Livros marcados

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

São raras as histórias de que o Cespe tenha vetado livros que tenham sido marcados (sublinhados) com marca-texto ou lápis. Só ouvi falar de dois casos.

No entanto, como o critério e o humor dos fiscais variam de lugar para lugar, é bom não arriscar.
De toda forma, em princípio, não dá problema nenhum.

2 comentários:

Paulo César,  26 de janeiro de 2009 02:25  

Se a marcação do texto não indicar um código para formação da peça, não tem problema. Parece-me que o "jeitinho" brasileiro transforma o normal em anormal. As exceções devm estar devidamente justificadas. Claro que um simples marca-texto não terá problema desde que seja um simples texto marcado.
Boa sorte a todos.

Anônimo,  29 de janeiro de 2009 08:50  

Apenas para reflexão:
Num país que atravessa uma crise de costumes, uma verdadeira guerra travada até nos próprios lares , com pais e mães que entregam filhos à polícia,sem falar em políticos que roubam e juízes que estão presos, o que devo achar de ser submetida a um exame com detector de metais ao pedir para usar o banheiro na prova do Exame de Ordem: Eu não sou bandida, sou cidadã! Eu vou protestar, não aceito ser nivelada por baixo, exijo tratamento digno. A OAB descumpre os mais rasteiros princípios éticos ao oferecer aos fituros advogados forma tão aviltante de controle. EXIJO RESPEITO!!!

Postar um comentário

  © Blogger template The Professional Template II by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP