Comunicado da OAB - Respostas dos recursos da prova prático-profissional do exame 02/2008

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Está no site de todas as seccionais e foi divulgado hoje (07/01/2009):

COMUNICADO

Exame de Ordem 2008.2

Comunicamos que as respostas aos recursos interpostos contra o resultado na prova prático-profissional estarão à disposição dos candidatos a partir do dia 15 de janeiro de 2009, no endereço eletrônico da respectiva seccional ou no endereço eletrônico www.oab.org.br.

9 comentários:

Anônimo,  7 de janeiro de 2009 13:22  

Já era de se espera né... esse 2008.2 foi uma piada, a começar pela questão 24... aos que ainda não alcaçaram a almejada carterinha desejo sorte e tolerancia ou melhor muita tolerancia...
Ass. Guilherme

Regina,  7 de janeiro de 2009 14:09  

Boa tarde!!!
Maurício, será que isso é fruto do do julgado que considerou as respostas do Cespe frágeis e superficiais?
"Os demais fundamentos, quais sejam, um amadurecimento maior sobre as questões jurídicas levantadas na questão da referida peça processual, (...) capacidade de interpretação e exposição (...) totalmente, limitada, e que o candidato não respeitou as formalidades do recurso, se mostram frágeis e superficiais, e, portanto, inaptos como resposta ao recurso do impetrante.

Tais fundamentos carecem de objetividade, o que me permite concluir que não estão em observância com os princípios da motivação e da fundamentação..."

Maurício Gieseler de Assis. 7 de janeiro de 2009 14:11  

Eu acho que é apenas uma tradição do Cespe...duvido que eles mudem alguma coisa nessa altura do campeonato.

Anônimo,  7 de janeiro de 2009 16:06  

Qual é a tradição do CESPE? Atrasar nos resultados? É um absurdo!!

Anônimo,  8 de janeiro de 2009 11:15  

BOM DIA!
Mauricio, se a comissão organizadora do exame de ordem, cespe, pediu mais prazo para divulgar a resposta dos recursos da prova prático-profissional é sinal de que esses recursos não foram analisados como deveriam, ou seja, foi feita uma analise superficial da alegação de cada examinado e, na maioria dos recorrentes, dada o indeferimento de mérito da alegação sem se quer verificar a fundo o mérito da questão. O que você acha Maurício?

Anônimo,  8 de janeiro de 2009 15:30  

De fato, em uma prova dissertativa as dificuldades de correção são infinitamente maiores do que uma prova objetiva. A análise, via de regra e salvo uma predisposição apurada da correção -o que não há- é superficial e infestada de falhas e lacunas. Assim como no judiciário, o recurso da re-analise da correção em grande parte das vezes pode surtir certos efeitos positivos. Porém, no que se refere à entidade encarregada desta nova correção através do recurso administrativo, esta não se presta a desenvolver um trabalho a contento. Este fato é gerado pela abundância de candidatos e exames durante todo o ano. Vale dizer que a distribuição dos valores entre as entidades correlatas ao exame de ordem, somente neste exame 137 (aqui em SP) vai angariar a módica quantia de aprox. R$ 4.200.000,00.
De um ponto de vista mercadológico, não há crise e nem ao menos concorrência que possa suscitar qualquer motivo para o empenho na análise dos recursos e muito menos das provas dissertativas. Penso que a avaliação deveria ser somente de forma objetiva, inclusive com as mesmas duas fases de provas. Assim, todo o processo seria transparente e a acreditação das entidades envolvidas no exame seria mais elevada.

Leonidas Sossai.

samanta 13 de janeiro de 2009 16:25  

Boa Tarde a todos...
Estou realmente indignada com a oab... Aguardo até agora a correção do recurso da 2ª fase do 136, no entanto, liguei na Cesp semana retrasada e a informação era que a correção seria disponibilizada dia 07/01, o que não ocorreu, ao entrar em contato com a oab eles garantiram que sairia até dia 09, o que novamente não ocorreu. No domingo dia 11/01 um pouquinho antes do exame 137 conversei com "pessoas" que portavam crachás de examinadores, e pasmem, eles nem sabiam que existia correção do recurso, e é obvio que não souberam informar nada.
O pior de tudo, que me deixou ainda mais revoltada foi não ter sido aprovada por apenas 0,16... sendo que pessoas que fizeram cursinho comigo precisavam de 0,50 ou 0,80 e passaram no recurso... Que tipo de correção é essa???
Acho que já passou da hora de ser feito alguma coisa... As atitudes arbitrárias da oab precisam ser controladas por alguém.
Abraços Samanta

Anônimo,  16 de janeiro de 2009 12:41  

Realmente é um absurdo mesmo!
Achei a correração uma brincadeira.. eles colocaram na correção do meu recurso que alguns itens foram julgados parcialmente procedentes.. mas no final não falaram quanto que ficou a minha nota por conta disso!!!! então nem sei qual é a minha nota final de verdade!!! vocês sabem o que posso fazer? estou pensanso em fazer um pedido de reconsideração.. vcs acham que adianta?

Ana Carla.

Anônimo,  19 de janeiro de 2009 13:18  

a oab, esta seguindo como um trem desgovernado, arrastando tudo que ve na frente, mas nunca esquecendo de arrecadar os R$ 180,00 de cada bacharel, pois estes exames viraram "concursos", fato é que os arcaicos, dirigentes desta autarquia não possuem qualquer qualificação para se submeterem a prestar um exame do qual é inserido aos bachareis, pois se assim fosse o indice de reprovação entre eles mesmos seria um escandalo, porem é uma autarquia muito rentavel que já garantiu e garante a aposentadoria de muitos advogados que nos dias de hoje se dependense da advocacia estaria passando fome, pela falta de preparação profissional. Pergunta Como é distribuido os R$ 180,00 das inscrições, sabendo que uma enorme fatia nem sera gasta para 2ª fase haja vista o grande indice de reprovados na 1ª, sem falar das arrecadações normais entre os advogados.

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP