Desempenho ruim de cursos top derrubam avaliação na OAB-SP

sexta-feira, 29 de maio de 2009

O desempenho ruim de São Paulo no primeiro exame para a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) pode ser explicado também pelo mau desempenho de cursos top em comparação com outros Estados, segundo revela a colunista Mônica Bergamo na edição desta quinta-feira da Folha de São Paulo.

No ano em que São Paulo participou da prova nacional --antes a seccional de SP da OAB fazia uma prova específica para o Estado--, apenas 11,8%, ou 2.233 dos 18.925 candidatos paulistas inscritos foram aprovados para a segunda fase.

O presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D'Urso, creditou o resultado ao número excessivo de faculdades de direito no Estado, que, segundo ele, está levando a uma formação inadequada de bacharéis.

A colunista porém revela que não é só essa a única explicação. Como exemplo, o curso de direito da USP, paulista que mais emplacou aprovados (71%), ficou longe da Universidade de Brasília (94%) e das federais de Santa Catarina (92%), de Sergipe (91%) e da Bahia (90%), entre outras.

Fonte: UOL

7 comentários:

Anônimo,  30 de maio de 2009 02:44  

Se 10 serão anuladas, então 10% "é de gratis"! Calma, por conta da total incapacidade da CESPE em redigir questões com opções para marcarmos "x", 10% vão para o lixão! Sairemos todos ganhando: os "analfabetos jurídicos", os donos de cursinhos, o redator da CESPE, a OAB, os pais, as faculdades "porcarias", o sistema, o brasil, o mundo... 6 questões já merecia intervenção. Mas 10... É muita gozação da nossa cara! Anulas mais de 2 já é absurdo. Qq coisa com essa margem de erro já beira o descaso total. Mas quem tem vergonha disso?

Anônimo,  30 de maio de 2009 11:13  

É o que eu disse em um comentário que fiz..qual o sentido dessa prova e dessa unificação?...escandaloso o índice de aprovação de sp..12%...que aumentará muito se 10 questões forem anuladas..totalmente sem nexo..você acerta 40 e tá dentro..e o que prestou o 137 aqui em sp? so teve 2 anuladas..enquanto a CESPE nacional teve 6...´pode até ser que a prova de SP pudesse ser mais fácil, mas nunca houve na prova da OAB tantas anulações..isso é palhaçada...eu prestei o 137 e passei graças a Deus e não precisando das 2 anuladas, mas mesmo quem precisou tudo bem..são 2 anuladas..agora 10 anuladas é brincadeira..é o que eu falo..uma prova que não mede nada..que não serve pra nada...

Anônimo,  30 de maio de 2009 11:47  

Tenho uma sugestão para a OAB: que ela faça um sorteio pela loteria federal para aprovação dos bacharéis. Isso mesmo, se o objetivo dela é só permitir determinado número de aprovação, o sorteio é a melhor fomra. É mais bonito do que ficarem com essa palhaçada de exame que nem eles mesmos sabem responder as questões.Se quem elabora as questões não sbe responde-las, que dirá os bacharéis. Se fosse um só que elabrorasse as questões eu até diria que seria fácil resolver, pois bastaria trocar o indivíduo burro. Mas ocorre que é uma comissão formada por 14 membros e depois de formuladas as questões passam pelo criuvo da OAB. Gente, é prova preparada com objetivo de reprovar o maior número possível ou não é? Se eles que elaboram as provas com os livros e legislação nas mãos não sabem, não tem a OAAB moral para acusar faculdades de mercantilistas e bacharéis de burros. Os bacharéis vão para a prova e lá não podem consutar nada e memso assim conseguem acertar, 46, 47, 48, 49 questões, já o CESPE e OAB têm os livros, toda a legislação em mãos e TODO O TEMPO DO MUNDO e mesmo assim não sabem responder o que eles mesmos elaboraram, é mole? Quem será o burro na história: os jumentos da OAB e CESPE ou os bacharéis? Isso tá me revoltando a cada dia, sinceramente.

Anônimo,  30 de maio de 2009 22:58  

Adorei a idéia do sorteio!!!! Mas eu não tenho sorte, ia me ferrar. Passei na anterior, logo de 1a, independente das 6 anulações. E me senti humilhado qd isso aconteceu. Afinal, se acreditam conseguir medir algo com essa prova, eles ao anularem, "me desqualificaram". E garanto: estudei muito o tempo todo, não só na véspera! E continuo estudando sem parar nem 1 semana! Pq eu posso e vou vencer independente de quem faz qq prova!

1a Hélio Marques 31 de maio de 2009 11:15  

Se é para avaliar os cursos, por que não voltam a fazerem os provões do MEC?
Pois 88% dos bacharéis do estado de São Paulo foram enganados por 5 anos estudando em cursos de direito desqualificados.
Por outro lado, dos 12% aprovados deve ter gente de todas as faculdades. Por que eles passaram? Chutaram melhor?

Conclusão: bacharel em direito não é profissão.

Saulo Freitas,  2 de junho de 2009 15:51  

Provão é a mesma coisa do exame, não prova nada. Só tem um método que avalia eficazmente um profisisonal: é a prática, é só isso que valia o resto é balela, é enchição de saco e forma de enriquecer alguns poucos.O CESPE, por exemplo,a cada dia enriquece mais com essa balela de dizer que tem métodos eficientes para avaliar, que tem "especialistas" que estudaram e estudam só para aperfeiçoar tais métodos.Todo mundo fica acreditando que isso é possível, acreditando ou fingindo que acredita. Prestem a atenção, o CESPE (e outras entidades congêneres) na verdade a cada dia encontram meios de evitar indices de aprovação elevado, mas isso não precisa ninguém estudar para conseguir, a própria OAB SP é quem elaborava as sua provas e o indice de reprovação era absurdo, ou seja, essa gente na verdade quer é conseguir um dia atingir o ponto em que eles possam aprovar e reprovar a quantidade exata que quiserem. De certa forma já atingiram isso, mas querem chegar à perfeição. Exame de ordem para evitar que advogados despreparados exerçam a profissão? Balela, pura balela. Vocês já ouviram falar que em determinadas circunstâncias, quando percebe que o advogado é despreparado, o juz declara o réu indefeso? Pois bastaria isso, ou seja, baqstaria o juiz declarar a parte indefesa comunicando o fato à OAB (e aí ela aplicaria o art. 34, XXIV do Estatuto) que o controle de qualidade estaria feito e com eficiência absoluta, não precisaria exame coisa nenhuma, pois, insisto, o exame tem objetivo na verdade é de arrecadar. Logicamente que critérios deveriam ser claramente fixados na lei para evitar abuso e perseguição de juizes. Mas sabem quando isso vai acontece? N U N C A, pois o que a OAB quer mesmo é arrecadar e não atingir qualificação melhor de advogado.Se a OAB (e todo o sistema, incluindo aí o judiciário e o legislativo) fosse uma entidade séria e honesta ela procuraria adotar o que estou sugerindo aqui. Alguém vai me perguntar: mas você está dizendo que a OAB e os poderes do Estado são desonestos? SIM, estou.

Anônimo,  3 de junho de 2009 22:37  

ESTE DISCURSO DO D'URSO É O MESMO, UNIFICADO OU NAO ELE FALARÁ SEMPRE A MESMA COISA. ALIÁS É O DISCURSO NACIONAL DA OAB. O DESEMPENHO MEDIOCRE, SE DEVE AO EXAME FORMULADO ERRONEAMENTE E MAQUIAVELICAMENTE MANIPULADO, COM AS QUESTOES BEIRANDO AO RIDICULO, COM MAIS DE UMA ACERTIVA, SEM ACERTIVA, COM ENUNCIADOS INCOMPLETOS, JUSTAMENTE PARA LEVAR O AVALIANDO AO ERRO.
SE VAI ACONTECER DE 10 SEREM ANULADAS, ENTAO O 100% DA PROVA SERÁ 90 QUESTOES E NAO 100, CERTO?
É UMA VERGONHA. O PROPRIO D'URSO E SEU PRESIDENTE DE COMISSAO DE ESTAGIO E EXAME, COMO MUITOS DIRIGENTES DA ORDEM, NAO FIZERAM O EXAME E FICAM AÍ COBRANDO DOS NATURAIS ADVOGADOS ... É O CUMULO.

UM FORTE ABRAÇO DR. MAURICIO...

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP