Postagem motivacional - Como superar o Exame de Ordem

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Recebi a dois dias atrás o seguinte e-mail:

"Professor bom dia!

Acompanho sempre seu blog e hoje me senti tão sufocada que acabei decidindo escrever para ti.

Ainda não consegui êxito no exame da ordem, já o fiz 4 vezes, e diante de tantas cobranças, insegurança, medo, e porque não dizer fraqueza, hoje estou no pior estágio de minha vida. Tenho medo de prestar mais uma vez o exame e novamente perder e ouvir dos outros que não sou capaz, que não estudei o suficiente, que até fulano que é "burro' pra cacete conseguiu e você ainda nada!! Minha cabeça parece que vai estourar, já estou a ponto de jogar a toalha.

Por favor, me perdoe te dizer essas coisas, mas queria muito ouvir a sua opinião, devo desistir??? Ou continuar na luta e quebrando a cara a cada exame???

sem mais,
Fulana"

A resposta óbvia para essa pergunta é uma só: Não desista nunca. Mas certas obviedades mascaram a realidade, e uma resposta simples não é o bastante para satisfazer.

O problema acima descrito certamente já atormentou ou atormenta centenas de milhares de bacharéis de direito, para não dizer milhões. Cada vez mais um percentual menor de bacharéis passa no exame de ordem, e a tendência é piorar.

Como se preparar psicologicamente para esse momento? Ainda mais se o candidato já experimentou mais de uma reprovação?

O primeiro ponto a ser tratado fica no campo da autocrítica. Você se conhece o bastante para perceber seus erros e limitações?

É preciso uma boa dose de humildade para lançar olhos em si mesmo e visualizar suas próprias limitações, seja de aprendizado ou intelectual. Quanto tempo você consegue ficar na cadeira estudando, e por quanto tempo você mantém sua concentração no seu objeto de estudo? Qual o seu percentual de apreensão do que foi estudado? Por quanto tempo você mantém na memória o que foi estudado?

O que eu quero dizer é que você precisa se conhecer como estudante. Você mesmo sendo objeto de uma avaliação honesta sobre suas capacidades e limitações, para que todos os seus defeitos sejam expostos aos seus olhos.

Logo, a primeira coisa que você tem que estudar é a si mesmo. Você como objeto de aprendizagem. Esse processo de auto conhecimento não precisa ser solitário, alguém de sua confiança pode perfeitamente te ajudar nessa busca, e isso é até preferível, pois aos nossos olhos certos aspectos pessoais podem passar despercebidos.

Enfim, estou sugerindo apenas o famoso conheça a si mesmo, do não menos famoso Sócrates.

A auto-análise pode ser um processo dolorido, pois crenças provavelmente serão derrubadas e seu ego pode sair ferido, em função das descobertas e do enfrentamento a si mesmo, além de revelar suas próprias idiossincrasias, derrubando uma série de crenças e percepções que talvez você preferisse que ficassem ocultas. Mas esse tipo de mácula o tempo cicatriza. Ademais, você precisa progredir na vida. Não tenha medo dos resultados, pois os benefícios certamente serão melhores e seu próprio ego será reconstruído no processo (reconstruído para melhor, por certo).

Ok, agora já sei quais são os meus defeitos. O que eu faço?

Para tudo existe uma técnica, para todo problema, há uma solução. Conhecendo os seus defeitos você pode efetivamente trabalhar um ou mais sistemas para superar suas limitações, sejam elas quais forem. O mais importante já foi conseguido - você passou a ser conhecer e conhecer seus defeitos. A busca pela solução torna-se muito mais fácil após você perceber a si mesmo.

Você tem algum método de estudo? Tem déficit de atenção? Sente sono enquanto estuda? O ambiente de estudo é o adequado? Para cada problema, uma solução, desde a ajuda psicológica, um novo ambiente para estudar, livros e sites sobre técnicas de estudo, e tudo mais que o gigantesco mercado excluvivamento voltado para essa área pode oferecer. Busque uma solução para cada problema que aparecer, de acordo com o próprio tipo de problema. Eu poderia passar um dia inteiro escrevendo sobre isso, mas essa é uma busca sua!

O segundo aspecto, tão relevante quanto o primeiro, se não mais ainda, é a pressão psicológica que o meio externo produz (família, amigos e sociedade).

Para muitos, não passar no exame de ordem cai como uma verdadeira bomba na cabeça. Não passar pela terceira ou quarta vez então é a revelação de um verdadeiro suplício, com a deteriorização da auto estima. Isso é um problema real, e é um problema sério.

Um ego afetado por essas circunstâncias certamente corroe grande parte da capacidade de agir e lutar por qualquer meta.

É muito difícil traçar uma solução para essa quadro, pois os fatores são externos ao indivíduo. Não pretendo escrever aqui que você passe a ter um ego de pedra e torne-se impermeável às críticas como se elas não existissem. Ninguém é inabalável e todos desejam aceitação integral do meio social no qual está inserido. Se este meio lhe é hostil, é natural que seu equilíbrio emocional seja afetado.

O exame de ordem, sob este aspecto, é muito cruel.

Mas, de toda forma, algo tem de ser escrito aqui.

Minha sugestão para este problema é simples, apesar de não ser fácil. Já de posse do conhecimento das suas limitações, dirija-se às pessoas que são a fonte de sua insegurança (pais, irmãos, colegas, etc.) e fale abertamente: eu tenho limitações, essas limitações são assim, assim e assim, e preciso de ajuda para superá-las.

Expor-se desta forma pode ser dolorido, mas certamente será libertador. Todos esperam que você seja inteligente, articulado, esperto, etc, etc (inclusive seu próprio ego), mas a realidade é que nem sempre as coisas são tão coloridas assim. Ninguém é um poço de virtudes desprovido de defeitos. A única pessoa que foi assim acabou crucificada. Logo, não almeje tanto para si, tenha a humildade de se expor e se reconhecer dotada de limitações, e certamente você ganhará, ao menos, a tolerância daquelas pessoas que exigem de você um desempenho condizente com a percepção que elas mesmas tem de você (complicado isso, não?).

O ponto é: se você diz que tem defeitos, e que está lutando para superá-los, não só você efetivamente buscará uma solução como também o meio que te circunda será mais tolerante na expectativa dos resultados.

Eu tenho por regra dizer que ninguém é mais capaz do que ninguém, mas isso não é uma verdade absoluta. Claro que certas pessoas são efetivamente mais capazes do que outras, mas também é certo que com técnicas corretas, auto conhecimento e humildade, é possível superar toda sorte de limitações. A remoção de certas travas pode não só te aprovar no exame da OAB mas também fazer de você um futuro Ministro do STF. Duvida? Então arrisque tentar. Daqui alguns me escreva e diga o que aconteceu.

O que eu escrevi aqui é uma técnica de enfrentamento. Enfrente a si mesmo e enfrente o seu circuito social, mas sem nenhum tipo de agressividade; apenas com um coração honesto, muita humildade e uma dose de persuasão racional. Tenho certeza de que a sorte vai finalmente lhe sorrir.

13 comentários:

Anônimo,  14 de agosto de 2009 14:14  

Parabéns Dr.!

Anônimo,  14 de agosto de 2009 16:03  

Amiga desesperada ! Fique tranqüila, estou no 8º exame, já fiz pós-graduação em Direito do tabalho, tenho certeza que tenho mais conhecimento do que muitos amigos que já estão com a vermelha e, nem assim, vou deixar de fazer o próximo.Estou com muita fé e esperança, vou fazer uma boa prova, não desânime, no final vai dar tudo certo. Boa sorte e, nada de desepero. Um grande abraço

Anônimo,  14 de agosto de 2009 18:16  

Colega desesperada,

Estou indo para o 3º exame... no primeiro fiz 49 pontos...no segundo 47 pontos...

Temos que ser persistentes, confiar, ter foco e NÃO DESISTIR, ATÉ PASSAR !!!

Tenho certeza de que nesso próximo exame iremos mandar o TÍCIO para a "CASA DO CARPACCIO"... Certo???

Vamos vencer essa batalha!!!
Tenha fé!!!

Anônimo,  14 de agosto de 2009 20:01  

Anônima "desesperada", fiz o exame 2 vezes e na primeira fui reprovado e sei exatamente como você está se sentindo. Eu estive a ponto de desistir, imagige você que já fez 4 vezes.Eu fiquem deprimido um tempão, até remédio tarja preta tive que tomar. Já no último diz de inscrição resolvi fazer a minha inscrição. sabe quando você está com depressão e em alguns poucos minutos você tenta não sucumbir? Foi nesse momento que fiz a bendita inscrição. Pois bem, feita a inscrição no dia seguinte a depressão bateu novamente e aí mais uma decisão importantíssima tomei naquele dia: resolvi que eu não daria mais satisfação para ninguém sobre o exame (nem para família, nem para amigos, nem para colegas) quando alguém me perguntava eu falava que isso era assunto meu e só meu que eu saberia resolve-lo no momento certo. O resultado disso é que tirei uma boa parte do "peso" que eu carragava e fiz o exame sem qualquer compromisso, sem quaquer obrigação de ser aprovado. E sabe o que aconteceu? Fui aprovado na maior tranquilidade do mundo. Resumo da questão: muitas vezes a reprovação ocorre porque damos importância exagerada ao exame. Tudo bem que ele é importante, afinal sem aprovação não se advoga, mas devemos faze-lo como sendo algo normal nas nossas vidas, sem admitir pressão de quem quer que seja (DE NINGUÉM MESMO, NEM DE PARENTES). Assim, passar ou não passar a vida continua. Quer um conselho que pode lhe ajugar substancialmente? Faça a inscrição para fazer as provas fora da sua cidade e não fale nada para ninguém, vá lá no dia e faça a prova e não fale nada, isso pode aliviar o "peso", creia nisso piamente.

Anônimo,  15 de agosto de 2009 00:25  

Meu amigo eu fiquei reprovado por 7 vezes, algumas por erro próprio outras por excesso de rigor da oab, passeia na oitava vez através de recurso, sofri bastante mas jamais pensei em desistir, os seus críticos querem o seu fracasso, e o os seus amigos ira lhe admirar pela sua luta, persistência e coragem, no final você vai passar, e o choro, que hoje é de decepção se tornara em alegria, e vc será uma pessoa bem mais forte, e solidária.
Se liga nas dicas que o mestre Dr. Maurício está te dando, eu passei pelas dicas dele.

Um abraço meu caro amigo, há sua hora esta chegando.
Estude bem, mas não se esqueça de pedir uma ajuda a papai do céu ele nunca falha.

Anônimo,  15 de agosto de 2009 21:04  

Colega não desanime, eu ja vou para o 8º exame, sempre fico com 47-49-48 nunca nem cheguei na segunda fese, muitos amigos que ja possuem a vermelhinha me ligam pedindo ajuda, eu sei que sou capaz, como você tbm é, eu jamais penso em desanimar mesmo que tenho que fazer 20 exames, eu agora não consigo nem fazer um cursinho pra dar uma recapitulada, to grudada na internet, sites que o dr. Maurício indica, to me esforçando ao máximo, e isso já nos engrandece...não se desespere e pense sempre que você é dona do seu destino, trace um objetivo e avante...eu ja chorei muito, quanndo tinha a certeza de ter passado e procurar meu nome na lista dos aprovados e não constar...a vida é assim para muitos...temos que ser fortes e ter fé em Deus e se não passamos até agora não é por falta de conhecimento..outros motivos estão impedindo...esfria a cabeça e tenha fé em você! Um ótimo domingo a todos.

Anônimo,  16 de agosto de 2009 13:01  

Pois veja bem o que vou escrever: eu já fiz o exame 11 vezes, vou para a 12ª vez. Vou repetir: FIZ 11 (ONZE) VEZES e vou fazer pela 12ª vez. Desistir jamais.

Apenas Wal... 17 de agosto de 2009 10:48  

Pois bem.
Eu irei para meu 3º exame, confesso que estava tbm um tanto desmotivada, triste, desanimada, agora lendo essas palavras de incentivo estou me sentindo um tanto melhor, confesso que me fez bem!!!

Obrigada a todos comentários, ainda bem que existem pessoas unidas para nos dar força e motivação.

Dr. Maurício e colaboradores, obrigada pelo blog que nos ajuda muito, vc nem imagina a parcela de apoio que vem nos dando a cada post, Deus os abençõe grandemente!!!

Abraços!!!

Anônimo,  17 de agosto de 2009 12:00  

Dano moral em cima da OAB, isso é que temos que fazer.

Anônimo,  17 de agosto de 2009 16:42  

Não desista nunca. Fui uma das privilegiadas e passei no primeiro exame que fiz (1/2009). Não sei mais nem menos que você, apenas fui, fiz e venci.
Desejo sucesso a todos os que buscam e principalmente aos VITORIOSOS que não desitem nunca.

Anônimo,  18 de agosto de 2009 17:11  

Minha 1 OAB foi 2009.1!!
Passei na 1 fase e perdi na 2. Preferiria ter predido logo na 1 fase pois a queda foi maior. no entanto vou seguir em frente e tentar...

JAND 19 de agosto de 2009 21:17  

"Derrota não é aquele que ainda não venceu, e sim aquele que desiste" Deus é contigo minha amiga, seja na derroa ou no fracasso, tenha certeza que ele estará sempre do seu lado. fiquem com o Senhor Jesus, mestre dos mestres!!!

Marcel Borges 27 de agosto de 2009 22:03  

NAO VAMOS PERDER O FOCO A PALAVRA DE ORDEM É FOCO ,EU VOU REPETIR FOCO

Boa sorte a todos!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP