Você concorda com a obrigatoriedade do Exame da OAB?

terça-feira, 30 de março de 2010

O site Estadão.edu convidou dois estudantes de Direito para debater a legitimidade e o status do Exame de Ordem, caminho obrigatório para exercer a profissão de advogado. Para Luísa D´Avola, da PUC, o MEC é que deveria fiscalizar a qualidade dos cursos, sem que houvesse a necessidade de um exame como esse. Guilherme Pastore, da USP, entende que a OAB é importante para filtrar bons profissionais.

Junto com o debate o Estadão está promovendo uma enquete, cuja pergunta é: Você concorda com a obrigatoriedade do exame da OAB?

Agora são 15:28h e a enquete recebeu apenas 11 votos, com os seguintes percentuais:

Sim 63.64%
Não 36.36%

Cliquem no link abaixo, assistam ao debate e deixem os seus votos:

23 comentários:

texugo 30 de março de 2010 17:25  

bem, a Luisa disse tudo..

o argumento usado pelo Guilherme é ridiculo, do modo que é realizado, o exame de ordem nao atesta qualificaçao de ninguem.

defender o exame de ordem é uma coisa, mas não querer enxergar que ele é feito de forma errada(e pelo orgao errado) é outra..todos sabem que a OAB busca, em primeiro lugar, manter uma reserva de mercado e obter lucro com as inscriçoes...

Paulo Amaral 30 de março de 2010 18:06  

atualmente esse percentual mudou:

Obrigado pelo seu voto.
Veja os totais até o momento.
Sim 23.99%
Não 76.01%
Total de votos: 321

Jaime 30 de março de 2010 18:13  

Ambos os debatedores estavam bem preparados.

Enquando aluno da USP trouxe argumentações mais robustas e dados atualizados em relação ao mundo, a aluna da PUC se ateve ao ponto de fiscalização do exame pelo MEC.

Nenhum dos alunos se mostrou completamente desfavorável ao exame.

O tema é polêmico e o debate foi bom.

Ocorre que ninguém comentou em relação a fraude ocorrida nos últimos exames, esse me parece ser o tema mais provocante em relação ao exame de ordem.

O exame da forma que tem sido aplicado tem de ser mais justo, muita gente boa tem ficado de fora pelo fato de não se adequar a prova.

Em relação a fraude a OAB deveria se mais eficaz, mostrando os verdadeiros culpados, se ela quiser continuar aplicando o exame.

Ao que me parece, o certame é a bola da vez, e o governo percebeu que ai existe um verdadeira caça níquel.

Debates como esse deviam ser mais proliferados para se tornarem prolíferos.

Airton 30 de março de 2010 20:54  

Quem está votando? Somente Bacharéis? ou quem bem entender?

Airton 30 de março de 2010 20:57  

Resultado até 20:56 h 30/03/2010

Você concorda com a obrigatoriedade do exame da OAB?
Sim 22.32%
Não 77.68%
Total de votos: 542

Bi 31 de março de 2010 08:52  

Não concordo com esse exame. É uma I N J U S T I Ç A o profissional ficar 5 anos cursando o curso de direito, realizando provas, seminários, obtendo um limite de presença para colar o grau e N Ã O SER ABSOLUTAMENTE N A D A.
O curso de Direito tinha que ser igual a medicina no Brasil e Direito em Portugal, ai invéz de exame tinha que ter uma "residência".
Se Deus quizer esse exame a acaba em 2010, pois Deus está vendo a desigualdade que existe por traz dessa prova. Começando pela lei 8906/1994 que bacharéis que se formaram dois anos após a publicação da lei poderiam tirar suas respectivas OABs sem passar por prova.
Dr mauricio cabe lembrar que a enquete no Estadao (resultado) mudou .. Você concorda com a obrigatoriedade do exame da OAB?
Sim 22.17%
Não 77.83%

Airton 31 de março de 2010 09:03  

Resultados até 09:02 horas, 31/03/2010:

Você concorda com a obrigatoriedade do exame da OAB?
Sim 22.16%
Não 77.84%
Total de votos: 889

Anselmo Feitosa Giovanini giovanini 31 de março de 2010 09:37  

Você concorda com a obrigatoriedade do exame da OAB?
Sim 21.9%
Não 78.1%
Total de votos: 945

fabianaderosis 31 de março de 2010 09:53  

O Sr. Guilherme pode ser muito inteligente, e respeito sua linha de raciocinio, PORÉM ELE ESTA COMPLETAMENTE POR FORA DA REALIDADE HISTORICO-SOCIAL DO QUE SEJA EXAME DE ORDEM, alias de tudo que ele falou ele nao sabe o que é exame de ordem, se soubesse nao teria falado tanta besteira.

Perdi 5 minutos da minha vida ouvindo absurdo!! afff

Luiz Carlos 31 de março de 2010 09:57  

Você concorda com a obrigatoriedade do exame da OAB?
Sim 21.68%
Não 78.32%
Total de votos: 978

31/03/2010 09:57

Cassiano Rodrigo 31 de março de 2010 10:21  

Obrigado pelo seu voto.
Veja os totais até o momento.
Sim 21.49%
Não 78.51%
Total de votos: 1005

JOSE CARLOS RODRIGUES 31 de março de 2010 11:12  

rESULTADO 11H10, 31/03/10, DE ACORDO COM A PERGUNTA DE ENQUETE:

Obrigado pelo seu voto.
Veja os totais até o momento.
Sim 21.53%
Não 78.47%
Total de votos: 1110

sayama 31 de março de 2010 11:13  

Sou bem neutro em relação ao tema... Mas tem algo que me irrita profundamente... A maneira como os alguns bacharéis, cheios de si, defendem o exame e tratam os "estudantes das caça níqueis"... Todos tiveram gastos, tempo e dedicação... Muita gente nessa comunidade desmerece o aluno juntamente com a faculdade, do tipo: "Ah, esse pessoal que quer o fim do exame, defende a tese por que fez uma faculdade ruim e agora não tem condições de passar na prova" (Praticamente taxando a conduta da faculdade com a do aluno). Esse povo, sem humildade nenhuma, esquece que qualquer faculdade gera gastos, de toda ordem (São 5 anos de mensalidade, livros, tempo, alimentação e outra infinidade de despesas)...
Não desmereçam a trajetória do aluno das "faculdades caça níqueis". Não é todo mundo que pode ou conseque alcançar uma federal... Novamente humildade acima de tudo.

E pra finalizar, enquanto isso, na medicina, oque tem de anestesista matando paciente todo mês no Brasil, é fora de série.

revoltado 31 de março de 2010 12:32  

Ao bicho feio – TEXUGO

O EXAME pode até não ser um instrumento capaz de medir por COMPLETO o conhecimento do bacharel. Mas, sem sombra de dúvidas, o exame é UM “MAL” NECESSÁRIO para AFERIR “UM” MÍNIMO EXISTENCIAL DE NOÇÕES BÁSICAS sobre a seara jurídica. Eu não consigo entender o porquê de tanta discussão. A RECEITA É SIMPLES! – “o bacharel só deve destinar 05 hs em um dia, fazendo a primeira fase, e mais 05hs, após cerca de um mês, fazendo a segunda fase!!!!!SIMPLES NÃO!!!?????
Por um lado, fiquei descontente pela anulação da segunda fase do exame 2009.3. Mas, por outro, fiquei SATISFEITO, ainda que infelizmente!. Tomando a decisão que tomou, a OAB demonstrou a rigidez, a imparcialidade e a revolta contra qualquer fato fraudulento.
Repiso, “não entendo o porquê de tanta discussão – o bacharel só precisa destinar, em cada uma das duas ocasiões de prova, 5hs de seu tempo! Simples. O bacharel que se dedicou, que se esforçou durante OS CINCO ANOS DE FACULDADE, NÃO SE PREOCUPA COM ISSO! “ele tem a consciência tranqüila e pensa - ‘seja o que Deus quiser, pois eu fiz a minha parte’”.
Analisando as provas dos exames, em não percebi nenhuma cobrança exacerbada, nada que não tenha sido exposto durante os cinco anos de curso, nada que não esteja em qualquer livro de noções básicas de direito, a especificar cada matéria!. Pelo contrário, O EXAME ESTÁ COBRANDO NOÇÕES BÁSICAS!
“oh bicho feio”! não vejo que o exame seja uma forma de reserva de mercado!. Simples isso! PRIMEIRO porque - os donos de cursinhos não obrigam nenhum bacharel a freqüentar!; SEGUNDO – o montante arrecadado com as inscrições é destinado à própria realização do exame -logística, o que pode extrapolar a cifra de mais de R$ 500.000,00. – Então “ow bicho feio”, não há lucro! quem obtem lucro, é sociedade empresária, na qual a OAB não se encaixa. Ora, penso que o senhor deveria rever seus conceitos, ao invés de criticar o sábio estudante que, a meu ver, demonstrou ser sagaz, calmo e não preocupar com o exame que ele terá que fazer, afinal, ele está cursando o 5° ano de direito!
BACHAREIS, UTILIZEM-SE DE FUNDAMENTOS JURÍDICOS, TENTEM ENCONTRAR! – DIGAM NÃO AO FIM DO EXAME!

Donizete 31 de março de 2010 13:27  

O percentual de SIM e de NÃO bate com os resultados que têm ao longo do tempo demonstrado o exame: 20 a 25% de reprovação e 75 a 80% de reprovação. Assim, os que votam pelo NÃO são os que sempre são reprovados e os que votam peloSIM são os aprovados.

Airton 31 de março de 2010 14:21  

Resultado até 14:19 h - 31/03/2010

Você concorda com a obrigatoriedade do exame da OAB?
Sim 21.28%
Não 78.72%
Total de votos: 1344

José Clésio 31 de março de 2010 16:08  

Fiz um comentário em outro tópico, e resolvi transcrevê-lo novamente para acirrar o debate e expor minha opinião com argumentos.

Creio que a maioria dos que são contra o exame, não conseguiu ainda a aprovação, certo?
Vocês que estudaram os 5 anos, e já sabiam que deveriam "encarar" o exame, devem ter presenciado vários alunos que se formaram na base do "vamo que vamo". Eu mesmo vi vários alunos aparecer somente em dia de prova e alunos que depois de formados não sabiam sequer as condições da ação! Agora a pergunta: é justo estes serem considerados Advogados ou qualquer outro profissional?

Essa história que estudar 5 anos de direito, realizando provas, seminários, obtendo um limite de presença para colar o grau, isso não quer dizer nada, e todos sabem disso!!! Quantos alunos não pediram para colocar o nome no trabalho, quantos não "colaram" nas provas, quantos não "choraram" para o professor aumentar a nota...
Terminar um curso superior aqui no Brasil, é extremamente fácil!!!

O modelo do Exame deve ser aperfeiçoado, assim como é em outros países, mas a extinção não é a solução.

Para quem defende que cabe ao MEC fiscalizar os cursos, é sabido que as instituição no Brasil não funcionam, senão não haveria tantos cursos autorizados.

No Governo do PT, a ordem dada ao MEC foi a expansão a qualquer custo de cursos superiores, e o resultado está arrebentando agora no curso de Direito, que possui uma qualificação. Percebam que antes não havia tantas reclamações quanto ao exame.

O Senador que quer a extinção do Exame, falo vários absurdos:
"O papel da OAB é fiscalizar se as faculdades estão aptas ou não a preparar seus alunos e colocá-los no mercado de trabalho".
Não é do MEC???

"Quantos já não foram aprovados nesses exames através de fraude, de vazamento de prova, de venda de prova? Quantos?"
E os Atos Secretos do Senado?

""explosão" na criação de cursinhos específicos para o Exame de Ordem. Ele lembrou que, antes de 1994, quando o exame não era obrigatório, não existiam esses cursinhos."
Caso o exame acabe, esses cursinhos virariam cursos de Direito, pois a autorização é fácil.

Bem, para acabar com a discussão, acabem com o Exame e deixem esse país e as pessoas que um dia precisar de um advogado e qualquer outro profissional, fiquem a própria sorte. (médicos que fazem lipomorte, dentistas que esquecem broca dentro do dente, advogado que faz aventura jurídica, engenheiros que constroem prédios que caem, administradores que levam empresas a falência, contadores que não sabem fechar balanços....)
Quem quiser virar "adevogado" ou exercer qualquer profissão, comprem um diploma em qualquer Uni...
Do jeito que as coisas andam nesse país eu não duvido mais de nada!!!

Lúcio Renê 31 de março de 2010 16:27  

Veja os totais até o momento.
Sim 20.23%
Não 79.77%
Total de votos: 1478

texugo 31 de março de 2010 17:26  

para o revoltado:

pensei que voce tivesse o minimo de conhecimento a respeito do assunto..me enganei.

1º a anulaçao somente mostra o quao fragil e deficiente é a estrutura responsavel pela aplicaçao do exame.A anos, provavelmente, vem ocorrendo fraude no exame de ordem, porem, nao vejo advogados perdendo sua carteira da OAB...
assista esse video e veja mais um exemplo do que acontece:

http://www.youtube.com/watch?v=MVL3F411uek&feature=player_embedded

2ºpelo visto voce nao sabe o que é reserva de mercado..procure se informar, voce escreveu nada com nada.

3ºvoce nao é muito bom de conta, nao estou certo?
-uma media de 70000 bachareis prestam o exame.
-o valor medio das inscriçoes pelo Brasil é de 150 reais.
Vamos a conta:
70000*150=10500000

nao precisa ser muito esperto para saber que ha lucro sim, portanto nao fale sobre o que voce nao sabe.

agora digo eu:

"Ora, penso que o senhor deveria rever seus conceitos" antes de criticar quem nao conhece, pois eu estudei muito durante esses 5 anos e, mesmo sendo contra o exame de ordem(do modo como é realizado), me submeti a ele, logrei exito na primeira fase e somente nao fui aprovado na segunda fase(ainda) por incompetencia de seus realizadores.

outra coisa, uma pessoa pode estar muito bem preparada para ser um advogado, mas nao estar preparada para realizar o exame de ordem, tendo em vista que este(contrariando o que diz a OAB) é um exame tendencioso e que tem como objetivo reprovar o maximo possivel de examinandos.

texugo 31 de março de 2010 17:37  

para o Donizete

nao é bem assim, é a primeira vez que eu presto o exame, vou fazer a terceira fase dia 18.. e votei NAO.

o exame de ordem é muito conveniente à OAB..eles mantem uma reserva de mercado, obtem lucro e, ainda por cima, podem facilitar a entrada de quem eles quiserem...

portanto, como disse a Luisa, a OAB é parte interessada, nao podendo ser responsavel pela aplicaçao do exame...

alem disso a OAB esta se sobrepondo ao MEC.

GEORGE MACHADO 1 de abril de 2010 19:39  

claro que deve ser obrigatório! acho que o pessoal deve é levar a faculdade mais a serio e parar de freqüentar os barzinhos que ficam de frente a varias faculdades, quem estuda passa de primeira...

deixem a cerveja para depois da sua prova de ordem e não antes...

affff..e cada desculpa aqui, para acabar com o exame...

Exame de ordem...SEMPRE!!!!

Abraços

George
OAB/GO 28808

Donizete 2 de abril de 2010 11:02  

Texugo, primeiro quero dizer que a rigor o termo "reserva de mercado" não se aplica ao exame de ordem, pois é uma expressão utilizada pela ciência econômica para se referir a produtos e bens de consumo produzidos pela indústria.A discussão ficaria, portanto, restrita ao compo da constitucionalidade e não da economia.Mas digamos que alguns queiram insistir errôneamente em utilizar a expressão "reserva de mercado".Nesse caso, a OAB está coberta de razão, pois reserva de mercado tem por objetivo proteger determinado segmento econômico. Ora, ora, não adotar medidas protecionistas é permitir que a advocacia seja "avacalhada", desmoralizada, e exercida por desqualificados. Por isso a OAB, seja reserva de mercado ou não, está no caminho certo.

Raimundo 3 de abril de 2010 16:40  

Por favor, alguém me esclareça uma coisa. Pq uma profissional de estudou cinco anos precisa fazer cursinho para uma prova? Depois de cinco anos ele não tem condições de revisar tudo sozinho? Ou tem que aprender tudo de novo?

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP