Exame de Ordem deverá passar por alteração a partir de 2010

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Essa notícia é de 04/04/2009.

Projeto deverá ser discutido na próxima semana pelo Conselho da OAB Nacional e prevê a inclusão de novas disciplinas na primeira fase das provas.

“Tivemos um desempenho que deixou muito a desejar. Houve uma queda mais acentuada agora, neste último Exame de Ordem”. A declaração é do conselheiro federal da OAB/RN, advogado Adilson Gurgel de Castro ao comentar sobre o baixo índice de aprovação no último Exame de Ordem, no qual 29,7% dos candidatos foram aprovados.

Provavelmente, na próxima segunda-feira (06) seja colocado em pauta na reunião do Conselho da OAB Nacional o processo, do qual Adilson Gurgel é o relator, que prevê modificações que poderão tornar ainda mais complexas as provas do Exame de Ordem.

“Caso o conselho da OAB aprove o projeto, a partir do próximo ano deverão ser incluídas na prova da primeira fase, disciplinas como filosofia, sociologia, economia, teoria geral do estado e ciência política”, disse.

Ele explica que a inclusão dessas disciplinas poderá ocorrer por se tratarem de matérias essenciais para a prática do direito e que representam a base do conhecimento para o exercício da advocacia.

A idéia é fazer uma reformulação no modelo que vem sendo utilizado na primeira prova e exigir mais raciocínio do aluno – através de questões mais interpretativas -, diferente do que existe hoje, que exige mais memória e pouco raciocínio jurídico.

Para a prova da segunda fase, na qual os candidatos se submetem às questões subjetivas e à elaboração de uma peça jurídica, não há previsão de mudança.

Apesar de reconhecer que o nível de aprovação vem baixando nos últimos anos, principalmente após a unificação do concurso em todos os estados do Brasil, exceto São Paulo e Minas Gerais, Adilson ratifica a posição da Ordem dos Advogados de que o objetivo da entidade não é “apertar” e sim fazer uma prova possível de aprovação.

“As instituições precisam se dedicar mais ao ensino e os alunos têm que estudar. Aqueles que estudam regularmente, sem deixar para a última hora conseguem a aprovação”, completa.


Até a última prova objetiva (03/2008), 90% das questões formuladas exigiam dos bacharéis o conhecimento puro e simples da lei ou da jurisprudência sumulada dos tribunais superiores. Se as alterações divulgadas nessa reportagem efetivamente ocorrerem, teremos uma prova mais próxima do desejável em termos de efetiva avaliação dos bacharéis de direito, mas também teremos um percentual maior de reprovações.

Se o atual modelo já causa tanto estrago, a implantação de uma prova que exija interpretação, um raciocínio jurídico que vai além do simples ato de decorar o texto da lei, muito provavelmente o exame de ordem exigirá mais tempo de preparo de cada um dos milhares de bacharéis de direito.

A grande verdade é que o ensino jurídico no Brasil, hoje, é uma tragédia passivamente tolerada. A alteração do modelo do exame de ordem, nos moldes acima delineados, implicaria em uma prova mais condizente com o propósito de se escolher os bacharéis mais capacitados, assim como implicará na exposição crua, nua e indefensável do mercantilizado ensino jurídico.

De toda forma, quem já é bacharel de direito deve aproveitar e passar ainda este ano no exame. E quem só o será em 2010, é bom começar a se preparar desde agora. A notícia pode até não se confirmar, mas é melhor não pagar para ver, até porque estudar não faz mal a ninguém.

Sem forçar muito a imaginação, o aumento do grau de complexidade do exame provavelmente tem correlação com o enorme número de bacharéis que são "despejados" das faculdades todos os anos. Com a adesão da Seccional de São Paulo ao exame unificado, temos inscritos no exame de ordem 01/2009 aproximadamente 66.400 bacharéis (esse número aproximado decorreu da soma do número de bacharéis inscritos no último exame unificado - 47.521, com o atual número de bacharéis inscritos somente na seccional paulista para o atual exame de ordem - 18.917). Se 27% deles forem aprovados (média nacional), teremos mais 17.928 advogados aprovados no mercado. O raciocínio é simples: O mercado da advocacia já ultrapassou o ponto de saturação e está na hora de fechar a porteira.

Sempre me neguei usar a expressão "reserva de mercado" para definir o exame da OAB, não só por achar que tal expressão é mal-utilizada como também por acreditar que o exame de ordem é absolutamente indispensável. Mas agora parece que será praticamente inevitável usá-la...

Fonte dos dados:

31 comentários:

Anônimo,  14 de maio de 2009 08:13  

Será que alguém ainda vai conseguir passar no exame de ordem? Só tentam dificultar o ingresso na OAB, mas melhoria nos cursos de direito nada...

Anônimo,  14 de maio de 2009 10:20  

Se pegarem comentários meus antigos, irão verificar que já há muito venho dizendo que não vai demorar muito para a prova da OAB chegar ao nível de dificuldade do concurso para a magistratura onde o indice de aprovação fica bem próximo de zero (claro, a OAB não quer tanto advogado no mercado) e essas tais mudanças nada mais são do que um início, uma preparação para logo que o Projeto de lei 186/06, visando acabar com o exame, seja votado (e a propositura não será aprovada)o cinto seja apertado de vez. E aí nesse momento, será a hora de os bacharéis explodirem todas as sedes da OAB, não deixar nenhuma em pé.

Anônimo,  14 de maio de 2009 11:22  

Coloca logo um prova pisicotécnica, exame antidoping,prova física e derrepente avaliação do curriculum. derrepente assim conseguem 100% de reprovação!!

André

Anônimo,  14 de maio de 2009 11:35  

Não há comentário inteligente a este post, haja visto, que a tendencia da OAB é esta mesmo, e que ela não assume o proprio erro, de manifestar a abertura de facul., e os seus membros que atual no magisterio sequer conhece a materia e de pedagogia, tem que falar sobre isto, se tem facul demais tem prof com OAB para legionar demais incompetentes. Tivemos no curriculo Sociologia Juridica, lecionada por prof de outro pais, vejo só.

Anônimo,  14 de maio de 2009 11:35  

A OAB está aos poucos escancarando e admitindo que realmente faz uma reserva de mercado. Mas alguém deveria tomar uma providência contra isto e contra o enriquecimento absurdo da OAB à custa dos iludidos bachareis, sem contar os donos de cursinho que certamente são professores ou ligados à OAB. Vejam se a OAB se preocupa em fechar os cursos que têm em excesso? Ela fala, fala, mas não toma nenhuma efetiva providência, ela apenas faz tudo e tudo para manter o exame e dificulta-lo cada vez mais, pois se fechar as faculdades que tem em excesso a "mina de ouro" chamada exame é esvaziada. Quanto mais dificil o exame, mais pessoas enriquecem facilmente à custa dos bacharéis.Tá certa OAB, dificulta mesmo, mas coloquem também questões de Matemática, Química e Física, porque o advogado que não sabe isso não é qualificado, não é bom advogado. Façam isso seus filhos da...Sorte deles é que estamos no Brasil em um daqueles países onde o povo não aceita qualquer m...que é imposta não, pois se isso acontecer por lá com certeza bombas explodirão.

Anônimo,  14 de maio de 2009 14:34  

Só uma palavra: PALHAÇADA!

Anônimo,  14 de maio de 2009 15:50  

Sem comentários, estou concentrado para a prova de domingo.O resto será um problema novo, enquanto isso,fico preoculpado com o atual. O meu rendimento na prova tem que ser melhor que á última. Desejo muita sorte aos que irão prestar o exame domingo. Um abraço aos guerreiros da oab.

Anônimo,  14 de maio de 2009 17:43  

Pessoal, vamos criar um site para iniciar um movimento de boicote ao exame de ordem a partir do primeiro exame de 2010 (os dois próximos (de 2009) não dá mais tempo. São quase 4.000.000 (a OAB diz que são 2.000.000) de bacharéis no Brasil. Dividindo isso por 27 Seccionais são mais de 148.000 para cada uma (ou 74.000 pelas contas da OAB). Não precisa nem a adesão de todos, os que aderirem é que vão boicotar e impedir que os "riquinhos, filhinos de papai" façam a prova, porque esses vão querer faze-la de qualquer jeito. E boicotar o exame é fácil demais, se em cada Estado 5.000 (isso exagenrando, porque nem precisa tanto, 400 já são mais que suficientes) se plantarem na frente dos locais de realização das provas não deixando ninguém entrar quero ver qual é o efetivo policial que vai segurar? Duvido, e se tentarem a gente faz uma guerra. O movimento tem que ser pacífico, mas se eles quiserem partir para violência a gente devolve na mesma moeda e ponto final.

rosana,  14 de maio de 2009 20:02  

Fala sério! Cara ninguém merece isso! daqui a pouco vão pedir exame psicológico p/ saber se o candidato é doido ou não.
Ainda bem que já me livrei dessa prova.

Anônimo,  14 de maio de 2009 20:47  

Pessoal! já ha algum tempo eu venho pensando na possibilidade de fazermos um paredão, uma evasão de pelo menos tres exames, será o sufiente para quebrar a oab.Voces imaginem 540,00 por ano é quase uma anuidade do advogado inscrito, que interesse tem a oab em nos ter como inscritos? se os otarios dos bacharéis ficam tentando passar naquela prova injusta. vamos nos unir contra essa desigualdade que existe entre bacharel em direito e outras profissões.

Anônimo,  14 de maio de 2009 20:52  

Eles fazem isso porque quase todos não passaram pelo exame, entram pela porta do fundo, e os que passaram são alienados e têm medo da concorrência. Quem tem medo de concorrência é porque é fraco mesmo, é desqualificado e incompetênte e por isso o único meio que tem para "vencer" a concorrência é impedindo que ela ingresse no mercado.

Anônimo,  14 de maio de 2009 23:41  

Se querem cobrar isso na prova, tem que por na grade dos cursos de direito! alguns cursos nao tem essas disciplinas.. e ai? Como fica?

Anônimo,  15 de maio de 2009 11:21  

Esqueceram duma materia super importante à ser acrescentada !!!!

Lingua estrangeira..., vc poderá optar entre Latim e Esperanto.

Boa sorte na prova.

Anônimo,  15 de maio de 2009 15:50  

Tem que acrescentar português, inglês, espanhol, francês, latim, russo, grego, alemão, matemática, química, física, ciências, biologia, música e religião. Pronto aí fica completo o exame. Acrescentado essas matérias, nada a reclamar.Ah, é importantíssimo para que o bacharel demonstre que está preparado para advogar, que a OAB não esqueça de exigir na prova que cada bacharel traçe e explique a sua árvore genealógica e também escreva o hino nacional completinho.

Anônimo,  15 de maio de 2009 17:57  

Não acredito!!! Sou a favor do exame, mas contra a forma como tem sido realizado, visando apenas o lucro com as inscrições e dizendo que se trata de verificar a condição do bacharél advogar...conheço pessoas que passaram com média 8,0 na prova, e agora que estão com a carteira não conseguem advogar, o motivo? Não sabem o que significa advogar na prática!! Pobre de mim, que fui reprovada no 1º exame, ainda não tenho a carteira e tenho que ajudar os já aprovados com minha experiência, explicando o dia a dia do advogado...sera justo isso??

Abraços a todos e boa prova p nós!!!

Anônimo,  15 de maio de 2009 20:43  

Não quero que exame de ordem acabe. Já pensou se acabar? Aí fica fácil é só fazer o curso de Direito e correr pro abraço.

John,  15 de maio de 2009 23:16  

Caro Colegas, são dois lados da linha os que aqui estamos e os que ja lá estão,mas pergunto os mais antigos que formulam mudanças,"cortam concorrentes direto ao labor igual" deveriam se reciclar nas mesmas provas a cada 5 anos, pois deveriam ter mesmos conhecimentos e assim deixar mais oxigenado e saudável o corpo jurídico do País, desta dorma os que naum se adquarem pela inercia do sossego de la já estarem, teriam que se adquar a REALIDADE de estar fora da atualidade jurídica. Pois apliquemos provas igual aos mesmos elaboradores. Seriam capazes de enfrentar?
Isonomia de labor, "todos somos igual perante a Lei". Abraços cologas.

Anônimo,  16 de maio de 2009 09:50  

Ao Anônimo do dia 15 (17:57).
A situação é aplicável ao meu caso. Eu praticamente presto "assessoria" (e de graça) a alguns advogados que foram meus colegas de faculdade, simplesmente porque eles não têm a menor noção de nada, só que eles passaram e eu patinei;talvez o burro sou eu. Eu prestei duas vezes o exame e desisti, pelo menos por enquanto. Como estou com um emprego que dá para ganhar, ressalvadas as exceções, muito mais do que sendo advogado dá para me acomodar, evitar desgastes vendo injustiças já que a correção da prova quase sempre é extremamente injusta. Mais na frante de repente até tento novamente, mas hoje não tenho a menor vontade. Eu incentivo d + meus colegas que também não passaram, mas fica nisso.

Anônimo,  16 de maio de 2009 20:37  

Por que não se preocupam em fiscalizar os cursos de Direito??? Existem inúmeros cursos do "Paraguai" por aí e ninguém fala nada!!!! É um absurdo!! Eu mesma tive uma professora que simplesmente sentava em frente a seus alunos, ditava 3 ou 4 perguntinhas para responderem e entregarem no final da aula. Passei 2 anos do curso sem aprender de fato o que é Direito Comercial!!!! E quando se reuniam para reclamar não adiantava, era protegida do diretor do campus. A OAB e o MEC deveriam fazer uma fiscalização cruel é nesse tipo de coisa que acontece não só na minha, mas aposto que em várias outras Universidade espalhadas pelo Brasil. Eu somente passei no exame porque sou muito responsável comigo, mas se dependesse do tipo de ensino que tive, não sei se seria a mesma coisa!! Deixo meu desabafo e desejo sorte àqueles que prestarão concurso amanhã!

Anônimo,  17 de maio de 2009 20:48  

A OAB tem que dificultar mesmo. Ah! outra coisa, deveriam aplicar 1prova por ano.

Anônimo,  17 de maio de 2009 23:11  

Gostaria muito que os advogados que não precisaram passar por essa prova, os desembargadoes tentassem faze-la... será que conseguiriam??? Lógico que não. Prova nunca mediu conhecimento, todas as outras profissões vc termina a faculdade e já é um profissional, só essa "bendita" OAB, que humilha, nos faz de gato e sapato. Somos obrigados a engolir o CESPE(que ja teve tantos escandalos abafados e ninguem toma uma providência).
Seria justa essa prova se a mesma fosse justa.
A pergunta que não quer calar:" Onde esta o nosso DIREITO?".
P-A-L-H-A-Ç-A-D-A!!!!!!!

Anônimo,  18 de maio de 2009 00:36  

Bom.. O exame da ordem aponta apenas a situaçao critica que se encontra o ensino jurídico deste pais, na qual apenas umas poucas faculdades, na sua maioria públicas, detem um ensino de qualidade e aprovam uma média superior a 85% de seus bachareis no exame da ordem, enquanto o resto amarga medias inferiores a 30 ou até 20%... Ou seja,apesar das pessimas estruturas do ensino público, o habito de estudar ainda faz muita diferença na prova da ordem... Nao adianta pagar a faculdade tem que se dedicar o curso todo.
Uma boa preparaçao é importante, idependente que qual materia seja cobrada.
Abraços e bons estudos.
OBS: A OAB deveria ter competência, assim como o conselho de medicina, para vetar a abertura dessas faculdades que apenas querem lucro e usam do sonho de estatus e dinheiro das pessoas para ficarem ricas.Pagar pra ter diploma nao resolve a vida de ninguem.

Anônimo,  18 de maio de 2009 12:21  

Sinceramente não sei onde a OAB quer chegar com isso. A coisa já está num estágio em que eh na cara de pau mesmo, eles não fazem questão de esconderm o objetivo principal: LUCRO!
Aqueles que ainda tem os pais para bancar a inscrição de 150 reais, td bem... mas aqueles que não tem ninguem e precisam trabalhar? Tem como pagar sacrificadamente a inscrição, mas não tem tempo p estudar.
Alguma coisa tem que ser feita para barrar essa DITADURA OAB..
Se ao menos soubéssemos que o Exame é sério..

Compartilho o P-A-L-H-A-Ç-A-D-A com o amigo acima!

gilmar rodrigues,  18 de maio de 2009 16:13  

Em pauta, o debate ad eternun entre o que é e o que deveria ser, entre o que temos e o que queremos. Nada de novo no rugir das tempestades, Moacir de Góes fazia essa observação a vinte anos. Que os colegas professores e pedagogos (um é diferente do outro)percebam o abismo entre o ensino jurídico no Brasil e a construção do pensamento crítico, percebam que avaliação não é verificação, que as mudanças primeiras sejam no ensino e posteriormente na avaliação, que o Direito seja construido pelos princípios e não pelos códigos, tenha a mobilidade dos tempos e não o engesamento dos tribunais.
PARABÉNS pelo blog e pelas idéias.

Anônimo,  19 de maio de 2009 11:08  

o valor da inscrição da prova da ordem é uma estupides, sendo uma das mais caras inscrições do país.
lógico que tem gente ganhando comm isso!!!!!!!!!!
quanto a prova, foi para dificultar e não medir conhecimento...OAB rondonia presta atenção aprendizagem sim comercio não!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ívano 20 de maio de 2009 21:56  

Mesmo que eu quisesse, não seria capaz de dizer num texto tão pequeno, o quanto acho importante o Exame de Ordem. Referido teste é nada mais, nada menos, do que o filtro do lixo excretado pelas universidades brasileiras (querem mais?).
A OAB deveria dificultar mais o exame, a fim de extrair o melhor de seus candidatos buscando os melhores candidatos.
Direito é coisa séria!
Lidamos com a vida, a liberdade e o patrimônio das pessoas.
Tenho visto alguns blogs e é sempre a mesma história: pessoas reclamando e falando dos reprovados... PAREM DE ANDAR EM CIRCULOS!! Glorifiquem os aprovados ao invés de chorar pelos derrotados.
Se mesmo assim não der certo, aí vais mais uma dica: ESTUDEM! Pois é o que está faltando.

Adriano,  22 de maio de 2009 23:59  

Caro Ívano,
há algum tempo, eu pensava como você. Sem dúvida o Exame de Ordem deveria selecionar bons candidatos. Entretanto, desde o ano passado o real objetivo tem mudado de foco. De fato o número de bacharéis tem sido exagerado, mas o fato é que a OAB não está nem um pouco preocupada com a qualidade das instituições que oferecem o Curso de Direito. Será por que, hein?
Disconfio de um cooperativismo sórdido, onde a maioria dos donos de cursinhos são ligados a OAB.
A prova é injusta porque as questões não são suficientes para constatar se o bacharel está preparado ou não. Quer um exemplo? Sempre fui um aluno aplicado, tirei boas notas e carreguei muitos colegas nas costas, passando cola e etc. Muitos desses colegas, ao longo do curso, fizeram o curso de forma bem malandra e acabam passando na OAB. Enquanto que eu e outros colegas aplicados ainda não conseguiram passar no EXAME. Inclusive, tenho amigos que passaram para o MPU, STJ e tantos outros concursos e não conseguiram passar no exame da OAB. Tenho achado tudo muito estranho!!! Não é justo fazer uma contenção de inscritos para OAB apenas pela quantidade exagerada de bacharéis. É necessário cortar o mal pela raiz, no sentido de fechar as faculdades medíocres. Lembre-se que em qualquer profissão, inclusive na advocacia, quando é um profissional ruim, se exclúi pela incompetência.
Confesso que estudei muito para a primeira fase, mas as questões objetivas são um entrave para mim, pois são provas nada inteligentes!

Ívano 23 de maio de 2009 16:59  

Caro companheiro Adriano, com relação às instituições de ensino, concordo de pleno contigo, algumas realmente estão causando um dano considerável, deixando muito a desejar no ensino e na formação dos profissionais, porém, elas não são os únicos autores do problemas. Estudei em uma das melhores universidades de Direito da região sul do país, no entanto, vi frequentemente uma gama de alunos tentando burlar provas, trabalhos e fugindo do conhecimento, às vezes, por simples malandragem. Eu estaria sendo hipócrita se negasse que algumas vezes também fugi,logo, não podemos responsabilizar somente as instituições, os alunos são peças importantes nesse contexto.
O exame possui seu grau de dificuldade, possui suas características, seus entraves e suas manias, se não fosse dessa forma, seria apenas mais uma prova, perdendo assim o pleno sentido de existir. Mas o profissional determinado e capaz, com certeza encontrará a maneira certa para buscar a aprovação, afinal de contas somos guerreiros, vencemos vários anos de consecutivas de avalições de Direito, com variados dogmas e professores.
Esqueçamos um pouco da OAB e do CESPE, eles não são nossos inimigos, são apenas as chaves perdidas que temos que encontrar para cruzar a linha de chegada.
Isso não é impossível, eu tentei e consegui. Conquiste novos soldados, adquira novas armas, fortaleça seu condicionamento, LUTE, e tu também conseguirás.
Boa sorte e força meu amigo!

Anônimo,  18 de julho de 2009 07:21  

acho que devemos é em cada Estado elegermos um representante para concorrer ao cargo de Senador nas eleições (2010)e sermos a maioria no congresso para que possamos derrubar essa prepotencia da OAB.

Seria bom também se todos se unissem e não se inscrevesse ao exame só assim sentiriam a despesa e teriam que arcar com os custos da CESPE.

Anônimo,  9 de agosto de 2009 12:29  

Bom dia;
Olha a cada dia fico mais decepcionada com o que esta acontecendo em relação ao exame de ordem. Me formei em janeiro e não conseguir passar na prova de maio por 1 questão. Quando vejo esses debates sobre o exame só me faz ter certeza que o ensio no no brasil se tornou uma mafia, pois é bem sabido de todos que o lucro que se tem em cada exame de ordem é enorme e isso vem enriquecendo os administradores da ordem. Ninguem sabe mas as fraudes vem ocorrendo nos exames de ordem Cespe e isto fica abafado ninguém da ciência a estes fatos. Apenas querem incluir mais materias na prova fazendo com que a prova fique mais dificil e conteudo que não aprendemos na faculdade torne obrigatória. ISSO É UMA PROSTITUIÇÃO DO ENSINO, POIS TEMOS QUE NOS RECORRER EM CURSINHOS PEPARATÓRIOS E SITES DE DICAS DE EXAME E GASTAMOS O QUE TEMOS E O QUE NÃO TEMOS (UMA VERGONHA). Nós como bacharéis deveriamos nos juntar e tomar a frente de tudo que esta acontecendo. Alguém ver algó contra a classe dos médicos???? Se vê, mas não se concui nada, pois é uma classe unida!!! Ao contário dos advogados que só querem puxar a pena um do outro... A solução do problema é facíl, só não se torna porque tem muita gente envolvida, acabar com as faculdades ruins é SIMPLES qualificar o aluno na faculdade não depois!!! Deixo a minha insatisfação com exame e espero que as comissões que estão a fente não permita que isso aconteça.

Anônimo,  29 de novembro de 2009 13:44  

EMBORA NÃO CONCORDE COM A NOVA PREVISÃO DE EXAME , PODERIA A OAB REPENSAR NO PREÇO, JA QUE ELES NÃO QUEREM MAIS ADVOGADOS NO MERCADO DE TRABALHO, E PORQUE NÃO FAZEM UM EXAME DE RECICLAGEM A CADA 4 ANOS, POIS SE O NIVEL ESTÁ RUIM DEVE SE AQUEÇES QUE A EXERCWM ANTES DO EXAME IMPLANTADO, QUANTO AO BOICOTE VOU ESTREAR EM BREVE UM BLOG SOBRE ISTO, CONCORDO PLENAMENTE, POIS ESTÃO TIRANDO O DIREITO CONSTITUCIONAL DE PODERMOS NOS FORMAR E TRABALHAR

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP