Novo Enem terá 180 questões e 10h de duração

quinta-feira, 28 de maio de 2009

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2009 terá 180 questões e tempo de duração total de 10h, sendo 4h30 no primeiro dia e 5h30 no segundo. As informações foram divulgadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira (28). As provas serão realizadas nos dias 3 e 4 de outubro. (...)


Edital: Enem

Se a prova de acesso ao nível médio exige uma maratona de 10 horas em dois dias para que sejam respondidas 180 questões, não faz muito sentido que se reclame das 5 horas e 100 questões do exame de ordem, ainda mais que é direcionado para pessoas com nível superior. Ou faz?

Tirando os donos de cursinhos, eu não conheço ninguém que esteja satisfeito com o modelo atual do exame de ordem. Para você, qual seria o melhor modelo de aplicação da prova? Deixe seu comentário.

11 comentários:

Anônimo,  28 de maio de 2009 15:54  

A OAB deveria se pautar em prática..é simples..dê uma prova de hoje para um advogado formado há 5 anos prá ver se ele consegue acertar 50 questões sem chutar nenhuma..dificil..a prova de primeira fase poderia existir sim, mas procurar se pautar em questões relacionadas à prática forense, sem pegadinhas..o advogado sempre terá a legislação para se apoiar e como não pode levar os livros para consulta na primeira fase? isso significa que o candidato tem que decorar a lei..ler a constituição..código civil..se as questões fossem pautadas na prática seria mais facil e mais concisa a avaliação também..ética é difícil ser estudada com afinco e geralmente quem já estagia na área "gabarita" a matéria..exatamente por ter a ver com a prática..assim como na segunda fase, onde a prática é levada em conta ao se fazer a peça..

Anônimo,  28 de maio de 2009 16:41  

Vixi, a OAB não pode ver essa notícia sobre o ENEM, senão ela vai querer fazer igual e aí a prova do exame passa para 3 dias. Se o objetivo é reprovar, ela quer se apegar em tudo pra ancançar o objetivo. NOJENNNNNNNNNNNNNNNNNNNNNNNNTA

Scipius 28 de maio de 2009 16:45  

Concordo plenamente. pegadinha só na televisão.

Anônimo,  28 de maio de 2009 17:09  

Esta cada vez mais difícil passar na ordem.... e concordo com o primeiro comentário... manda um daqueles fiscais de sala de nariz impinado fazer uma prova dessas... rsrsrsrs...
O pior é que ficamos cada vez mais a mercê da mídia... estamos sendo taxados de burros... E vamos continuar aqui parados ???

Anônimo,  28 de maio de 2009 21:31  

A OAB deve adorar ver tanta gente reprovada já que, muitos lá dentro não precisaram da prova para poderem exercer a profissão para a qual dedicaram cinco anos de suas vidas.
Isso sem contar que não fazem nada pelos bacharéis e ainda somos obrigados a pagar pela carteira de estagiário para termos o direito de estagiar.
Quem é mais mercantilista?

Anônimo,  29 de maio de 2009 10:54  

A melhor maneira seria a observação de curriculum, históricos da graduação, e tendo prova que essa seja feita sem pegadinhas, com casos práticos e teses usadas, pois no direito nada é exato, tudo depende, há muitos entendimentos, que acabam confundindo na hora de responder uma prova. Querem pedir o texto de lei, diminuam as questões e deixem usar lei seca, pois nenhum advogado decora os códigos para fazer a peça.

Anônimo,  29 de maio de 2009 11:26  

O posicionamento do senhor editor é muito controvérsio e ele sabedor das do montante de material para o estudo para o Enem e para o Exame de Ordem, creio que o senhor sendo um veemente defensor do Exame de Ordem, deixou e deixa de analisar varias situações para emitir parecer ou opiniao, o seu bloggue eé relevante só que para os defensores do exame de ordem, com alguns post que diz favoravel ao bel em ser "surrupiados" pelo sistema educacional que desandou o de Advogado, agora o sistema não está todo ruim assim, mas sim o de direito, e o pq ? Sim Exame de Ordem. O pq criam tantos cursos? Exame de Ordem. Agora ninguem falam que a propria OAB, esta por traz disso tudo, pois, ela fala do proprio rabo.

Maurício Gieseler de Assis. 29 de maio de 2009 11:47  

Meu posicionamento não é controverso. Eu sou favorável ao exame de ordem, mas combato o atual modelo dele. O Blog tem a finalidade de ajudar quem vai prestar o exame, que é um fato concreto: o exame está aí e não o contrário.

Se você deseja lutar contra o exame, há uma série de movimentos que adotam essa bandeira. Una-se a um deles.

Só te alerto que essa é uma luta perdida.

Anônimo,  30 de maio de 2009 11:33  

Por isso que a OAB tem que existir..como existir advogados que não sabem escrever e querem que o exame acabe?

Anônimo,  30 de maio de 2009 13:40  

Dr. Maurício, me metendo na conversa, quero dizer que é uma luta perdida mas não porque o exame cumpre os objetivos de fazer com que haja só advogagos capacitados exercendo a profissão. É uma luta perdida porque os advogados são corpotativistas e o a grande maioria dos parlamentares do Senado Federal e Câmada dos Deputados é de advogados e, portanto, é evidente que eles não vão querer "fazer gol contra". Já está mais do que comprovado que o exame não avalia a capacidade dos bacharéis e nem força a melhor qualificação. Aliás, se o exame tivesse o poder de forçar uma melhor qualificação, pelo tempo que ele já é realizado, os indices de aprovação já deveriam ser acima de 70%, pelo menos, mas o que se vê é todos os anos desastres em termos de aprovação, só um ou outro estado consegue um indice melhorzinho de aprovação e assim mesmo nada de excepcional, pelo contrário, são indices também ridículos (indice de 30, 33% não pode ser digno de aplausos, são ruins também). Eu sou a favor de que o Estado brasileiro pare com idiotices de dá esmolas para o povo na forma de bolsa família, tickt leite, ajuda isso, ajuda aquilo, e olhe com seriedade para o ensino e neste passe a fazer investimentos de verdade desde a base até a faculdade. Mas os investimentos do Estado não alcançariam resultados imediatos, só a longo prazo. Contudo, paralelamente às ações do Estado,a OAB poderia, em conjunto com o MEC, acompanhar e exigir das faculdade um ensino de qualidade, passando a avaliar as instituições de ensino periodicamente e não aplicar um exame que não serve para nada, a não ser para atender objetivos financeiros da Ordem e outras pessoas mais.Quando a coisa começa errada, é dificil depois mudar. O exame começou errado e agora está muito dificil de ser mudado, pois os interesses financeiros estão falando mais alto, ou seja, a OAB não quer acabar com oexame porque sua arrecadação seria afetada, os advogados são contra ao exame por conta do medo da concorrência (o exame faz um controle efetivo da entrada de novos profissionais no mercado), os cursinhos são favoráveis ao exame porque é uma garantia de ganhos astronômicos com cursos "preparatórios", as editodas defende o exame porque a cada dia elas ficam mais ricas com a venda de livros que um dia após o exame não servem pmais para nada (estão desatualizados), os autores, logiocamente, jamais serão contrários ao exame porque senão eles deixarão de vender toneladas e toneladas de livros (a grande maioria deles com conteúdo de qualidade duvidosa), e as faculdades, por mais estranho que posssa parecer, são favoráveis ao exame porque na verdade os seus donos são os mesmos donos da granbde maioria dos cursinhos. Em suma, tudo isso é uma VERGONHA NACIONAL.

Anônimo,  9 de junho de 2009 01:59  

Anonimo 13:40, você é merecedor de aplausos.falou com o coração,porém explanou a mais pura verdade. se a maioria dos bacharéis pensassem como você garanto que não haveria este corporativismo todo e essa prova que realmente não mede conhecimento algum. parabéns

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP