Anuladas 3 questões!!! - 28, 50 e 64

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Acabou de sair o comunicado do Cespe com as questões anuladas:

COMUNICADO

Exame de Ordem 2009.1

Após a análise dos recursos impetrados, o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB) comunica a anulação das questões 28, 50 e 64 da prova objetiva do Exame de Ordem 2009.1 da Ordem dos Advogados do Brasil.

As justificativas dessas anulações serão disponibilizadas quando da divulgação da relação dos examinandos aprovados, após recurso, na citada prova objetiva.

Fonte: Cespe

30 comentários:

Rodrigo Luckow 12 de junho de 2009 15:00  

Boa tarde professor!
Qual é o critério das anulações? Temos que, considerando as anuladas, ter acertado 50% das questões, ou se acertamos 48 e anulou 2, passamos?

Pergunto porque caso seja o critério do "50%", a prova ficou com 97 questões válidas, sendo que 50% seriam 48,5 questões. Se for assim, que acertou 48 não passaria.

Obrigado!

clarisse 12 de junho de 2009 15:08  

qual a prova??? pq kd prova tem uma numeração diferente!!!

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:10  

Não tô acreditando... td de novo, de novo...

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:12  

Dentro do esperado, dentro da média histórica. Eu já desconfiava que aquela quantidade imensa que o povo estava dizendo que poderiam ser cancelada era ilusão. O Cespe e a Ordem não são bobos e nem nada para colocar a continuidade do exame em xeque já que no Senado está tramitando um Projeto de lei (186/06)que visa a extinção do exame.D A N C E I...eu precisava de umasinha e não consegui. Adeus exame e carreira jurídica, "entrego os pontos", para não enlouquecer, em nome da minha saúde e vida eu hoje eu desisti.

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:17  

quem tinha 49 e nao pegou nenuma anulada nao passa pra segunda fase?...professor como funciona?

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:18  

Tanto faz qual a prova, pq a ordem das questões é a mesma. Só muda a ordem dos itens.

Não existe "critério de 50%" e para se aproveitar das questões anuladas é necessário ter errado as respectivas.

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:26  

Dr. Maurício, você sabe que percentual existia com 47% pontos? Só para que tenhamos uma ideia do impacto no indice de aprovação as anulações terão.

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:28  

foi mal precisava de 04 .....snifffffffffff...............

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:31  

Rodrigo, eu não sou o professor, mas posso tirar sua dúvida. Se o candidato, DE ACORDO COM O GABARITO OFICIAL, havia errado a questão, com a anulação ele passa a ter o ponto relativo à questão anulada (todos os que erraram serão beneficiados, independentemente de terem recorrido ou não), mas se o candidato havia acertado, aí seu número de acertos fica como estava, não diminui, mas também, não aumenta.

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:33  

Puts...que malditos!!! Me lasquei outra vez.

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:35  

É RIDICULO ISSO!!
Mais uma vez fiz 49 pontos e não consegui aproveitar as questões anuladas!!
Assim não da pra querer essa Cespe dos inferno!!

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:37  

EU JÁ SABIA!!!!!!!!!

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:43  

um absurdo ! ! ! várias questões problemáticas, e só tres anuladas ! ! ! A cespe e a OAB usam e abusam os Bels. Afinal eles acham que todos são bobos ! ! !

abraço

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:46  

Absurdo ! ! ! ! A Cespe tira todo o Bel para bobo, diversas questões problematicas, e eles anulam somente 3. Falta de respeito, isso é uma política Porca da Cespe ! ! !


desculpem o desabafo ! ! !

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:51  

É HORA DE MOSTRAR FORÇA, A OAB E O CESPE, TEM QUE SER ATACADA, PÓIS DO JEITO QUE ESTÁ NÃO DÁ PRA ATURAR TANTA COISA ERRADA. SÓ 3, ELES ESTÃO DE SACANAGEM.

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:55  

Eu tinha 49 e aproveitei duas questoes posso considerar que eu passei?

Anônimo,  12 de junho de 2009 15:56  

Eu tinha 49 aproveitei 02 questoes, posso considerar que eu passei na primeira fase?

Grato

Anônimo,  12 de junho de 2009 16:01  

É isso mesmo, pessoal!
Infelizmente o critério de ter que acertar pelo menos 50 questões não muda. Quem havia errado essas 3 questões quando do lançamento do gabarito preliminar se beneficiará dos pontos, tendo recorrido ou não...
Agora quem de acordo com o gabarito preliminar divulgado após a prova já tivesse acertado as questões não pontua nada a mais e permanece com o mesmo n° de acertos...
NÃO DESISTAM!!!!! Depois de uma prova dessas a tendência é que o próximo seja BEM MAIS FÁCIL, não acham?

Anônimo,  12 de junho de 2009 16:11  

Vamos boicotar o exame, é o único jeito de responder às palhaçadas da OAB

Anônimo,  12 de junho de 2009 18:35  

Pela Segunda vez fiz quarenta e nove(49).....Não vamos nos inscrever para o próximo, assim vamos secar a "teta" da OAB....18.900 inscritos
x 180
________
3.402.000,00 R$

É a farra do boi....com este valor é fácil entender porque dificultam o máximo as aprovações, assim adoram ver os índices de reprovações da 1ª fase nas alturas, pois o custo com a 2ª fase é quase zero(0)e consequentemete maior lucro. Ou a OAB tem fins lucrativos? Se não o tem, porque não devolvem o valor correspondente à 2ª fase que não iremos prestar.

Anônimo,  12 de junho de 2009 19:08  

é nao dá mais, estao entregues os pontos, eu ja bati na porta quatro vezes, ja estou numa depresao sem fim, a minha saude ja esta debilitada, nao aguento mais.

Anônimo,  12 de junho de 2009 20:04  

Bem que a OAB merecia isso mesmo!
Que NINGUÉM SE INSCREVESSE PARA O EAME DE ORDEM. Acontece que somos uns BABACAS!!!! Não existe UM PROTESTO , para que essa prova deixe de acontecer. Temos passeata contra o Exame de Ordem? NÂO. Temos bacharéis de nariz de palhaço na hora da Prova? NÂO. Temos alguma manifestação pública de peso para acabar com o exame de ORDEM ? NÂO. O que temos são pessoas reclamando, mas de bunda sentada em suas poltronas, acompanhando as notícias da tv ( que são cada vez mais discretas e imperceptíveis) A TODOS NÓS, um BEM FEITO bem merecido, por tanta ACOMODAÇÂO E FALTA DE INICIATIVA E UNIÂO>
Ana Claudia

Cesar Camilo,  13 de junho de 2009 00:07  

Eu passei, fiquei com 53%, ou seja, 53 questões; mas venho aqui expor minha solidariedade com meus companheiros. Nâo pode persistir fato tão absurdo. Prefiro ficar com a idéia que a prova foi feita, não para aquele estudante que tem conhecimento geral, mas para uma parcela que fez um curso explêndido. E mesmo assim, alguns que estudaram ou são considerados "inteligentes" não conseguiram aprovação. OAB não mede QI, hoje eu diria que mede nervosismo, que mede pressão, porque muita gente mais preparada do que eu não conseguiu nem passar na primeira fase. Não sei se vou passar na segunda fase. Estou estudando o necessário, espero, para passar, mas quem de direito deveria tomar providência. Aprovação Nacional abaixo de 20% não quer dizer, necessariamente, que as instituições de Direito estão ruins. Mas se estão por que permitem novos cursos. O Exame de ordem virou um comércio no mundo capitalista contemporâneo. Mesmo aqui prevalece a lei da oferta e da procura. Quanto mais bachareis reprovados, melhor para o sistema capitalista, onde o objetivo não é outro, senão a cumulação de capital.

Odair Castelo 13 de junho de 2009 05:58  

Eu aproveitei as três questões, mas tenho um amigo que tinha 49 e não aproveitou nenhuma, é uma pena, por todos nesta condição. Eu fiquei com 52%, resta agora comer livro e gastar tinta de caneta treinando peças pra 2º fase
Abraço, mas digo aos desmotivados> não desistam!

Anônimo,  13 de junho de 2009 11:22  

Não, não, a prova tem que existir, sim. Eu fiquei novamente com 49, mas não vejo que a solução seja acabar com o exame. A solução é corrigir os erros, que são muitos para, senão acabar, pelo menos minimizar substancialmente as injustiças. A primeira solução seria acabar a prova objetiva (não é acabar o exame, é só a prova objetiva), pois ela não é capaz de avaliar, sinceramente não é.Depois disso, a prova deveria ser somente uma peça práticoprofissional e deixando o mesmo tempo que é hoje (5 horas), nem mais e nem menos que isto, mas com um detalhe: sem sacanagem de pegadinhas, até porque na vida real, na prática do dia a dia de um advogado, o seu potencial cliente não lhe faz pegadinha, ou seja, o cliente passa todos os dados BÁSICOS para o advogado. Tem que acabar com essa imbecilidade de ... (reticências) em determinados itens,pois isso é feito somente para que o bacharel se confunda (e na vida prática isso não existe e se não existe na prática não deve existir na prova), ou seja, o problema tem que trazer todos os dados claros e cristalinos (não pode exigir exercício de adivinhação, tem que exigir somente raciocínio jurídico e conhecimento, como, por exemplo, se o bacharel sabe identificar a competência). Por exemplo: o problema tem que dizer o local da demissão, assim, tem que dizer que foi demitido em Brasília e não vir com pegadinha de que ele tem o pai que mora em Manaus, a mãe que mora na "caixa prego", o irmão que mora nos infernos, trabalhou em São Paulo, pediu transferência para Brasília, mora em Goiânia e foi demitido sem justa causa. No exemplo, disse onde ocorreu a demissão? Não disse. Caramba, repito, o que tem que ser analisado é se o bacharel sabe aplicar o direito, se ele sabe, raciocinar juridicamente, e não saber se ele sabe adivinhar ou raciocinar rápido.E para aqueles que já estão pensando que assim todos seriam aprovados, posso afirmar que o indice de reprovação iria aumentar e muito, pois a verdade é que a grande maioria dos aprovados não sabe redigir uma peça e não sabe aplicar o direito, a grande maioria é analfabeba funcional que conseguiu aprovação graças às 5 questões cujas respostas foram copiadas dos livros, passaram sem fazer a peça. Portanto, uma peça é o que pode de verdade avaliar o conhecimento do bacharel, já a prova objetiva e as 5 questões da segunda fase não são capazes de medir conhecimento.

Anônimo,  13 de junho de 2009 16:28  

Um absurdo não darem provimento a questão 33, na qual fala que não está prescrito 3 anos e 35 dias E PODE-SE PLEITEAR A DEMANDA, na qual a obrigação de reparação de danos civis prescreve em 3 anos. Fui obrigado a marcar a questão errada na prova, pois seria absurdo marcá-la como certa A MESMA. Os FANFARRÕES não reconheceram. É indignante, mas como esperar algo de concreto,QUE SE RECONHEÇA DE OFÍCIO, se os mesmos (presidentes da OAB)e das comissões de estágio são IGNORANTES, haja visto o fato de comunicarem oficialmente na página da oab " que após a análise da IMPETRAÇÃO dos recursos pelos examinandos foram anuladas as ..., RECURSO SE INTERPÕE E NUNCA SE IMPETRA,NÃO PRECISA DIZER MAIS NADA ,SOMENTE QUE NÃO DEVERIAM EXERCEREM O CARGO QUE OCUPAM E DEVERIAM SEREM AFASTADOS, POIS NÃO QUEREM RECONHECER AQUILO QUE NÃO É DO SEU INTERESSE!

Anônimo,  14 de junho de 2009 13:14  

É perceptível a quantidade de erros presentes na prova. E são erros de todos os tipos,sendo "formais" e "materiais".
É de se pensar "com tantas questões a serem anuladas, somente três foram. Então, qual será o critério para essa anulação?". Com certeza é um critério que não se baseia em pontos objetivos, deixando, portanto, de observar a igualdade e a equidade.
Diante disso, não há como não concluir que o exame de ordem dos advogados é injusto. Ou seja, a prova que seleciona aqueles que são aptos a militarem pela justiça através da advocacia é injusta.

Anônimo,  14 de junho de 2009 15:56  

Meu amigo (13:14), o critério é a conveniência. Se para a OAB o interessante é o máximo possível de reprovação (reserva de mercado), ela não vai anular questões que possam causar um desequilibrio nesse controle que ela faz no número de advogados que são inseridos no mercado. Tenho quase certeza que ela e o Cespe fazem uma simulação prévia para verificar o impacto das anulações no indice de aprovação. Este percentual elevado de reprovação no exame 2009.1 já foi premeditado pela OAB e Cespe, pois nos últimos 3 anos o indice de aprovados tem sido acima do normal para as duas "donas" do mundo e aí, para equilibrar,fazer bem feita a reserva de mercado, tem que reprovar bastante.

Anônimo,  15 de junho de 2009 23:09  

Gostaria de saber porque os cursinhos que ajudaram com os recursos dos examinandos não fazem a mínima questão de brigar com a OAB e o CESP? Não adianta fazer curso, póis na hora que vc precisa, os cursinhos se escondem no jogo.
Bacharéis, essa luta é só nossa, mudanças só com muita união. Abraços a todos.ANA CLÁUDIA, PODEMOS TROCAR EMAIL?

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP