconheço totalmente. Já aconteceu sim e acontece é um cracker ter acesso aos dados de alguém em algum órgão público, como, por exemplo, na Receita Federal, mas não por ter invadido o site, mas porque alguém da própria Receita se corrompeu e forneceu os dados da pessoa, mas isso nem precisa ser cracker pra conseguir, basta ter alguns dados de alguém que qualquer um consegue acessar seus dados fiscais na Receita Federal. Invasão de sites de bancos? Me fale que site de banco foi invadido. O que já aconteceu e acontece todos os dias é os crackers conseguirem a senha do correntista e aí de posse dela acessar e movimentar a conta corrente, mas isso não é invasão do site, isso é acesso à conta corrente porque o correntista deu bobeira e de algum modo forneceu sua senha. Em suma, implantar um sistema para a prova da 2ª fase ser feita no micro é seguro, talvez até mais seguro que o sistema hoje adotado.Mas é lógico que se alguém lá de dentro da OAB se corromper a fraude pode ocorrer, enfim, invasão de site é lenda (embora não seja tecnicamente impossível, mas não vale a pena considerando custo x benefício e por isso não ocorre), o que ocorre, eu repito, é alguém abrir o caminho para o cracker ter acesso aos dados.

Anônimo,  9 de junho de 2009 14:34  

Carlos RJ, quer minha opinião sincera? Mande seus familiares para "caixa prego". Você cursou a faculdade de direito por você ou por e para seus familiares? Se não foi por você realmente entrou numa bela "furada", mas penso que para tudo há solução, ainda dá tempo você partir para outra ou até mesmo continuar na área jurídica e, se preciso for, dizer para seus familiares e, SEM O MENOR CONSTRANGIUMENTO, para eles cuidarem da vida deles, pois da sua cuida você. Faça isso que vai perceber que o próximo exame que fizer vai obter um resultado meuito melhor do que o anterior.

Anônimo,  9 de junho de 2009 14:53  

Com toda humildade e sinceridade e sem querer ofender ninguém ou ser melhor que ninguém, tenho a dizer que quase todos querem é que o exame acabe. Percebo assim porque quando uma boa sugestão é dada ela é criticada da mesma forma; as pessoas sempre acham um jeitinho de achar um defeito na sugestão só para dizer que o melhor é acabar com o exame. Não deve acabar o exame não, ele tem que continuar e apenas ser aperfeiçoado para que injustiças não ocorram, mas tem, sim, que continuar. Este já é o meu terceiro exame, mas nem por isso sou contra ele. Eu sou a favor de que algumas coisas mudem,até porque me conseidero injustiçado, mas sou a favor de que o exame não acabe. E, cá para nós, nunca ele vai acabar. Então, vamos parar com a asneira de ataca-lo querendo a sua extinção, o que devemos fazer é enviar sugestões para a Ordem no sentido do aperfeiçoamento do exame, isso sim que é útil para todos. Se coloquem do outro lado, ou seja, se vocês que querem o fim do exame conseguirem ser aprovado, vocês vão querer bacharéis despreparados ingressando na profissão para saturar o mercado e todos começarem a cobrar centavos de honorários, inclusive desrespeitando a tabela da OAB? Não vão mesmo. O exame como é hoje não aprova somente os qualificados,a grande maioria é despreparada, mas ele pode ser aperfiçoado no sentido de aprovar somente os que realmente têm qualificação e é por isso que todos nós devemos lutar, pelo seu aperfeiçoamento e não pela sua extinção.

Carlos RJ,  9 de junho de 2009 19:31  

anonimo 09:44, pelo que sei a OAB divulga o nome dos inscritos no certame antes da realização da prova, o problema que vejo é como aconteceu comigo no exame passado e no atual porque os familiares cobram e muito do aluno por ter reprovado.

Anônimo,  9 de junho de 2009 20:21  

Que se lasque os familiares, meu caro.

Anônimo,  26 de julho de 2009 21:51  

esse monte de reclamação com um exame fácil... imagina se fosse díficil de verdade... pelo que falam, dá prá imaginar o nivel dos advogadozinhos...

Anônimo,  18 de novembro de 2009 03:14  

Acabei de passar no exame da Ordem e só estou com a carteira provisória, a definitiva ainda não saiu. Gostaria de saber se o voto é obrigatório. Obrigada.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP