Direitos Humanos discute forma de realização do exame da OAB

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias realiza audiência pública nesta quarta-feira (3) para debater a forma como vem sendo realizado o exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), aplicado em duas fases, para a prática da advocacia.

A audiência foi solicitada à comissão pelo Movimento Nacional dos Bacharéis em Direito (MNDB) e pelo Movimento Brasil dos Bacharéis em Direito (MBBD), em razão do número crescente de reprovações no exame da Ordem.

Essas organizações reclamam que o candidato reprovado na segunda etapa não tem garantida a aplicação de novo concurso apenas nessa fase. "O candidato que passou na primeira etapa e foi reprovado na segunda é obrigado a se submeter às duas etapas novamente, inclusive naquela em que já foi aprovado", explicam as entidades.

Para o presidente da comissão, deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS), "se é necessário que a OAB garanta à sociedade que os advogados entrem no mercado qualificados para a profissão, também é necessário avaliar se a forma como o exame de admissão está sendo feito é justo para com os bacharéis".

Foram convidados, como expositores:

- o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello;
- o presidente nacional da OAB, Cezar Britto;
- o representante do Instituto dos Advogados em São Paulo Carlos Sebastião da Silva Nina;
- o presidente e o vice-presidente do Movimento Nacional dos Bacharéis em Direito (MNBD), respectivamente, Emerson de Lima Rodrigues e Ponce de Leão.
- o presidente Estadual do Movimento Nacional dos Bacharéis em
Direito no Rio Grande do Sul, Itacir Amauri Flores;

A audiência será realizada às 14 horas no plenário 9.

Fonte: Agência Câmara

17 comentários:

Anônimo,  2 de dezembro de 2008 15:37  

Vamos liberar tudo duma vez... eu quero q me depositem amanha meus R$ 16 mil reais de salário, pois quero ser juiz e já sou bacharel em direito... piada desse MNDB (Movimento Nacional Dos Bu...) fala sério, vmos estudar e reclamar menos...

Anônimo,  2 de dezembro de 2008 15:42  

Inclusive, para magistratura, o candidato se é reprovado na fase oral não deve repetir todas as 4 anteriores... O CURSO É DE DIREITO E NÃO DE ADVOCACIA!!

Anônimo,  2 de dezembro de 2008 16:51  

Pois é, daqui a pouco vão exigir que acabem com o vestibular, os concursos públicos, as provas nos cursos... vão estudar que é melhor para vcs!

Anônimo,  2 de dezembro de 2008 17:09  

amigo, por favor, se não compartlhar dessa opinião, mostre-se educado e guarde-a para você. Muito Obrigado.

Anônimo,  2 de dezembro de 2008 17:30  

gostaria de saber se já saiu o resultado dos recursos?

KAROLINE,  2 de dezembro de 2008 23:46  

A PROVA DA ORDEM É SIM UM ATO DESUMANO, ESTÁ CORRETA A OPINIÃO DESSE MOVIMENTO, UMA VEZ QUE, SE O CANDIDATO PASSA NA PRIMEIRA ETAPA, E REPROVA NA SEGUNDA, DEVERIA SOMENTE REFAZER ESTA. ISSO JÁ NÃO É QUESTÃO DE ESTUDO OU NÃO, POIS ACREDITO QUE NINGUÉM É GÊNIO PARA ESTARA PAR DE TODAS AS CRIAÇÕES DE TRIBUNAIS QUE PASSAM POR CIMA DA LEI PROPRIAMENTE DITA. O QUE APRENDEMOS NAS UNIVERSIDADES NÀO É ESTUDAR DECISÕES E SIM O QUE ESTÁ NOS CÓDIGOS E NA PROVA DA ORDEM OCORRE O CONTRÁRIO. SE A MESMA FOSSO TÃO JUSTA COMO O CIDADÃ PREGA, SERIA PELO MENOS GRATUITA. A OAB NÃO TEM O DIREITO DE RESTRINGIR O MERCADO DE TRABALHO, O QUE DEVERIA OCORRER, É O MEC NÃO PERMITIR A ABERTUDA DE QUALQUER CURSO DE DIREITO, FISCALIZAR MELHOR AS UNIVERSIDADES A FIM DE MANTER A QUALIDADE DE ENSINO. ESSE PAPEL QUEM ESTA ERRONEAMENTE EXERCENDO É A OAB, INADIMISSÍVEL. PENSEM SOBRE ISSO, PROVA É MUITAS VEZES ESTADO DE ESPÍRITO, NÃO QUER DIZER QUE É FALTA DE ESTUDO OU QUE NÃO SAIBAMOS NADA, É QUESTÃO DE MOMENTO. O SENHOR QUE ESTÁ CRITICANDO A OPINIÃO DESSE MOVIMENTO DEVERIA REPENSAR SE UMA PROVA É QUE VAI FAZER COM QUE UMA PESSOA SEJA EXCELENTE ADVOGADO, NÃO É ISSO NÃO É A SUA COMPETENCIA DIANTE DAS CAUSAS, É O MERCADO DE TRABALHO QUE SELECIONARÁ. QUESTÕES DE PROVA NÃO TRADUZEM A REALIDADE EM QUE VIVEMOS, O DIA-A-DIA DO ADVOGADO É ESTUDAR CADA CASO, DESUMANA SIM A PROVA DA ORDEM.

Anônimo,  3 de dezembro de 2008 01:19  

Ouso discordar da Karoline. Embora concorde que uma prova não vai dizer quem será melhor ou pior advogado, entendo que essa forma de avaliação demonstra um mínimo de conhecimento que este profissional precisa ter para atuar. Lembrem-se as faculades de direito do país são fracas (para não dizer coisa pior ...). Quanto à questão de momento, bem nós temos hoje três exames por ano, acontecer uma vez tudo bem, agora uma a cada três-quatro meses é demais. Já no que toca à suposta reversa de mercado, lembro que nesse exame a OAB exige apenas e tão-somente 50% de acertos (ou seja, pode-se errar metade que mesmo assim se passa)e que não há número de vagas/concorrentes, disputa-se com um pedra na verdade. Logo, estudem e parem de criar movimentos desse tipo num país que tem muito mais questões a serem debatidas.

Anônimo,  3 de dezembro de 2008 09:01  

O curso é de direito, logo, a advocacia não é a única area a ser alcançada pelo curso... não entendo esse movimento pedindo a extinção do exame de ordem, pois em qualquer carreira jurídica se exige uma prova de conhecimento, pq advocacia seria diferente?? a oab está de parabéns em exigir tal prova, na qual todos os cursos de graduação deveriam seguir o mesmo caminho...
Ass. Guilherme

Anônimo,  3 de dezembro de 2008 10:08  

Ainda mais levando em consideração o curto espaço de tempo que existe entre a publicação do resultado final de um exame para o início das escrições de outro, isso é desesperador!!! E quem enche a boca pra falar "É só estudar!!!" tem que pensar que 80% das pessoas que realizam o exame não são tão brilhantes como ele, e que precisam disso para trabalhar!! O que só aumenta ainda mais o terror psicológico e acaba influênciando em um próva objetiva que não prova exatamente nada!!! Não é preciso ir longe, neste último quantos sabiam o que era CNA, no meu escritório ninguém sabia e são Advogados de muito sucesso!!

André Monteiro

Anônimo,  3 de dezembro de 2008 10:15  

Friso, não sou contra o Exame de Ordem acho que até valoriza nossa profissão, o problema é como ele é realizado e o descaso que é sua correção! Afinal o fórum e sobre a audiência que debate a realização da primeira fase de novo para quem já passou e não para acabar com o exame!
P.S. É fácil falar e não se identificar!

André Monteiro

Jose Carlos Rodrigues,  3 de dezembro de 2008 10:43  

OS ERROS DE GRAMÁTICA, CONCORDÂNCIA, PRONTUAÇÃO, ACENTUAÇÃO, SÃO DO CONHECIMENTO DO AUTOR, USO MERAMENTE POR CONVENIÊNCIA, SEM AFRONTA A LÍNGUA PRÁTRIA.
O Senhor anônimo, deveria ter se graduado em outro curso, pois, tenho observado que ele, esta sempre fazendo comentários incoveniêntes, se é cdf, também, deveria sugerir, outras opções, para que possamos, neutralizar, esta OAB, inclusive você ir nesta audiência pública, há não seria bom, por que você defenderia o Exame. Agora quanto aos convidados, errarão, pq , convidaram, Ministro, Presidente da OAB, e Presidente de Instituto, todos irão defender o exame de Ordem e sua forma.
Bel em Direito José Carlos Rodrigues

Anônimo,  3 de dezembro de 2008 11:29  

Essa audiência é uma piada... o pessoal deveria fazer moda em vez de direito...

Anônimo,  3 de dezembro de 2008 16:40  

Concordo e repito: vão estudar que é melhor para vcs!

Anônimo,  3 de dezembro de 2008 22:18  

Caros colegas, sem bacharia. Este comportamento não faz parte de nossa categoria com ou sem OAB, ou somos bachareis ou advogados não importa . o que realmente importa é sabermos respeitar a opinião do outro. se é contra ou a favor não interessa . Vamos trazer para este blog coisas , opiniões , suguestões que nos interessa, ok respeitar este espaço, o Dr. mauricio é o minimo.

Neilda/Goiania

Anônimo,  4 de dezembro de 2008 09:27  

Esta prova tem que existir sim,mas com correções sérias e sem prejudicar o examinando, concordo que o canditado que fez segunda fase não precisraria de fazer a primeira de novo.
Ou vcs já se esqueceram que a Ordem é uma instituição política também e que antes com 10.000,00 vc pegava a sua carteira.

Anônimo,  4 de dezembro de 2008 09:32  

Deixar o examinando por sete décimos, dois décimos ou cinco décimos é justo?
Deve-se mudar sim o exame de ordem!
Tem muito advogado que tem a certeira da ordem e são péssimos.
Quero uma prova justa!

Anônimo,  15 de janeiro de 2009 19:36  

quero fazer parte desse movimento pois sou contra esse bando de ladroes que so querem enriquecer a nossas custas nao basta cinco anos se matando pra depois ter que ficar enchendo o cofre do caixa da OAB !!!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP