Presidente da OAB-SP diz que baixo índice de aprovação no exame se deve ao despreparo dos estudantes

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

São Paulo ficou em penúltimo lugar em aprovação no exame da Ordem dos Advogados do Brasil: foram aprovados apenas 20% dos inscritos.

Isso mostra que o problema não era a prova aplicada pela seção paulista, mas o despreparo dos estudantes.

A afirmação é do presidente da OAB-São Paulo, Luis Flávio Borges D´Urso (foto), que participou do Ciranda da Cidade nos estúdios da Rádio Bandeirantes.

Uma das metas da entidade é fechar as faculdades que oferecem baixa qualidade de ensino, que formam profissionais sem preparo para exercer suas funções.

Clique AQUI para ouvir a entrevista.

10 comentários:

Anônimo,  17 de setembro de 2009 08:58  

nossa... quanta bobagem esse cara fala... Deus me livre
Rose sp

Anônimo,  17 de setembro de 2009 10:57  

o próprio presidente da oab sp disse que precisa diminuir o nível dos concursos, haja vista os candidatos não estarem preparados.... não estão preparados mesmo para um concurso muito difícil.... então eu concordo..precisa diminuir o nível da prova da OAB também!!!! abraços

Anônimo,  18 de setembro de 2009 08:20  

A pergunta que não quer se calar: o distinto "presidente"( só pode ser piada), fez o exame?

IsmaelRodrigues 18 de setembro de 2009 13:25  

O Senhor Flávio D´urso, declarou anteriormente que, se fizesse o Exame, estaria com certeza reprovado. Hoje vem à público fazer esse tipo de declaração, tenha paciência. Como eles dizem, é mais importante a necessidade do que a constitucionalidade. Alegam que o exame é necessário, só não comentam sobre a constitucionalidade dessa anomalia jurídica que é o exame de ordem.

Anônimo,  18 de setembro de 2009 14:22  

ACREDITO que aqueles que ficam se lementando se o exame é constitucional ou não, se ´r reserva de mercado ou não, etc..., estão apenas perdendo tempo de vida e estudo. Que o exame de ordem é dificil,concorcondo plenamente, porém também não é o suficiente para o bacharel começar a advogar, ou seja, na minha opnião de quem foi aprovado no exame 2009.1( 59 pontos,um dos mais difíceis ou com um dos maiores índices de reprovação) com certeza não fui um dos melhores, porém continuei estudando, pois não me considero totalmente capaz para atuar, e como não existe hierarquia entre juízes , membros do MP e advogados, quando for defender o interesse de alguém, quero atuar de igual para igual, e não fazer Mer... no judiciário.
Fiz o exame 2009.2 assim que saiu o a divulgação das provas e gabaritos, acertei 82 questões no total!

Parece mentira ou parece muito, o detalhe é que me formei em 2003, fiquei 6 anos afastados dos estudos, pois nunca prescisei estudar, muito menos na faculdade que vivia no bar e fumando maconha no canal.

A questão é o seguinte: em janeiro deste ano quis prOvar pra mim mesmo que era capaz de passar nessa PORRA, pois minha irmã havia passado e todos ficavam tirando uma, por ser bem mais nova e ter sido aporvado e receber a carteira e ser doutora blá, blá blá....

Moral da história, tenho certeza que não existe ninguém mais capaz ou inteligente que VOCÊ mesmo, mas para isso basta querer do fundo da alma, e dedicar-se integralmente a isso, Hoje continuo estudando, não saio, não bebo,, não fumo, e assim que completar os 3 anos exigidos de experiência, serei MAGISTRADO,por que eu QUERO!!!!!

edvaldo 18 de setembro de 2009 18:49  

A oab não esta preocupada com quantos vai passar no exame, e sim quantas vezes os bachareis ira pagar p/ prestar,só visa escopo de lucro. Enquanto nós os bachareis estivermos desunidos, eles vão deitar e rolar, temos que nos unirmos,afinal conhecemos ou não nossos direitos? Edvaldo SP

Anônimo,  18 de setembro de 2009 19:15  

Tendo em face a discução, poderíamos propor que fossem realizados exames de reciclagem (assim como na carteira de motorista), onde advogados com mais de 10(dez) anos de inscrição fossem também submetidos aos mesmos exames praticados hoje!(para a revalidação de sua inscrição)
Justificativa: a boa qualidade cultural e prática dos advogados em exercício!

Canta Viola 19 de setembro de 2009 05:55  

Sr. Presidente, só está preparado, o aluno que passa nesse inconstitucional exame?
Poderia ser submetido todos os colegas operadores do direito formados antes da "Lei da OAB", para continuar atuando no mercado.
Será que esses colegas, passariam na prova?
Tem muita gente tirando proveito dessa exigência, se ela acabar, a teta vai secar.

Anônimo,  19 de setembro de 2009 10:27  

Basta ter um amigo Presidente, que galgará a alta corte, e nem precisa fazer exame de ordem (não estou dizendo que ele não fez), há me lembrei o artigo 101 CFRB/88, diz que pode ... " basta ter notório conhecimento jurídido..." não precisa passar no exame de ordem, mas tem que ser amigo do Presidente.
J.Carlos

Anônimo,  22 de setembro de 2009 20:22  

D'URSO, bla! bla! bla! é fácil criticar todos, porém de vês em quanto seria bom a gente ser menos ausente, e, olhar para dentro de nos, e, escolher melhor as coisas, como o novo critério do exame da ordem entre outras coisas.
Mas deixa quieto na OAB tudo é possível, inclusive o 3º mandato!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP